The words you are searching are inside this book. To get more targeted content, please make full-text search by clicking here.
Discover the best professional documents and content resources in AnyFlip Document Base.
Search
Published by , 2018-12-13 18:28:51

PDI_Modulo 7 - Segmentacao de Imagens

PDI_Modulo 7 - Segmentacao de Imagens

Processamento Digital de Imagens

Prof. Dr. Éldman de Oliveira Nunes 1

Processamento Digital de Imagens

Prof. Dr. Éldman de Oliveira Nunes 2

Sumário

Prof. Dr. Éldman de Oliveira Nunes 3

Etapas de um Sistema de Processamento de Imagens

Aquisição A etapa de segmentação realiza a
extração e identificação de áreas de
Pré- interesse contidas na imagem.
Processamento
Base de
Segmentação Conhecimento

Representação e
Descrição

Reconhecimento
e Interpretação

Prof Dr Éldman de Oliveira Nunes 4

Aplicações

Prof Dr Éldman de Oliveira Nunes 5

Sumário

Prof. Dr. Éldman de Oliveira Nunes 6

Segmentação – Fundamentos

O primeiro passo na análise de imagem é, geralmente, segmentar a imagem.

Na segmentação, a imagem é dividida em regiões com propriedades comuns
(intensidade, cor, textura, etc).

O nível de subdivisão da imagem depende do objetivo que se pretende alcançar.

A segmentação se encerra quando as partes constituintes de interesse forem
isoladas, o que requer o conhecimento prévio da natureza da imagem.

Assim, a segmentação é um problema orientado à aplicação, pois depende do
contexto.

Prof Dr Éldman de Oliveira Nunes 7

Segmentação – Fundamentos

A segmentação é uma etapa crítica em processamento de imagens, pois, a
eficiência obtida na identificação e separação das regiões de interesse influencia
os resultados das etapas subseqüentes.

Como a segmentação não é um fim em si, sua qualidade é determinada pela
adequação das regiões extraídas aos tratamentos que serão realizados nas
próximas etapas.

Simular no computador o processo de seleção e agrupamento realizado pela
visão humana na identificação de regiões semelhantes é uma tarefa difícil.

Várias dificuldades estão presentes: a complexidade da textura, a não
homogeneidade da iluminação (sombras próximas à borda), as irregularidades e
as imprecisões das regiões das bordas, etc.

Prof Dr Éldman de Oliveira Nunes 8

Segmentação – Fundamentos

Não existe um modelo formal para a segmentação, o processo é essencialmente
empírico e deverá se ajustar a diferentes tipos de imagens e necessidades.

Uma vez que a segmentação visa particionar uma imagem em regiões com
propriedades comuns, normalmente as técnicas de segmentação estão
associadas ao conceito de região:

Prof Dr Éldman de Oliveira Nunes 9

Segmentação – Fundamentos

Prof Dr Éldman de Oliveira Nunes 10

Segmentação – Fundamentos

Descontinuidade Similaridade

Prof Dr Éldman de Oliveira Nunes 11

Sumário

Prof. Dr. Éldman de Oliveira Nunes 12

Detecção de Descontinuidades

• Os tipos básicos de descontinuidades normalmente
detectadas em imagens digitais são pontos, segmentos de
retas, junções e bordas.

• Uma maneira comum de identificação de descontinuidades é
por meio da varredura da imagem por uma máscara.

Prof Dr Éldman de Oliveira Nunes 13

Detecção de Pontos

• A detecção de pontos isolados em uma imagem é direta.
• A máscara abaixo destacará pixels brilhantes rodeados de

pixels mais escuros.

-1 -1 -1 14
-1 8 -1
-1 -1 -1

Prof Dr Éldman de Oliveira Nunes

Detecção de Retas

• Segmentos de retas também podem ser detectadas pelo uso de
máscaras.

Prof Dr Éldman de Oliveira Nunes 15

Detecção de Bordas

• A detecção de bordas é o método usado mais frequentemente
para segmentar as imagens com base nas variações abruptas
(locais) de intensidade.

• Os modelos de bordas são classificados de acordo com seus perfis
de intensidade.

Prof Dr Éldman de Oliveira Nunes 16

Detecção de Bordas

• Geralmente efetuada através do cálculo da 1ª ou 2ª derivadas da
imagem

Prof Dr Éldman de Oliveira Nunes 17

Detecção de Bordas

Prof Dr Éldman de Oliveira Nunes 18

Detecção de Bordas

Roberts Sobel

Prewitt Canny

Prof Dr Éldman de Oliveira Nunes 19

Sumário

Prof. Dr. Éldman de Oliveira Nunes 20

Limiarização

• Matematicamente, a operação de limiarização pode ser
descrita como uma técnica de processamento de imagens na
qual uma imagem de entrada f(x, y) de N níveis de cinza
produz à saída uma imagem g(x, y), chamada de imagem
limiarizada, cujo o número de níveis de cinza é menor que N.

• Global simples – É atribuída uma cor ao fundo da imagem e
uma cor diferente ao objeto

Prof Dr Éldman de Oliveira Nunes 21

Limiarização

• Global múltipla – É atribuída uma cor ao fundo da imagem e uma
cor diferente cada objeto da imagem.

Prof Dr Éldman de Oliveira Nunes 22

Limiarização

Prof Dr Éldman de Oliveira Nunes 23

Crescimento de Regiões

Crescimento de regiões é um processo interativo de agrupamento de pixels em
que regiões homogêneas e adjacentes no espaço são agrupadas.

No início do processo de segmentação, a região pode ser um pixel ou um
conjunto de pixels (“semente”).

Para cada região são calculados certos atributos que sejam considerados
representativos para a região, como por exemplo: cor, textura ou luminosidade.

A agregação das regiões é feita usando algum critério de similaridade ou de
decisão.

Prof Dr Éldman de Oliveira Nunes 24

Crescimento de Regiões

Prof Dr Éldman de Oliveira Nunes 25

Separação e União de Regiões

Separação e União é um método que subdivide uma imagem em quatro blocos e
testa cada um destes blocos verificando se os pixels pertencentes aos mesmos
atendem a algum critério de homogeneidade.

Os blocos que atenderem ao critério não serão mais divididos. O bloco que não
atender será subdividido em blocos menores. Esse processo é repetido
interativamente até um critério de parada ser satisfeito.

Em seguida, é realizada a junção dos blocos vizinhos que sejam homogêneos.

Prof Dr Éldman de Oliveira Nunes 26

Separação e União de Regiões

Esse método geralmente é associado a uma estrutura quadtree (ou seja, uma
árvore em que cada nó possui exatamente quatro descendentes) que possibilita
decompor e agrupar partes de uma imagem.

Prof Dr Éldman de Oliveira Nunes 27

Clusterização

O objetivo da clusterização é agrupar os elementos de um conjunto de tal forma
que os grupos formados sejam constituídos por elementos que possuam maior
similaridade com os elementos do mesmo grupo do que com qualquer dos
elementos de outros grupos.

Para medir o quanto um elemento é similar a outro, a fim de determinar se
devem pertencer ou não a um mesmo cluster, são utilizadas medidas de
similaridade.

O critério de similaridade mais comum quando se utilizam atributos numéricos
baseia-se nas funções de distância.

Prof Dr Éldman de Oliveira Nunes 28

Clusterização

Para empregar estas funções é preciso representar cada elemento como um vetor
no espaço dimensional das características.

Neste caso, quanto menor for à distância entre um par de elementos maior é a
similaridade entre eles.

Espera-se que à distância entre objetos de um mesmo agrupamento seja
significativamente menor do que à distância entre objetos de agrupamentos
diferentes.

Prof Dr Éldman de Oliveira Nunes 29

Clusterização

Na literatura são encontradas diversas metaheurísticas para a solução de
problemas de clusterização, basicamente elas podem ser classificadas em
métodos hierárquicos e métodos de particionamento.

Prof Dr Éldman de Oliveira Nunes 30

Clusterização

Os Métodos de Partição Baseados em Recolocação tem por objetivo particionar
um conjunto de dados com elementos em grupos distintos de forma a minimizar
um critério escolhido.

Estes métodos tentam descobrir novos clusters realocando interativamente
pontos entre os subconjuntos de forma a melhorar os clusters gradualmente.

K-means é um método de partição baseado em recolocação que necessita da
definição a priori do número de k agrupamentos.

O critério de custo a ser minimizado é definido em função da distância dos
elementos em relação aos centros dos agrupamentos.

Prof Dr Éldman de Oliveira Nunes 31

Clusterização 32

• (1) Determinar as
posições iniciais dos k
centróides dos clusters;

• (2) Alocar cada
elemento ao cluster do
centróide mais próximo;

• (3) Recalcular os centros
dos clusters a partir dos
elementos alocados;

• (4) Repetir os passos de
2 a 4 segundo algum
critério de
convergência.

Prof Dr Éldman de Oliveira Nunes

Sumário

Prof. Dr. Éldman de Oliveira Nunes 33

Sumário

Prof Dr Éldman de Oliveira Nunes 34

Sumário

A segmentação de imagens é um estágio preliminar essencial para a maioria das
aplicações de reconhecimento automático de padrões e análise de cena.

A escolha de uma técnica de segmentação em detrimento de outra depende
principalmente das características peculiares do problema a ser considerado.

Os métodos discutidos, longe de serem exaustivos, são apenas ilustrativos das
técnicas comumente utilizadas na prática.
(outros exemplos: uso do movimento na segmentação).

Prof Dr Éldman de Oliveira Nunes 35

Bibliografia

GONZALES, Rafael C.; WOODS, Richard E.. Processamento digital de imagens. 3. ed. São Paulo: Pearson
Prentice Hall, 2010. 624 p. Tradução de: Cristina Yamagami e Leonardo Piamonte.

GONZALES, Rafael C.; WOODS, Richard E.. Processamento de imagens digitais. São Paulo: Edgard
Blucher Ltda, 2000. 509 p. Tradução de Roberto Marcondes César Júnior e Luciano da Fontoura Costa.

MARQUES FILHO, Ogê; VIEIRA NETO, Hugo. Processamento digital de imagens. Rio de Janeiro:
Brasport, 1999. 409 p.

MIRANDA, José Iguelmar. Processamento de imagens digitais: métodos multivariados em Java.
Campinas: Embrapa Informática Agropecuária, 2011. 400 p.

PEDRINI, Hélio; SCHWARTZ, William Robson. Análise de imagens digitais: Princípios, algoritmos e
aplicações. São Paulo: Thomson Learning, 2008. 508 p.

SOLOMON, Chris; BRECKON, Toby. Fundamentos de processamento digital de imagens: Uma
abordagem prática com exemplos em Matlab. Rio de Janeiro: Ltc, 2013. 289 p.

Prof. Dr. Éldman de Oliveira Nunes 36


Click to View FlipBook Version
Previous Book
4_6003649292307268800
Next Book
Engadine Music Tuition And Band Student Newsletter December 2018