The words you are searching are inside this book. To get more targeted content, please make full-text search by clicking here.
Discover the best professional documents and content resources in AnyFlip Document Base.
Search
Published by Huildino Santos, 2018-05-26 13:30:24

Revista do Cadete

edicaomaio2013

Revista

Órgão Informativo do Instituto Superior Técnico Militar - Maio 2013

Entrevista com Brigadeiro
Médico Belmiro Rosa

Retrospectiva

Cerimónia oficial do
4º Aniversário do ISTM

1- Nota de Abertura Pag. 3
2- Entrevista com o Doutor Belmiro Pag. 4
3- Cadetes do ISTM visitaram a Feira de Transportes e Logística Pag. 8
4- A psicopedagogia como vector para a maximização no ensino Pag. 10
5- Retrospectiva IV aniversário do ISTM Pag. 12
6- Discurso do Ministro da Defesa Nacional Pag. 14
7- Mensagem do Director do ISTM, por ocasião dos 4 anos Pag. 17
8- Promovidos Oficiais Pág. 23
9- Novas Tendências Tecnológicas Pág. 26
10- Entrevistas com entidades governamentais e militares Pág. 34
11- Tecnologia Militar Pág. 48

Propriedade: Instituto Superior Técnico Militar
Editor: Falcão de Lucas
Osvaldo Abreu
Colaboração: Cândido Ricongue Ukelo
Layout e Paginação: Raúl Dias Carreiro
Campo Militar do Grafanil
Fotografias: Avenida Deolinda Rodrigues, Km 9
Endereço: 00244 222 408 165 /66/67
[email protected]
Tel.: Instituto Superior Técnico Militar
E-mail: Damer gráficas SA
Produção e Revisão: 2.000 Exemplares
Impressão e Acabamentos:
Tiragem:

Nota de Abertura Nota de Abertura

OISTM é um estabe- na nas especialidades de
lecimento de en- Saúde, com participação
sino universitário de estudantes nacionais e
militar, enquadrado no de países amigos, nome-
sub-sistema de ensino Mi- adamente das Repúblicas
litar do EMGFAA, criado no de Cabo-Verde, da Guiné-
âmbito do cumprimento -Bissau, de Moçambique
da Directiva de S.Exa. o e de SãoTomé e Princípe,
Presidente da República contando com prestimoso
e Comandante-em–Chefe empeho de docentes an-
das Forças Armadas Ango- golanos, cubanos, portu-
lanas, á luz do despacho nº gueses e vietnamitas.
079 CEMG/FAA, de 07 de
Novembro de 2007, com Neste sentido, encon-
o objetivo primário de for- tramo-nos neste concla-
mar quadros militares com ve, para celebramos sole-
licenciaturas nas áreas de nemente o 4º Aniversário
Engenharia e Medicina. da fundação do ISTM, 4
anos que levam consigo,
Neste âmbito o processo dentre outros atributos,
de Formação neste Institu- já algum acomular de co-
to, teve o seu início no dia nhecimento, saberes, ex-
15 de Maio de 2008, por- periências, habilidades e
tanto há exactamente 4 competência para conti-
anos atrás, cuja cerimónia nuar a cumprir com a sua
de inauguração foi presidi- principal missão, que é a
da por s.Exa. o CEMG/FAA. da formação de quadros
militares com licenciaturas
Assim, o ISTM passou nas áreas de Engenharia e
administrar cursos de li- Medicina, projectando-se,
cenciatura, na área de desde modo a saída dos
Engenharia nas espe- primeiros finalista licencia-
cialiidades de Mecânica, dos para as FAA, nos próxi-
Electrotecnia, Infomática, mos anos de 2013 e 2014
Construção e Fortifica- respectivamente.
ção e na área de Medici-

Órgão Informativo do ISTM - Maio 2013 3

ENTREVISTA

Entrevista com o Brigadeiro Médico Belmiro Rosa,
Director Adjunto do ISTM

No país existe o Sistema de Ensino do Ministério do Ensino Superior” clarificou. O Dr Belemiro Rosa falou por outro
Superior Nacional e as Forças Ar- O responsável militar neste estabeleci- lado da importância da realização do 1º
madas Angolanas como um sub- Workshop sobre “O Estudo da Engenharia e
-sistema social têm um sub-sistema para o mento de ensino superior, fez saber que o Medicina, e suas Relações”, realizado dia 10
ensino da arte militar, neste quadro houve a enquadramento dos engenheiros e médi- de Maio no âmbito de mais um aniversário
orientação para criação de uma instituição cos nas FAA é feito com base nas suas espe- da instituição.
de ensino superior, nas FAA, com ligação cialidades militares.
aos Ministérios do Ensino Superior (MES) e De acordo com o Director Adjunto do
da Ciência e Tecnologia, explicou o Director Processo de Admissão: ISTM, esta orientação surgiu do Conselho
Adjunto do Instituto Superior Técnico Mili- Científico da instituição, uma vez que o
tar (ISTM), Brigadeiro Médico, Belmiro Rosa, “Para que alguém seja admitido no ISTM, ISTM alberga o ensino da medicina e das
na sequência de uma entrevista concedida as condições são iguais as exigidas para o engenharias.
a Revista Cadete. ingresso em qualquer Instituição de Ensi-
no Superior, sendo o décimo segundo ano Quando nós olhamos para o mundo ac-
Durante a entrevistado o Dr. Belmiro (ensino médio ou equivalente) e a realiza- tual percebemos que o desenvolvimento
Rosa, esclareceu que o Instituto Superior ção dos exames de acesso, obedecendo ao do conhecimento é mais integrado. Quer
Técnico Militar não é mais do que uma Insti- calendário orientado pelo MES”, esclareceu. dizer que hoje quando a medicina utiliza as
tuição de Ensino Superior no Sistema Nacio- tecnologias desenvolvidas pela engenharia,
nal de Ensino Superior, dentro do programa O Dr. Belmiro Rosa salientou que termi- constatamos que o objectivo final quer das
de formação de quadros superiores para o nada a licenciatura no ISTM, qualquer Ca- engenharias como da medicina é o mesmo,
país.“Nós pertencemos ao Sistema Nacional dete além de servir as FAA, por interesses isto é tratar do homem, visando a melhoria
de Ensino Superior”. nacionais, pode ser colocado em outros na sua qualidade de vida, para maior longe-
Ministérios dependendo da orientação su- vidade, destacou.
Referiu ainda que no Ministério do Ensi- perior.
no Superior existem vários diplomas legis- “Ora quem trata do homem é o médico
lativos e ISTM para funcionar, tem que os Disse ainda existir a perspectiva do de- e quem trata do equipamento para que o
cumprir necessariamente. senvolvimento na carreira profissional para médico trabalhe são os engenheiros, logo
os médicos e engenheiros que podem pros- julgamos ser necessário avaliar a nível
De acordo com o Dr. Belmiro, toda a do- seguir os seus estudos nas diversas especia- destas duas grandes áreas (engenharias e
cumentação do Instituto Superior Técnico lidades do seu ramo, bem como o desenvol- medicina) a integração do conhecimento”,
Militar, já foi entregue ao Ministério do Ensi- vimento para a carreira docente. sublinhou.
no Superior, pelas vias competentes (Estado
Maior General das FAA e Ministério da De- A carreira docente começa com cursos Actualmente falamos do mundo global
fesa Nacional). Os diplomas legais vigentes de pós-graduação, sobre agregação peda- no aspecto da socialização das pessoas, mas
para as Instituições do Ensino Superior Pú- gógica, metodologia e aperfeiçoamento do o mundo global começa precisamente na
blicas são os mesmos remetidos pelo ISTM ensino, evoluindo para mestrados e douto- integração do conhecimento.
e que estão a merecer o devido tratamento ramentos, estando já um certo número de
junto do MES . cadetes selecionados como monitores aos Integrar a medicina e a engenharia. Hoje
seus respectivos cursos. falamos da cirurgia robótica e bio-enge-
Salientou que a diferença que existe em nharias, nós conseguimos prever factores
relação as outras Instituições, é que o ISTM O plano de formação nacional de docen- como determinada criança poderá ou não
independentemente do ensino superior tes orienta todos os estabelecimentos de en- vir a desenvolver uma doença tumoral ou
que está a fazer, os seus cadetes terminam sino para num programa até ao ano de 2020 metabólica, estudo do feto intra uterino
já com uma especialidade. e o ISTM, não descorando ao estatuído, tem e muito mais. Tudo isto é estudado com o
procurado parcerias com outras Universida- apoio das engenharias. Por isso vamo-nos
“Nós fazemos a formação superior e nos des em Angola e no estrangeiro para o De- encontrar durante um dia para compreen-
últimos anos, em paralelo com uma espe- senvolvimento da carreira docente. dermos o entrosamento destas duas gran-
cialidade militar que obedece o perfil para des áreas do saber, destacou.
o desenvolvimento na carreira como militar, Percebemos que existem algumas de-
não interferindo com o programa curricular bilidades no quadro de docentes, para o De acordo com o Brigadeiro Belmiro
nosso país e dentro deste âmbito, pretende- Rosa, este será o primeiro Workshop do
4 Cadete mos estar enquadrados nos programas de ISTM de nível internacional que contará
desenvolvimento das regiões académicas com a participação de Universidades Nacio-
criadas em Angola. nais e Estrangeiras.

Aproveitamento Pensamos que com esta experiência os
académico próximos workshops ter uma maior abran-
gência.
O aproveitamento académico, é satisfa-
tório pois a dedicação dos Cadetes ao estu- A ideia segundo o Director Adjunto, é
do é exclusiva, com mais tempo disponível que este tipo de encontros se realizem anu-
para estudar, pelo facto de viverem em regi- almente, pois pretende-se fazer um enqua-
me de internato. dramento com o 15 de Maio, data do aniver-
sário do Instituto.

Por: Falcão de Lucas, Jornalista

ENTREVISTAS

Laboratórios do Instituto Superior Militar possuem
softwares adequados e modernos

Docentes do Instituto Superior Técnico Mi- cias de Saúde do Instituto Superior Técnico Anatomia, de Fisiologia, com softwares mo-
litar (ISTM) consideram uma mais-valia os Militar, Coronel António Capita, informou dernos e apropriados ao trabalho, de Bio-
laboratórios disponíveis na instituição, para que o curso de Medicina tem dois ciclos, química, de Biologia e de Estologia”, frisou
a formação académica e profissional dos concretamente o básico e o clínico, com o responsável, para quem o laboratório de
formandos. condições criadas para a aprendizagem Anatomia tem mesas para autopsia e câma-
com êxito dos Cadetes. ras frigorificas para nove cadáveres em con-
Em declarações à Revista Cadete, o chefe gelação e dois cadáveres em refrigeração.
do Departamento de Bio-Tecnologia e Ciên- “Neste momento temos laboratórios de
Para o oficial, estes laboratórios são sufi-
cientes para o ensino da medicina no insti-
tuto, que anualmente possui cinquenta estu-
dantes em cada ciclo. Na óptica de António
Capita, o ISTM constitui uma mais-valia para
as Forças Armadas Angolanas, em particular,
e para Angola, no geral, devido ao problema
da falta de quadros que ainda se regista.

Assim, referiu que dentro de dois anos,
poderá sair o primeiro grupo de finalistas de
medicina deste instituto militar.

Relativamente ao convénio com o Hos-
pital Militar, precisou que os estudantes do
terceiro, quarto, quinto, e brevemente o
sexto, anos continuam a fazer o seu estágio
curricular nesta unidade hospitalar em es-
pecialidades.

O ISTM é uma unidade militar geradora de
conhecimentos científicos, afirma Eng. MsC Zola

Por seu lado, o Coronel João Zola, chefe porquanto forma quadros de nível superior. que é acrescida.
do Departamento de Engenharia Mecânica, Precisou que o plano de estudo da insti- “Estamos a preparar condições no ISTM
enfatizou que o ISTM é uma unidade mili-
tar geradora de conhecimentos científicos, tuição não tem diferença dos outros institu- aos poucos, para que o nosso engenheiro
tos superiores, salvo a componente militar saiba criar utilidades que sirvam para o nos-
so povo. Ainda não temos o suficiente, mas
sim o necessário para formarmos os nossos
engenheiros”, afirmou.

Fez saber que o ISTM está dotado de
laboratórios de mecânica computacional
e o de tecnologia mecânica, que possuem
máquinas excelentes e sofisticadas que vão
ajudar muito na formação dos Cadetes.

Na sua óptica, os laboratórios estão equi-
pados, mas tem de se ter conhecimentos
suficientes para fazer funcionar os equipa-
mentos destes laboratórios novos.

Em termos de condições de alojamento,
argumentou que o Cadete está em “casa”,
tem o seu alojamento, três refeições por
dia, salas de aulas, professores residentes
a quem podem recorrer a qualquer altura,
bem como um subsídio financeiro.

“Há condições para que os nossos Cade-
tes terminem com êxitos os seus cursos no
ISTM”, concluiu.

Osvaldo Abreu - Jornalista

Órgão Informativo do ISTM - Maio 2013 5

ENTREVISTA

Entrevista com o Tenente-Coronel Médico Adriano Martins de Oliveira
sobre os preparativos do 1º Workshop sob o tema: O Estudo das
Engenharias e Medicina - Suas Relações, organizado pelo ISTM

fazer a exposição de posters de trabalhos
desenvolvidos pelos nossos cadetes das en-
genharias e do curso de medicina.

O objectivo é vincular a nossa instituição
à obrigatoriedade da investigação cienti-
fica buscando parcerias em projectos com
outras universidades, nacionais e estrangei-
ras, apresentando propostas de projectos ,
conscientes de que a investigação é a base
para o ensino cientifico e a afirmação da
nossa instituição.

Nós como instituição de ensino superior
temos um leque de actividades, além do
workshop, que visam a formação contínua
dos nossos docentes, a integração dos nos-
sos docentes e discentes na investigação
científica. Esperamos que estes eventos ve-
nham a melhorar o desempenho dos pro-
fessores do ISTM que é um dos objectivos
fundamentais deste tipo de eventos.

Doutor Adriano Martins de Oliveira na porque o desenvolvimento das engenha- Dr. Adriano em termos organizativo
qualidade de coordenador do secretaria- rias disponibiliza as tecnologias necessárias está tudo apostos para o arranque o en-
do do Workshop, qual a importância que para o desenvolvimento da medicina, e as contro?
atribui a este encontro? investigações e desenvolvimento em medi-
cina implicam o desenvolvimento de tecno- Em termos organizativos, estão cria-
Como sabe o ISTM é uma Instituição de logias pelas engenharias tecnológicas, daí das as condições necessárias para que o
ensino superior que tem essencialmente as relações entre ambas. Portanto, em ple- Workshop se realize com êxito que nós al-
duas vertentes uma militar e outra acadé- no século XXI não podemos falar em desen- mejamos.
mica que é a formação de quadros que vão volvimento da medicina sem o associarmos
servir em primeira instância as Forças Arma- às engenharias. Somos uma instituição nova que vai
das Angolanas (FAA) e o país em geral. assinalar mais um aniversário que se co-
Neste workshop o ISTM convidou acadé- memora dia 15 de Maio. Neste ano lecti-
Como instituição de ensino superior micos e investigadores nacionais e estran- vo, os nossos estudantes de engenharia e
temos duas áreas de formação que são: as geiros que vão demonstrar as relações exis- de medicina frequentam o 5º ano, o que
engenharias e as ciências de saúde e bio- tentes entre as engenharias e a medicina. na prática significa que dentro de poucos
tecnologias que neste momento ministra o Para o efeito, vamos falar de bioengenha- meses o ISTM vai lançar os primeiros li-
curso de medicina. rias, biomateriais, Tecnologias de Informa- cenciados em engenharia. O curso de me-
ção (TICs), arquitectura, enfim, de desen- dicina, que tem a duração de 6 anos, tem
O lema deste workshop, é importante volvimento tecnológico. Vamos também neste ano lectivo a frequência do 5º ano e
e acima de tudo pertinente porque as en- dentro de menos de 2 anos teremos igual-
genharias e a medicina têm relação estreita mente os primeiros médicos formados na
nossa instituição.

Dr. Adriano o aproveitamento dos Ca-
detes satisfaz o direcção do ISTM

O nível de aproveitamento dos nossos
Cadetes satisfaz-nos porque, apesar das
dificuldades que têm vivido, o objectivo
fundamental da sua presença na instituição
tem sido cumprido.

Para terminar quero felicitar a Direcção
da Instituição, todos os Oficiais, Professores,
Cadetes e Trabalhadores Civis, por ocasião
de mais um aniversário do ISTM, com um
apelo para o engajamento de todos rumo
aos objectivos nobres da nossa instituição.

Por: Falcão de Lucas

6 Cadete

INFRAESTRUTURAS

Posto Comando do Corpo de Cadetes e Dormitórios

Órgão Informativo do ISTM - Maio 2013 7

VISITA

Cadetes do ISTM visitaram
Feira de Transportes e Logística

Apertinência dos cursos ministrados proferidas durante a feira foi o de mostrar para as empresas UNICARGAS, os princi-
no ISTM, será no futuro uma mais a evolução no desenvolvimento dos Trans- pais portos do país (Luanda, Namibe, Lobi-
valia para o país em geral e para as portes e da Logística a nível mundial em to e Cabinda) e as de transportes (MACON
Forças Armadas Angolanas em particular. particular o seu forte impacto e importân- e ANGOREAL)
O modelo de formação característico desta cia.
instituição, pioneira na formação de nível Pelo: Capitão Admil Espírito Bango,
superior militar, basea-se na formação inte- Durante a visita os nossos alunos rece- Mestre em Ciências Pedagógicas, Li-
gral dos seus educandos. beram informações sobre a forma como cenciado em Ciências Militares. Prof. do
funciona logisticamente a maior parte das Departamento de Ciências Militares do
Com o objectivo de participarem de empresas do ramo dos transportes de car- ISTM
algumas visitas de estudos integrados na ga a granel e contentorizada com destaque
Cadeia de Logística Geral do Departamen-
to de Ciências Militares, deslocou-se às ins-
talações da Feira Internacional de Luanda
(FIL), uma delegação integrada por Cadetes
do 1º, 2º e 3º Batalhão. Sob o lema “A Logís-
tica e os Transportes pelo Crescimento de
Angola”, que muito satisfez os alunos.

A mesma é a 2ª de uma série de feiras
deste âmbito e para tal a organização da FIL
elaborou um amplo programa, consubs-
tanciado em intervenções de entidades
provenientes de vários ramos da actividade
de Logística e Transportes a nível interna-
cional.

Agrupados em painéis, foram aborda-
dos vários temas dentre os quais destacam-
-se “A Rede Nacional de Plataformas Logís-
ticas e o seu Modelo de Governação”, que
contou com a presença da comitiva dos
Cadetes dos ISTM.

Um dos objectivos das conferências

8 Cadete

INSTRUÇÃO

A instrução militar concentrada na
preparação dos cadetes do ISTM

Coronel Fontoura, chefe do Depart. ses do mundo expressam que a INSTRUÇÃO • Plano de realização do Exercício.
Ciências Militares MILITAR CONCENTRADA no desempenho • Plano de movimento.
prático de actividades no terreno, desen- • Planos para cada área (Asseguramento
O Povo Angolano trabalha intensamen- volvem nos cadetes criatividade e iniciati-
te porque seus filhos, herdeiros dos ideais va que lhes permitem tomar decisões em Logístico, Trabalho Educativo Patriótico,
da independência dos "Heróis de 4 de Feve- situações complexas, tanto em tarefas que Batalhão de Comando e Serviço Contra
reiro", são donos de um país próspero. se executam de forma individual como em Inteligência Militar, Serviço Material, Uni-
composição de Pequenas Unidades, bem dades de Apoio a Instrução, e Posto Mé-
O desenvolvimento económico e social como desenvolver e cumprir as missões da dico.);
da nação angolana requer uma sociedade especialidade que estudam, com o empre- • Plano de Imitação;
estável. As FAA constituem uma garantia no go da técnica e armamento, durante a pre- • Indicações Metodológicas e de Organi-
sentido de fazer face aos perigos que afec- paração e realização de acções combativas, zação.
tam a estabilidade da nação. O cumprimen- sob uma idéia e plano únicos, em diferentes • Estes documentos devem corresponder
to das missões das FAA exige um Corpo de tipos de acções combativas e em condições às normas estabelecidas nas FAA.
Oficiais altamente qualificados, fiéis à pá- o mais semelhante possível ao combate O Plano de Realização do Exercício é o
tria, com preparação para conduzir a massa real. documento de trabalho principal do Diri-
de combatentes nas missões quer em tem- gente. Elabora-se com uma parte gráfica
po de paz como em tempo de guerra. O Departamento de Ciências Militares (Mapa Topográfico ou Esquema) e uma
do ISTM planifica, organiza e dirige a Instru- parte textual (Notas Explicativas). Assina-se
O ISTM tem a missão de formar oficiais ção Militar Concentrada, com os seguintes pelo Dirigente e se aprova pelo Director do
com elevado sentimento de patriotismo, objectivos: Instituto.
alta preparação militar e profundos conhe- • Desenvolver nos Cadetes habilidades O Dirigente, seus adjuntos e o resto dos
cimentos especiais e científicos nas áreas de integrantes do Quadro orgânico do Institu-
Engenharia e Medicina. Para eles, a Prepara- práticas que incrementem suas qualida- to que participarem na direcção das activi-
ção Militar Geral é uma parte integrante im- des de comando, direcção e chefia; dades estão obrigados a:
prescindível no processo de sua formação. • Exercitar com os Cadetes os procedimen- • Elaborar a documentação do exercício
tos práticos que elevem suas capacida- no que compete a cada um;
A Preparação Militar Geral é parte prin- des de aproveitamento das qualidades • Conhecer a ordem de realização e os mé-
cipal no desenvolvimento do Processo Do- protetoras do terreno e o mascaramen- todos para imitar a actividade do inimigo;
cente Educativo dos Cadetes do ISTM. Pode to; • Conhecer e exigir o cumprimento das
definir-se como O CONJUNTO DE ACTIVI- • Desenvolver os hábitos individuais e co- medidas de segurança com o armamen-
DADES DOCENTES E EDUCATIVAS QUE SE letivos de permanência em condições de to e a técnica militar que se emprega;
REALIZAM CONSTANTEMENTE COM O OB- campanha. • Conhecer a organização das comunica-
JECTIVO DE INCUTIR NOS CADETES QUA- Durante a realização da Instrução Militar ções criada;
LIDADES MORAIS, FÍSICAS, EDUCATIVAS E Concentrada, o método principal de ensino • Garantir que as ordens e disposições do
OUTRAS. é o exercício prático. A duração de cada ac- Dirigente cheguem oportunamente aos
tividade deste tipo depende dos objectivos participantes;
Os alunos que se formam no ISTM nas traçados, em correspondência com o esta- • Planificar o uso do Campo de Tiro e ou-
especialidades de Engenharia e Medicina belecido nos Planos Curriculares de cada tros polígonos e áreas necessárias para a
estão obrigados a conhecer as actividades carreira. instrução;
que desenvolvem os Chefes e as Tropas no Durante a Instrução Militar Concentrada, • Reconhecer o terreno, prestando aten-
terreno, tanto em Tempo de Paz como de a alimentação, seguro médico em campa- ção à localização do pessoal, armamen-
Guerra. nha, movimentos e todo tipo de segurança, to, técnica e outras exigências de sua
deve cumprir-se em correspondência com a especialidade.
As experiências avançadas de Institui- Ideia Táctica passada. A Instrução Militar Concentrada é uma
ções Docentes Militares de diferentes paí- A documentação organizada desta ac- actividade principal do ISTM que visa con-
tividade e elaborada pelo Dirigente do tribuir na preparação dos cadetes para a
Exercício e seus adjuntos, com autorização vida em campanha, bem como desenvolver
do director do ISTM Esta tarefa inicia com neles tributos da área afectiva e cognitiva,
o processo de Planificação Docente e Geral tais como: tenacidades, camaradagem, leal-
do ISTM para o Ano Lectivo, no que se esta- dade, espírito de corpo, coragem e iniciativa
belece a ideia geral, prazos de tempo, pes- entre outras.
soal participante, quantidade de técnica e
armamento, Base Material de Estudo, reco- Autores:
nhecimento ao terreno na área de execução Coronel Adão Fontoura
dos exercícios e outras medidas. Tenente Coronel Rafael Muguercia
Como parte do processo de planificação (Prof. Cubano
desta actividade, devem elaborar-se os se- Sub-tenente Eliamdro Catumbila
guintes documentos

Órgão Informativo do ISTM - Maio 2013 9

A psicopedagogia como vector para maximizaçao
do processo de ensino e aprendizagem

Florêncio da Fonseca Coronel- Psicólogo Chefe do Depto de Psicopedagogia e Orientaçao Vocacional

Antecedentes primeiros centros psicopedagógicos por J. concepção de aprendizagem.
Boutonier e George Mauco, com direcção A psicopedagogia se propõe integrar,
O Instituto Superior Técnico Militar (ISTM) é médica e pedagógica.
uma instituição de ensino superior militar de modo coerente, conhecimentos e prin-
universitário, criado por despacho 079/ de Unindo conhecimentos da área de Psi- cípios de distintas ciências humanas, com
7 de Novembro 2007 e inaugurado aos 15 cologia, Psicanálise e Pedagogia, esses cen- objectivo de adquirir uma ampla compre-
de Maio de 2008 por sua Excelência Gene- tros tentavam readaptar crianças e jovens ensão sobre as variáveis inerentes ao pro-
ral do Exército Francisco Pereira Furtado, Ex com comportamentos socialmente inade- cesso de ensino e aprendizagem.
- Chefe do Estado-Maior General das FAA. quados na escola ou no lar e atender difi-
Actualmente é a instituição de referência culdades de aprendizagem (MERY BOSSA, Na concepção de Coll & Ferreira (1989b,),
na formação técnica superior dos militares 2000, p. 39). a actuação do psicopedagogo pode ser or-
nas áreas de Engenharia e Medicina. ganizado em torno de quatro eixos; o pri-
A Psicopedagogia tem carácter multi- meiro relativo à natureza dos objectivos
O departamento de psicopedagogia disciplinar devido à complexidade do PEA da intervenção, cujos pólos caracterizam
nesta instituição, vem colmatar o vazio que (Processo de Ensino e Aprendizagem) para respectivamente as tarefas que se centram,
se fazia sentir, de um órgão vocacionado o feito, busca subsídios em outras áreas de prioritariamente no sujeito e aquelas que
para o estudo das características dos indiví- conhecimento, e não somente da psicolo- têm como finalidade incidir no contexto
duos e grupos em presença, da relação do- gia e da pedagogia. educacional.
cente/discente, articulação dos conteúdos
e métodos com o processo individualizado Por exemplo, na linguística, para ex- Assim, as tarefas incluídas são tanto as
de aprendizagem, bem como para a orien- plicar como se dá o desenvolvimento da que têm como objectivo prioritário o aten-
tação vocacional dos cadetes e detecção linguagem humana e sobre os processos dimento ao aluno, quanto as que aparecem
precoce dos transtornos de aprendizagem. de aquisição da linguagem oral e escrita, vinculadas a aspectos curriculares e organi-
conhecimentos sobre o desenvolvimento zacionais.
jPescitcoodpeedinatgeorvgeiançeãooseu ob- neurológico, sobre suas disfunções que
acabam dificultando a aprendizagem. O segundo eixo incide sobre as modali-
A história da psicopedagogia tem início dades de intervenção, que podem ser con-
na Europa, em 1946, com a fundação dos Conta com os subsídio da filosofia e da sideradas como correctivas, ou preventivas
sociologia, para melhor entender a visão e enriquecedoras.
do homem, seus relacionamentos a cada
momento histórico e sua correspondente O terceiro eixo também diferencia mo-
delos de intervenção, embora tenha como

10 Cadete

objectivo final o aluno, pode ter diferenças professores e pais, direcção e professores, que vem a ser a intervenção, onde ocorre
consideráveis: enquanto alguns psicope- escola e comunidade etc.) o processo de tratamento das dificuldades
dagogos trabalham directamente com o apontadas pelo diagnóstico.
aluno, orientam-no e inclusive, manejam A intervenção psicopedagogica será tão
tratamentos individualizados, outros com- mais eficaz quanto mais eficiente for o diag- Para terminar, citamos Maria Cecília Gas-
binam momentos de intervenção directa nóstico psicopedagógico. parian, concordando com a sua máxima se-
com intervenções indirectas, (por exemplo, gundo a qual; Mais do que aprender novas
no caso de uma avaliação psicopedagógi- Essa intervenção, como assinala Gaspa- técnicas metodológicas, a grande questão
ca), centrada nos agentes educacionais que rian (2001,55) tem como objectivo a melho- é de encontrarmos caminhos que possibili-
interagem com ele. ria das actividades escolares, por isso, todas tem o crescimento e o desenvolvimento da
suas acções devem servir de sustentação escola e de seus elementos.
O último eixo, Coll (1989) indica o lugar para a escola nos diferentes níveis em que
preferencial de intervenção, que inclui tan- se encontram comprometidos. POR : FLORÊNCIO DA FONSECA
to as tarefas localizadas a nível de sala de CORONEL- PSICÓLOGO
aula, dentro da escola, ou no seu conjunto. De acordo com autora, trata - se dos pro-
cessos pedagógicos, as características orga- CHEFE DO DEPTO DE PSICOPEDAGO-
Actuação do Psicopedagogo nizacionais, estruturais e funcionais da insti- GIA E ORIENTAÇAO VOCACIONAL
tuição escolar. São os elementos envolvidos
O psicopedagogo cumpre a importan- no processo de ensino e aprendizagem. Referências bibliográficas:
te função de socializar os conhecimentos
disponíveis, promover o desenvolvimento Devido a diversidade de factores, o diag- PERES, M. R. & OLIVEIRA, M. H. M. A. Psi-
cognitivo e a construção de normas de con- nóstico psicopedagogico torna-se comple- copedagogia - Limites e possibilidades a
duta inseridas num mais amplo projecto xo impõe a necessidade de actuar nesses partir de relatos de profissionais. São Paulo:
social, procurando afastar, contrabalançar a vários contextos, desempenhado diferentes PUC, 2007.
necessidade de repressão. papéis dentro e fora do âmbito da sala de
aula. MARIA, C. Breve historial da intervenção
Agindo assim, a maioria das questões do Psicopedagogo na escola: São Paulo:
poderão ser tratadas de forma preventiva, O objectivo primordial do diagnóstico ABPp, 238-242, 2006.
antes que se tornem verdadeiros problemas psicopedagógico na escola, consiste no
e/ou também interventiva, se a dificuldade exame das causas que produzem as dificul- RUBSTEIN, E.; CASTANHO, M. I. & NOFFS,
de aprendizagem já estiver evidente. dades de ensino e que geram os problemas N. A. Rumos da psicopedagogia brasileira.
de aprendizagem. Para isto, é necessário São Paulo: ABPp, 21(66), 225-238, 2004.
Peres e Oliveira (2007), com respeito à um trabalho em equipa com profissionais
importância da prevenção e da intervenção de outras especialidades afins. Detectadas
psicopedagógica, enfatizam que não po- as causas e identificados os problemas,
demos ignorar a fase que precede a essas ocorre, então, a segunda fase do trabalho,
acções. A etapa de avaliação psicopedagó-
gica, por exemplo, deverá anteceder toda e Cadetes durante uma aula de informática
qualquer proposta de intervenção.

A análise da adequação dos materiais di-
dácticos, da proposta pedagógica, da meto-
dologia, da avaliação, associada a entrevis-
tas com professores, tem se constituído em
importante instrumento de avaliação.

O psicopedagogo actuará em equipa,
isto é, com a colaboração de todos os ele-
mentos que trabalham na escola;
• O psicopedagogo faz o diagnóstico e a

avaliação psicopedagógica, mediante
selecção estatística cuidadosa e crite-
riosa do maior número de variáveis que
julgar relevantes.
• Realiza a chamada “escuta psicopeda-
gógica” auscultando as fontes de infor-
mação disponíveis, como alunos, pais,
professores e demais profissionais que
trabalham na ou para a escola, cruza as
informações com os resultados de tes-
tes e inquéritos, dando assim, garantias
de rigor científico, na medida em que ali
estão contempladas as variáveis estatis-
ticamente mais relevantes e, por conse-
guinte, de maior confiabilidade.
O diagnóstico e a avaliação psicope-
dagógica constituem um meio de auxílio
à escola para sair da crise, seja de carácter
pedagógico, organizacional ou relacional
(entre professores e alunos, alunos e alunos,

Órgão Informativo do ISTM - Maio 2013 11

Retrospectiva do IV aniversário do I

O Ministro da Defesa Nacional, General Cândido Pereira dos Santos Van-Dúnem presidiu a 15 de Maio de 201
aniversário deste importante estabelecimento de Ensino Militar do país.
A sua chegada, o ministro foi recebido na instituição pelo Director do ISTM, Tenente General Jaime Pombo Vili
nadas na entrada do estabelecimento. De seguida Cândido Van-Dúnem depositou uma coroa de flores no m

Ministro da Defesa recebido à chegada com Honras Militares

General Cândido Van-Dúnem rende homenagem aos militares e civis falecidos Chefe do Estado Maior saúda a direcção do ISTM
12 Cadete

Instituto Superior Técnico Militar

12, nas instalações do Instituto Superior TécnicoMilitar (ISTM), a cerimónia que marcou a passagem do quarto
inga. Antes da Recepção a titular da pasta da Defesa passou em revista as tropas da Guarda de Honra posicio-
momumento erguido em memória dos militares e civis do Instituto já falecidos no exercício das suas funções.

Recepção do Director do ISTM à Ministra Cândida Narciso Ministro da Defesa e CEMG

Ministro da Defesa saudando directores adjuntos do ISTM Momento cultural no âmbito do aniversário
Órgão Informativo do ISTM - Maio 2013
13

DISCURSO

General Cândido Van-Dúnem afirma que o
Executivo tem apostado na formação militar

OExecutivo angolano tem apostado Ministro da Defesa Nacional, General Cândido Van-dúnem discursando no acto da
na construção de Forças Armadas cerimónia do IV aniversário
bem apetrechadas, altamente pre-
paradas e aptas a desempenhar as mais pela formação, capacitação e especializa- de, não podem ficar à margem deste dinâ-
variadas missões, garantiu o Ministro da De- ção dos seus quadros e neste sentido, as mico processo.
fesa Nacional, General Cândido Pereira dos FAA, como parte integrante desta socieda-
Santos Van-Dúnem. Nesta perspectiva, cumprindo com a

O governante afirmou o facto quando Bloco de Cadetes em parada durante o acto
discursava no acto comemorativo do IV
aniversário da criação do Instituto Superior
Técnico Militar, decorrido a 15 de Maio, nes-
ta instituição, localizada no Campo Militar
do Grafanil.

De acordo com o General Cândido Van-
-Dúnem, não se pode pensar em cresci-
mento e desenvolvimento, se não se prestar
uma atenção especial na formação de re-
cursos humanos.

“É nesse ensejo e obedecendo a uma vi-
são estratégica de futuro, que alunos oriun-
dos de vários pontos do país, independen-
temente da sua origem social, estão a ser
formados neste instituto, com o propósito
de serem cidadãos potencialmente úteis às
FAA e à pátria angolana”, argumentou.

O titular da pasta da Defesa aproveitou a
oportunidade para em nome do Ministério
da Defesa Nacional e no seu próprio, diri-
gir uma palavra muito especial de sincero
apreço e de profundo reconhecimento à
Direcção, professores e alunos do ISTM pela
efeméride e pelo trabalho que têm vindo a
realizar em prol do engrandecimento das
Forças Armadas Angolanas e do desenvol-
vimento do Ensino Superior Militar no país.

O governante apelou aos cadetes (alu-
nos militares) a observarem permanente-
mente valores da cidadania, disciplina, do
rigor e empenho, por serem factores fun-
damentais para se forjar a personalidade de
qualquer cidadão, particularmente os qua-
dros da defesa.

Disse que depois de Angola alcançar a
paz definitivamente a 04 de Abril de 2002,
“deu-se início ao processo de reestrutura-
ção e modernização gradual, mas progressi-
va das FAA, com firme propósito de dotá-las
de estratégias e modelos organizacionais
compatíveis com a nova realidade nacional
e internacional. É neste quadro que o Execu-
tivo tem apostado na construção de umas
Forças Armadas bem apetrechadas, alta-
mente preparadas e aptas a desempenhar
as mais variadas missões”.

Para o Ministro, o desenvolvimento de
qualquer sociedade passa necessariamente

14 Cadete

Directiva do Presidente da República e da Direcção Nacional de Desenvolvimento valores e princípios de patriotismo, orga-
Comandante-Em-Chefe José Eduardo dos e Extensão Universitária decorrem já os trâ- nização, aprumo, pontualidade, lealdade e
Santos, e à luz do Despacho do Chefe do mites necessários que permitiram adequar camaradagem.
Estado Maior General das FAA, foi criado os programas curriculares das licenciaturas
o ISTM, com finalidade de formar quadros ministradas, em cumprimento do estatuído “Devemos ter sempre presente que um
militares com lincenciaturas nas áreas de pelo MESCT e neste sentido o MINDEM vai quadro superior não se deve orgulhar so-
Engenharia e de Medicina, explicou o go- trabalhar permanentemente para que dos mente por ter um título académico, para
vernante angolano. estabelecimentos de Ensino Militar, saiam ostentação, mas sim orgulhar-se em pôr na
bons cientistas e técnicos, no interesse não prática os conhecimentos adquiridos em
Fez saber que como é de conhecimento só das FAA, mas de todo o país, de Cabinda prol da pátria, pois é da sua formação que
público, as FAA estão em processo de reedi- ao Cunene e do Mar ao Leste. o país precisa, para resolver os problemas
ficação e modernização visando responder que vão resultar no bem-estar de todos”,
à actualidade das suas missões e é neste O governante destacou a presença no pontualizou.
contexto que se enquadra o processo de local do acto da Ministra do Ensino Supe-
estruturação do seu sistema de ensino mi- rior e da Ciência e Tecnologia, Dra Cândida Exortou ainda aos cadetes para que nos
litar, cujos avanços são já dignos de registo Teixeira um testemunho da solidariedade tempos livres observem também os valores
e que não obstante a isto, o esforço prosse- institucional merecida. da partilha, igualdade, bem como adqui-
gue com vista a colher mais frutos. ram e pratiquem o conceito de camarada-
O Ministro congratulou-se e saudou a gem e solidariedade, porque é fundamen-
O ministro Cândido Van-Dúnem deu a contribuição que o corpo docente da insti- tal cimentar a coesão de todo um conjunto
conhecer que actualmente decorrem já tra- tuição de reconhecida experiência e capaci- que são as FAA e que na verdade, são uma
mitações jurídico-legais visando o cumpri- dade técnica, composto por professores de grande família de militares e não só.
mento integral da Directiva do Comandan- diversas nacionalidades, nomeadamente
te-Em-Chefe das FAA que orienta a criação angolana, cubana, portuguesa e vietnamita “Estou convencido de que ser aluno des-
dos estabelecimentos de Ensino Superior está a dar na elevação da capacidade aca- te estabelecimento é um previlegio. Mas
Militar, bem como os estatutos e regime ju- démica dos futuros quadros militares em para que possamos sair daqui valorizados é
rídico dos mesmos. formação no ISTM. preciso acima de tudo muita perseverança,
tenacidade, coragem e força de vontade”,
“À todas as instituições, que se inserem “Temos de acreditar sempre que é pos- ressaltou.
no Sistema Nacional de Ensino Superior, sível superar todas as adversidades com
deve ser assegurada toda a qualidade aca- que nos deparamos, tendo em diferentes Disse por outro lado, que é imperioso
démica necessária visando credibilizá-las, áreas do saber, homens e mulheres capazes que os docentes do ISTM se empenhem
tanto do ponto de vista científico como téc- de protagonizar acções geradoras de de- árdua e permanentemente em incutir no
nico”, defendeu o dirigente. senvolvimento, para o progresso científico, espírito dos jovens cadetes a prática destas
social e económico do país (Angola)”, pon- virtudes e valores, para que no futuro pos-
Assim, acrescentou que o Ministério da tualizou. sam exercer as suas funções com dignidade
Defesa Nacional já solicitou ao Ministério e espírito de missão.
de Ensino Superior e da Ciência e Tecnolo- Asseverou que todos que servem na ins-
gia (MESCT) o reconhecimento dos cursos tituição de ensino militar têm a obrigação No actual contexto nacional, acrescen-
ministrados no ISTM e que também junto ética e moral de praticarem diariamente os tou o ministro o ISTM tem condições míni-
mas para dar uma formação de excelência,

Ministro da Defesa e a Ministra do Ensino Superior quando visitavam a exposição de livros 15
Órgão Informativo do ISTM - Maio 2013

General Cândido Van-Dúnem e General Nunda recebem explicações sobre o material exposto

no âmbito militar, académico e de cidada- tecnicamente preparados para servir a Pá- nifestou-se convicto de que os objectivos
nia e porque temos consciência de que tria, perdure nos tempos. Ao terminar o seu pelos quais foi criado a instituição Militar de
podemos fazer mais e melhor, vamos conti- discurso o ministro da Defesa Nacional ma- Ensino, serão sempre alcançados.
nuar a trabalhar todos juntos para que este
desiderato seja um facto. Entidades observando a exposição

“Para que os estabelecimentos Militares
de Ensino sejam instituições de qualidade e
de que as FAA e o país se possam orgulhar,
teremos de continuar a trabalhar com rigor,
isenção e integridade no processo de selec-
ção dos eventuais candidatos”, defendeu na
ocasião Cândido Van-Dúnem.

Dedicou ainda uma palavra de apreço e
de encorajamento a Direcção do ISTM, por
ter verificado que estão em curso acções
para o melhoramento das condições de
trabalho do pessoal, entre elas, a constru-
ção de novas e mais infra-estruturas para o
complemento do processo formativo, para
a condigna acomodação dos futuros Cade-
tes e quadros docentes e administrativos,
bem como na criação de áreas de entreteni-
mento e lazer, o que é de louvar. O dirigente
parabenizou o ISTM pela passagem de mais
um aniversário, desejando que a sua voca-
ção. no âmbito da formação de militares

16 Cadete

MENSAGEM

Tenente General Jaime Vilinga

Mensagem do Director do ISTM, Jaime Pombo Vilinga por
ocasião do 4º aniversário da fundação da instituição

Excelência General Cândido Pereira bleia Nacional e membros do Executivo Estimados convidados, ilustres pre-
dos Santos Van-Dúnem, Ministro Angolano, sentes à cerimónia, minhas senhoras e
da Defesa Nacional da República meus senhores
de Angola, Excelências Oficiais Generais, Almi-
rantes e Comissários, Em primeiro lugar, permitam-me en-
Exa. General Geraldo Sachipengo dereçar, em nome da Direcção desta insti-
Nunda, CEMGFAA, Magníficos Reitores, Directores e De- tuição as nossas mais calorosas saudações
canos das distintas Universidades, Insti- e votos de boas-vindas a todos os ilustres
Exa. Dra Maria Cândida Pereira Teixei- tutos e Faculdades, presentes, em particulat a sua Excelência
ra, Ministra do Ensino Superior e da Ciên- o General Cândido Pereira dos Santos Van-
cia e Tecnologia da República de Angola, Dignos representantes e Adidos de -Dúnem, Ministro da Defesa da República
Defesa junto das Embaixadas acredita-
Exas. Distintos Deputados à Assem- das em Angola

Órgão Informativo do ISTM - Maio 2013 17

MENSAGEM Para atingir estes desideratos, cada um to, que começou com esta prestigiada obra
de nós, contribuiu com a parte que lhe e ter feito com que ela continuasse a cres-
de Angola, na qualidade de presidente do competia. A união de esforços e o compro- cer até aos dias de hoje.
acto. misso colectivo fizeram com que o ISTM
viesse a ocupar uma posição privilegiada Pelo muito que os Docentes Angolanos,
É para mim motivo de muita satisfação no âmbito do Sistema de Ensino das FAA, Cubanos, Portugueses e Vietnamitas, têm
e júbilo, estar aqui, neste momento, por como um estabelecimento militar de ensi- feito em prol do nosso Instituto, contri-
questões formais, para proferir algumas no superior. buindo para o seu desenvolvimento mul-
palavras, pois, como é sabido, o ISTM co- tifacetado, endereçamos a nossa profunda
memora hoje, dia 15 de Maio de 2012, o É por isso podemos afirmar que todos gratidão e reconhecimento.
seu quarto aniversário. São quatro anos de nós, com as nossas pequenas, mas nobres
trabalho árduo e de luta em busca de um contribuições nos sentimos orgulhosos, Aos nossos Oficiais, Sargentos, Praças e
objectivo importantíssimo, que é o de for- porque de alguma maneira contribuímos Trabalhadores Civis que igualmente têm
mar recursos humanos capazes de exercer para a construção dessa grande obra. dado o melhor de si para que o nosso Insti-
dignamente as funções de Engenheiros e tuto se torne cada vez mais forte e que sem
Médicos nas Forças Armadas Angolanas. Poderiamos aqui abordar outros assun- os seus apoios e trabalhos provavelmente
tos, mas por questões de tempo somos não estariamos aqui nesta sessão solene.
Assim sendo, farei uma breve resenha obrigados a ser o mais sintético possível,
da nossa trajectória histórica, começando tendo a certeza de que este momento é de Àqueles que iniciaram o processo, que
por afirmar, que o Instituto Superior Téc- comemoração e também de reflexão para já partiram, a eles vai, naturalmente, o nos-
nico Militar (ISTM) foi criado na sequência podermos pensar quais serão os nossos so sentimento e reconhecimento, na certe-
do cumprimento da Directiva de S,Exa, o próximos objectivos e qual o caminho que za que o trabalho de cada um deles ajudou
Presidente da República e Comandante- traçaremos para os próximos anos. a construir essa obra.
-em-Chefe das FAA, no âmbito do qual
surge o Despacho No-0079 do CEMGFAA, Excelências Não seria justo se não destacássemos
de 07 de Novembro de 2007, com o objec- Estimados Presentes aqui aqueles, servidores e colaboradores
tivo principal de formar quadros militares desta Casa, que durante estes anos têm tra-
com licenciaturas nas áreas de engenharia Quanto às perspectivas para o desenvol- balhado com todo seu afinco e dedicação,
e medicina. vimento do ISTM, continuaremos a dedicar a eles as nossas maiores felicitações e uma
especial atenção, à valorização dos quadros grande salva de palmas.
Excelências militares e nunca perdermos de vista de
Minhas Senhoras e meus Senhores que “Nós estamos aqui para servir a Nação”. Agradeço finalmente aos membros da
Direcção do ISTM, a Comissão Organizado-
Durante estes quatro anos foram reali- Excelências ra e a todos aqueles que directa ou indirec-
zadas muitas outras acções inerentes ao Minhas Senhoras e meus Senhores tamente têm contribuído para o crescimen-
enquadramento do programa de forma- to deste Instituto e que tornaram possível a
ção, no âmbito do estatuido pelo Ministé- Também é nosso dever, aqui agradecer realização desse evento.
rio do Ensino Superior e da Ciência e Tecno- os apoios que têm vindo de todas as latitu-
logia da República de Angola. des, acima de tudo do Ministério da Defesa Bem haja o ISTM
Nacional e do EMGFAA. Parabéns a todos
Excelências Viva o 15 de Maio
Caros Presentes Ao primeiro Comandante deste Institu- Muito obrigado

18 Cadete

PUBLICIDADE

Rua Cónego Manuel das Neves 64/66 Kinaxixi
(Ingombota)

Luanda Angola

Órgão Informativo do ISTM - Maio 2013

VISITA

Comitiva do ISCPC durante a visita às Instalações do ISTM

Delegação do ISCPC visita ISTM

No quadro da troca de experiência,
uma delegação do Instituto Supe-
rior de Ciências Policiais e Criminais
(ISCPC), chefiada pelo director interino o
Sub-Comissário Alberto Sebastião Mendes
“Limão”, visitou recentemente o Instituto Su-
perior Técnico Militar (ISTM), onde consta-
tou o nível de organização e funcionamento
deste estabelecimento de ensino.

Na ocasião a comitiva visitante percorreu
algumas áreas da Instituição com destaque
para as salas de aulas, laboratórios, refeitó-
rios, dormitórios e cozinhas, infra-estruturas
que servem de apoio ao Cadetes do ISTM.

No final da visita o chefe da delegação do
ISCPC exprimiu a sua satisfação pela calo-
rosa recepção tendo manifestado a impor-
tância da mesma no âmbito do intercâmbio
entre as duas instituições.

“Essa visita vai doravante relançar o in-
tercâmbio nas actividades desportivas, re-
creativas e cultural por forma a massificar
a convivência entre os Cadetes destes es-
tabelecimentos de ensino”, ressaltou o Sub-
-Comissário ”Limão “.

Por: Tenente Coronel Sub-Comissário Alberto Sebastião Mendes “Limão” assinando o livro de Honra
Ângelo Miguel Ramos

20 Cadete

Dia-a-dia do Cadete

Odia-dia do cadete vem estipulado e haveres, ginástica matinal, asseio pessoal 14h00 e termina as 15h30.
no documento do comandante da e aprumo. A seguir ao segundo período de aulas,
unidade e tem uma designação es-
pecial que se chama horário do dia. Depois do aprumo, os cadetes devida- vem o tempo livre.
mente fardados, as 6h30 deslocam-se para o Em geral os cadetes beneficiam deste
Estabelece o conjunto de tarefas que o refeitório com o fim de tomarem a primeira
militar do instituto cumpre desde a alvora- refeição do dia. Terminada, é realizada a for- período para recreação, desporto e embe-
da até ao silêncio. matura a fim de comprovar a prontidão dos lezamento da Unidade. Cada Cadete cuida
cadetes para as actividades académicas. da planta ou árvore sob sua tutela. O tem-
O dia-dia do cadete reflecte o cumpri- po livre termina com o asseio pessoal e,
mento rigoroso do horário do dia. As aulas têm inicio as 7h30, com cinco logo em seguida, vem a 3ª refeição.
tempos lectivos durante o período da ma-
O dia do cadete tem o início com a alvo- nhã, com intervalos de 10 minutos e, um Recolher:
rada que é materializada por um toque de intervalo maior de 20 minutos.
sineta as 5h00. O toque indica aos cadetes O recolher é assinalado por um toque de
o iniciam de um novo dia. Depois vem a 2ª refeição do dia, o almo- sineta as 21h00. A este toque, todos cade-
ço. Este é servido entre 12h30 e 13h30. tes perfilam em subunidades. As ausências
O mesmo obedece as seguintes tarefas não são permitidas
de forma sequencial: arrumação de camas O segundo turno de aulas, tem início as

Órgão Informativo do ISTM - Maio 2013 21

Cadetes durante uma aula

Código de Honra do Cadete do ISTM

1. O Cadete do ISTM orgulha-se da sua vocação militar, amigo, por isso deposita nele consideração, obedece-
considera a mesma como honra. -lhe com devida prontidão mesmo com sacrifício dos
seus seus próprios interesses.
2. O Cadete do ISTM respeita e prestigia as FAA que per- 7. O Cadete do ISTM manifesta para com todos os seus
tence, procurando corresponder com o nível das suas companheiros uma camaradagem sólida, estando sem-
tradições educativas. pre disposto a ajudar os que precisam dele, mas recu-
sa incondicionalmente colaborar em quaisquer acções
3. O Cadete do ISTM aceita, defende e impõe a si próprio a contrárias à ordem e à disciplina militar.
mais rigorosa discplina militar. 8. O Cadete do ISTM procura manter em todas as circuns-
tâncias sempre pronto ao cumprimento do dever, das
4. O Cadete do ISTM veste com o maior garbo a sua farda virtudes do regulamento militar, primando pela postura
e apresenta-se em público de modo a impor-se à con- como homem.
sideração daqueles que o rodeiam, pela dignidade do 9. O Cadete do ISTM deve amar a Pátria e defende-la com
seu porte. todas as suas forças, incluindo o sacrifício da própria
vida.
5. O Cadete do ISTM é irrepreensível, honesto em todos os 10. O Cadete do ISTM deve guardar e fazer guardar a consti-
actos da sua vida, primando sempre pela verdade não tuição e mais leis em vigor de que tomara compromisso
procura obter por meios impróprios aquilo a que não solene.
tem direito ou que não pode conseguir à custa do seu
próprio esforço.

6. O Cadete do ISTM vê no seu chefe um educador e um
22 Cadete

PROMOÇÃO

Promovidos oficiais do ISTM

Ministro da Defesa no acto da promoção riores dos três ramos das Forças Armadas, nharias mecânicas, electrotecnia, informá-
adidos de defesa acreditados no país e con- tica, construção e fortificação, bem como
Entretanto, no quadro das celebrações vidados. O ISTM é uma instituição militar medicina. No presente a instituição alberga
do quarto aniversário da instituição de ensino superior universitário, vocacio- 800 alunos nos diversos cursos.
(15 de Maio 2012), nove oficiais do nada para o estudo, docência, investigação
Instituto Superior Técnico Militar foram científica e tecnológica, dotada de autono- No âmbito da cooperação com os
promovidos a vários graus militares, na se- mia estatutária científica e pedagógica. PALOP, estão a frequentar os cursos 34
quência de despacho do Estado Maior Ge- Cadetes estrangeiros, sendo treze da Re-
neral das Forças Armadas Angolanas. Fundado a 15 de Maio de 2008, o ISTM pública de Moçambique, oito de Cabo
tem a missão de formar quadros superiores Verde, sete da Guiné-Bissau e seis de São
Neste âmbito, foram patenteados dois militares nacionais e estrangeiros, por um Tomé e Príncipe.
coronéis, um tenente-coronel, três majores e período de seis anos nos cursos de enge-
igual número de capitães, durante a cerimó-
nia decorrida neste estabelecimento de En- General Sanjar, Secretário de Estado da Defesa, entrega estímulo a trabalhadora civil
sino Militar das Forças Armadas Angolanas.

O ministro da Defesa Nacional, General
Cândido Pereira Van-Dúnem presidiu ao
acto de promoção dos oficiais.

O acto também foi marcado pela entre-
ga de estímulos aos mais destacados mili-
tares e trabalhadores civis do ISTM, desfile
de tropas, entrega de troféus às equipas
vencedoras das actividades desportivas
e demonstrações de tácticas militar, bem
como a apresentação de uma exposição
que retratou os equipamentos de laborató-
rios e materiais de estudo em uso no insti-
tuto pelos Cadetes e professores.

Assistiram ao mesmo, a ministra do En-
sino Superior e da Ciência e Tecnologia,
Maria Cândida Teixeira, o Chefe do Estado
Maior General das FAA, general Geraldo Sa-
chipengo Nunda, oficiais generais e supe-

Órgão Informativo do ISTM - Maio 2013 23

Cadetes em aulas
Infraestruturas para benefício dos Cadetes

Cadetes em horas de preparação combativa
Também ocupam momentos de lazer com a prática de desporto

CIÊNCIA E TECNOLOGIA

Novas Tendências Tecnologicas: Blu Ray, 3B e GPS

Mesmo assim somos constantemente tadores etc.
surpreendidos com tecnologias como 3D, A tecnologia Blu-Ray é o padrão de
Blu Ray Sistemas de Posicionamento Glo-
bal-GPS em aparelhos telefónicos, tablet´s, disco óptico que veio com a proposta de
câmara de fotografias, carros, leitos, tv´s substituir o DVD, tanto em reprodutores de
e também GPS acupulados em softwares vídeo quanto em computadores.
Voip como o Viber e de rede sociais como
Facebook. A principal diferença entre o DVD nor-
mal e Blu-Ray está na capacidade de arma-
Blu Ray e 3D zenamento: em sua versão mais simples,
pode guardar até 25 GB de dados, contra
4,7 GB do DVD. Há também uma versão
com dupla camada capaz de armazenar
50 GB de dados. Fabricantes ainda podem
criar versões com capacidades diferentes
destas, para fins específicos. Em abril de
2010, por exemplo, a indústria apresentou
discos Blu-Ray que podem chegar a 128 GB
de capacidade.

Autor: Geraldo Sachipengo de F. Breve história do Blu-Ray Alta Definição
Pambasange
Eng. Informático pela Universidade Jean A história do Blu-ray começou no final Uma das características do Blu-ray é a
Piaget de Angola, Especialista TIC – Senai da década de 90, quando o assunto “vídeos sua capacidade de oferecer vídeos em alta
- Baía Brasil 2008, Certificado Furukawa em alta definição” começou a tomar forma. definição (High-Definition - HD), o que re-
(Sistemas de Cabeamento Estruturado) Na época, não havia nenhum tipo de disco sulta em conteúdo visual com excelente
SoftSell Curitiba- Brasil 2011, Certificado e capaz de armazenar conteúdo com essa qualidade de imagem. Em praticamente
Instrutor Cisco pela Academia da Universi- característica, mas a situação começou a qualquer tecnologia recente que trate de
dade Nelson Mandela 2011. mudar depois que o pesquisador japonês vídeos, essa é uma característica comum,
Professor no ISTM – Instituto Superior Téc- Shuji Nakamura apresentou um diodo de o que faz com que termos como “720p” e
nico Militar Dep. Informática e no Cinfotec laser azul que permitiria a criação de discos “1080p” sejam encontrados facilmente.
– Centro Integrado de Formação Tecnoló- de maior densidade. Mas, o que isso significa? Essas denomi-
gica. nações facilitam a identificação da quan-
Por conta disso, algum tempo depois, a tidade de pixels (um pixel corresponde a
Introdução Sony começou a trabalhar em duas tecno- um ponto que representa a menor parte
logias de mídia óptica de alta densidade: de uma imagem) suportada pelo disposi-
Desde a pré-história, os seres huma- UDO (Ultra Density Optical) e DVR Blue. tivo, além do uso de progressive scan ou
nos têm procurado entender o Universo Este último era um formato regravável e interlaced scan. No progressive scan, todas
e transformar o meio ambiente em que seu desenvolvimento se deu junto à Pion- as linhas de pixels da tela são atualizadas
vivem valendo-se das disponibilidades ma- ner. simultaneamente. Por sua vez, no modo
teriais e da compreensão e uso dos fenô- interlaced scan, primeiro as linhas pares re-
menos naturais que ocorrem na Terra. O DVR Blue continuou sendo traba- cebem atualização e, em seguida, as linhas
lhado, até que em fevereiro de 2002 foi ímpares (ou seja, é um esquema do tipo:
Hoje a evolução tecnológica esta na ve- renomeado para Blu-Ray, época em que linha sim, linha não). Em geral, o modo pro-
locidade da luz, levando em consideração também foi criado o consórcio Blu-ray Disc gressive scan oferece melhor qualidade de
as grandes invenções que as vezes não tem Founders, formado pelas companhias res- imagem.
o mesmo impacto, isto porque o homem ponsáveis pela criação do projecto e outras
passou a ser mais exigente no que tange a que se interessaram posteriormente. Eis al- Assim sendo, a letra ‘p’ existente em
capacidade de resposta industrial quanto guns desses integrantes: Sony, Pionner, LG, 720p, 1080p e outras resoluções, indica
as necessidades e tendências da vida. Um Dell, Philips, Samsung e 20th Century Fox. que o modo usado é progressive scan. Se
exemplo prático era o esperado Iphone 5 for utilizado interlaced scan, a letra usada é
que os protótipos apresentados na inter- Esta tecnologia em alta definição não só ‘i’ (por exemplo, 1080i). O número, por sua
net mostravam que teria ulograma, mas esta em leitores, TV´s mas também já se vai vez, indica a quantidade de linhas de pixels
como esta e outras tecnologia não estão implentando em computadores e outros na horizontal. Isso significa que a resolução
bem desenvolvidas e testada, levando em despositivos. 1080p, por exemplo, conta com 1080 linhas
consideração custo beneficio. horizontais e funciona com progressive
Devemos ressaltar que a interface de li- scan. Eis alguns exemplos de resolução:
Apple surgiu ainda com smartefone gação para esta tecnologia e a porta HDMI
com características não muito além do que (High Definition Multimedia Interface- In- 1080i = 1920x1080 pixels com interla-
se esperava como Ful HD, 3D etc. terface Multimedia com Alta Definição) ced scan;
presente em leitores, televisores, compu-
26 Cadete 1080p = 1920x1080 pixels com progres-
sive scan;

720i = 1280x720 pixels com interlaced

CIÊNCIA E TECNOLOGIA

scan; pécie de evolução do ITU-T H.264/MPEG- que a imagem fica levemente deslocada,
720p = 1280x720 pixels com progressi- 4, padrão utilizado no Blu-ray “normal”. O como se uma fosse sobreposta à outra).
VMC é capaz de proporcionar uma resolu-
ve scan. ção de 1080p para cada olho e também de E é aí que entram os óculos 3D. Eles têm
optimizar determinados efeitos que refor- uma espécie de filtro que capta só uma das
Proteção contra cópias çam ainda mais a sensação de tridimensio- imagens de cada vez. Assim, as imagens do
nalidade. olho esquerdo vão somente para ele, e o
O Blu-ray não tem apenas o controle mesmo acontece com a imagem feita para
geográfico para lidar com supostas cópias Uma característica interessante do Blu- o direito. São duas informações diferentes,
ilegais. O padrão também pode contar com -ray 3D é que filmes nessa tecnologia, de mas é claro que o cérebro capta as duas ao
outros meios de proteção. Eis uma breve maneira geral, podem rodar em aparelhos mesmo tempo, e é isso que dá a sensação
descrição delas: Blu-ray “normais”, mas obviamente sem os de profundidade
efeitos tridimensionais.
- AACS (Advanced Access Content Sys- PColamyeor 3De?scolher Blu-Ray
tem): tecnologia que “protege” o conteúdo O único problema fica por conta da tela:
da mídias de filmes através de criptografia o usuário precisa utilizar monitores ou te- • Lembre-se: não adianta comprar um
para evitar cópias indevidas de discos. Para levisores compatíveis com reproduções em Blu-Ray player se sua TV for daquelas
isso, os fabricantes de unidades Blu-ray re- 3D, o que é difícil de se encontrar, pelo me- antigas, de tubo. O ideal é que sua TV
cebem chaves de decodificação que servem nos por enquanto, podendo haver também tenha no mínimo 1366 x 768 pixels de
de comunicação com uma chave existente a necessidade de uso de óculos especiais resolução e tela de pelo menos 26”.
na mídia. Dessa forma, o aparelho consegue para a perfeição visualização das imagens.
executar o conteúdo do disco. Obtendo-se • Se você não utiliza muitos recursos
esta última chave, é possível fazer cópia do E o que é 3D? como home-theater ou não é um ciné-
conteúdo, mas sua obtenção geralmente filo assíduo, fique com modelos mais
depende da chave do fabricante. Na verdade, existe um factor muito im- simples.
portante na detecção do efeito 3D e que
Blu-ray 3D vai muito além do player ou do disco: são • Os óculos especiais para 3D fazem dife-
nossos olhos que fazem essa diferenciação rença. Por exemplo: se você compra um
Salas de cinema com projecção 3D es- de profundidade (tanto que um indivíduo modelo para seu filho usar e os óculos
tão surgindo em vários países. No momen- que tem deficiência séria em um dos olhos não tiverem ajuste de hastes, vai ficar
to de escrevendo este artigo, Angola já não consegue assistir). Quando o filme é bastante desconfortável para ele.
conta com algumas salas de cinema em 3D finalizado em estúdio, as imagens passam
e também já se pode adquirir TV´s, leitores • Para quem curte jogos, o Playstation 3
e câmaras de filmar amadoras em 3D. Tra- é uma boa opção, pois além de servir
ta-se de uma especificação aprovada pela como vídeo-game ele também lê discos
em Blu-Ray.

• Alguns computadores leem discos em
Blu-Ray, porém podem deixar a desejar
quando a questão é o 3D.

• Prefira aparelhos com entrada HDMI: a
imagem fica sempre melhor.

• Se você compra filmes no exterior, fique
atento: o padrão de leitura europeu nem
sempre é compatível com os players an-
golanos

Blu-ray Disc Association no final de 2009 por um tratamento chamado polarização. nGaPmS e-nStoistGelmobaasl de Posicio-
capaz de aproveitar todo o potencial da Ele consiste basicamente no seguinte: as
tecnologia Blu-ray para reproduzir conteú- imagens são “divididas”, fazendo com que Este artigo fornece uma visão geral dos
do 3D em alta definição (full HD). um pedaço seja destinado ao olho esquer- diferentes serviços de localização que um
do e o outro, ao direito (se você assistir a dispositivo acupulado com GPS oferece
Para isso, o Blu-ray 3D faz uso do codec um filme 3D sem óculos especiais vai notar exemplo são aqueles que funcionam com
Multiview Video Coding (VMC), uma es- iOS (iPhone, iPad e iPod touch) pode usar
para determinar vossa localização. Para
informações sobre o uso dos Serviços de
Localização para rastrear nossa localização
nos Mapas e em outros aplicativos.

Vantagens do GPS

- Localizar nosso Smartfone, Tablet, Carro
Perdido;

- Localizar um endereço;

nDoesssvaanPtraivgaecnidsadedo GPS –

- Quando é mal usado muitas das vezes
expomos a nossa privacidade;

Órgão Informativo do ISTM - Maio 2013 27

CIÊNCIA E TECNOLOGIA

- Localização de pessoas ou objectos não leira ESCA liderou a equipe que criou a está activo, um ícone com uma seta roxa
afectos há nós; empresa RODOSAT. A RODOSAT foi o pri- é exibido na barra de estado.
meiro cliente da INMARSAT e tinha, em
- Os programas de rede social e voip 1994, 6000 caminhões rastreados. E em Apps baseados em mapas, itinerários e
como o facebook e viber muitas das fi- Angola existe também sistemas como: localizações dependem de serviços de da-
cam por habilitados por defeito. GPS Controlled, GPS Mototrax, etc que dos. Esses serviços de dados estão sujeitos
serve de rastreamento de frotas e carros
- Máquinas fotográficas e Smartfones de pessoas singulares. a alterações e podem não estar disponíveis
com GPS disponibilizam no mapa mun- em todas as áreas geográficas, resultando
di as fotos tiradas e colocando-as nos Produtos em informações baseadas em mapas, iti-
locais geográficos. nerários ou localizações que podem estar
Os Serviços de Localização permitem indisponíveis, inexatos ou incompletos.
Futuro- GPS modernização que apps dependentes de localização e si- Compare as informações fornecidas pelo
tes web (incluindo Mapas, Câmera, Safari e dispositivo com as do seu entorno e deixe
Dia 24 de março 2009 foi lançado o outros apps da Apple, google e de tercei- que as sinalizações disponíveis resolvam
primeiro satélite GPS equipado com uma ros) usem informações de redes celulares, quaisquer discrepâncias.
amostra de hardware funcionando em fre- Wi-Fi, e do Sistema de Posicionamento Glo-
quência L5 bal (GPS) para determinar sua localização Câmeras Digitais com GPS
aproximada.
Entre outras novidades, este satélite será É quase impossível fazer uma viagem
o primeiro a emitir o sinal GPS numa fre- Por exemplo, um app poderia usar seus sem fotografar, certo? Mas e se a sua câme-
quência de 1176.45 MHz (±1.2 GHz). dados de localização e consulta de locali- ra digital fizesse mais do que tirar fotos? E
• Melhora a estrutura do sinal para melhor zação para ajudá-lo a encontrar endereços se ela marcasse exactamente o lugar em
como restaurantes, empresas, postos de que cada foto foi tirada?
desempenho. combustíveis, shopping ou salas de cine-
• Transmissão superior ao do L1 e L2 sinal. ma próximas, ou seu dispositivo pode defi-
nir seu fuso horário automaticamente com
A data limite para que a força aérea base em sua localização actual. Para usar
americana coloque um satélite GPS de recursos como estes, você deve habilitar os
forma operacional na frequência L5 foi 26 Serviços de Localização em seu dispositivo
de agosto de 2009. Caso esta data seja ul- e dar permissão a cada app ou site antes de
trapassado, o governo dos Estados Unidos usar seus dados de localização.
perde o direito de empregar tal frequência
em seus projectos militares/civis. Nota: Por motivos de segurança, as in-
formações de localização do seu aparelho
L1C é um sinal de uso civil, para ser trans- poderá ser usadas para chamadas de emer-
mitido na mesma frequência L1 (1575,42 gência para auxiliar esforços de resposta
MHz), que actualmente contém a C/ Um si- independente da habilitação dos Serviços
nal GPS utilizados por todos os atuais usuá- de Localização.
rios. O L1C estará disponível com o primeiro
bloco III lançamento previsto para 2013. Sdoablorecaalipzareçãciosão e exatidão
• Cada satélite GPS transmite dois sinais
Dependendo do dispositivo e dos ser-
de rádio, sendo um para uso civil, dividi- viços disponíveis, os Serviços de Localiza-
dos em código C/A, que é utilizado nos ção usam uma combinação das redes de
GPS de navegação e para posicionamen- celular, Wi-Fi e GPS para determinar a sua
to global, de frotas, etc. (menos preciso), localização. Se você não estiver dentro de
e fase da portadora, no qual subdivide- uma linha clara de visão dos satélites GPS,
-se em L1 e L2, no qual é possível alcan- seu dispositivo pode determinar sua locali-
çar e obter valores de coordenadas mais zação usando localizações Wi-Fi de origem
precisos de todos, porém, é através de compartilhada por várias pessoas e de tor-
pós-processamento (pode-se chegar a res de celular.
precisões e acurácias centimétricas, é
utilizado em trabalhos de cartografia e Os aplicativos capazes de exibir sua lo-
levantamentos topográficos e geodési- calização na tela, incluindo o Mapas, indi-
cos). E outro mais preciso que o C/A para cam sua localização actual (aproximada)
a obtenção de coordenadas instantâ- com um marcador azul. Se não for possível
neas, chamado de código P, sendo esse determinar a sua localização com precisão,
último com um código secreto usado também será exibido um círculo azul em
somente pelos militares americanos, no volta do marcador. O tamanho do círculo
qual a precisão é centimétrica. depende da precisão possível na identifica-
• Actualmente há dois países onde o apa- ção do local (quanto menor o círculo, maior
relhos receptores de GPS são proibidos, a precisão).
a Coreia do Norte e a Síria. O Egipto sus-
pendeu a proibição em Abril de 2009 Presença do GPS
• A primeira aplicação comercial do GPS
para rastreamento de caminhões no Nota: Quando Serviço de localização
mundo foi feita no Brasil em 1992. Gé-
rard Lesbazeilles, de nacionalidade fran-
cesa, mas radicado no Brasil desde os
anos 70, então director de telecomuni-
cações da empresa de engenharia Brasi-

28 Cadete

CIÊNCIA E TECNOLOGIA

Máquinas fotográficas assim existem e partir da terra sem o risco elevadíssimo de quem falamos ao nosso lado.
foram feitas para quem gosta de viajar e ser destruído devido à hostilidade do am- Realçar ainda devemos pensar no de-
registar cada momento sem correr o risco biente. Capacidade como autonomia flexi-
de se perguntar onde estava quando tirou bilidade, aprendizagem, só para mencionar senvolvimento não se esquecendo do
aquela foto. Se você é assim, então confira algumas. meio ambiente e de que as tendências
o modelo de câmera com GPS que selecio- tecnologicas, tem consigo consequências,
namos. Quero com isso dizer que hoje os equi- uma delas é o desemprego ainda também
pamentos ligados a tecnologias apresen- que quase tudo já foi pensado e algunas
- Com 16 megapixels e vídeos em Full tam estados complexos e altamente di- invensêses já foram patentiadas, dando
HD, a Samsung Smart Series WB850F é uma fíceis de acreditar, existem reacções que lugar a pequisas evidenciadas como caras
Câmera com GPS e internet. estes maquinas demostram de forma ines- devido o envolvimento da materia prima e
perada, realçando a questão de softwares complexidade da mesma, levando em con-
Nota: levar sempre em consideração que aprendem com homem e vão dando ta o aprimoramento de algumas invenções
este elemento Permitir/Habilitar ou não passos segundo o hábito deste. primitivas mas nem com isso devem ficar
o GPS questão de segurança e conhecer parados.
todos elementos ligados a cada aparelho Em suma Blu-Ray, 3D e GPS estão assen-
para não nos surpreendemos. tes e procuram se aproximar a realidade da Segundo JAMES CONTON 2008 o que
vida procurando trazer até nós elementos era bizarro no passado tornou-se a regra
Conclusão parecidos a realidade como imagem super no presente tendo como exemplo tentar
nítida com profundidade e quando quere- explicar a internet à sua bisavó ou tavez
As tendências tecnológicas normal- mos localizar objectos perdidos o Sistema defender a teoria das céluas estaminais
mente vão de encontro com as necessi- de Posicionamento Global nos dá a máxi- junto de um médico do seculo XIX, falar de
dades dos homens dando maior abertura ma precisão possível para então resolver o computadores/avião às familias de pionei-
para os fabricantes desenvolverem novos problema. ro que, nas suas carroças, atravessavam as
planíces em direcção ao Oeste?
Para estas tendencias esperamos nos

produtos/marcas. Todavia algumas ten- próximos 10 a 15 anos o que o projecto Pense Nisso!
dências não tiveram segmento porque elas NREN (National Research and Education Porque só hoje temos carros quase inte-
sobrepõem tecnologias com mesmo fim Network) disponibilizar velocidades de ligentes?
e não encontram mercado, exemplo é do 3Gbps às Universidades e Institutos de in- Proque só hoje temos 3D e Blu Ray e não
Mini Disc que revolucionou o formato MP3. vestigação nos USA, dando possibilidade há pelo menos 15 ou 20 anos?
que estas velocidades sejam utilizadas um O que nos espera em 20 ou 30 anos?
Segundo ERNESTO COSTA e ANABELA pouco mas adiante por pessoas singulares
SIMÕES (2008) na obra Inteligência Arti- tendo em conta a fibra optica que já vai até Bibliografia
ficial, diz que existe crença generalizada as nossas casas (FTTB – Fiber To The Buil-
de que os computadores só fazem aquilo ding Fibra ate ao Edificio, FTTA – Fiber To - ERNESTO COSTA E ANABELA SIMÕES,
para que foram programados. No entanto, The Apartament Fibra até ao Apartamento, 2008, Inteligência Artificial 2ª Edição Revis-
eles são chamados cada vez mais para re- FTTH – Fiber To The Home Fibra até a Casa) ta e Aumentada;
solver problemas complexos, para os quais acupuladas a estas tecnologias (imagens
se torna difícil antecipar tudo o que pode em HD, 3D associadas ao GPS em tempo - JAMES CANTON, 2008, Sobre o Que
acontecer, pelo que os computadores ne- real) e como base a isso hoje temos boa Vem Ai- Principais Tendências Que Redese-
cessitam estar preparados para estas situ- parte de grandes cidades visiveis panora- nharão o Mundo;
ações. Imaginemos um pequeno robô em micamente.
Marte a juntar amostras do solo para mais - FURUKAWA, Cabeamento Estruturado
tarde serem enviadas para terra. É evidente Vamos tambem Imaginando a teletras- Metálico e Óptico, 2011;
que esse robô não pode ser comandado a portação onde poderemos ver pessoa com

Órgão Informativo do ISTM - Maio 2013 29

ENTREVISTAS

Entrevistas com Oficiais recém-promovidos

Coronel - Sousa Major - Manuel Luís Capitão - Neimia Wambembe
Depois de muito tempo no grau de tenen- Sinto-me bastante satisfeito por ter ascen- Não tenho palavras para exprimir o senti-
te-coronel, fui promovido ao grau de coro- dido a mais um grau, depois de 7 anos, mento que me vem na alma nesta altura,
nel, estou bastante satisfeito por este feito, como diz o velho adágio “quem espera al- mais devo dizer que estou muito satisfeito
devo agradecer a chefia por acreditarem e cança os seus objectivos”. Foi necessário por ascender mais um grau, fui eu que tive
confiarem em mim penso que as respon- muito trabalho, muita entrega, disciplina. a felicidade e amanhã de certeza que serão
sabilidades estão agora mais acrescidas, Para aqueles que não foram promovidos outros colegas que terão a mesma felicida-
devo continuar a trabalhar por formas a que não desanimen porque não podem ser de, por isso devem continuar a trabalhar
dignificar a instituição e em particular as todos num só dia, o dia deles chegará com com muita humildade e afinco para atingi-
Forças Armadas Angolanas, por outro lado certeza. Para o Instituto, efectivo e os Ca- rem os objectivos traçados. Desejo muitas
desejo a todo efectivo do ISTM muitas feli- detes desejo muitas felicidades, disciplina felicidades ao Instituto Superior Técnico
cidades e espero que todos os programas e muito trabalho por forma a que possam Militar (ISTM) por comemorar mais um ani-
que foram remetidos ao Ministério do En- dignificar da melhor forma a instituição. versário.
sino Superior Ciência e Tecnologia sejam
aprovados o mais rápido possivel visto
que se avizinha o término dos cursos de
Engenharia e Medicina.

30 Cadete

QUEM SOMOS
Somos uma das maiores empresas de restauração
organizada a operar no mercado Angolano desde 2010,
que através de um forte know-how e larga experiência
neste negócio, apostamos num conjunto de soluções
inovadoras para a prestação integrada de serviços
alimentares.

OS NOSSO VALORES
Confiança; Segurança; Qualidade; Especialização

EM QUE ÁREAS ACTUAMOS
SERVIÇO DE CATERING PARA REFEITORIOS
Servimos já hoje mais de 16.000 refeições por dia
CATERING PARA FESTAS E EVENTOS ESPECIAIS
Contamos já com uma larga experiência de serviços prestados
em Banquetes, Casamentos, Festas de Natal de Empresas,
Almoços, Jantares e Cocktails com Jornalistas e entidades
oficiais, etc.
RESTAURAÇÃO
Chef Jindungo é a marca lançada para a Restauração em serviço
de Free Flow, que conta com um restaurante a funcionar desde
2011 nas instalações do Mega Cash & Carry no Bairro do Palanca.

A QUEM NOS DESTINAMOS
Clientes em nome individual, Empresas publicas ou privadas,
Hotéis, Restaurantes e todo o tipo de refeitórios em escolas,
hospitais, condomínios em estaleiros de obra, etc.

AS NOSSAS MARCAS

Africatering, Empresa de Restauração e Catering, Lda 31
R. Dom Moisés Alves de Pinho – Bairro do Palanca - Kilamba Kiaxi - Luanda . AngoÓlargão Informativo do ISTM - Maio 2013
T. (+244) 917 539 363 / 926 801 126 - [email protected]

ENTREVISTA

Entrevista com Cadetes

Cadete - Neyde Calado Cadete - Adalberta Pereira Cadete - Alaide Lima,
nacionalidade caboverdiana
Estamos todos de parabéns pelo Instituto Comemora-se mais um aniversário desta
comemorar mais um aniversário visto que Instituição que tem como objectivo formar Estamos todos muito felizes com o aniver-
é o único Instituto das Forças Armadas An- quadros nos ramos de Engenharia e Medi- sário do nosso Instituto, estamos a acom-
golanas que visa formar quadros nos cursos cina, significa dizer que são mais passos em panhar todas as actividades que estão a
de Engenharia e Medicina. Quanto a mim, a direcção ao progresso que o institudo deve ser realizadas, peço as pessoas que venham
Pátria e em particular as FAA devem esperar dar para o engrandecimento da nossa for- visitar este Instituto porque desde a sua
uma boa médica pronta para servir os inte- mação por isso estamos todos de parabéns. fundação desenvolveu muito, agradeço
resses da Nação a toda hora e momento. A Nação Angolana deve esperar de mim imenso ao governo angolano em particular
uma boa engenheira e boa militar para de- as Forças Armadas Angolanas por dar opor-
fender a Pátria em todo território Nacional. tunidade aos cadetes de outros países dos
PALOP a formarem-se. Quanto ao meu país
(Cabo Verde) deve esperar de mim uma Mé-
dica, uma militar formada, muito trabalho,
competência e acima de tudo patriotismo
para o engrandecimento do meu país. Pa-
rabéns ISTM.

Cadete - Lizandro de Pina, Cadete -
nacionalidade caboverdia- Raimundo
na Barbosa,
O nosso Instituto está de pa- Nacionalidade
rabéns por completar mais moçambicana
um aniversário, sinto-me Hoje é um dia
bastante feliz por estar em muito impor-
Angola a frequêntar o curso tante para o
de medicina. Temos boas re- Instituto e para
lações com os nossos irmãos nós por come-
angolanos e moçambicanos. morar-se mais
O meu País deve esperar de um aniversário
mim um bom médico capaz da sua existên-
de satisfazer as dificuldades cia, espero que
encontradas, para os meus o instituto desenvolva cada vez mais para continuar a for-
colegas desejo muita saúde, mar quadros capazes de satisfazer as necessidades nos ra-
dedicação nos estudos e mui- mos da medicina e engenharia. Devo agradecer ao Governo
tas felicidades do meu país por me garantir esta formação neste belo país
que se chama Angola. Devem esperar me de mim um bom
médico formado para contribuir para o desenvolvimento do
meu país.

32 Cadete

APRESENTAMOS OS
NOSSOS PARABÉNS
PELO º ANIVERSÁRIO
DO INSTITUTO SUPERIOR

TÉCNICO MILITAR

LIVRARIA ESCOLAR EDITORA

O LIVRO EM MOVIMENTO

FORNECEMOS UNIVERSIDADES,
BIBLIOTECAS E EMPRESAS

 LIVROS TÉCNICOS, CIENTÍFICOS E EM GERAL + ANGOLA
 EQUIPAMENTO INFORMÁTICO
 MOBILIÁRIO PARA BIBLIOTECAS
 SISTEMAS ANTI-FURTO PARA BIBLIOTECAS
 SOFTWARE PARA BIBLIOTECAS
 FORMAÇÃO EM BIBLIOTECONOMIA
 EXPOSIÇÕES DE LIVROS EM INSTITUIÇÕES

LUANDA LOBITO 33

Largo do Pelourinho Mutamba Órgão InforAmvatidvoadIondISeTpMe-nEddêiçnãcoiaEsnpºecialR-eJsutlhinog2a012
Tel
Tel Email escolar [email protected] com

Email escolar [email protected] com

ENTREVISTA

A margem do 4º aniversário do Instituto SuperiorTécnico Militar a“Revista Cadete”entrevistou vá
do Ensino Superior e da Ciência e Tecnologia, o CEMG/FAA, o Deputado da Bancada Parlamentar d

Ministro da Defesa, General Cândido Van-Dúnem

Excelência Senhor Ministro o ISTM comple- os resultados que nos são apresentados Angola a crescer. Nós ao nível das FAA e em
ta 4 anos de existência como é que o Sr. Mi- dão-nos conta que estamos no caminho cer- cumprimento à Directiva do Comandante-
nistro olha para essa instituição de ensino ? to. Estes quadros que estão a ser formados, -em-Chefe das FAA, sobre a reedificação,
Gostaríamos de dizer que neste 4º ano de mesmo em ambiente de ainda algumas di- temos um programa concreto de expansão
existência do ISTM temos a convicção de ficuldades que, vamos superar gradualmen- e encorajamos outras instituições do Esta-
que aquilo que foi a nossa iniciativa, de al- te, têm nos transmitido sinais de que são do a fazerem o mesmo.
gum dia institucionalizar essa escola, hoje quadros que por reconhecerem os esforços
se confirma uma mais valia para as FAA. que Executivo estão a se dedicar para a sua Neste âmbito, quais são as próximas acções
Temos a convicção de, para além de termos formação Serão os quadros do amanhã e do Ministério da Defesa e das FAA para ins-
feito uma aposta correcta, os esforços de to- que Angola precisa com vista a continuar o titucionalização de escolas como esta ?
dos aqueles, quer ao nível da direcção quer processo de reconstrução nacional nas FAA Nós temos um programa ligado a formação,
do corpo docente e discente, se tem estado e em outras áreas. programa esse que está a ser cumprido de
a empenhar, estão de facto a trazer os frutos acordo com as etapas, em função da me-
que nós preconizamos, quer dizer que esta- Sr. Ministro acções como essas podem se lhoria gradual das condições que podemos
mos todos de parabéns. multiplicar em outras áreas do país e com emprestar a estas instituições. Estamos no
outras especialidades que possam trazer bom caminho, temos a certeza que o nível
Sr. Ministro o ISTM vai manter um viveiro mais valia não só para as FAA mas para a de formação do pessoal e a quantidade de
para as FAA e também para a sociedade sociedade? instituições que neste momento as FAA têm,
angolana ? Sem dúvidas é um exemplo que, pensa- permitem que nós possamos cumprir bem
Naturalmente não temos dúvida até porque mos, a ser seguido vai tão somente ajudar com as nossas missões.

34 Cadete

ENTREVISTAS

árias individualidades presentes à cerimónia dentre eles o Ministro da Defesa Nacional, a Ministra
do MPLA e o Director do ISTM. Eis na integra as entrevistas

Ministra do Ensino Superior e da Ciência e Tecnologia, Cândida Narciso

Senhora Ministra este instituto vem dar
algum apoio ao processo de ensino supe-
rior no país ?
Sem dúvida, tivemos a oportunidade de ou-
vir o discurso do Ministro da Defesa, e frisou
bem que é uma instituição que tem dado
apoio na formação de estudantes angola-
nos e estrangeiros.
Sra Ministra o ISTM pode contar com
apoio do seu Ministério?
Com certeza, já estamos a trabalhar e, aqui-
lo que for apoio metodológico, podem con-
tar connosco.

Deputado da Bancada Parlamentar do MPLA, Gustavo da Conceição

Senhor Deputado, com que impressão
ficou desta instituição de ensino militar
das FAA ?

Saio daqui bastante impressionado pelas
condições que o ISTM tem com vista for-
mar engenheiros e médicos. Naturalmente,
numa primeira fase, estes futuros quadros
vão beneficiar e apoiar as FAA. Estou satis-
feito porque são portas que se abrem para
a juventude angolana, e o que espero é que
se continue a reforçar institucionalmente
este estabelecimento de ensino para que os
alunos possam ter uma equivalência no do-
mínio civil. Penso também que está no bom
caminho a parceria entre os Ministérios da
Defesa Nacional e do Ensino Superior e da
Ciência e Tecnologia.

Órgão Informativo do ISTM - Maio 2013 35

ENTREVISTA

CEMG ladeado de Cadetes do ISTM

General Nunda valoriza a criação do ISTM

Excelência Senhor General que importân- FAA quadros formados por nós próprios que de para servir o país?
cia o EMG/FAA atribuí este Instituto? poderão servir em qualquer parte do país, De facto algumas das virtudes como o pa-
É de uma importância muito particular. mas quadros militares que também poderão triotismo, a dedicação, solidariedade, dis-
Primeiro porque decorre da Directiva do servir as instituições não militares lá onde a ciplina são alguns dos valores que têm de
Comandante-em-Chefe das FAA sobre a nossa nação desejar. Portanto um militar en- se implantar aqui na nossa escola, para que
reedificação das Forças Armadas Angola- genheiro ou médico, formado no ISTM, irá a estes jovens tenham não só uma preparação
nas. Assim neste momento estamos a im- qualquer do país ou município para poder técnico científica boa, mas também uma pre-
plemantar o 4º ano e os estudantes já têm cumprir o seu papel, ou mesmo na vida civil paração em ciências militares adequada, para
uma base teórica e prática para passarem com o espírito de missão. poderem utilizar os conhecimentos científi-
para áreas de desenvolvimento daquilo que cos com vista a realização de objectivos mi-
eles aprenderam nas diversas disciplinas, Sr. General acabamos de ver aqui jovens litares. Vamos procurar consolidar os cursos
como matemática, fisíca , quimica e outras. para além de terem uma dedicação aos de engenharia, porque são os fundamentais
Assim, no prazo de mais dois anos teremos estudos têm uma dedicação disciplinar para sermos autosuficientes, ou pelo menos
engenheiros e em três anos médicos forma- exemplar. Este espírito é que vai conciliar uma base suficiente para o desenvolvimento
dos aqui. Isto vai permitir que tenhamos nas para que tenhamos técnicos de qualida- e manutenção dos meios militares.

36 Cadete

ENTREVISTA

Director do ISTM, Tenente General Jaime Vilinga

Senhor Tenente General são 4 anos. perior e da Ciência e Tecnologia, Cândida mas, certamente para o futuro, em função
Qual é o diagnóstico que oferece fazer Narciso. É que existe um reconhecimento das necessidades do país e das FAA, o le-
deste importante estabelecimento de explícito daquilo que é a missão do ISTM que de cursos e especialidades, nesta ins-
ensino das FAA? e o trabalho que o instituto vem fazendo tituição, poderão se alargar.
O diagnóstico que faço é que em função para a formação de quadros nas áreas das
da apreciação dos convidados em espe- Engenharias e de Medicina. Portanto em TG pode falar do número de estudades
cial Sua Excelência Ministro da Defesa Na- jeito de resumo é um diagnóstico satisfa- que estão a ser formados actualmente
cional de Angola, General Cândido Pereira tório, muito bom, já que há esse reconhe- no ISTM ?
Van-Dúnem e S. Exa Ministra do Ensino Su- cimento e, sobretudo, o empenho destas Neste momento estamos com cerca 800
altas entidades no apoio a essa formação, cadetes. Já tivemos no máximo cerca de
para que cumpramos cabalmente os ob- 1.500 estudantes mas tivemos algumas
jectivos pelos quais foram definidos para desistências e casos de força maior levan-
a criação do ISTM. do a desistências de alguns alunos. Estes
800 alunos pelas cinco especialidades que
TG são quatro anos como é que está a são aqui leccionadas: as Engenharias Me-
preparação para se criar a primeira for- cânica, de Construção, Informática e Elec-
mação de quadros no instituto? trotécnica e Medicina.
Depois de quatro anos nós agora entra- TG existe a possibilidade do ISTM rece-
mos para uma nova fase que é a de maior ber novos alunos ?
exigência, porque é uma fase de ponta, Há uma exigência muito poderosa do
na qual os estudantes entram para áreas Comando Superior das FAA em abrirmos
muito específícas das suas especialidades, novas candidaturas para o próximo ano,
daí que os prognósticos e as perspectivas daí que estamos numa luta grande no
são muito boas. Estamos na fase de mon- que concerne ao melhoramento de infra-
tagem de laboratórios exigidos mesmo -estruturas. Sabe-se que os estudantes do
para essa fase. ISTM são da condição de regime interno
Quatro anos ainda é muito pouco para se e temos de oferecer infra-estruturas para
fazer um balanço de uma instituição de acomodação em dia e aumentar o núme-
ensino superior. Portanto nós não fala- ro de salas e, é isso que estamos a fazer.
mos em jeito de balanço mas sobretudo Pensamos que até o final do próximo ano
em jeito de perspectivas. (2013) temos isso concluído e posterior-
Para esta fase estes cursos correpondem mente abrir novas candidaturas.

Novo edifício dos cursos de Engenharia

Órgão Informativo do ISTM - Maio 2013 37

DESFILE

Passagem do Bloco Feminino das Cadetes do ISTM, diante a Tribuna, por ocasião da Investidura no cargo de Presidente da República e
Comandante-em-Chefe das Forças Armadas Angola, José Eduardo dos Santos, na Praça da República aos 26 de Setembro de 2012.
Durante o desfile as Cadetes foram muito ovacionadas.

Pela participação do Bloco Feminino no desfile, o Estado Maior General das FAA atribuiu uma menção honrosa à direcção do Instituto Su-
perior Técnico Militar

38 Cadete

O ISTM, também recebeu outro louvor do Ministério da Defesa Nacional por ocasião das jornadas comemorativas do 70º aniversário nata-
lício do Presidente da República de Angola e Comandante-em-Chefe das Forças Armadas Angolanas realizadas no ISTM, cujo acto foi uma
conferência dedicada à vida e obra do Chefe de Estado Angolano, Engenheiro José Eduardo dos Santos.

Novas infraestruturas em construção

Órgão Informativo do ISTM - Maio 2013 39

Bloco feminino de Cadetes

Cadetes do curso de medicina
40 Cadete

Cadetes do curso de electrotécnica

Cadetes do curso de informática

Órgão Informativo do ISTM - Maio 2013 41

Cadetes do curso de mecânica
42CadeteCsaddoecteurso de construção

VISITA

Foto de “Família”

Delegação do ISTM visita Instituto Su-
perior de Ciências Policiais e Criminais

Uma Delegação de Oficiais, Sargentos, Questões ligadas a formação dos efecti-
Praças, Cadetes e docentes cubanos vos da Polícia Nacional em várias áreas do
ao serviço do Instituto Superior Téc- saber policial estiveram também no centro
nico Militar, efectuaram no passado dia 19 das explicações do Subcomissário aos visi-
de Abril do ano curso uma visita ao Instituto tantes.
Superior de Ciências Policiais e Criminais (IS-
CPC), no quadro da cooperação e troca de Durante a visita os oficiais e docentes
experiência existentes entre as duas institui- cubanos do ISTM, percorreram algumas
ções. áreas deste instituto, com destaque para os
laboratórios, salas de aulas, dormitórios, bi-
A delegação foi encabeçada pelo Tenen- blioteca e posto médico.
te Coronel Ângelo Ramos que durante a
visita recebeu explicações relacionadas ao A visita dos oficiais e professores cubanos
sistema de organização e funcionamento do ISTM é retribuição de uma outra efectu-
deste estabelecimento de ensino policial, na ada por uma delegação de oficiais do ISCPC
pessoa do Director interino do ISCPC, Sub- ao Instituto Superior Técnico Militar realiza-
comissário “Limão”. da recentemente.

Órgão Informativo do ISTM - Maio 2013 43

“Hora a hora o ISTM melhora, o pais

Major Octávio Rodrigues Vilança, são das ordens, que se expressa dizendo espírito militar, daqui resultando a criação
Direcção do ensino que a organização militar tem por princípio dum espírito de casta, sobranceiro perante
a subordinação hierárquica. Esta concretiza- os civis, fechado sobre si mesmo, condu-
Qualquer instituição é legitimada por -se através dos postos e das funções atribu- cente ao isolamento face à sociedade e ao
Normas e valores, isto é, os valores ídas, possibilitando uma dependência fun- militarismo.
individuais estão subordinados aos cional, essencialmente técnica e consultiva,
valores colectivos, e devem estar implícitos e permitindo punir ou louvar os militares. O exagero do culto da disciplina pode
em divisas tais como: PATRIA HONRA, DE- levar ao desprezo da inteligência crítica;
VER, DIREITO, ETC. A Disciplina é um dos pilares fundamen- a simples repetição de ordens pode con-
tais para o funcionamento e a prontidão fundir serviço com tradição deslocada; a
Assim, para as instituições alcançarem os operacional da Organização Militar. Esta solidariedade e a camaradagem podem
seus objectivos, têm que definir os papéis possibilita a articulação e o funcionamento criar interesses comuns e degradar a no-
que cabem aos seus membros, para que a de todos os órgãos constituintes, estabele- ção de Honra; o culto da Honra pode levar
sua acção conjunta seja bem sucedida. Da ce as relações de comando e funcionais e à procura de honras; a franqueza, um tanto
mesma forma as instituições devem ter um permite o emprego operacional dos seus rude, pode resultar em menos polidez e ci-
código de comportamento que respeita elementos, necessitando de uma doutrina vilidade.
um sistema de valores que se pretende pre- adequada e da regulamentação dos dife-
servar rentes aspectos da vida castrense. Cada militar tem uma posição social na
organização, atribuída por posto, antiguida-
A ciência descreve os militares como de- Os preceitos da Ética e da Deontologia de, especialidade e colocação, com as cor-
tentores de instrumentos da violência co- Militares e as chamadas Virtudes Militares respondentes expectativas de papel social
lectiva, que administram organizadamente, enformam a alma aos profissionais da Ins- e um status social que implica um conjunto
e analisa as características do militar como tituição Militar, procurando levá-los a impo- de direitos, deveres e prestígio. A aceitação
tipo social. rem-se à sociedade pelo seu “valor, aprumo das normas de comportamento e a vivência
e conduta e a manterem-se, em todas as de uma ideologia militar geram uma sub-
Na nossa busca, exaustiva, acompanha- circunstâncias, homens de carácter, profis- -cultura específica, com vocabulário, gestos
mos a obra “A Inserção das Forças Armadas sionais competentes e angolanos dignos”. e postura próprios. Os militares profissionais
na Sociedade”, de J. J. Brandão Ferreira, mili- Sendo um código moral, por vezes não es- são parte de uma organização complexa e
tar profissional, publicada em 2003. Aponta crito, semelhante a outros existentes, que se de grande dimensão, estável, conservadora
que a Instituição Militar repousa sobre um revela superior em exigência, a Deontologia e tradicional em tempo de paz e instável,
factor material e um factor espiritual. O distingue os militares profissionais de qual- inovadora e revolucionária em tempo de
primeiro é sustentado fundamentalmente quer organização mercenária e indica-lhes guerra. O meio militar não é democrático –
pela Hierarquia, pela Disciplina e pela Orga- o caminho da Virtude, da Honra e do Dever. no sentido em que o comando não é obtido
nização. O segundo é enformado pela Éti- “As virtudes militares são a expressão práti- por eleição e as decisões não dependem de
ca e Deontologia Militares. Ambos, porém, ca do recto procedimento, a essência que votos – baseando-se na existência de uni-
subordinados ao farol da Missão, que tudo deve orientar o exemplo ou seja deve espe- dade de doutrina e de princípios, respeito
orienta e condiciona. lhar o bem a fazer e o mal a evitar”, que uma mútuo e regulamentação para todos. Não
vez adquiridas devem determinar o carác- há um horário de trabalho mas antes um
A Hierarquia organiza formalmente a ter do militar no cumprimento dos deveres horário normal de trabalho, com disponibi-
força, sintetizando o sistema de transmis- castrenses. Em cada profissão há pelo me- lidade permanente e ausência do conceito
nos um papel social, gerador de certas ex- de horas extraordinárias.
44 Cadete pectativas na sociedade. Com os militares,
ninguém admite que possam ser cobardes, As características próprias da Instituição
traidores ou desleais. A moral militar tem ca- Militar obrigam os militares a terem deveres,
racterísticas próprias, sendo uma espécie de sujeições e restrições que não abrangem os
religião, com crenças patrióticas e militares; demais cidadãos, daqui decorrendo a Con-
com sentimentos de patriotismo de afeição dição Militar, que envolve deveres e exigên-
e de honra; com ritos de saudação à ban- cias específicos, riscos e sujeições especiais,
deira, honras militares, música e hinos; com formas de vinculação exclusiva. Os maiores
as suas práticas de obediência, de trabalho, deveres devem corresponder maiores direi-
de higiene; com os seus santos, mártires e tos ou compensações diferenciadas ajusta-
vultos. Tal como o exercício físico fortifica os das à servidão das obrigações profissionais.
músculos e desembaraça os movimentos, Daí que Ser Cadete é o processo de educa-
as virtudes militares fundamentam o Espíri- ção de carácter, é o desenvolvimento inte-
to Militar e, sem cair no militarismo, tempe- lectual e físico, é o sonho de querer ser Ofi-
ram o carácter, permitindo a coesão, o valor cial das Forças Armadas Angolanas. Mas ser
e a solidez da força organizada. Cadete é sobretudo uma vivência mágica
que estimula, marca e se projecta no futuro.
As virtudes militares ou o culto da pro-
fissão e o espírito de corpo, quando exacer- Ser Cadete
bados, podem provocar deformações no
Ser Cadete é ter disponibilidade total para

s ganha!”

servir a Nação. O desempenho desta missão dade e a responsabilidade como funda- XIV – Garantir assistência moral e material
exigirá do cidadão angolano que agora é mentos de dignidade pessoal. aos seus dependentes legais.
cadete, inteligência, vontade, esforço, cora- II – Exercer, com autoridade e eficiência, as
gem física e moral, tempo, disciplina, subor- funções que lhe couberem em decorrên- XV – Conduzir-se, mesmo fora do serviço ou
dinação consciente, preparação, e sacrifício. cia do cargo. quando já na inactividade, de modo que
III – Respeitar a dignidade da pessoa huma- não sejam prejudicados os princípios da
Ser Cadete é ter uma formação integral na. disciplina, do respeito e do decoro mili-
(Militar, académica-cientifica, e ética/moral IV – Cumprir e fazer cumprir as leis, os regu- tar.
e deontológica), gradativa e continua, pelo lamentos, as instruções e as ordens das
que para além da preparação técnico-cien- autoridades a que estiver subordinado. XVI – Abster-se de fazer uso do grau hierár-
tífica deve possuir capacidades para esta- V – Ser justo e imparcial no julgamento dos quico para obter facilidades pessoais de
belecer e manter a comunicação com os atos e na apreciação do mérito dos su- qualquer natureza ou para encaminhar
outros; para trabalhar em grupo; para o sen- bordinados. negócios particulares ou de terceiros.
tido da responsabilidade; para ter iniciativa; VI – Zelar pelo preparo próprio, moral, in-
para a tomada de decisões e assunção de telectual e físico e, também, pelo dos XVII – Abster-se do uso das designações
riscos; ter espírito profissional, sentido ético subordinados, tendo em vista o cumpri- hierárquicas em actividade que venham
de competição e de serviço à comunidade. mento da missão comum. a comprometer o bom nome das Forças
Também é desenvolver uma carreira, que se VII – Dedicar-se integralmente ao cumpri- Armadas; e
quer profissional e socialmente prestigiada, mento do dever.
assente em três pilares fundamentais: Éti- VIII – Praticar a camaradagem e desenvol- XVIII – Zelar pela observância dos preceitos
ca, Moral e Competência Profissional. Ser ver, permanentemente, o espírito de da ética militar.
Cadete é desenvolver uma sólida formação cooperação.
comportamental, assente num saudável IX – Ser discreto em suas atitudes, maneiras Referencias bibliográficas
patriotismo, ajustada às realidades da so- e na sua linguagem escrita e falada.
ciedade que o envolve e à qual pertence, X – Abster-se de tratar, fora do âmbito apro- Ferreira, João José Brandão – A Inserção
sem prescindir das suas convicções, para o priado, de matéria sigilosa de qualquer das Forças Armadas na Sociedade. Lisboa:
qual deve ter um conhecimento perfeito da natureza. Hugin, 2003.)
nossa terra do nosso povo e sobretudo da XI – Cumprir seus deveres de cidadão.
historia de Angola, que é condição essencial XII – Proceder de maneira ilibada em todas Padre Joaquim L. Cupertino – Deontolo-
para se ser um óptimo Oficial. as situações. gia militar – Ed. AM 1973
XIII – Observar as normas da boa educação.
“ Oh Pátria nunca mais esqueceremos os Cónego, Reis Rodrigues – Deontologia
heróis do 4 de Fevereiro, Oh Pátria nós sau- militar – Ed, ARPA 1953
damos os teus filhos tombados pela nossa
independência, Orgulhosos lutaremos pela Constituição da Rep. De Angola
paz, com as forças progressistas do mun- Viegas, Major Arrais – Ciencias sócio –
do….. Um só povo uma só nação.” militares – Ed AM 1977
ONU – Carta das Nações Unidas
Não é por acaso que o “Angola avante”,
o nosso hino se começa evocando os nos-
sos heróis e termina no presente através
da unidade da nação que juramos defender.
No âmbito dos seus deveres escolares, os
cadetes devem observar uma conduta que
tenha sempre presente os ditames da hon-
ra, da dignidade e do prestígio das Forças
Armadas. Nortear o seu comportamento
pelo Código de Honra do Cadete de que
se compromete voluntariamente a seguir,
como guia deontológico, no seu compro-
misso de honra.
• Dedicar ao estudo e actividades escola-

res toda a sua inteligência, capacidades,
vontade e zelo, a fim de obter a forma-
ção indispensável à sua carreira militar.
Conhecer, e viver os preceitos de ética
militar, fazer deles o seu amigo do peito.

Preceitos da ética militar

I – Cultuar a verdade, a lealdade, a probi- Hastear da Bandeira Nacional no Instituto

Órgão Informativo do ISTM - Maio 2013 45

PASSATEMPO BRIGADEIRÃO…uma delicia!

Derrames cerebrais (receita)

(saúde)

Um dado IMPORTANTE a ser con- ciaram falham em reconhecer os Ingredientes: No liquidificador, bata todos
siderado. sintomas de um derrame. Brigadeiro: os ingredientes, excepto o
Melhor saber que pecar pela ig- Ovos: 7 chocolate granulado, até ob-
norância, nunca se sabe quando Agora, os médicos dizem que Açúcar: 7 colheres de sopa ter uma massa homogénea.
vai servir a informação adquirida uma testemunha qualquer pode Chocolate em pó: 10 colheres Transfira a massa para a for-
em tempos de tranquilidade ... reconhecer um derrame fazendo de sopa ma untada e leve ao forno
Os Derrames Cerebrais - Agora à vítima estas três simples per- Margarina: 3 colheres de sopa por cerca de 1 hora. Enquanto
existe um 4º indicador : A língua guntas: Óleo: 3 colheres de sopa o brigadeirão assa, prepare a
Derrame: memorize as três pri- S* (S mile) Peça-lhe que SORRIA . Fermento em pó: 1 colher de cobertura (veja a receita abai-
meiras letras... S.T.R. T* (Talk) Peça-lhe que FALE ou sopa xo). Quando retirar do forno,
Só leva um instante ler isto... APENAS DIGA UMA FRASE SIM- Coco ralado: 50 gr passe uma faca de ponta re-
Disse um neurologista que se PLES. (com coerência) Chocolate granulado: 50 gr donda na lateral da forma e
levarem uma vítima de derrame (ex : Hoje o dia está ensolarado) Manteiga: q.b. deixe esfriar.
dentro das primeiras três horas, R* (Rise your arms) Peça-lhe que Farinha de trigo: q.b. Para desenformar, coloque
ele pode reverter os efeitos do levante AMBOS OS BRAÇOS. um prato por cima da forma
derrame -totalmente. Disse tam- Se ele ou ela têm algum proble- Cobertura: e vire de uma vez. Espalhe a
bém que o segredo é reconhecer ma em realizar QUALQUER des- Leite condensado: 1 lata cobertura no brigadeirão e
o derrame, diagnosticá-lo e rece- tas tarefas, chame a emergência Leite: 1/2 lata polvilhe com chocolate gra-
ber o tratamento médico corres- imediatamente e descreva-lhe Chocolate em pó: 5 colheres nulado.
pondente, dentro das três horas os sintomas, ou vão rápido à clí- de sopa Cobertura:
seguintes, o que é difícil. nica ou hospital. Manteiga: 1 colher de sopa Numa panela, misture to-
RECONHECENDO UM DERRAME Novo Sinal de derrame - Ponha a dos os ingredientes e leve
Muitas vezes, os sintomas de um língua fora. Preparação: ao lume alto, mexendo sem-
derrame são difíceis de identifi- NOTA: Outro sinal de derrame é Pré-aqueça o forno a 180°C pre com uma colher de pau.
car. Infelizmente, nossa falta de este: (temperatura média). Unte Quando ferver, baixe o lume
atenção, torna-se desastrosa. A Peça à pessoa que ponha a língua uma forma de pudim (com e mexa até o brigadeiro se
vítima do derrame pode sofrer para fora.. Se a língua estiver tor- furo no meio) com manteiga soltar do fundo da panela por
severa consequência cerebral cida e sair por um lado ou por ou- e polvilhe com farinha de cerca de 7 minutos. Desligue
quando as pessoas que o presen- tro, é também sinal de derrame. trigo. o lume e deixe arrefecer.

A lição do sapinho

( uma GRANDE lição da vida)

Era uma vez um grupo de sa- ‘’Eles não tem nenhuma chan- depois de um grande esforço, Sempre se lembre do poder das
pinhos que organizaram uma ce... A torre é muito alta!’’ foi o único a atingir o topo! palavras.
competição. O objetivo era al- Os sapinhos começaram a cair... Todos os outros sapinhos que- Porque tudo o que você falar,
cançar o topo de uma torre mui- Um a um... riam saber... Como ele conse- ouvir e ler irá afetar suas ações!
to alta. Só alguns continuaram a subir guiu? E acima de tudo:
Uma multidão se juntou em vol- mais e mais alto... Um dos sapinhos perguntou ao
ta da torre para ver a corrida e A multidão continuava a gritar: campeão como ele conseguiu Seja surdo quando as pessoas
animar os competidores... ‘’É muito difícil!!! Ninguém vai forças para atingir o objetivo. dizem que você
A corrida começou... conseguir!’’ E o resultado foi... não pode realizar seus sonhos!
Sinceramente: Alguns sapinhos se cansaram e O sapinho campeão era surdo!!! E não se esqueça:
Ninguém naquela multidão desistiram... Eu POSSO TODAS AS COISAS
toda realmente acreditava que Mas um continuou a subir e a Moral da história: NAQUELE QUE ME FORTALECE!!!
sapinhos tão pequenos pudes- subir...
sem chegar ao topo da torre. Nunca dê ouvidos a pessoas Passe esta mensagem para ou-
E diziam coisas como: Este não desistia! com tendências negativas ou tros ‘’sapinhos’’ de quem você
‘’Oh, é dificil DEMAIS!! No final, todos os sapinhos ti- pessimistas... gosta.
Eles NUNCA vão chegar ao topo. nham desistido de subir a torre, Porque eles tiram de você, seus Dê a eles motivação e confiança
‘’ ou: com exceção do sapinho que, sonhos e desejos mais lindos. em sí mesmos!!!

46 Cadete

47

TECNOLOGIA MILITAR

Como é um avião cargueiro por de

Os supercargueiros são usados para fins civis e militares e se • Autonomia de voo com carga máxima: 4.500 km; e
constituem hoje como um dos meios de transporte mais rá- • Tripulação: 7 pessoas.
pidos e robustos do planeta. É possível carregar até um ônibus espacial no “tecto” do gigante.
Verdadeiros monstros, que dormem e se alimentam em terra, ca-
pazes de transportar toneladas e mais toneladas de carga em pleno
ar. Pode-se dizer, sumariamente, que os aviões cargueiros impres-
sionam não só nos quesitos dimensões e capacidade de transporte;
estes colossos voadores desafiam as leis da física e se constituem
como máquinas dignas de admiração.

Atualmente, várias aeronaves prestam serviços de transporte; fa-
laremos, nesta matéria, sobre os “All Cargo” ou “Full Cargo”, um dos
três tipos de voadores especializado no transporte de cargas (os
aviões do tipo “Full Pax”, por sua vez, são destinados a passageiros;
os do tipo “Combi” configuram-se como uma espécie de misto, pois
podem transportar passageiros e cargas).

(Fonte da imagem: Reprodução/arnaldotemporal)
(Fonte da imagem: Reprodução/Arnaldotemporal)

Acima, cargueiros militares C-17 Globemaster III. (Fonte da Dizem que o piloto escolhido para operar este colosso duvidou
imagem: Reprodução/Defesabr) das capacidades de voo do avião monstruoso. “Isso não pode voar.
Um troço desses não tem como sair do chão!”, fora a suposta fala do
O espaço destinado ao armazenamento de cargas está locali- comandante. (Fonte da imagem: Reprodução/Arnaldotemporal)
zado nos decks superior ou inferior destes tipos de aviões. O uso
destas aeronaves é feito por civis e militares, e a produção delas não Há, no mundo todo, apenas dois Antonovs. Eles foram constru-
conta com tiragens massivas – isto é, poucos cargueiros são monta- ídos no final da década de 1980 como parte do programa espacial
dos de tempos em tempos. Acompanhe a lista a seguir e fique por russo. O An-225 utiliza mais de 95.000 litros de combustível para
dentro desses gigantes com asas. percorrer uma distância de pouco mais de 4 mil quilômetros; o local
de armazenamento de carga fica localizado no nariz da aeronave.
O maior do mundo é ucraniano
Grandes volumes e “pouco” peso
Sim, apesar de ouvirmos – e sabermos – que o poderio bélico e tec-
nológico norte-americano é o mais temeroso do planeta, o maior O Airbus A300-600st, conhecido como Beluga, não possui tanto
avião cargueiro do mundo é ucraniano. O Antonov An-225 Mriya poder de suporte de carga como o An-255. A especialidade deste
(mais conhecido como An-225 Mriya) foi desenvolvido para trans- outro gigante é volumétrica: mesmo suportando até 47 toneladas
portar outros aviões dentro de si (como Jumbos e Boeings sem asas em seu interior, esta aeronave é usada no transporte de peças e de
– até o ônibus espacial russo já “pegou uma carona” em cima desse fuselagem de aviões. A construção do Beluga foi feita em três anos,
monstro). e seu primeiro voo foi feito em 1994.
Especificações: Especificações:
• Propulsão: 6 turbinas ZMKB Progress Lotarev D-18T (com 229,50 • Propulsão: 2 motores GE CF6-80C2A8, com empuxo de até 120

kN de empuxo cada); kN;
• Peso máximo de carga suportado: 253 toneladas; • Peso máximo de carga suportado: 47 toneladas;
• Envergadura de asa: 88,4 m; • Área de asa: 122,4 m²;
• Comprimento: 84 m; • Distância entre os eixos: 11,05 m;
• Velocidade: 865 km/h; • Autonomia de voo (com carga total): 1.666 km;
• Altura do cargueiro: 18,1 metros (excluindo o trem de pouso);
• Dimensões de cargas suportadas: 35,97 m de comprimento; 6,4

m de largura e 4,39 m de altura;

48 Cadete

TECNOLOGIA MILITAR

entro?

• Comprimento da cabine: 37,7 m; e Para que a entrada de objetos ou entulhos estranhos seja evita-
• Diâmetro de fuselagem: 7,31 m da durante o pouso do C-17, os motores contam com um escape re-
verso para cima e para frente (como um “superexaustor). Este ame-
(Fonte da imagem: Reprodução/WikimediaCommons) açador monstro militar é capaz de carregar até 120 paraquedistas.
A iluminação do compartimento de carga é feita por lâmpadas
Uso exclusivo no transporte de peças
cravadas no chão do Beluga. Para que este gigante possa ser total-
mente carregado, rampas especiais precisam ser usadas. A arqui- Devido à demora no transporte de peças via terra e mar para a
tetura dele é baseada na do A300-600 – a principal mudança é na construção do Boeing 787, a Boeing Commercial Airplanes decidiu
fuselagem, que ganhou uma porta “clamshell” na parte frontal. montar, em 2003, um cargueiro capaz de carregar boa parte do es-
queleto do 787. Surgiu assim o Boeing 747 Dreamlifter (ou Large
Um cargueiro militar robusto Cargo Freighter), capaz de levar as partes do avião comercial pelo
globo todo.
Criado para a Força Aérea dos Estados Unidos (USAF), o Boeing Especificações:
C-17 Globemaster III ficou em desenvolvimento durante cerca de • Propulsão: quatro motores PW 4062;
dez anos (entre meados da década de 1980 até o início da de 1990). • Tripulação suportada: 2 pessoas;
As funções desta aeronave se concentram em desempenhar servi- • Comprimento: 71,68 m;
ços militares, tais como transporte aéreo táctico de tropas e de car- • Envergadura de asas: 64,4 m;
gas, evacuação médica e lançamentos aéreos. • Peso máximo suportado: cerca de 18 toneladas;
Especificações: • Capacidade máxima de tanque de combustível: 199.550 litros; e
• Comprimento: 53 m; • Atura do cargueiro: 21,54 m.
• Envergadura de asas: 52 m;
• Propulsão: quatro motores Pratt & Whitney F117-PW-100 turbo- Construído para ajudar a construir outros Boeing 787.

fan com cerca de 180 kN de empuxo; (Fonte da imagem: Reprodução/Flightglobal)
• Tripulação de operadores: 3 pessoas (piloto, copiloto e loadmas- O interior: desenvolvido para o tranporte de peças e fuselagem.
(Fonte da imagem: Reprodução/Boeing)
ter); Durante três anos de montagem, o Boeing 747 Dreamlifter ficou
• Peso de carga máximo suportado: 77,5 toneladas; pronto em 2006. Depois de realizar mais de 400 horas de voo de
• Medidas do compartimento de carga: 26,82 m de comprimento testes e passar cerca de 650 horas em terra também sob avaliação,
o cargueiro foi finalmente certificado em 2007.
por 5,49 m de largura e 3,76 m de altura; e ....
• Velocidade aproximada: 833 km/h. A maioria das aeronaves existentes é comercial (do tipo “Full
Pax”, conforme mencionado nos parágrafos iniciais deste texto). A
(Fonte da imagem: Reprodução/Defesabr altitude média atingida pelos aviões comuns (e não militares) é de
Depois de dez anos de desenvolvimento, o militar opera normal- 11.000 m (ou 32.000 pés) – tudo a prezar pelo gasto econômico de
mente. Evacuações e transporte de soldados são também funções combustível e desempenho pleno das funções objetivadas.
deste avião. Os cargueiros, todavia, apresentam especificações e missões dis-
(Fonte da imagem: Reprodução/Antarcticsun) tintas das convencionais. Eles são naturalmente mais lentos,“desen-
gonçados” e bastante maiores quando comparados aos comerciais.
Mas, ainda assim, parece que os colossos voadores são – e continu-
arão sendo por algum tempo – um dos meios de transporte mais
rápidos e robustos do planeta.

Órgão Informativo do ISTM - Maio 2013 49

POESIA

Reflexão do meu dia à dia

• Às vezes , às vezes ponho-me
sentado, reúno-me e conver-
so comigo mesmo!!!. Às vezes
prefiro não olhar pra rua, abro
a porta do meu eu colocan-
do-me algumas perguntas
sobre destruição massiva.

• As vezes regresso à República
do meu Eu!!! Descubro que a
fome pendurada no pescoço
é a medalha do justo!!!

• Que atravessando o crucifixo
da vida com o meu próprio
cadáver no bolso herdarei o
Reino de Deus !!! Não acredito.

• Vivendo na esperança das Soldado António Bartolomeu Gonçalves “Romeu”
orações!!! Que nem Deus,
nem os anjos, nem Diabo
querem mais ouvir, o homem
foi talhado para pecar e Sa-
tanás é acusado de todos os
males mas, coitadinho dele
nunca apareceu e nem uma
Igreja tem, se quer.

• Cada vez que falas, tens o dom de matar uma planta e eu começo a acreditar que é proibido existir!
Vejo-te sentado no sofá da cor do medo e falar-me de amor com a bala na câmara ??? isto é loucura...


• Um dia acorda e descobre que existem vitórias que vêm empacotadas nas derrotas e que nem sempre

quem sorri, está feliz e descobre que um Beijo pode ter o sabor da comarca!!!

• Um dia você acorda e descobrirá que nem sempre quem usa fato é boa pessoa!!! E descobre que entre
o fiscal e a zungueira a diferença é só na farda!!!

• Gostaria, de lavar o meu rosto com os cânticos fúnebres! Vivendo assim desprovido dos cuidados ali-
mentares, o desamparo com as mãos repletas de vazio e ouvindo no fundo uma música mal gravada a
que se chama o futuro!!! Esconder do mundo a nudez da minha mente.

• Gostaria de ser, o não ser!!! ser um homem revoltado, revoltado apenas com a própria revolta!!! Escrever
no punho da minha mão que ninguém é livre quando as barbas do outro incedeiam!!! Onde as Crianças
aprendem a escrever pão com unhas sem dedos.!!!

• Gostaria de ser um livro de 100 páginas onde 99 fossem em branco e na última estivesse escrito apenas,
não!!! É proibido amar.!!!

50 Cadete


Click to View FlipBook Version
Previous Book
Carnets de Pz 0
Next Book
Brand Manual A4 _ESB