The words you are searching are inside this book. To get more targeted content, please make full-text search by clicking here.
Discover the best professional documents and content resources in AnyFlip Document Base.
Search
Published by hmilheiro, 2020-09-14 16:14:13

Autosport_2229

Autosport_2229

#2229 42
ANO 42
anos
16/09/2020
Semanal O SEMANÁRIO DOS CAMPEÕES >> autosport.pt

2,50€ (CONT.)

DIRETOR PEDRO CORRÊA MENDES

GP DA TOSCÂNIA
FERRARI 1000

NINGUÉM
CHEGA PARA
HAMILTON

FESTA DA PÁG. 46 PÁG. 42
VELOCIDADE EM
ENSAIO
BRAGA
PÁG. 26 YAMAHA MT07

ENSAIO

OPEL CORSA
1.2 130 GS LINE

PEUGEOT METROPOLIS

DEIXE O CARRO NA
GARAGEM E VIVA MAIS

A Peugeot Metropolis é a solução ideal para deixar o carro em casa e
assegurar uma mobilidade sustentável e socialmente responsável. Já pode
usar uma Scooter nas deslocações para o trabalho ou em lazer, sem pensar
em filas e estacionamento, mantendo todo o conforto, segurança e isolamento
de andar de carro. O seu sistema ABS, Controlo de Tração e Ignição Keyless*
com Smart Key**, aliados ao design e conforto da Peugeot, fazem desta
Scooter de 3 Rodas, uma solução segura e versátil para o seu dia-a-dia.

O melhor é que pode conduzi-la com a sua carta de ligeiros***.

* Keyless – Sistema sem Chave; ** Smartkey – Chave Inteligente; *** Pode ser
conduzida com carta de categoria B e B1. Imagem Ilustrativa da Versão
Metropolis Black Edition.

A Moteo Portugal reserva-se no direito de retirar, e/ou alterar versões, acessórios, equipamentos e extras
sem aviso prévio.

Venha descobrir a Metropolis
www.peugeot-motocycles.pt

3

SIGA-NOS EM EDIÇÃO

#2229
16/09/2020

f l> > a u t o s p o r t . p t
facebook.com/autosportpt twitter.com/AutoSportPT

APiazza della Signoria de 1000XFERRARI
Florença foi o cenário ideal
para celebrar o 1000º Grande muitos outros: é a única equipa que par- F2002, F1-2000, T4 1979 312 e o F2 500 como Alberto Ascari, Piero Taruffi e Luigi
Prémio de Fórmula 1 da Ferrari. ticipou em todos os anos do Mundial de que dominaram as épocas de 1952 e Musso, até à época mais bem sucedida,
Uma fantástica efeméride F1 desde 1950. Apesar dos tempos que 1953. A Piazza della Signoria, ganhou com o trio de Michael Schumacher, Jean
da marca de Maranello, um vive, não tem para já rivais em termos de vida, iluminada por algumas das ima- Todt e Ross Brawn, até aos dias de hoje,
número excepcional que traz consigo sucessos, com 16 títulos de construtores, gens mais icónicas da Scuderia Ferrari, sem esquecer outros grandes campeões
15 títulos de pilotos e 238 vitórias em desde os primeiros dias, bem como as da Ferrari, como John Surtees, Niki Lauda
corridas. Nas fotos pode ver o F2008, façanhas dos grandes pilotos italianos, e Jody Scheckter.

4 F1/
FÓRMULA 1
GP DA TOSCÂNIA 1000 FERRARI 9 D E 17

NEMSAFETY-CARS
OUBANDEIRAS
VERMELHAS
TRAVAM
HAMILTON

Três situações de Safety-Car e duas bandeiras vermelhas
conspiraram para que pudéssemos ter um resultado inesperado

no Grande Prémio da Toscânia,
mas no final voltou a ser Lewis Hamilton a vencer, ao passo

que Valtteri Bottas, uma vez mais, viu escapar-lhe uma
oportunidade…

P elaprimeiraveznesteanotão Jorge Girão se o temor de que fosse quase impos- FALTOU PONTINHA DE SORTE
“sui generis”, o Campeonato [email protected] sível ultrapassar em Mugello, apesar
do Mundo de Fórmula 1 visi- da longa recta da meta.Valtteri Bottas O piloto do carro setenta e sete não
tava um circuito que nunca FOTOS Oficiais continuou a exercer o seu domínio teve desta feita a sorte do seu lado,
tinha sido palco para uma na manhã de sábado, ao passo que uma vez que teve de abortar a sua
prova da competição máxi- pista italiana, mas Max Verstappen Verstappen voltava a apresentar-se segunda volta lançada na Q3 devido
ma do automobilismo, gerando uma parecia ser um factor, pelo menos como uma ameaça, tendo ficado a ao despiste de Esteban Ocon. Sem
enorme expectativa. Com as suas em configuração de corrida, e com o dezassete milésimos de segundo do que Hamilton tivesse melhorado o seu
curvas de média e alta velocidade, desgaste dos pneus a poder ser um finlandês na terceira sessão de trei- tempo original, existiam fortes pos-
sem chicanes que quebrassem o rit- problema, o Red Bull do holandês po- nos-livres, ao passo que Hamilton era sibilidades de Bottas melhorar e bas-
mo, rapidamente Mugello caiu no goto deria ser uma verdadeira ameaça aos remetido para o terceiro lugar a 0,083s tavam 0,060s, mas o destino não quis
dos pilotos que adoravam a fluidez do “Flechas Negras” que normalmente do seu colega de equipa. e o finlandês teria de arrancar para o
circuito toscano, lançando-lhe super- sentem dificuldades em estender a O inglês parecia estar em desvanta- primeiro Grande Prémio da Toscânia da
lativos, muito embora as forças a que vida dos pneus, sobretudo com tem- gem e poder ver-se remetido para história no segundo posto ao lado do
eram sujeitos – que chegaram a roçar peraturas altas e em Mugello a pista um papel subalterno relativamente seu colega de equipa. Verstappen não
os 6G na qualificação – prometessem superou consistentemente os 40ºC. ao seu colega de equipa e, ainda, ser conseguiu manter a sua ameaça aos
uma tarde de domingo exigente ao No seio da equipa de Brackley, Bottas acossado por Verstappen. No entanto, Mercedes na qualificação, ficando em
nível físico. tinha a vantagem inicial, sentindo- no momento da verdade, o hexacam- terceiro, mas ficou mais próximo que
A Mercedes mostrou estar forte na -se à vontade no traçado da Ferrari, peão mundial mostra quem manda nunca este ano do duo dos “Flechas
ao passo que Hamilton admitia que e foi o que acabou por acontecer na Negras”, criando enormes expecta-
os dois primeiros sectores ainda lhe qualificação. tivas para a corrida de domingo.
escondiam alguns segredos. Bottas ainda foi o mais rápido na Q1, Os três do costume estavam nas suas
Os ingredientes para assistirmos a mas da Q2 para diante o inglês tomou posições habituais, mas Bottas esta-
uma corrida emocionante pareciam conta das operações, conquistando a va mais forte que nos mais recentes
estar reunidos, muito embora existis- sua nonagésima quinta pole-position fins-de-semana e Verstappen poderia
na Fórmula 1 ao bater o finlandês por ter no Red Bull RB16 Honda uma arma
0,059s. para se bater de igual para igual com
os Mercedes.

>> autosport.pt

5

deram conta que à frente a corrida
ainda não tinha começado, o acidente
foi inevitável, tendo Nicholas Latifi,
Kevin Magnussen, Antonio Giovinazzi
e Carlos Sainz batido entre eles, aban-
donando com os carros bastante da-
nificados e parados em plena reta da
meta. A bandeira vermelha era uma
inevitabilidade.

Mesmo os receios de falta de ultra- A corrida de Verstappen acabaria de meta – onde as ultrapassagens ENORME CARAMBOLA
passagens poderiam ser infundados pouco depois. Kimi Raikkonen, Pierre podem começar ser feitas – ao passo
– e foram – uma vez que o DRS era Gasly e Romain Grosjean aproxima- que os pilotos da cauda do pelotão, com A ânsia de manter o seu colega de
poderoso em Mugello e a natureza do ram-se lado a lado da Luco, quando painéis verdes a serem mostrados, equipa no seu encalço acabou por criar
circuito, que pune os erros, prome- encontraram o Red Bull número trinta aceleravam na tentativa de ganhar o as condições, ainda que indiretamente,
tia uma corrida animada em que o e três a baixa velocidade, o toque entre máximo de posições possíveis. Quando para um violento acidente, deixando
Safety-Car poderia ser uma fator a ter todos foi inevitável, ditando o abando- Bottas exposto num novo arranque
em conta. Mas claro que o arranque é no dos franceses e do holandês. 45º clássico, com os carros parados na
sempre um momento de muita tensão, Na saída da Luco, Lance Stroll tocou na grelha de partida.O pior cenário para o
contudo, para Verstappen esses mo- traseira do McLaren de Carlos Sainz, Grande Prémio diferente a figurar no finlandês acabou por se concretizar e,
mentos começavam assim que saía que entrou em pião. Sem ter por onde Campeonato do Mundo de Fórmula 1. no segundo arranque, Hamilton ascen-
das boxes para rumar à pré-grelha ir, Vettel bateu no carro inglês, ficando Dificilmente se repetirá, mas graças a dia ao comando, passando a controlar
de partida. ambos com a respetiva asa dianteira Mugello deixou a sua marca na categoria. as operações. O piloto do carro setenta
Problemas com a unidade de potência partida.Com o caos criado nos primei- e sete tudo tentou para entrar na zona
da Honda preocupavam os japoneses ros metros, não restava outra opção a de DRS do seu colega de equipa, mas,
e os responsáveis da equipa de Milton Michael Masi senão enviar o Safety- muito embora tenha estado próximo,
Keynes, e com motivos para isso. Car para a pista, mas então um dos nunca o conseguiu, percebendo que
Assim que as luzes dos semáforos candidatos à vitória já tinha ficado tinha de tentar algo diferente para
se apagaram, Lewis Hamilton viu-se pelo caminho. poder bater o líder do Campeonato
superado por Valtteri Bottas e com Levaram cinco voltas para que a pis- de Pilotos.
Max Verstappen ao seu lado, mas o ta fosse limpa, mas o drama estava Os pneus continuavam a ser uma
desafio do holandês era fogo-fátuo, novamente à espreita.Bottas, no co- preocupação para a Mercedes, tendo
dado que o V6 turbohíbrido nipónico mando e tentando evitar que Hamilton instruído os seus recrutas a evitar os
sofria uma quebra de potência, con- entrasse no seu cone de aspiração ao corretores, mostrando que os médios
cretizando-se os receios da parceria longo de toda a recta da meta, deixou montados durante a bandeira verme-
anglo-japonesa, sendo o holandês o recomeço para o último instante lha não estavam a aguentar o calor e o
engolido pelo pelotão. possível, a poucos metros da linha asfalto abrasivo de Mugello. Prevendo
que Hamilton parasse primeiro, nor-
malmente o mais bem classificado
entra nas boxes primeiro, Bottas pediu
à equipa que montasse pneus diferen-
tes dos que montaria o seu colega na
sua troca de pneumáticos.
Contudo, o finlandês começava a sentir
vibrações no pneu dianteiro/esquerdo,
o que mais sofre em Mugello, perdendo
três segundos em duas voltas para
Hamilton, e a Mercedes foi obrigada
a antecipar a sua paragem para a tri-
gésima segunda volta, montando-lhe
borrachas duras. O inglês, que parava
na volta seguinte, montava o mesmo
tipo de pneus, anulando qualquer van-
tagem estratégica que Bottas pudesse
ter e deixando-o numa situação em
que não conseguia desfeitear o líder.
Porém, na quadragésima terceira volta
o piloto de Nastola voltaria a ter uma
nova oportunidade para suplantar o
seu colega de equipa e melhorar a sua
situação na luta pelo título.
Lance Stroll, que rodava na quarta po-
sição, sofria um problema no seu pneu
traseiro/esquerdo na saída da primeira
Arrabbiata, lançando-se contra as
barreiras de protecção a alta velocida-
de. Com os muros de pneus bastante
danificados, Michael Masi, depois de

F1/
FÓRMULA 1

6

GP DA TOSCÂNIA 1000 FERRARI 9 D E 17

ter enviado para a pista o Safety-Car, 329,5
voltava a mostrar as bandeiras verme-
lhas, interrompendo, pela segunda vez, Km/h a velocidade máxima registada pela
a corrida. Bottas teria a oportunidade FIA durante o Grande Prémio da Toscânia.
de repetir o seu primeiro arranque, Cortesia de George Russell, Williams.
suplantar o seu colega de equipa e
vencer o Grande Prémio da Toscânia.
Enquanto a prova esteve parada, todos
os pilotos ainda em competição, ape-
nas doze, aproveitavam para montar
pneus macios usados, estando todos
na mesma situação para as catorze
voltas finais – seria uma conclusão
de ataque num circuito que não per-
doa erros. No entanto, Bottas falhou
completamente o arranque e, em vez
de atacar o seu colega de equipa, viu-
-se suplantado por Daniel Ricciardo.
O Renault não seria um problema,
desenvencilhando-se dele no início
da volta seguinte, mas Hamilton tinha
a corrida completamente controlada,
vencendo pela nonagésima vez na
Fórmula 1 – a apenas um triunfo do re-
corde Michael Schumacher – vendo-se
Bottas novamente vergado pela per-
feição do inglês nos momentos-chave
de um Grande Prémio. O azar conspirou
para que o finlandês saísse derrotado
de Mugello, mas este também não
aproveitou as oportunidades para ba-
ter o Campeão do Mundo, sendo cada
vez mais uma formalidade para que
este conquiste o seu sétimo título.

M/ MOMENTO F/ FIGURA

2º partida Alex Albon
Depois de ter sido suplantado por Lewis Hamilton esteve uma vez mais a um nível
Bottas na primeira partida, Hamilton elevadíssimo, deixando, como tem acontecido
devolveu a graça ao seu companheiro amiúde desde que os dois são colegas de equipa,
de equipa na segunda, assegurando Valtteri Bottas a pensar no que poderia ter sido
definitivamente o comando da corrida. caso tivesse sido perfeito, como exige a situação,
Na terceira largada, o finlandês falhou e mas a forma como Albon respondeu ao triunfo de
o inglês ficou descansado na liderança, Gasly em Itália merece ser sublinhado. O tailandês
conquistando o seu 90º triunfo. passou por diversas contrariedades na tarde de
1000 Grandes Prémios disputados pela domingo, mas nunca sucumbiu a elas, lutando e
Ferrari. Um número extraordinário e que vendo-se obrigado a ultrapassar para alcançar o
demonstram a longevidade da “Scude- seu primeiro pódio na Fórmula 1. Este é o Albon que
ria”. Só foi pena ter sido celebrado com terá de aparecer na segunda metade da tempo-
tão fracos resultados em pista. rada caso queira manter o seu lugar na Red Bull.



F1/
FÓRMULA 1

8

GP DA TOSCÂNIA 1000 FERRARI 9 D E 17

CO“PONOCBTROIRTNMIEGUIRAAGEDDOMOO”

Depois da vitória de Pierre Gasly no Grande Prémio de Itália, a do espanhol e de Sebastian Vettel, les Leclerc que não tinha andamento
pressão estava do lado de Alex Albon, que continuava longe que partiu a sua asa dianteira ao não para conservar o terceiro lugar que ti-
de Max Verstappen e via o piloto que substituiu na Red Bull conseguir evitar o McLaren que tinha nha conquistado no primeiro arranque.
ficado no meio da pista, entrando o No entanto, ainda antes de ter o mo-
vencer com um humilde AlphaTauri. Mas no Grande Prémio da Safety-Car em pista. nolugar de Maranello à sua frente, na
Toscânia o tailandês assinou uma corrida notável e esquivou No recomeço, ao pretender manter décima oitava volta, Albon via-se livre
a sua vantagem, Valtteri Bottas dei- de Pérez para subir a sexto, dando
algumas das dúvidas que recaiam sobre si xou o reinício para o último momento início à sua recuperação.
possível, o que apanhou despreveni- Duas voltas depois, suplantava Leclerc
N um circuito que albergava Verstappen, mais à vontade, obriga-o a dos os pilotos da cauda do pelotão, que, sem velocidade de ponta no seu
pela primeira vez um evento fazer o que pretende e não o contrário. que se envolveram num acidente de Ferrari, era uma presa fácil para o Red
do Campeonato do Mundo O Albon na terceira sessão de trei- proporções épicas, quando alguns ti- Bull Honda do tailandês, que passava
de Fórmula 1, o fim-de- nos-livres voltou a ficar a aquém do veram de abrandar inesperadamente, a perseguir Ricciardo.
-semana não começou da esperado, mas na qualificação foi ga- provocando diversos embates que O Renault revelava-se ser bastante
forma mais positiva para nhando confiança, conquistando o deixaram Nicholas Latifi, Kevin Mag- mais difícil de suplantar, mas, mui-
Albon, tendo na primeira sessão de quarto posto da grelha de partida a nussen, Antonio Giovinazzi e Carlos to embora o “undercut” se revelasse
treinos-livres ficado a mais de um quatro décimos de segundo do seu co- Sainz fora de prova. potente em Mugello, a Red Bull não o
segundo de Max Verstappen. lega de equipa. O seu melhor resultado Com tantos carros estropiados na recta tentou aplicar ao australiano, sendo
Na segunda, a situação melhorava e da temporada, secundando de perto da meta, Michael Masi não tinha outra Albon o último a parar entre os pi-
terminava no quarto lugar, no encalço Verstappen, o que o deixava numa opção senão interromper a corrida lotos da frente – cinco voltas depois
do seu companheiro de equipa, mas a posição em que poderia ser uma peça com bandeiras vermelhas para lim- do homem da Renault e duas depois
sete décimos de segundo deste. estratégica num dia em que a Red Bull par a pista. de Stroll.
Num circuito novo para todos, ou para esperava poder dar luta aos Mercedes. Voltávamos à expectativa de uma par- Ricciardo suplantava o canadiano,
quase todos, em que os erros se pagam Albon ver-se-ia suplantado por Char- tida clássica, com a longa aceleração mas Albon matinha o quinto posto
caro – como o podem atestar Lando les Leclerc no arranque, mas manteve o até à primeira curva de Mugello, San no encalço do piloto do “Mercedes Cor
Norris e Esteban Ocon – a confiança é quarto posto devido aos problemas na Donato, e a configuração desta, com de Rosa”, ainda que a cerca de cinco
primordial e esse é um dos problemas unidade de potência do seu colega de muita inclinação positiva, que permi- segundos deste.
sentidos pelo tailandês ao longo da equipa, que foi engolido pelo pelotão. te diversas trajectórias, promovendo Contudo, com os pneus médios que
temporada – não sente confiança no A corrida seria, porém, parada rapi- muitas lutas na sua aproximação. montara o Red Bull estava a voar,
Red Bull RB16 Honda, ao passo que damente. Primeiro os toques entre O segundo arranque não correu de rodando praticamente no ritmo dos
Kimi Raikkonen, Pierre Gasly, Romain feição a Albon e, quando saiu de San Mercedes, que dominavam a corrida,
Grosjean e Max Verstappen e depois Donato, tinha já sido ultrapassado por e rapidamente encostou no carro de
o incidente entre Lance Stroll e Car- Stroll, Ricciardo e Pérez, parecendo que Silverstone, mas passar era bastan-
los Sainz ditaram os abandonos dos estava destinado a mais uma tarde de te mais difícil, graças à elevada ve-
franceses e do holandês e o atraso frustrações. locidade de ponta do “Mercedes Cor
No entanto, o jovem da Red Bull não de Rosa” munido de um novo pacote
baixou os braços, mantendo-se no aerodinâmico.
comboio liderado pelo Ferrari de Char- Mas, na quadragésima terceira volta,

>> autosport.pt

9

o problema de Albon acabaria por se terceiro posto a quase quatro segun-
esfumar por entre um despiste a alta dos do finlandês e a oito de Hamilton.
velocidade na saída da primeira Ar- Finalmente, e depois de muitas frus-
rabbiata. Um provável furo no pneu trações, o tailandês estreava-se no
traseiro/esquerdo do Racing Point pódio de uma corrida de Fórmula 1,
enviou Stroll para fora de pista e de uma semana depois da vitória mere-
encontro aos muros de pneus. cida, mas fortuita, de Pierre Gasly, que
O canadiano emergiu dos destroços colocou uma enorme pressão sobre
do seu carro sem problemas, mas as Albon.
barreiras ficaram bastante danifica- Porém, num dia em que carregou
das e precisavam de ser reparadas, ao as aspirações da Red Bull nos seus
passo que o monolugar de Silverstone ombros, após o abandono de Versta-
necessitava ser recuperado. ppen, o piloto de vinte e quatro anos
Depois da entrada em pista do Safety- respondia, conquistando um terceiro
-Car, as bandeiras vermelhas volta- lugar pelo qual teve de lutar, mas que
vam a ser mostradas, o que deixava representa o potencial a que pode e
antever mais um arranque a partir da deve aspirar. Talvez por isso na volta de
grelha de partida. regresso às boxes agradeceu à equipa
Com quatorze voltas para a bandeira a confiança que continuava a depositar
de xadrez, todos os pilotos montaram em si ao longo dos momentos difíceis
pneus macios usados, estando todos pelos quais tem vindo a passar - “Obri-
em igualdade de circunstâncias – se- gado por terem continuado comigo”,
ria um sprint até ao final, com uma disse através do rádio.
partida tensa. Daniel Ricciardo, que estivera tão perto
Como era esperado, as lutas foram de obrigar Cyril Abiteboul a fazer uma
intensas e, enquanto Ricciardo pas- tatuagem, viu uma vez mais um pódio
sava Bottas, Albon era suplantado com a Renault esfumar-se, conse-
por Pérez, parecendo que o pódio pelo guindo ainda assim um bom quarto
qual tanto ansiava voltava a ficar mais lugar à frente de Sérgio Pérez e Lando
longe. Mas o tailandês contra-atacou Norris.
imediatamente e na Poggio Seco, por Daniil Kvyat assegurou o sétimo posto
fora, recuperava a quarta posição com à frente de Charles Leclerc. O mone-
firmeza, lançando-se para a luta pelo gasco terminou no nono lugar, mas su-
pódio. biu a oitavo graças a uma penalização
A passagem pelo segundo posto do de cinco segundos de Kimi Raikkonen,
australiano da Renault seria efémera, que ultrapassara a linhas brancas que
cedendo a posição a Bottas logo na delimitam a via de entrada nas boxes,
quadragésima oitava volta, passando a quando rumou no último momento ao
estar na mira do tailandês da Red Bull. “pit-lane” aquando da terceira situa-
Faltava apenas uma posição para que ção de Safety-Car.
alcançasse o pódio que lhe foge desde o Ainda assim, o finlandês da Alfa Romeo
Grande Prémio do Brasil do ano passa- batia o Ferrari de Sebastian Vettel, num
do e na quinquagésima primeira volta, dia em que a “Scuderia” apenas pôde
usou o DRS para suplantar o Renault celebrar o seu 1000º Grande Prémio,
em plena recta da meta, ascendendo uma vez que os resultados em pista
ao terceiro lugar. foram decepcionantes.
Os homens da Red Bull ainda pensa- Apenas dozes carros terminaram a
ram que seria possível atacar o se- corrida, tendo George Russell e Ro-
gundo lugar de Bottas, mas esse era main Grosjean ficado nas duas últimas
um desejo que se mostrou além do posições.
potencial do carro de Milton Keynes,
cruzando Albon a linha de meta no

CARAMBOLA MONUMENTAL

O GP da Toscânia Ferrari 1000 ficou marcado bem entendeu (e tinha todo o

por vários acidentes, o principal e mais direito do fazer). Desta forma,

perigoso aquele que se deu na reta da Nicolas Latifi, Kevin Magnussen,

meta depois do primeiro incidente que Antonio Giovinazzi e Carlos Sainz

‘eliminou’ Max Verstappen e Pierre Gasly ficaram fora de corrida com

e ‘quase’ Romain Grosjean, que conseguiu maiores ou menos danos. Ninguém

sair da escapatória de gravilha. No segundo se aleijou. Do mal o menos...

acidente os monolugares do fundo da

grelha aceleraram antes de Valtteri Bottas,

o comandante da corrida, o ter feito, após a

saída do Safety Car de pista e a carambola foi

inevitável, pois havia carros a acelerar e outros

à espera de Bottas, que acelerou só quando

F1/
FÓRMULA 1

10

GP DA TOSCÂNIA 1000 FERRARI 9 D E 17

FERRARICUMPRIU1000GP automóvel, enquanto a Ferrari por lá con-
tinua atraindo milhões de adeptos. Mais
AFerrari festejou no passado fim num lugar especial que faz a ponte entre comprar a Ferrari, mas a resposta foi um recentemente, a Mercedes teria feito este
de semana o seu 1000º Grande a história e a eternidade: “Nunca fiz tudo redondo “não”. Depois disso, Henry Ford percurso desde 2010 sem a Ferrari lá para
Prémio, em Mugello. O momento isto para que outras pessoas se pudessem gastou uma quantidade inimaginável de igualar e superar? John Elkann, presiden-
da Scuderia não é o melhor para divertir, mas sim para satisfazer o meu dinheiro para bater a Ferrari em Le Mans te da Scuderia, diz que as recentes ‘lutas’
festas, mas a verdade é que nada próprio ego”, disse um dia Enzo Ferrari. nos anos seguintes. Conseguiram, mas da Ferrari não diminuíram as ambições
pode apagar o que foi e sem- A única espinha da Ferrari é que estes sempre foram intermitentes no desporto duma outra era de domínio como a que teve
pre será a Ferrari para a F1. A ocasião foi 1000 GP não incluem a primeira corrida com Michael Schumacher, mostrando-se
festejada como um festival Ferrari, mas de F1, que teve lugar em Silverstone a 13 de confiante que a equipa será restaurada à
na realidade toda a F1 foi celebrada, pois Maio de 1950. Um pormenor, apenas. Para sua antiga glória, num futuro próximo: “A
muito deve à icónica marca de Maranel- que se perceba melhor a importância da Ferrari é uma paixão indescritível, 1000
lo. O 1000º GP da Ferrari, coloca a equipa Ferrari, nos anos 60, a ‘gigante’ Ford quis GP são um objetivo que mais ninguém
alcançou, e estamos felizes e orgulhosos
de tudo o que foi feito. Acima de tudo, esta-
mos confiantes do que nos espera. Ferrari
não é apenas o passado, mas é também o
futuro. Quando há uma longa história como
a nossa, há momentos bonitos e difíceis,
mas o importante é recomeçar e ir ainda
mais longe. Estamos empenhados nisso.
Espero reviver um novo período mágico
como o de Schumacher”.
Com 16 títulos de construtores e 15 títulos
de pilotos na sua enorme sala de troféus,
a Ferrari é a equipa de maior sucesso na
história da F1. O seu período mais domi-
nante durou cinco anos, entre 2000-04,
depois de Michael Schumacher ter levado
a Scuderia a os levou a cinco ‘duplas’ de
títulos de pilotos e construtores.

VETTEL CONFIRMADO
NAASTONMARTIN
EM2021

S ebastian Vettel foi confirmado da Aston Martin em 2021. É uma nova comprovado e traz uma mentalidade muito difíceis. Conseguimos ultrapassar
como piloto da Aston Mar- aventura para mim, num construtor vencedora que corresponde às nossas obstáculos e estou muito orgulhoso
tin Racing na F1 em 2021. Há automóvel verdadeiramente lendário. próprias ambições para o futuro como de ter ajudado a salvar os empregos
muito que se aguardava por Fiquei impressionado com os resulta- Aston Martin F1 Team. Sebastian é um de vários dos meus companheiros de
este desfecho, mas depois dos que a equipa tem vindo a alcançar dos melhores do mundo, e não consigo equipa. Vou guardar as memórias dos
de declarações recentes de este ano e acredito que o futuro é ainda pensar num piloto melhor para nos grandes momentos vividos juntos, as
Sergio Pérez a dizer que “não esperava mais risonho. A energia e o empenho ajudar a entrar nesta nova era. Ele irá amizades e a satisfação de dar sempre
mudanças”, chegou mesmo a pensar- de Lawrence (Stroll) na F1 são inspira- desempenhar um papel significativo o meu melhor. Estarei sempre grato
-se que Vettel poderia fazer um ano dores e acredito que podemos construir ao levar esta equipa para o próximo pela oportunidade que me foi dada por
sabático antes de regressar à ‘nova’ F1 algo muito especial juntos. Tenho muito nível”, disse. Vijay Mallya, que acreditou em mim em
em 2022, mas o desfecho mais espera- amor pela F1, a minha única motivação é No pólo oposto, Sergio Pérez vai deixar 2014 e me permitiu continuar a minha
do acabou mesmo por se concretizar. correr na frente da grelha e fazê-lo com a Racing Point F1 no final desta tem- carreira de F1 com a Force India. À atual
Lawrence Stroll quer mesmo tornar a Aston Martin será um enorme privilé- porada: “Tudo na vida tem sempre um administração, liderada por Lawrence
Aston Martin uma equipa muito forte, gio”, disse Vettel. Já o chefe de Equipa, começo e um fim, e após sete anos jun- Stroll, nada mais desejo senão o melhor
e há muito que Vettel é um objetivo Otmar Szafnauer diz que: “toda a gente tos, o meu tempo com a equipa chega no futuro, especialmente com o pró-
pessoal: “Estou extremamente orgu- em Silverstone está entusiasmada com ao fim após a época. Dói um pouco, ximo projeto Aston Martin”, lê-se no
lhoso de dizer que me tornarei piloto esta notícia. Sebastian é um campeão pois apostei na equipa durante tempos comunicado que distribuiu.

>> autosport.pt

11

C/ C L A S S I F I C A Ç Õ E S

GP DATOSCÂNIA1000FERRARI PROVA TEMPO
VOLTAS
MUGELLO VOLTA MAIS RÁPIDA
GERAL
13/09/2020 VEL. MÁXIMA
GERAL
5,245 KM 59 309,455 KM SEXTA SÁBADO DOMINGO BOX

PERÍMETRO VOLTAS DISTÂNCIA TOTAL 1 LEWIS HAMILTON MERCEDES F1 W11 2:19:35.060 59 1:18.833 1 298.4 KM/H 13 5

2 VALTTERI BOTTAS MERCEDES F1 W11 +4.880S 59 1:19.432 2 312.8 KM/H 11 5

3 ALEXANDER ALBON RED BULL RB16/HONDA +8.064S 59 1:20.039 3 325.2 KM/H 4 5

TREINOS LIVRES GRELHA DE PARTIDA 4 DANIEL RICCIARDO RENAULT R.S.20 +10.417S 59 1:20.426 4 326.4 KM/H 3 5

1 Lewis Hamilton Q3 5 SERGIO PEREZ RACING POINT RP20/MERCEDES +15.650S 59 1:20.632 5 328.4 KM/H 2 5
MERCEDES
1.ª SESSÃO TREINOS LIVRES 1:15.144 6 LANDO NORRIS MCLAREN MCL35/RENAULT +18.883S 59 1:21.198 7 321.7 KM/H 8 5

PILOTO EQUIPA TEMPO/DIF. 7 DANIIL KVYAT ALPHATAURI AT01/HONDA +21.756S 59 1:21.458 10 324.1 KM/H 5 5

1 Valtteri Bottas MERCEDES 1:17.879 8 CHARLES LECLERC FERRARI SF1000 +28.345S 59 1:21.229 9 318.7 KM/H 9 5

2 Max Verstappen RED BULL HONDA +0.048s 2 Valtteri Bottas 9 KIMI RÄIKKÖNEN ALFA ROMEO C39/FERRARI +29.770S 59 1:21.164 6 318.0 KM/H 10 6
MERCEDES
3 Charles Leclerc FERRARI +0.307s 1:15.203 10 SEBASTIAN VETTEL FERRARI SF1000 +29.983S 59 1:21.202 8 323.0 KM/H 6 6

4 Lewis Hamilton MERCEDES +0.530s 11 GEORGE RUSSELL WILLIAMS FW43/MERCEDES +32.404S 59 1:21.645 11 329.5 KM/H 1 5

5 Pierre Gasly ALPH.HONDA +0.797s 3 Max Verstappen 12 ROMAIN GROSJEAN HAAS VF-20/FERRARI +42.036S 59 1:22.263 13 305.4 KM/H 12 5
RED BULL HONDA
6 Esteban Ocon RENAULT +0.926s 1:15.509 NC LANCE STROLL RACING POINT RP20/MERCEDES ACIDENTE 42 1:22.068 12 322.7 KM/H 7 3

7 Daniil Kvyat ALPH.HONDA +0.960s NC ESTEBAN OCON RENAULT R.S.20 DNF 7 2:11.793 15 278.9 KM/H 17 1

8 Lando Norris MCLAREN RENAULT +1.102s NC NICHOLAS LATIFI WILLIAMS FW43/MERCEDES ACIDENTE 6 2:11.365 14 284.2 KM/H 15

9 Alexander Albon RED BULL HONDA +1.189s 4 Alexander Albon
RED BULL HONDA
10 Daniel Ricciardo RENAULT +1.261s 1:15.954 NC KEVIN MAGNUSSEN HAAS VF-20/FERRARI ACIDENTE 5 2:13.812 17 281.2 KM/H 16

11 Kimi Räikkönen ALFAROMEOFERRARI +1.340s NC ANTONIO GIOVINAZZI ALFA ROMEO C39/FERRARI ACIDENTE 5 2:13.809 16 267.8 KM/H 18

12 Romain Grosjean HAAS FERRARI +1.345s 5 Charles Leclerc NC CARLOS SAINZ MCLAREN MCL35/RENAULT ACIDENTE 5 2:14.103 18 290.0 KM/H 14
FERRARI
13 Sebastian Vettel FERRARI +1.388s 1:16.270 NC MAX VERSTAPPEN RED BULL RB16/HONDA ACIDENTE 0 216.3 KM/H 20

14 Antonio Giovinazzi ALFAROMEOFERRARI +1.443s NC PIERRE GASLY ALPHATAURI AT01/HONDA ACIDENTE 0 267.3 KM/H 19

15 Carlos Sainz MCLAREN RENAULT +1.578s 6 Lance Stroll
RACING POINT MERCEDES
16 George Russell WILLIAMSMERCEDES +1.599s 1:16.356

17 Kevin Magnussen HAAS FERRARI +1.672s ÁUSTRIA
ÁUSTRIA
18 Lance Stroll MERCEDES +1.957s 7 Sergio Perez HUNGRIA
RACING POINT MERCEDES GRÃ-BRETANHA
19 Sergio Perez MERCEDES +1.961s 1:16.311 GRÃ-BRETANHA
ESPANHA
20 Nicholas Latifi WILLIAMSMERCEDES +2.155s BÉLGICA
ITÁLIA
TOSCÂNIA
RÚSSIA
ALEMANHA
PORTUGAL
ITÁLIA
TURQUIA
BAHREIN
BAHREIN
ABU DHABI
TOTAL

2.ª SESSÃO TREINOS LIVRES 8 Daniel Ricciardo
RENAULT
PILOTO EQUIPA TEMPO/DIF. 1:16.543

1 Valtteri Bottas MERCEDES 1:16.989 PILOTOS 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17

2 Lewis Hamilton MERCEDES +0.207s 9 Carlos Sainz 1. L. HAMILTON 12 25 26 25 19 25 25 7 26 190
MCLAREN RENAULT
3 Max Verstappen RED BULL HONDA +0.246s 1:17.870

4 Alexander Albon RED BULL HONDA +0.982s 2. V. BOTTAS 25 18 15 - 15 16 18 10 18 135

5 Daniel Ricciardo RENAULT +1.050s 10 Esteban Ocon 3. M. VERSTAPPEN - 15 18 19 25 18 15 - - 110
RENAULT
6 Esteban Ocon RENAULT +1.126s S/tempo 4. L. NORRIS 16 10 - 10 2 1 6 12 8 65
1 1 Lando Norris
7 Sergio Perez MERCEDES +1.209s MCLAREN RENAULT
1:16.640
8 Pierre Gasly ALPH. HONDA +1.255s Q2 5. A. ALBON - 12 10 4 10 4 8 - 15 63

9 Kimi Räikkönen ALFAROMEOFERRARI +1.396s 6. L. STROLL - 6 12 2 8 12 2 15 - 57

10 Charles Leclerc FERRARI +1.411s 7. D. RICCIARDO - 4 4 12 - - 13 8 12 53

11 Lance Stroll MERCEDES +1.473s

12 Sebastian Vettel FERRARI +1.509s 8. C. LECLERC 18 - - 15 12 - - - 4 49

13 Carlos Sainz MCLAREN RENAULT +1.662s 12 Daniil Kvyat 9. S. PEREZ 8 8 6 - 10 1 1 10 44
ALPHATAURI HONDA
14 Lando Norris MCLAREN RENAULT +1.669s 1:16.854 10. P. GASLY 6 - - 6 - 2 4 25 - 43

15 Daniil Kvyat ALPH. HONDA +1.747s

16 George Russell MERCEDES +1.854s 13 Kimi Räikkönen 11. C. SAINZ 10 3 2 - - 8 - 18 - 41
ALFA ROMEO FERRARI
17 Antonio Giovinazzi ALFAROMEOFERRARI +1.955s 1:16.854 12. E. OCON 4 - - 8 4 - 10 4 - 30

18 Nicholas Latifi MERCEDES +1.994s 13. S. VETTEL 1 - 8 1 - 6 - - 1 17

19 Kevin Magnussen HAAS FERRARI +2.124s 14 Sebastian Vettel
FERRARI
20 Romain Grosjean HAAS FERRARI +2.268s 1:16.858 14. D. KVYAT - 1 - - 1 - - 2 6 10

3.ª SESSÃO TREINOS LIVRES 15. N. HULKENBERG - 6 6

PILOTO EQUIPA TEMPO/DIF. 15 Romain Grosjean 16. K. RAIKKONEN - - - - - - - - 2 2
HAAS FERRARI
1 Valtteri Bottas MERCEDES 1:16.530 1:17.254 Q1 17. A. GIOVINAZZI 2 - - - - - - - - 2
16 Pierre Gasly
2 Max Verstappen RED BULL HONDA +0.017s ALPHATAURI HONDA 18. K. MAGNUSSEN - - 1 - - - - - - 1
1:17.125
3 Lewis Hamilton MERCEDES +0.083s 19. N. LATIFI - - - - - - - - - 0

4 Lance Stroll MERCEDES +0.582s 20. G. RUSSELL - - - - - - - - - 0

5 Pierre Gasly ALPH.HONDA +0.696s

6 Sergio Perez MERCEDES +0.811s 17 Antonio Giovinazzi 21. R. GROSJEAN - - - - - - - - - 0
ALFA ROMEO FERRARI
7 Charles Leclerc FERRARI +0.958s 1:17.220

8 Alexander Albon RED BULL HONDA +1.008s

9 Daniil Kvyat ALPH.HONDA +1.097s 18 George Russell
WILLIAMS MERCEDES
10 Romain Grosjean HAAS FERRARI +1.105s 1:17.232 EQUIPAS 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17

11 Esteban Ocon RENAULT +1.216s 1. MERCEDES 37 43 41 25 34 41 43 17 44 325

12 Carlos Sainz MCLAREN RENAULT +1.238s 19 Nicholas Latifi 2. RED BULL HONDA - 27 28 23 35 22 23 - 15 173
WILLIAMS MERCEDES
13 Antonio Giovinazzi ALFAROMEOFERRARI +1.282s 1:17.320

14 Kimi Räikkönen ALFAROMEOFERRARI +1.313s 3. MCLAREN RENAULT 26 13 2 10 2 9 6 30 8 106

15 Kevin Magnussen HAAS FERRARI +1.509s 4. BWT MERCEDES 8 -1 18 2 14 22 3 16 10 92

16 Nicholas Latifi MERCEDES +1.542s 20 Kevin Magnussen 5. RENAULT 4 4 4 20 4 - 23 12 12 83
HAAS FERRARI
17 Daniel Ricciardo RENAULT +1.612s 1:17.348

18 Sebastian Vettel FERRARI +1.656s 6. FERRARI 19 - 8 16 12 6 - - 5 66

19 Lando Norris MCLAREN RENAULT +2.296s Perez penalizado uma posição 7. ALPHATAURI HONDA 6 1 - 6 1 2 4 27 6 53
por ter causado uma colisão com
20 George Russell MERCEDES Raikkonen durante o TL1. 8. ALFA ROMEO FERRARI 2 - - - - - - - 2 4

9. HAAS FERRARI - - 1 - - - - - - 1

10. WILLIAMS MERCEDES - - - - - - - - - 0

PONTUAÇÃO 1.º 25 PTS 2.º 18 PTS 3.º 15 PTS 4.º 12 PTS 5.º 10 PTS 6.º 8 PTS 7.º 6 PTS 8.º 4 PTS 9.º 2 PTS 10.º 1 PT. VOLTA MAIS RÁPIDA + 1 PT

F1/
FÓRMULA 1

12

GP DA TOSCÂNIA 1000 FERRARI 9 D E 17

VETTEL & ASTON MARTIN:

AS DÚVIDAS
E AS CERTEZAS

O segredo mais mal-escondido da temporada confirmou-se
na quinta-feira – Sebastian Vettel ingressará na Aston Martin
em 2021, ficando Sérgio Pérez de fora, para que o alemão faça
equipa com Lance Stroll. Mas será que este é um casamento

para dar certo?

Jorge Girão
[email protected]
FOTOS Philippe Nancinho e Arquivo AutoSport

Desde que a Ferrari avançou se vê a validade mediática do alemão.
que não pretendia estender Vettel leva consigo ainda a experiência
o contrato do tetracampeão de um piloto que sabe como vencer
mundial que insistentes ru- para uma equipa que não prova o sa-
mores apontavam para que o bor embriagante das vitórias desde os
germânico rumasse à forma- tempos em que era conhecida como
ção de Silverstone, que hoje se chama Jordan, faltando-lhe, portanto, a cultura
Racing Point. do sucesso.
Os homens da formação do consór- O alemão ajudará neste aspecto e, claro,
cio liderado por Lawrence Stroll nunca emprestará à Aston Martin alguns pro-
enterraram os boatos, dado que, muito cessos e métodos próprios das grandes
embora afirmassem que os seus pilotos equipas, que foram assimilados ao longo
actuais tinham contrato válido para dos seus anos na Red Bull e na Ferrari.
2021, em momento algum enfatizaram Mas se no campo do marketing e da ex-
que Pérez e Stroll formariam a dupla periência a contratação de Vettel é uma
para o regresso da Aston Martin à Fór- opção vencedora, no campo desportivo
mula 1 enquanto equipa. as dúvidas emergem.
Estava escrito nas estrelas e na quar- O alemão foi uma das forças da década,
ta-feira, quando o mexicano anunciou tendo vencido quatro títulos consecu-
que abandonaria a Racing Point no final tivos com a Red Bull, mas nos últimos
do ano, poucos duvidaram que seria anos as suas capacidades têm sido alvo
substituído por Vettel, como se confir- de alguma desconfiança.
mou nas primeiras horas da manhã de Desde há algumas temporadas que o
quinta-feira. tetracampeão nos tem vindo a presen-
No que diz respeito à estratégia de mar- tear com erros de palmatória, que lhe
keting, faz todo o sentido que a formação custaram a luta pelo título 2018 e que
de Silverstone tenha garantido o con- no ano passado o remeteram para um
curso do alemão. É um tetracampeão papel subalterno face a Charles Leclerc,
mundial, é uma marca global, ainda que que estava na sua segunda temporada
não com a força de Lewis Hamilton ou na Fórmula 1 e primeira na Ferrari.
Fernando Alonso, e um ex-piloto da Mesmo em 2020, sem conseguir acom-
Ferrari, tudo argumentos que ajudarão panhar consistentemente o seu jovem
a colocar debaixo dos holofotes a Aston colega de equipa, já assinou dois piões
Martin quando no próximo ano regres- desastrados – um no primeiro Grande
sar à Fórmula 1. Na verdade, fala-se Prémio da Áustria e outro no Grande
muito mais do construtor inglês devido Prémio do 70º Aniversário.
a Vettel que por força do patrocínio que Para além disso, as dúvidas quanto às
cede ainda à Red Bull em 2020. Por aí suas capacidades em lutar no meio do

>> autosport.pt

13

pelotão subsistem e, muito embora actual colega de equipa, apesar de um dois, o mexicano é uma melhor aposta até, a títulos. Pode até ser que no seio
a Racing Point tenha dado um salto palmarés recheado. e ao manter o canadiano os homens da de uma estrutura que o acarinhe que
competitivo este ano, à custa do “Mer- Ao longo da temporada e meia em que Racing Point colocam grandes dúvidas possamos a ver o piloto que levou a Red
cedes Cor de Rosa”, quando ingressar teve ao seu lado Lance Stroll, o me- sob o projecto que preconizam para a Bull a todos os seus títulos, mas o risco
na Aston Martin dificilmente Vettel terá xicano somou 50,6% dos pontos da Aston Martin, ao mostrar que um laço poderá estar do lado da formação de
a oportunidade de dominar corridas a Racing Point, mesmo falhando dois de sangue é mais valioso que a qualida- Lawrence Stroll – terá de lidar com um
partir da pole-position, como era seu Grandes Prémios e apesar do terceiro de quando se trata de escolher pilotos. piloto sobre quem estarão os holofotes
timbre nos seus tempos áureos. lugar fortuito do canadiano em Monza, Vettel terá que, obrigatoriamente, me- e de quem se esperam resultados, mas
Portanto, a formação de Silverstone ao passo que em qualificação bateu lhorar as suas prestações na Aston sobre quem existem algumas dúvidas
está a substituir o piloto que foi o seu o seu colega por vinte e duas vezes, Martin se quiser continuar a ser um pi- quanto ao seu nível actual.
líder, Sérgio Pérez, por outro sobre o contra cinco. loto válido e capaz de liderar uma equi- No papel parece quase tudo certo, mas
qual existem dúvidas quanto às suas São números que mostram a qualidade pa como a de Silverstone que pretende a realidade poderá ser bastante dife-
capacidades e que tem vindo a ser de Pérez, não se trata de desvalorizar nos próximos anos assumir-se como rente… As respostas começam a ser
completamente dominado pelo seu Stroll, antes constatar que entre os uma candidata regular aos triunfos e, dadas em 2021…

F1/
FÓRMULA 1

14

GP DA TOSCÂNIA 1000 FERRARI 9 D E 17

ANTÓNIO FÉLIX DA COSTA

ESEOS
ASTROS SE
ALINHASSEM?

Jorge Girão
[email protected]
FOTOS Oficiais e Arquivo AutoSport

Poucos esperariam que Portu- para ele e estar a par do que se passa laço com português a médio prazo e as equipa confia para assegurar resultados,
gal voltasse a ter um piloto na no mercado. É isso que tenho vindo a duas primeiras não são desconhecidas ao passo que Nicholas Latifi tem o apoio
Fórmula 1 nos próximos anos, fazer. Não vou entrar em detalhes, mas dele, tendo já testado por ambas. da sua família, que continua a deter uma
quanto mais no regresso da não há nada a esconder, o tempo dirá o É, contudo, quando colocamos em cima parte da formação britânica, estando duo
categoria máxima do desporto que vai acontecer”. da mesa a possibilidade de António Félix confirmado para o próximo ano.
automóvel ao nosso país, mas Então quais serão as equipas que pode- da Costa poder participar no Grande Pré- A Haas não pode oferecer ao português
subitamente, António Félix da Costa está rão oferecer um lugar a António Félix da mio de Portugal que as coisas começam um lugar no Grande Prémio de Portugal,
a trabalhar na possibilidade de tomar Costa no Grande Prémio de Portugal e a ficar a interessantes. porém, não tem ainda pilotos definidos
parte no Grande Prémio de Portugal e, garantir uma ligação a longo prazo com Podemos excluir a Racing Point que tem para 2021.
até, em algo mais. o português? dois pilotos com contrato válido para Mas se quisermos sonhar, a formação
Segundo o que Tiago Monteiro disse ao Não é incomum pilotos de Fórmula E 2021e que só em circunstâncias muito de Kannapolis poderia colocar o Cam-
AutoSport, existe uma forte possibilida- terem funções em equipas de Fórmula especiais poderão ser substituídos. peão da Fórmula E em título na primeira
de de o Campeão da Fórmula E em título 1, basta atentar aos casos de Stoffel Van- A Williams também podemos colocar sessão de treinos da prova portuguesa
poder estar no Algarve aos comandos doorne, piloto de reserva da Mercedes, de lado. George Russell está instalado e avaliá-lo, tendo em vista um lugar de
de um monolugar de Fórmula 1 aquan- Sebastien Buemi, Red Bull / AlphaTauri, em Grove pela Mercedes e é em quem a piloto titular em 2021.
do do Grande Prémio de Portugal, dado Pascal Wehrlein, Ferrari, e Sérgio Sette
interesse da parte de diversas equipas, Câmara, Red Bull / AlphaTauri.
assim como da Parkalgar – o organizador Se o objectivo do português e da sua
de evento – e da FOM, o que criaria uma equipa de gestão for estar presente na
história em tons de azul dourado para os primeira sessão de treinos-livres do
adeptos portugueses. nosso Grande Prémio e manter esse laço
Mas o responsável pela carreira do por- para futuro, assumindo o papel de piloto
tuguês vai mais longe, deixando escapar de reserva/testes paralelamente às suas
que um lugar no plantel do próximo ano funções com a DS Techeetah na Fórmula
do Campeonato do Mundo de Fórmula E, as possibilidades são diversas.
1 é um desejo para o qual toda a equipa Claro que as portas da Mercedes, Red
de gestão de Félix da Costa está a tra- Bull, Ferrari estar-lhe-iam vedadas,
balhar. “O António está muito cobiçado assim como as da Renault, McLaren e
neste momento – na IndyCar, em Le até Alfa Romeo, muito ligada à equipa
Mans na Fórmula 1 – há muito interes- de Maranello, dado que não estariam
se. Fiz alguns contactos, fui também em condições de poder ceder um dos
contactado, há muita curiosidade. Não seus monolugares para que António
podemos esquecer que tem contrato Félix da Costa pudesse estar em pista
com a DS, mas tudo é possível”, come- frente ao seu público.
çou por dizer Monteiro, acrescentando No entanto, certamente que com Al-
depois que a continuidade em 2021 é phaTauri, Racing Point, Haas e Williams
uma possibilidade: “Há muito interesse poderiam estar em condições de poder
de muita gente em que ele esteja pre- dispensar um monolugar para uma pri-
sente no Grande Prémio de Portugal, meira sessão de treinos-livres para o
mas se for para acontecer, queremos Grande Prémio de Portugal.
algo mais concreto e duradoiro. O meu Qualquer uma destas quatro equipas
papel é arranjar as melhores soluções poderia até estar aberta a manter um

15

No entanto, é com a AlphaTauri que tudo mas para resolver – Alex Albon tarda em ao passo que Daniil Kvyat tem vindo gar para lá do final do ano, tendo a equipa
fica mais interessante… conseguir acompanhar Max Verstappen a desapontar, tendo por uma só vez de Faenza de encontrar um substituto.
A equipa de Faenza, conhecida anterior- e presentemente a Red Bull é uma equipa conseguido bater este ano o seu colega Uma das possibilidades, seria despro-
mente como Toro Rosso, funciona como coxa e, se com duas pernas já seria difícil de equipa em qualificação, figurando mover Albon da Red Bull, caso não suba
um tirocínio para jovens pilotos com lutar com a Mercedes, assim a situação no Campeonato de Pilotos no décimo de nível, entretanto…
ambições em subir à Red Bull e Helmut é insustentável. Precisa, portanto, de quinto posto com quatro pontos, contra Os homens de Milton Keynes, temendo
Marko, que tem uma forte palavra a dizer encontrar alguém que possa secundar quarente e três do francês, que está que Gasly não suporte psicologicamente
sobre quem entra e quem sai, não é um de forma efectiva o holandês. em oitavo depois do triunfo no Grande o confronto com o holandês, poderão
homem de muita paciência. Por outro lado, na AlphaTauri, Pierre Prémio de Itália. sentir-se tentados a ir buscar um piloto
Presentemente, os homens da compa- Gasly tem vindo a impressionar, de- A manter este nível de performances, sólido e capaz de poder ser escudeiro
nhia sediada em Viena têm dois proble- pois da sua despromoção da Red Bull, dificilmente o russo sustentará o seu lu- de Verstappen, tendo no mercado Nico
Hulkenberg que, quando confrontado
com Daniel Ricciardo na Renault, não
se saiu mal frente a um piloto que a Red
Bull conhece muito bem e que lutou
olhos nos olhos com o holandês quando
foram colegas de equipa.
Dificilmente, recorreriam a António Félix
da Costa para colocar ao lado do holan-
dês, uma vez que, por muito talento que
possa ter, e tem, falta-lhe a experiência
e ninguém na Red Bull quereria arriscar
ter uma situação semelhante à vivida
desde que Ricciardo deixou a equipa.
Contudo, poderá existir uma janela de
oportunidade para o português que
assenta que nem uma luva para todos,
menos para Kvyat, é claro…
Como já apontámos, será muito difícil
que o russo continue na AlphaTauri
para lá deste ano e, neste momento, a
Red Bull poderá estar na situação de
não ter piloto para o substituir na sua
“cantera”. Yuki Tsunoda, a estrela em
ascensão no seio da Honda e da marca
de bebidas energéticas, não tem ainda
superlicença e poderá não a obter este
ano, caso não termine entre os quatro
primeiros do Campeonato de Fórmula 2.
Os homens de Faenza têm de se preparar
para qualquer eventualidade e uma das
hipóteses seria colocar Félix da Costa
no lugar de Kvyat a partir do Grande
Prémio de Portugal.
Isso daria ao português seis Grandes
Prémios para poder mostrar o seu valor
e garantir o seu lugar para a temporada
seguinte.
Se Albon mantiver o seu lugar ou se tro-
car de volantes com Gasly, o Campeão de
Fórmula E teria o seu assento garantido
na AlphaTauri para a época de 2021.
Este cenário nem sequer seria uma no-
vidade na esfera da Red Bull, que em
2017 mostrou a porta a Kvyat a meio
da temporada para avaliar Gasly para
2018 e, quando Sainz rumou à Renault
no Grande Prémio dos Estados Unidos
da América, foi buscar Brendon Hartley,
que já nem sequer fazia parte da sua
“cantera”, acabando os dois por formar
equipa no ano seguinte.
Para além disso, haveria uma certa jus-
tiça poética na eventualidade de Félix
da Costa substituir o russo, uma vez
que em 2014 Kvyat foi promovido à Toro
Rosso à custa do português…

16 WEC/
24 HORAS DE LE MANS 2020 - ANTEVISÃO

LE MANS:AS24H

MAISESPERADASDE 2020

2020 tem sido um ano atípico, no qual nos têm sido negados meçou a ser respondida de forma regu- cor e alma ao evento mas, poderemos
alguns momentos pelos quais esperamos muito tempo. Mas lar. Foi graças a esta prova, com palco no ver as máquinas em ação, as lutas em
felizmente não nos foi negada a hipótese de ver os melhores do circuito de La Sarthe, que vimos avanços pista que, mesmo à distância, irão en-
na tecnologia automóvel, que vimos o tusiasmar e fazer vibrar. A edição 88
mundo na mais mítica prova de endurance… Le Mans futuro do automobilismo tomar forma, ficará na história e temos fé que desta
que vimos batalhas históricas entre vez, a maré de sorte que o automobilis-
Fábio Mendes homens e máquinas, sempre com um mo nacional vive, nos possa fazer sorrir
[email protected] mar de gente que invariavelmente se com uma bandeira portuguesa no pó-
FOTOS JB Photo/José Bispo; Philippe Nanchino; Adrenalmedia desloca até ao centro de França para dio… ou duas até.
ver alguns dos carros mais rápidos do
Ahistória de Le Mans começa mundo, guiados pelos mais talentosos AS NOVIDADES PARA 2020
num já longínquo 1923.Foi nesse pilotos do mundo, naquela que se tor-
ano que a pergunta, que distân- nou numa das mais míticas provas do A maior novidade e certamente a mais
cia se pode percorrer de forma desporto automóvel. Le Mans é especial, sentida será a falta de público nas ban-
ininterrupta em 24 horas, co- é a corrida que todos, de uma forma ou cadas. O evento conta normalmente com
outra, querem experimentar… e vencer. uma assistência que ronda as 250 mil
A edição nº88 da aclamada prova de pessoas mas este ano, o silêncio ensur-
endurance irá ser disputada em condi- decedor que virá das bancadas certa-
ções muito especiais, tudo por culpa do mente não deixará ninguém indiferente.
Coronavírus que abalou a nossa vida e A segunda grande novidade é a calenda-
a nossa forma de ver o mundo. Não ve- rização da prova. Em 87 edições apenas
remos o habitual mar de gente que dá por três vezes a prova não aconteceu no
mês de junho e setembro receberá pela

>> autosport.pt

17

segunda vez a corrida. Não se trata só e no sábado começará a épica jornada P/ P R O G R A M A va. A Toyota sabe bem que mesmo
de uma data diferente, mas também de de 24h que homens e máquinas terão tendo tudo para vencer, por vezes Le
um cenário completamente diferente de enfrentar, rumo à tão desejada glória. Quinta-feira, 17 de setembro Treino livre 1 Mans é cruel, por isso nunca é sensa-
para as equipas e pilotos. Haverá menos Um formato mais condensado para fa- 10h-13h Treino livre 2 to excluir completamente quem quer
horas de sol, pelo que uma grande parte zer face as necessidades atuais. 14h00-17h00 Qualificação que seja. É por isso que até a ByKolles
da prova será feira à noite, o que pode- 17h15-18h00 Treino Livre 3 não deve ser completamente descar-
rá dificultar a tarefa aos pilotos menos LMP1: UMA HISTÓRIA (PROVAVEL- 20:00-00:00 tada, embora as probabilidades de ter
experientes, especialmente nas dobra- um bom resultado sejam francamen-
gens, o que poderá dar dores de cabe- MENTE) IGUAL Sexta-feira, 18 de setembro te reduzidas pois a ByKolles não tem
ça a equipas e comissários de pista. Há sequer competido a tempo inteiro no
também a questão das temperaturas A classe LMP1 é aquela onde se espe- 10h00-11h00 Treino livre 4 campeonato. A Rebellion é será a ad-
que serão compreensivelmente mais ram menos lutas interessantes, infe- versária mais capaz e com uma prova
baixas, o que afetará (pela positiva) as lizmente. Le Mans é imprevisível, mas 11h30-12h00 Qualificação Hiperpole perfeita poderão pressionar a Toyota
performances dos motores e o compor- até agora o domínio das máquinas hí- e quem sabe, tentar o inesperado. A
tamento das borrachas que, em espe- bridas da Toyota não tem sido travado Sábado, 19 de setembro Ginetta anunciou que não irá partici-
cial durante a noite terão um comporta- e mesmo o sistema handicaps (que vai par na prova no fim da semana pas-
mento diferente do que as equipas estão penalizando as equipas na frente do 10h30-10h45 Warm up sada, afirmando que as incertezas à
habituadas. São várias incógnitas que campeonato) tem surtido o efeito de- volta da prova levam a equipa a pre-
surgem e que poderão apimentar a cor- sejado. Não se espera que a Rebellion 14:30 88ª 24 Horas de Le Mans ferir focar-se na próxima época. pelo
rida de uma forma inesperada. seja uma verdadeira ameaça à Toyota, que apenas teremos 5 LMP1 em prova.
O formato deste ano também foi repen- apesar de contarem com duas vitórias
sado e contará com uma hiperpole para esta época. A vantagem que o siste-
definir a grelha de partida para a prova. O ma híbrido fornece é difícil de anular
novo formato de qualificação que ante- e a Toyota parte sempre como favorita
riormente contava com três sessões de para a prova. Mas há dois fatores que
qualificação, vai passar a ter uma única devem ser tidos em conta: o primeiro
sessão de 45 minutos no final da tarde de é a especificidade do circuito francês,
quinta-feira, que determinará a grelha, com as longas retas que atenuam a
exceto para 24 carros, os seis primeiros vantagem das máquinas japonesas,
carros em cada classe, que participarão que lucram pela saída de curva mui-
numa sessão de 30 minutos na manhã to rápida graças à tração integral que
de sexta-feira, que determinará os seis o sistema híbrido permite. Nas longas
primeiros em cada categoria. retas de La Sarthe, os não híbridos po-
O evento terá início na quarta feira com derão atingir velocidades superiores e
as habituais verificações, na quinta tere- quem sabe proporcionar uma luta me-
mos dois treinos e uma sessão de quali- nos desequilibrada; o segundo fator a
ficação, na sexta um treino e a hiperpole ter em conta é… Le Mans.. Falamos de
uma prova de 24h sem parar, onde o
inesperado está ao virar de cada cur-

wec/

18

24 HORAS DE LE MANS A N T E V I S Ã O

LMP2: O FOCO DAS NOSSAS ATEN- pódios consecutivos e um quarto lugar bém para a IDEC Sport, a Panis Racing versários. Da Aston espera-se melhor
na última prova para a equipa do por- que também poderão entrar nas con- que no ano passado, em que nenhum
ÇÕES tuguês. O título está mais longe, mas a tas dos lugares da frente. dos carros terminou a prova, com a na-
equipa já provou que sabe o que fazer tural evolução do Vantage que é ago-
A classe LMP2 é uma das mais interes- para vencer. A Cool Racing no #42 e a LMGTE –PRO: POUCOS MAS BONS ra mais competitivo. A lista de pilotos
santes pela competitividade, pelos pilo- Signatech Alpine no #36 são as outras essa… é de topo com grandes nomes e
tos envolvidos e pelas excelentes lutas equipas que militam no WEC e que me- A classe LMGTE aparece este ano com grandes talentos.
que tem proporcionado ao longo do ano. recem estar no lote de favoritas. um número reduzido de participan-
Ao contrário dos LMP1, é praticamente Além das equipas que competem no tes. Ao contrário do ano passado, não LMGTE- AM: A LUTA HABITUAL
impossível apontar um claro favorito à WEC equipas de outros campeonatos teremos nem BMW (que se retirou da Esta classe surge com mais carros em
vitória. Das 24 máquinas inscritas, ape- tentam também a sua sorte no cer- competição), nem Ford (também se re- relação ao ano passado, contabilizando
nas três são Ligier e uma é Dallara, ou tame francês. Dessas merece óbvio tirou da competição), nem os Chevrolet um total de 22 máquinas em pista. Aqui,
seja, teremos 20 máquinas semelhan- destaque a Algarve Pro Racing, que Corvette que decidiram não correr em também a Ferrari deverá ter mais hi-
tes em pista, no que parece um troféu irá ter em pista dois Orecas. Um será o Le Mans este ano. A Porsche reduziu a póteses de ver um carro a vencer pois
monomarca… e neste tipo de competi- #25 com Jonh Falb, Simon Trummer e sua representação a apenas dois car- das 22 máquinas, 12 são 488 GTE Evo.
ções os pormenores fazem a diferença. Matthew Mc Murry. O segundo levará ros. A Ferrari terá quatro máquinas em Teremos oito Porsche 911 RSR e dois
Se olharmos para os melhores da época as cores da G-Drive e conta com um pista enquanto a Aston Martin terá os Aston Martin Vantage. A lista de pilo-
do WEC, temos motivos para nos entu- alinhamento muito interessante com habituais dois carros , o que faz o total tos é também de grande nível contan-
siasmarmos com a corrida. A tripula- Ryan Cullen, Oliver Jarvis e Nick Tandy. de apenas oito LMGTE -Pro. Um nú- do com nomes consagrados que cer-
ção do Oreca #22 da United Autosports A Dragonspeed com o #21 merece des- mero claramente reduzido, mas que tamente irão proporcionar um grande
lidera o campeonato, com Phil Hanson, taque pela competitividade e por trazer não deverá ser entrave a um bom es- espetáculo. Este ano não teremos re-
Paul di Resta e… Filipe Albuquerque. O um nome sonante… Juan Pablo Montoya petáculo nesta classe. A Ferrari está presentação portuguesa nesta classe
trio tem 120 pontos, lidera a contenda e irá estar em Le Mans com Memo Rojas bem posicionada para vencer pois as com Pedro Lamy a ficar de fora pela
venceu as últimas três provas do WEC e Thimothé Buret, no #21 enquanto o probabilidades favorecem as equipas primeira vez desde 2005. Uma baixa de
( a que se juntam mais duas vitórias #27 terá Henrik Hedman, Ben Hanley e com mais carros, mas a Porsche tem peso para o contingente luso.
consecutivas no ELMS). São a equipa Renger Van der Zande. Destaque tam- uma maquina super-competitiva que
em melhor forma nesta fase e juntam já mostrou ser capaz de dominar os ad-
o talento dos pilotos à experiência da
equipa, que já está habituada a compe-
tir a este nível. Segue-se a tripulação
do #37 da Jackie Chan DC Racing, com
Ho-Ping Tun e Will Stevens em segun-
do no campeonato, que terão a compa-
nhia de Gabriel Aubry. A Racing Team
Nederland no #29 tem estado também
em bom plano ( Giedo Van Der Garde,
Fritz Van Eerd e Nyck de Vries) assim
como #37 da JOTA, com António Félix
da Costa, Roberto Gonzalez e Anthony
Davidson. Depois de um começo abai-
xo do esperado, com um quinto lugar e
uma desqualificação, seguiram-se três

>> autosport.pt

19

FILIPE NOME FILIPE MIGUEL DELGADINHO ALBUQUERQUE
ALBUQUERQUE NASCIMENTO 13 JUNHO 1985 (33 ANOS); COIMBRA, PORTUGALAL
RUMO AO TÍTULO EQUIPA UNITED AUTOSPORTS
CARRO LIGIER JS P217 – GIBSON #22
COLEGAS DE EQUIPA PAUL DI RESTA; PHIL HANSEN
PRIMEIRA PARTICIPAÇÃO 2014, LMP1, AUDI
RESULTADOS DE DESTAQUE ROOKIE DO ANO (2014), 7º NA GERAL
(2015 – LMP1), QUARTO NA CLASSE/ QUINTO NA GERAL (2017, LMP2)

Aprimeira vez que Filipe Mans não lhe sorriu nesse ano, aca- primeiras corridas com a nova máqui- a melhor recordação até agora, mas
Albuquerque correu em Le bando em sétimo, a última vez que na foram pautadas por alguns azares quer uma ainda melhor, nesta que é a
Mans foi em 2014, então pela visitaria La Sarthe com as cores da mas esta época tem corrido de fei- sua sétima participação consecutiva:
Audi, numa altura que as por- Audi. Voltou mais quatro vezes, sen- ção ao #22, estando na luta pelo título “Tenho algumas boas memórias de Le
tas do WEC se começavam a do que numa delas (2017) conquistou quer no ELMS, quer no WEC. No WEC, Mans mas a melhor é a minha primei-
abrir para o piloto português. Deu nas o quinto posto à geral com um LMP2, competição para a qual irá pontuar ra passagem pela corrida em 2015. O
vistas no começo da semana, mas não numa corrida com um final espanto- em Le Mans, segue líder do campeo- carro estava perfeito. Eu estava em P2
chegou a poder confirmar as excelen- so e inesperado. 2018 trouxe a segun- nato LMP2, com 120 pontos, mais 22 na geral e estava a aproximar-me do
tes indicações que deu pois a corrida da desistência e 2019 trouxe mais um que o #37 da Jackie Chan DC Racing. líder a cerca de dois segundos por volta.
acabou apenas 25 voltas após a ban- quarto lugar na sua classe tal como O ano não começou da melhor forma Eu estava a voar e ao mesmo tempo
deirada que dita o começo da prova, em 2017. O que falta a Albuquerque? em Silvestone (desistência) mas des- a divertir-me imenso. Naquela época
com um erro do seu colega de equipa. No mínimo um pódio em Le Mans. Até de então somam-se dois terceiros lu- eu estava a bater o recorde de volta da
Não teve tempo para se mostrar em agora a sorte não tem sorrido ao pilo- gares e três vitórias. Faltam apenas corrida que foi feito sem chicanes e,
corrida, mas ficou a promessa de que to de Coimbra mas as coisas parecem duas provas para o fim da época e Le além disso, era o meu aniversário. Mas
havia talento e qualidade para vencer finalmente estar a mudar. Mans pode definir o título, mas mais devo dizer que ainda estou em busca
a prova, tanto que recebeu o prémio No ano passado a United Autosports que isso, pode dar o merecido prémio da única grande memória, que é ven-
de rookie do ano. Em 2015 já conse- decidiu livrar-se dos pouco compe- ao piloto luso, que é considerado um cer Le Mans e estar naquele pódio. ”
guiu confirmar o potencial mostrado titivos Ligier e passar a usar a refe- dos melhores da disciplina. Esperamos que seja desta que veremos
e foi dos mais rápidos em pista, mas Le rência da classe, os chassis Oreca. As Albuquerque considera que 2015 é Albuquerque no pódio em Le Mans.

wec/

20

24 HORAS DE LE MANS A N T E V I S Ã O

ANTÓNIO FÉLIXDACOSTA
EM BUSCADEMAIS
UM TROFÉU

2020 é um ano em cheio para dos tem sido bons e agora adoro corridas NOME ANTÓNIO MARIA DE MELO BREYNER FÉLIX DA COSTA
António Félix da Costa. O piloto de resistência. As 24h de LeMans, as 24h NASCIMENTO 31 DE AGOSTO DE 1991 (27 ANOS); CASCAIS, PORTUGAL
de Cascais conseguiu o tão de- de Daytona e as 24h de Nuburgring são EQUIPA BMW MTEK
sejado título que lhe escapava há três eventos que aconselho a qualquer fã CARRO BMW M8 GTE #82
tanto tempo e logo na Fórmula E, de corridas. Espero vencer em Le Mans COLEGAS DE EQUIPA AUGUSTO FARFUS; JESSE KROHN
uma categoria tão disputada. Foi o culmi- pois é algo que quero muito colocar no PRIMEIRA PARTICIPAÇÃO 2018, LMGTE PRO, BMW
nar de muitos anos de esforço e trabalho meu palmarés.” PARTICIPAÇÕES EM LE MANS 1
incansável, receita incontornável mesmo Félix da Costa está em grande e tem tudo
para quem, como ele, tem muito talento. O para poder saborear o champanhe no fi- RICHARD MILLE RACING 100% NO
início da sua época desportiva ficou tam- nal das 24h.
bém marcado pelo regresso aos protóti- FEMININO
pos, depois de uma primeira experiência CARLOS TAVARES DARÁ A PARTIDA DE
em Daytona. Com o fim do projeto BMW A tripulação do Oreca #50 da Richard
no endurance, Félix da Costa encontrou LE MANS E… DO FUTURO DA PEUGEOT MilleRacing será,comoinicialmentepre-
um lugar na JOTA para continuar nas pro- visto constituída apenas por pilotos do
vas de longa duração, pelas quais tem um É mais um português em destaque na sexo feminino. Tatiana Calderon e Sophia
gosto cada vez maior. O piloto vai para a prova francesa. Carlos Tavares, CEO do Floersch estão no projeto desde início e
sua terceira participação na prova, sendo grupo PSA será encarregue de agitar a contavam com a presença de Katherine
que na primeira não conseguiu terminar e bandeira francesa no arranque oficial Legge que infelizmente viu a sua partici-
na segunda teve de se contentar com um das 24h de Le Mans, uma honra a que pação ser negada depois de um acidente
décimo lugar à geral (ambas com a BMW). poucos têm direito. Este também pode que lhe provocou lesões, das quais ainda
Este ano tem legitimas aspirações a um ser um sinal do compromisso da Peugeot recupera. Assim para o seu lugar entra-
pódio à classe, pois o carro que conduz é com o WEC, pois espera-se que a marca rá Beitske Visser que já competiu com a
competitivo, a equipa é muito experiente e francesa apresente os seus planos para equipa por duas vezes no ELMS.
está inserido numa tripulação com muita o hypercar que deverá ir para a pista em
qualidade. O português já conta com três 2022. Entre as notícias que provavelmente de handicap de sucesso, projetados para JUAN PABLO MONTOYA À PROCURA DA
presenças no pódio este ano, uma delas surgirão nas 24 Horas de Le Mans estão garantir a competição nos LMP1. Os não
(em Shangai) no lugar mais alto. A dife- não só os regulamentos finais para os híbridos permanecem com os mesmos “SUA” TRIPLE CROWN
rença pontual para o seu compatriota é Hypercar LeManseLMDH mastambém pesos de 2019. Os normalmente aspirados
já considerável, mas recuperável. Mas informações adicionais sobre o regresso Rebellions e ByKolles, com motor Gibson, O tema da Triple Crown (vitória em no
obviamente que as contas do título ser da Peugeot ao endurance. terão peso mínimo de 816 Kg. Mónaco, Indy500 e Le Mans) voltou a sus-
farão depois pois a grande vontade de Inicialmente as baterias estavam apon- O combustível máximo por stint sobe citar interesse quando Fernando Alonso
todos é destacarem-se em Le Mans e tadas para a criação de um hypercar, mas dos 50,8 quilos para os 55,4 este ano para tentou vencer a Indy500. Mas há outro
Félix da Costa quer aproveitar o impulso o surgimento da regulamentação LMDh os carros normalmente aspirados , uma piloto perto de poder alcancar este fei-
positivo deste ano e juntar mais um tro- fez a marca francesa esperar um pou- mudança projetada para desbloquear to… Juan Pablo Montoya. O venezuela-
féu aos muitos que colecionou em 2020. co e ponderar as suas opções. A aposta mais desempenho dos carros e permitir no tem duas vitórias na Indy500 e uma
A história de Félix da Costa em Le Mans nos Hypercars, fórmula mais cara que durações de stint iguais. Os Toyotas per- no Mónaco, faltando apenas Le Mans. É
parecia improvável há alguns anos mas os LMDh, poderá estar ligada ao regres- manecem em 35,1 quilos por stint, um re- pouco provável que vença Le Mans à ge-
agora ganha cada vez mais força. “Criado” so da TOTAL como parceira. A decisão flexo da eficiência dos motores híbridos. ral num LMP2, mas se Montoya acabar
nos monolugares, Félix da Costa tinha da Peugeot de optar por uma platafor- Finalmente, a vantagem no tempo de por vencer à classe, poderá ter a satisfa-
apenas a F1 em mente e quando as por- ma LMH em vez de LMDH poderá estar abastecimento dos Toyotas também é ção pessoal de ter tido sucesso nas três
tas do Grande Circo se fecharam, teve de ligada ao desejo da TOTAL mostrar a sua minimizada, com o diâmetro do restritor maiores provas do mundo. Oficialmente…
alargar os seus horizontes. A BMW pro- tecnologia de baterias, parte do foco da de combustível a ser aumentado para os só contará se cruzar a linha de meta em
pôs-lhe um lugar no programa de endu- empresa para o futuro. Assim a bandei- carros normalmente aspirados de 22,3 primeiro.
rance e então aí, o bichinho das corridas rada que o português irá dar poderá sim- mm 24,1 mm neste ano. Os Toyotas per-
de longa duração mordeu. “Antes de en- bolizar também o regresso da marca a manecem com 19 mm.
trar na BMW nem queria ouvir falar de um palco que conhece bem e onde já foi Os handicaps de sucesso com base nas
GT, muito menos de corridas de 24h. De protagonista principal. posições do campeonato não são aplica-
repente, com a entrada na BMW, tendo dos em Le Mans, que é governado pelo
eles uma presença forte nas competições EOT – HÍBRIDOS PENALIZADOS sistema EoT que se concentra na equi-
de longa duração, comecei a interessar- valência técnica ao invés de penaliza-
-me, experimentei e adorei. Decidi sair O sistema de Equivalence of Technology ção com base nos resultados da corrida.
do DTM para ir para o WEC, e na altura (equivalência de tecnologia) tenta a cada
foi complicado porque não tínhamos a corrida aproximar as performances das
estrutura ideal e o carro também não es- máquinas híbridas da Toyota das não hí-
tava no nível desejado. Agora nos LMP2, bridas. Para esta prova, os TS050 Hybrid
que é quase uma competição monomar- terão um aumento de 7 kg em relação a
ca, a qualidade dos pilotos evidencia-se 2019, fixando o peso mínimo em 895 Kg.
muito mais e estou a adorar. Os resulta- O novo peso mínimo de 895 kg ainda é 37
kg mais leve do que os carros do fabricante
japonês têm tido ao longo da temporada
2019-20 do WEC, sob os regulamentos

>> autosport.pt

21

24H LE MANS:
O QUE PODE
MUDAR COM
A CORRIDA

EM SETEMBRO

Desde 1968 que as 24 Horas de Le Mans não se disputavam
no mês de Setembro. Ao contrário do que aparentemente
possa parecer, correr em Setembro, em vez de Junho, traz uma
série de novas incógnitas para a equação da corrida rainha de
endurance do automobilismo mundial.

Sérgio Fonseca tro chegou aos 27°C, enquanto que em
[email protected] 1979 a temperatura atingiu os 32°C na
Adrenalmedia/João Filipe tarde de sábado. Dentro dos cockpit, as
temperaturas dobravam ou triplicavam.
Só o facto da prova se correr três Em 2005, ao volante de um Aston Martin
meses depois do primeiro sols- DBR9 GT1,David Brabham viu a bandeira
tício de verão, quer dizer que ire- de xadrez completamente desidratado e
mos ter este ano mais duas horas com queimaduras nos pés causados pe-
e meia de noite e, obviamente, los pedais que ferviam. Como resposta
são esperadas temperaturas mais baixas a este incidente, no ano seguinte, o ACO
do que é habitual. Aliás, espera-se que recomendou a instalação de sistemas
esta seja a edição mais rápida de sem- de ventilação ou ar-condicionado, para
pre da prova, visto que as temperaturas os tornar obrigatórios em 2007. Hoje, a
mais baixas vão ter um impacto directo regulamentação técnica obriga a que a
no tempo por volta. Phil Hanson, o com- temperatura ambiente dentro dos carros
panheiro de equipa de Filipe Albuquerque seja 32ºC caso a temperatura ambiente
no Oreca 07 Gibson LMP2 nº22 da United é igual ou menor que 25ºC. Acima dos
Autosport, vê com alguma expectativa o 25ºC, existe a obrigatoriedade para que
facto de “este ano termos uma noite mais estes sistemas mantenham o cubículo
longa” e porque o efeito que isso terá no onde está o piloto a uma temperatura in-
pelotão de 60 viaturas “é por agora uma ferior ou igual à temperatura ambiente
incógnita”. Interroga-se o piloto inglês: mais 7ºC. Todos os carros, independente
“Será que os pilotos amadores vão sofrer da classe, estão equipados com senso-
mais? Será que irá causar mais confusão res de temperatura ao nível da cabeça
para os LMPs ultrapassarem?”. do piloto para evitar incidentes.
A verdade é que o factor temperatura
sempre teve influência nas 24 Horas de
Le Mans. Nas ediçõesde 1939, 1949 (a pri-
meira pós-Guerra) e 1975, o termóme-

wec/

22

24 HORAS DE LE MANS A N T E V I S Ã O

Este ano, um cenário de sobreaqueci- que é sempre diferente, especialmente fator que preocupa mais os engenheiros A Total é a fornecedora exclusiva de
mento no cockpit é bastante imprevisí- à noite, com as longas retas de Le Mans. dos pneus, mas sim o estado do asfalto combustíveis da prova. Quando a mar-
vel, como explicou Kevin Estre, piloto da As 24 Horas também serão diferentes do Circuit de la Sarthe que “poderá ser ca francesa enche os tanques por baixo
Porsche GT, num “live chat” organizado este ano porque não teremos o Test Day determinante” na escolha do composto a do pitlane, tira sempre uma amostra e
pelo ASO na rede social Instagram: “As (essencial para trabalhar nas afinações utilizar e a sua respectiva maximização. vai testando, para comparar, ao longo
temperaturas serão mais baixas e até dos carros)”. da semana e perceber se há ou não va-
há a hipótese de chuva. Haverá mais Quando as temperaturas da pista são SEM 'CRISES' NOS MOTORES riações. O facto da “clássica” ser mais
noite também. Esperamos que não es- mais baixas, há uma tendência geral para tarde no ano, permite que haja menos
teja muito frio à noite, para mantermos usar especificações de pneus mais mo- Os fornecedores de motores não espe- variações de temperatura entre o dia e
os pneus nas temperaturas certas. Se les. Na teoria, “com temperaturas mais ram um grande problema com tempe- a noite, o que tornará todo o processo
descer a baixo dos 10ºC, será difícil. É um baixas existe um maior potencial para raturas mais moderadas a noroeste do muito mais simples, reduzindo as mar-
desafio e teremos que encontrar as so- que a performance máxima dos pneus rio Sarthe, até porque estas unidades de gens para variações. Fora isso, “o com-
luções correctas para sermos rápidos”. com paragens nas boxes mais curtas e competição foram construídas para du- portamento e a condição da gasolina é
em menor número”, afirma Ben Crawley, rar 5,500 quilómetros em ritmo de cor- sempre a mesma, estejam 0ºC ou 40ºC”,
ANDAR MAIS DEPRESSA o responsável pela Goodyear, a marca rida e foram testadas em temperaturas Diz Romain Aubry, o responsável técni-
que equipará cinco viaturas da cate- extremas. “Do nosso ponto de vista, a co do automobilismo da Total. “Alguns
No campo dos homens dos LMP1, a mu- goria LMP2 num universo de 55 carros data de Setembro não terá um grande graus de diferença na temperaturas de
dança de data não foi vista negativamen- calçados pela Michelin. Como os LMP2 impacto. As temperaturas mais ame- Junho ou Setembro não terá um impac-
te, até porque não há engenheiro ou pilo- este ano são mais eficientes em termos nas terão talvez efeito nos tempos por to na performance”.
to que não queira andar mais depressa. aerodinâmicos e de motor, temos assis- volta, mas não terão qualquer impacto Numa 88ª edição da prova marcada em
Segundo Pascal Vasselon, o responsável tido a tempo por volta mais baixos. Tanto nos motores. Talvez haja mais vácuo, e antemão pelas restrições causadas pela
técnico da Toyota Gazoo Racing Europe, os técnicos da marca norte-americana, tenhamos que correr com um refrin- pandemia COVID-19 e pela total ausên-
o “aspecto positivo das temperaturas como os da rival francesa esperam con- gente e temperaturas do óleo diferentes, cia de público nas bancadas, pequenos
mais baixas em Setembro é que motor seguir que os seus compostos tenham mas nada mais que isso”, explica John fatores como estes supracitados podem
deve funcionar mais eficientemente com um comportamento consistente desde Manchester, o Director de Operações da apimentar uma corrida que a maioria de
a entrada de ar mais fresco”. Contudo, o o momento que os carros saem para a Gibson Technology, a empresa que dis- nós terá que assistir a partir do sofá de
técnico francês da marca favorita à vitó- pista cheios de gasolina até à paragem ponibiliza todos motores Gibson GK428 casa e cuja competitividade à partida,
ria final levanta também outras questões, nas boxes em que regressarem com o da grelha de partida da classe LMP2 e no que à luta pela vitória à geral diz res-
pois “há factores desconhecidos, como tanque vazio. Mas nem a temperatura é o ainda os blocos que motorizam os dois peito,é bastante questionável.
a janela de funcionamento dos pneus, Rebellion R-13 LMP1.

V/ 23
VELOCIDADE
FÓRMULA 3

PIASTRI CAMPEÃO

Na F3, o campeonato estava ao rubro, com três candidatos
a lutar pelo cetro desta categoria. No final, Piastri saiu
vencedor, com apenas três pontos de diferença

FÓRMULA 2 David Pacheco tinta’ entre si, vendo Frederik Vesti
[email protected] aproximar-se. Vesti acabou por
SCHUMACHER FOTOS Oficiais passar Zendeli e após duas voltas
‘MOSTRA-SE’ À FERRARI passava Hughes pela liderança. Na
AF3 chegou a Mugello com três última volta Hughes ainda tentou
A F2 foi até Mugello e o piloto ligado à Ferrari, Mick candidatos ao título, Oscar vencer, mas Vesti conseguiu a ter-
Schumacher, assumiu a liderança do campeonato. Em termos Piastri, Logan Sargeant e Theo ceira vitória de 2020.
de vitórias, Nikita Mazepin e Christian Lungdaard assumiram as Pourchaire. Na primeira corrida, Na Corrida 2: Piastri campeão! Piastri
posições mais altas do pódio nada ficou resolvido e a emoção tran- e Sargeant estavam em igualdade
sitou para a última corrida. Aí, Sargeant pontual, mas, logo na primeira volta,
David Pacheco pódios. Em Mugello, Delétraz conseguiu ficou logo de fora na 1ª volta. Pourchaire contacto entre Sargeant e Zendeli
[email protected] dois pódios consecutivos, a primeira chegaria à posição mais baixa do pódio, atirou as hipóteses do título pelo
FOTOS Oficiais vez que o faz em quatro anos na F2. Por mas o 7º lugar de Piastri deu o título ‘cano abaixo’ para Sargeant. Assim,
fim, o recém-chegado à F2, Juri Vips, ao australiano. A Prema junta o título a luta pelo título era agora entre
Em mais um GP em Itália, a F2 também conquistou o primeiro pódio. de pilotos ao título de equipas, para Pourchaire e Piastri. Pourchaire
teve duas corridas interes- O estónio, acabou na F2, com a lesão uma dobradinha em 2020. Pourchaire subiu às posições do pódio, com
santes e performances boas por de Sean Galael, e em Mugello esteve conclui a temporada de estreia com o apenas David Beckmann e Liam
parte de Lundgaard e Mazepin. consistente, nos pontos. vice-campeonato, com apenas três Lawson à sua frente. Atrás, Piastri
Contudo, o grande beneficiado foi Mick Na Corrida 1, Nikita Mazepin aproveitou o pontos de diferença, uma estreia de passava Alex Smolyar e Vesti tam-
Schumacher, que ficou no top 5 em Safety Car para vencer. Com dois perío- sonho para o francês de 17 anos. bém. Na frente da corrida, ninguém
ambas as corridas. Com isso, assumiu dos de SC, a primeira corrida em Mugello A primeira metade da primeira corrida conseguia acompanhar Lawson, que
a liderança do campeonato. Do outro teve ação ainda que só a oito voltas do foi dominada pela batalha entre Lirim venceu com mais de 7s de vanta-
lado da moeda, Callum Ilott não esteve fim. Lundgaard liderava, com pressão Zendeli e Jake Hughes. A dupla ‘trocou gem. No final, o 7º posto de Piastri
bem, já que pontuou apenas numa cor- de Ghiotto. DanTicktum e Yuki Tsunoda foi o suficiente para o australiano
rida. A diferença entre Schumacher e lutavam pela posição final do pódio com C/ C L A S S I F I C A Ç Õ E S conquistar o título por apenas três
Ilott é agora de 8 pontos. Tal como Ilott, Tsunoda a acabar com uma penalização pontos de diferença para Pourchaire,
Robert Shwartzman continua a descer de 5s. Uma colisão entre Guanyu Zhou que terminou a última corrida do ano
posições, estando agora em 4º, já a 21 e Jack Aitken voltou a colocar o SC em na terceira posição.
pontos da liderança. pista. Schumacher viu-se envolvido no
Outra boa exibição veio de Christian incidente, mas conseguiu levar o seu CORRIDA 1
Lundgaard. A vitória na segunda corrida monolugar ao 5º lugar. A 3 voltas do
e um 6º lugar na primeira levou a que o fim, Mazepin usou a sua vantagem de POS PILOTO EQUIPA TEMPO/DIF
dinamarquês subisse à 3º posição. Notar pneus para passar Lundgaard e Ghiotto 34:42.873S
também o bom GP de Louis Delétraz. Em e vencer. Com uma paragem tardia, Ilott 1 F.VESTI PREMA RACING
16 corridas, o suíço tinha apenas dois teve de recuperar posições, terminando +0.324
na 12º posição. 2 J.HUGHES HWA RACELAB +2.369
Na segunda Corrida, a partir da pole,
Lundgaard liderou a corrida e apesar 3 T. POURCHAIRE ART GRANDPRIX
do SC, o dinamarquês nunca deixou a
liderança. Atrás de Lundgaard, Artem CORRIDA 2 EQUIPA TEMPO/DIF
Markelov foi responsável por segurar POS PILOTO HITECH GP 36:30.379
o pelotão, mas o russo não resistiu a 1 L.LAWSON TRIDENT +7.806
Delétraz. Na volta 15, desastre para a 2 D.BECKMANN ART GRANDPRIX + 9.193
Hitech, que viu os seus pilotos, Mazepin 3 T.POURCHAIRE
e Ghiotto, colidirem. Depois, Vips chegou
C/ CLASSIFICAÇÕES à 3ºposição, com o pódio basicamente
fechado. O líder do campeonato,
CORRIDA 1 EQUIPA TEMPO/DIF Schumacher, chegou até ao 4º posto,
POS PILOTO HITECH GP 59:22.869 beneficiando do acidente dos carros
1 N.MAKEPIN HITECH GP +4.460 da Hitech.
2 L.GHIOTTO RACING SYSTEM +4.519
3 L. DELÉTRAZ C.

CORRIDA 2

POS PILOTO EQUIPA TEMPO/DIF
37:51.980
1 C.LUNDGAARD ART GRAND PRIX +14.321
+14.870
2 L.DELÉTRAZ C. RACING SYSTEM

3 JURI VIPS DAMS

24 WTCR/
ÁUSTRIA

OSSUSPEITOS
OSCOSTUME, EM
REGRESSO AZARADO
PARA MONTEIRO

Finalmente, a Taça do Mundo de Turismos regressou às pistas.
A pandemia atrasou o regresso, mas também permitiu que a

competição repensasse certos aspetos pertinentes e pelo que
vimos no fim de semana teremos motivos para acompanhar a
luta pelo título, que se espera renhida. Para Tiago Monteiro não

foi um fim de semana positivo, com azares e penalizações

Fábio Mendes GillesMagnus foiomaisrápidonasegun-
[email protected] da sessão de treinos livres com o tem-
FOTOS DPPI/Paulo Maria po de 1:36.065s. O belga ficou na frente de
Nathanaël Berthon (Comtoyou DHL Team
Não era o palco inicialmente pre- Audi Sport Audi RS 3 LMS). Terceira posi-
visto, mas Zolder proporcionou ção para Yvan Muller (Cyan Racing Lynk
boas corridas no arranque da & Co 03 TCR).
época 2020 do WTCR.. Tivemos Tiago Monteiro voltou a ser o 10º mais rápi-
22 carros em pista, os 20 que es- do na segunda sessão, a 0.531s do tempo
tarão a tempo inteiro mais Dylan mais rápido. O campeão, Norbert Michelisz
O`Keeffe, campeão australiano que veio (BRC Hyundai N LUKOIL Squadra Corse
mostraroqueeracapazdefazernoMegane Hyundai i30 TCR), foi apenas 18º classifica-
R.S. TCR e Luca Fillippi, ao volante do se- do.Começávamosaverqueos Audiiriam
gundo Alfa Romeo Veloce TCR. ser uma ameaça aos lugares da frente, uma
Esperava-se que os Hyundai, Lynk&Co e surpresa positiva e que deixava tudo em
Honda se impusessem no topo da tabe- aberto para a qualificação.
la de tempos mas os treinos livres trou-
xeram uma tendência algo inesperada. NATHANAEL BERTHON SURPREENDEU
Néstor Girolami (ALL-INKL.COM Münnich
Motorsport/Honda Civic Type R TCR) foi o A qualificação prometia ser renhida e a
mais rápido no primeiro treino livre do ano, promessafoicumprida.NathanaelBerthon
batendo Gilles Magnus (Comtoyou Racing conquistou a pole (1:35.486) e confirmou
Audi RS 3 LMS) por 0.104s que se estreava que os carros da Comtoyou estava rápi-
na competição. Esteban Guerrieri (ALL- dos, provavelmente graças ao grande co-
INKL.COM Münnich Motorsport Honda nhecimento que a equipa tem do traça-
Civic Type R TCR) foi terceiro na frente do belga. Na Q1 foi a Lynk&Co a dar nas
de Nathanaël Berthon (Comtoyou DHL vistas com Yann Ehrlacher (Cyan Racing
Team Audi Sport Audi RS 3 LMS) e Yvan Lynk & Co 03 TCR) a fazer o melhor tem-
Muller (Cyan Racing Lynk & Co 03 TCR). po da sessão e a conquistar os primeiros
Tiago Monteiro (ALL-INKL.DE Münnich cinco pontos da época. Thed Bjrok (Cyan
Motorsport Honda Civic Type R TCR) foi Racing Lynk & Co 03 TCR) foi segundo,
10º a 0.513s da frente. seguido de Magnus, Muller e Tom Coronel
(Comtoyou DHL Team Audi Sport Audi RS
3 LMS). Para Tiago Monteiro a qualificação

C/ C L A S S I F I C A Ç Ã O >> autosport.pt

CORRIDA 1: HONDA 13 VOLTAS 25
1 NÉSTOR GIROLAMI LYNK & CO +1.127
2 THED BJÖRK HONDA +1.844 TIAGO
3 ATTILA TASSI AUDI +2.072 MONTEIRO
4 TOM CORONEL ALFA ROMEO +4.632 OTIMISTA
5 JEAN-KARL VERNAY LYNK & CO +6.050
6 SANTIAGO URRUTIA LYNK & CO +6.674 Na primeira ronda da Taça do Mundo de
7 YANN EHRLACHER LYNK & CO +7.382 Carros de Turismo, Tiago Monteiro teve um
8 YVAN MULLER AUDI +7.794 fim de semana difícil. Depois de na primeira
9 NATHANAËL BERTHON AUDI +12.585 corrida ter desistido com um motor partido,
10 GILLES MAGNUS a segunda corrida viu o português terminar
LYNK & CO 18 VOLTAS nos pontos, mas uma penalização de cinco
CORRIDA 2: LYNK & CO +0.870 segundos após o término da corrida colocou-o
1 YANN EHRLACHER LYNK & CO +1.376 em 19º.
2 YVAN MULLER AUDI +1.940 “Na primeira corrida estava bem e a recuperar
3 SANTIAGO URRUTIA HONDA +2.617 posições. Mas o motor cedeu e foi uma
4 GILLES MAGNUS correria para a equipa conseguir em tempo útil
5 NÉSTOR GIROLAMI AUDI +5.694 voltar a pôr o carro na grelha para o segundo
ALFA ROMEO +7.395 confronto. Conseguimos e a equipa fez um
6 TOM CORONEL HYUNDAI +8.128 trabalho extraordinário, estão de parabéns”,
7 JEAN-KARL VERNAY HYUNDAI +8.678 afirmou Monteiro.
8 NORBERT MICHELISZ HYUNDAI +9.715 “Não tinha nada a perder, por isso arrisquei,
9 NICKY CATSBURG não me deixei intimidar e fui à luta. Foi uma
10 LUCA ENGSTLER corrida muito intensa, muitas disputas,
muitas cedências e avanços, mas que no
forem tomadas medidas. final deu frutos: pontos. Para além disso, foi
Também a Honda tinha motivos para se importante perceber que temos andamento
preocupar pois os motores de Guerrieri e e que podemos estar nas próximas corridas
Monteiro cederam a meio da corrida, o que noutro patamar. Este foi o primeiro fim de
causava alguns receios quanto a fiabilidade semana de corrida, ainda há muitos pontos
dasunidadeseàcapacidadedaequipacon- pela frente. Vamos continuar a trabalhar para
seguir reparar as duas máquinas a tempo. daqui a 15 dias estarmos ao melhor nível”,
disse Monteiro, ainda antes da penalização
acabou logo na Q1 não conseguindo me- Mulsanne Alfa Romeo Giullietta TCR) e LYNK & CO IMPARÁVEL NA CORRIDA 2 sair e colocar o português na 19º posição na
lhor que o 18º posto. Gábor Kismarty-Lechner (Zengo Cupra segunda corrida.
Magnus voltou a mostrar serviço na Q2 fa- Competitión TCR) a falharem as pesagens. A segunda corrida do fim de semana ficou
zendoomelhorregisto,seguidodeSantiago marcada por um incidente logo nos pri-
Urrutia (Cyan Racing Lynk & Co 03 TCR), GIROLAMI VENCE A PRIMEIRA DO ANO meiros instantes da prova. Berthon largou
Ehrlacher, Muller e Berthon, os cinco ho- bem e deixou Ehrlacher atrás de si, mas
mens que iriam disputar entre si a pole. Foi sem espinhas a primeira vitória do ano um pouco atrás, Tassi e Bjork envolve-
Nestor Girolami, em 10º ficou com a pole para Nestor Girolami. O piloto argentino ram-se num incidente que atirou o jovem
para a primeira corrida do ano, com gre- comandou as operações de início a fim, húngaro para o fim do pelotão e o sueco
lha invertida e tinha assim hipótese de co- e não viu o seu lugar ameaçado, dando o para fora de prova, obrigando à entrada
meçar da melhor maneira o ano. Esteban primeiro triunfo de 2020 à Honda. Jean- do Safety Car de Bruno Correia. A prova
Guerrieri e o atual campeão do WTCR, Karl Vernay ( Team Mulsanne Alfa Romeo recomeçou na volta quatro, numa altura
Norbert Michelisz, que foram apenas 11º e Giullietta TCR) perdeu logo a segunda po- em que já se sabia que Berthon tinha sido
12º, respetivamente. A Hyundai não teve sição para Bjork, Tassi e Coronel, num top penalizadocomumDriveThroughporfalsa
vida fácil, apenas Michelisz conseguiu cinco que se manteve inalterado até ao fim partida, entregando de bandeja a lideran-
chegar até à Q2. Gabriele Tarquini, Nick da prova. Santiago Urrutia, Yann Ehrlacher ça a Ehrlacher. Atrás de si seguia Magnus,
Catsburg e Luca Engstler ficaram de fora e Yvan Muller ajudaram Lynk & Co Cyan Muller e Urrutia. O jovem belga não foi ca-
logo na Q1. O melhor Honda aparecia so- Racing, colocando quatro carros nos oito paz de suster a pressão do veterano fran-
mente em sétimo, com Attila Tassi (Honda primeiros,comBerthone Magnusacom- cês e num erro deixou escapar o segundo
Civic Type R TCR/ALL-INKL.DE Münnich pletar o top 10. posto. Pouco depois não dificultou muito a
Motorsport). A Hyundai teve uma corrida difícil com vida a Urrutia que subiu para terceiro, re-
Naúltimasessão,NathanaelBerton recla- o melhor carro, o de Michelisz, a ficar-se sultado que se manteria até ao final, com
mou a sua primeira pole position no WTCR, pela 11ª posição. A marca coreana não se um pódio 100% Lynk&Co.
depoisdebaterYannEhrlacher porapenas mostrou contente com o novo ECU pa- Para Monteiro foi uma corrida de recupe-
0,031 segundos. A Comtoyou Racing esteve drão, que é agora usado por todos os car- ração. Obrigado a largar do fim da grelha o
em grande nesta qualificação já que Gilles ros. O Renault Mégane RS TCR, Alfa Romeo português recuperou até aos pontos (15º,
Magnus, noutro Audi ficou em terceiro. A GiuliettaVeloceTCRe AudiRS3LMStive- lugar que perdeu por penalização após um
Lynk & Co. fechou o top 5, com Santiago rampermissãoparausaraECUdoanopas- incidente de corrida) e ficou com boas im-
Urrutia a bater Yvan Muller. sado (por não terem tempo para integrar pressões para as próximas provas. Do lado
Nick Catsburg foi posteriormente penali- a ECU padrão) e isso desagradou Andrea da Hyundai foi uma corrida um pouco me-
zado por não ter abrandado numa zona de Adamo, chefe da Hyundai, que também lhor, com três carros no top 10 (Michelisz
bandeiras amarelas e Luca Filippi (Team se queixou do BoP e iniciou as habituais 8º, Catsburg 9º e Engstler 10º).
ameaças de deixar a competição se não Nas contas da taça, Ehrlacher saiu da
Bélgica líder com 43 pontos seguido de
Girolami (36), Muller (31) e Urrutia (26).

V/26
VELOCIDADE

SÓ ‘DEU’ ANPACRACINGWEEKEND/OPENDEPORTUGAL
DE VELOCIDADE BY MICHELIN
SALVADOR
parte da atração deste evento e assim venceu entre os TCR nas três corridas,
Pedro Salvador fez ‘barba, cabelo’ e levou as suas ‘unhas’ foi. O piloto nortenho não cometeu er- na categoria G3 o melhor foi o fran-
para as três corridas do Open de Velocidade, que venceu, em ros e com o Porsche em pleno, Salvador cês Jean-RochPiat ao volante de um
venceu facilmente as três corridas. Porsche Cayman GT4. Na categoria
Braga. Com ‘aquele’ Porsche, nada menos que isso era de Também em bom plano estiveram T4, Jorge e Pedro Silva ganharam com
esperar. Quando se ‘dá’ uma máquina daquelas a um piloto Pedro Marreiros e Paulo Pinheiro. Ao o Renault Clio RS. Bruno Pires ganhou
volante de um menos competitivo a G2 na primeira corrida, enquan-
desta categoria, a história conta-se em poucas linhas... Porsche 911 GT3 Cup, conseguiram um to na segunda a vitória sorriu a Pedro
resultado de conjunto que serviu os Marreiros. Na categoria SS, apenas
José Luís Abreu seus objetivos: Paulo Pinheiro foi ter- participou o Caterham de José Maria
[email protected] ceiro na primeira corrida disputada no Marreiros, que foi, assim, o vencedor
FOTOS Nuno Organista sábado, Pedro Marreiros foi segundo nas duas primeiras corridas.
na segunda manga e na terceira cor- A corrida final do programa do Open
Não foi só Pedro Salvador que por completo o fim de semana de cor- rida, no formato endurance, os dois de Portugal de Velocidade by Michelin,
esteve em grande no ANPAC ridas, utilizando o antigo Porsche 911 pilotos estiveram em pista (iniciou a disputou-se no formato enduran-
Racing Weekend de Braga, GT3R de António Nogueira. Ainda as- corrida Paulo Pinheiro, completou- ce com uma duração de 45 minutos e
mas também a sua estru- sim, Pedro Marreiros e Paulo Pinheiro -a Pedro Marreiros) e terminaram no troca de pilotos. Uma vez mais Pedro
tura, a Speedy Motorsport, realizaram um bom resultado de con- terceiro lugar. Salvador esteve numa classe à parte,
que obteve sete vitórias em junto e mantiveram comando do cam- O abandono na primeira corrida de terminando a prova na frente da ca-
sete corridas: “Fruto de muito traba- peonato. José Correia (Nissan GTR GT3) que le- tegoria G1 e com mais de um minuto
lho, dedicação, determinação, espírito Já se esperava que a presen- vou à ausência do carro japonês no de vantagem para Francisco Mora, o
de sacrifício e acima de tudo um espí- ça do Porsche 911 GT3R ex-Antó- resto do fim de semana, emagreceu melhor dos Turismos e dos TCR, ex-
rito de equipa fantástico”, disse um fe- nio Nogueira, preparado pela Speedy um plantel que, após a segunda cor- celente segundo classificado na fren-
liz Pedro Salvador. E não é para menos. Motorsport e pilotado por Pedro rida já realizada no domingo perdeu o te da dupla Paulo Pinheiro e Pedro
O piloto do Porsche 911 GT3R dominou Salvador, trouxesse para si grande Porsche 997 GT3 Cup de Bruno Pires e Marreiros, os melhores da categoria
Fábio Mota. O primeiro tinha rubricado G2. Estes ainda andaram pelo segun-
um encorajador segundo lugar na cor- do lugar mas a meio da corrida soço-
rida de sábado, mas a mecânica não braram.
ajudou e o Porsche ficou pelo cami- A quarta posição foi para o Mitjet
nho na segunda corrida e já não voltou Supertourisme V6 de Nuno Baptista
mais à pista. e a fechar o Top 5 o Porsche Cayman
Nas diversas classes, destaque para GT4 de Jean-RochPiat, o vencedor da
Francisco Mora (Cupra TCR Seq) que categoria G3. Com o plantel reduzido

>> autosport.pt

27

a apenas oito carros pela ausência de
Bruno Pires e de José Correia, o Cupra
TCRT Seq de Daniel Teixeira e Joaquim
Santos terminou no sexto lugar, sé-
timo foi o Renault Clio RS de Jorge e
Pedro Silva (os melhores da categoria
T4) e no oitavo lugar o outro Renault
Clio RS pilotado por Luís Palhão.

C/ C L A S S I F I C A Ç Ã O

CORRIDA 1
1 PEDRO SALVADOR PORSCHE 911 GT3 R G1 19 VOLTAS
2 BRUNO PIRES/FÁBIO MOTA PORSCHE 997 GT3 CUP G2 +46.656
3 PEDRO MARREIROS/PAULO PINHEIRO PORSCHE 991 GT3 CUP G2 +47.727
4 FRANCISCO MORA CUPRA TCR SEQ TCR +59.181
5 NUNO BAPTISTA MITJET SUPERTOURISME V6 G2 1 VOLTA
CORRIDA 2
1 PEDRO SALVADOR PORSCHE 911 GT3 R G1 18 VOLTAS
2 PEDRO MARREIROS/PAULO PINHEIRO PORSCHE 991 GT3 CUP G2 +20.921
3 FRANCISCO MORA CUPRA TCR SEQ TCR +25.609
4 NUNO BAPTISTA MITJET SUPERTOURISME V6 G2 1:12.214
5 JORGE SILVA/PEDRO SILVA RENAULT CLIO RS T4 1 VOLTA
CORRIDA 3
1 PEDRO SALVADOR PORSCHE 911 GT3 R G1 32 VOLTAS
2 FRANCISCO MORA CUPRA TCR SEQ TCR +1:07.262
3 PEDRO MARREIROS/PAULO PINHEIRO PORSCHE 991 GT3 CUP G2 +1 VOLTA
4 NUNO BAPTISTA MITJET SUPERTOURISME V6 G2 +1 VOLTA
5 JEAN-ROCH PIAT PORSCHE CAYMAN GT4 G3 +1 VOLTA
6 DANIEL TEIXEIRA/JOAQUIM SANTOS CUPRA TCR SEQ TCR +1 VOLTA
7 JORGE SILVA/PEDRO SILVA RENAULT CLIO RS T4 +1 VOLTA
8 LUIS PALHÃO RENAULT CLIO RS T4 +1 VOLTA

V/
VELOCIDADE

28

ANPAC RACING WEEKEND/CLÁSSICOS categoria H75, António Soares (Ford
Escort RS MKI) foi o melhor no GR.5,
OS ‘SUSPEITOS Jorge Cruz (BMW 323i) venceu nos H81,
DO COSTUME João Peixoto (Mini Cooper S) liderou os
João Macedo Silva e Joaquim Ainteressante caravana dos H71 e Carlos Barbot (Lotus Elan 26R) foi
Jorge, nos Clássicos, e Luís Clássicos rumou novamente gundos, o que traduz uma corrida onde o melhor nos H71-T1600.
Alegria nos Clássicos 1300, a Braga para mais um evento um pequeno erro do piloto do Porsche A segunda corrida foi bem mais emo-
dos ‘velhinhos’ mas espeta- seria suficiente para alterar a ordem das cionante, cortesia de desentendimento
foram os três vencedores do culares Clássicos. Presentes, coisas. Isso não aconteceu e Macedo entre o Porsche 911 RSR de João Macedo
segundo fim de semana dos como sempre, as mais be- Silva venceu na frente de Jorge e de Rui Silva e um piloto dos Clássicos 1300
las máquinas do passado do desporto Costa (Ford Escort RS) que teve um de- que estava a perder uma volta para o
Clássicos motorizado de pista, com João Macedo sentendimento com Carlos Vieira (Ford líder. Joaquim Jorge tentava pressionar
Silva e Joaquim Jorge a partilharem as Escort RS 1600) levando este último Macedo Silva e quando ocorreu este in-
José Luís Abreu vitórias nas corridas dedicadas aos ao abandono da corrida, somente oito cidente, o piloto do carro da oval azul
[email protected] Clássicos, enquanto nos Clássicos 1300, voltas depois da largada. aproveitou a porta escancarada e ru-
FOTOS Nuno Organista as duas vitórias foram para os mes- Entre os Clássicos 1300, não houve mui- mou a caminho da vitória, seguido de
mos protagonistas: o Datsun 1200 de to para contar: Luís Alegria sublinhou outro Ford Escort RS 1600 pilotado por
Luís Alegria. na corrida a excelente prestação nos Rui Alves, recuperando João Macedo
Na primeira corrida, saindo da pole treinos cronometrados e terminou num Silva até ao terceiro lugar.
position, João Macedo Silva impôs o excelente 10º lugar à geral, deixando Nos Clássicos 1300, uma vez mais, Luís
Porsche 911 RSR e saiu que nem um atrás de si José Fafiães e Carlos Cruz, Alegria dominou com o seu Datsun
‘avião’ no aeródromo de Braga. num pódio totalmente dominado pe- 1200, seguido também aqui por José
Volvidas poucas voltas, o perseguidor los Datsun 1200. Fafiães e, desta feita, por João Braga,
era o sempre veloz e resiliente Joaquim Nas diversas classes, para além da vi- ambos ao volante dos Datsun 1200.
Jorge (Ford Escort RS 1600). A diferença tória de Luís Alegria nos Clássicos 1300 Alegria, novamente, fechou no 10º lu-
final cifrou-se em menos de dois se- e de João Macedo Silva nos Clássicos, gar à geral esta segunda corrida dos
o piloto do Porsche 911 RSR venceu a Clássicos e Clássicos 1300 tal como
tinha feito na primeira manga.
Destaque, ainda, para a ausência de
Carlos Vieira (Ford Escort RS 1600) e
de Carlos Barbot (Lotus Elan 26R), de-
pois de terem abandonado na primeira
corrida com problemas irresolúveis nos
seus carros.

>> autosport.pt

29

C/ CLASSIFICAÇÕES

CORRIDA 1 JOÃO MACEDO SILVA PORSCHE 911 RSR H75 17 VOLTAS
1 JOAQUIM JORGE FORD ESCORT RS 1600 H75 +1.771
2 RUI COSTA FORD ESCORT RS 1600 H75 +3.279
3 RUI ALVES FORD ESCORT RS 1600 H75 +12.122
4 ANTÓNIO SOARES FORD ESCORT MK1 GR5 +34.833
5 RUI AZEVEDO FORD ESCORT RS 2000 GR5 +38.169
6 LUIS NUNES FORD ESCORT GR5 +1:18.871
7 JORGE CRUZ BMW 323I H81 +1 VOLTA
8 JOÃO CRUZ FORD ESCORT RS 1600 GR5 +1 VOLTA
9 LUIS ALEGRIA DATSUN 1200 H75 +1 VOLTA
10
FORD ESCORT RS 1600 H75 17 VOLTAS
CORRIDA 2 JOAQUIM JORGE FORD ESCORT RS 1600 H75 + 2.076
1 RUI ALVES PORSCHE 911 RSR H75 +5.215
2 JOÃO M. SILVA FORD ESCORT RS 1600 H75 +31.373
3 RUI COSTA FORD ESCORT RS 2000 GR5 +38.623
4 RUI AZEVEDO FORD ESCORT MK1 GR5 +53.446
5 ANTÓNIO SOARES FORD ESCORT GR5 +1:26.592
6 LUIS NUNES BMW 323I H 81 +1:26.825
7 JORGE CRUZ FORD ESCORT RS 1600 GR5 +1 VOLTA
8 JOÃO CRUZ DATSUN 1200 H75 +1 VOLTA
9 LUIS ALEGRIA
10

V/
VELOCIDADE

30

ANPAC RACING WEEKEND
BRAGA/CPV LEGENDS

DUPLA
VITÓRIA
DEPAULO

SOUSA

Paulo Sousa venceu as duas corridas dos Legends em Braga,
num fim de semana marcado por muito calor e também

muita luta nas diversas classes que animaram fortemente a
competição ao longo do fim de semana

José Luís Abreu a ter que dosear o andamento, per- piloto do M3 E30 soube manter, uma rida e a categoria Livre, enquanto
dendo o primeiro lugar para salvar o vez mais, forte pressão sobre o BMW António Barros (BMW M3) ganhou en-
[email protected] propulsor do carro germânico. A luta 320d que, certamente, afetado com tre os L99. Nos L99-2000, o melhor foi
FOTOS Nuno Organista pela vitória não contou com Miguel os problemas de aquecimento da pri- Tiago Ribeiro (Honda Integra Type R),
Monteiro (Volvo 850 T5) que optou por meira corrida, voltou a ceder, numa nos L90 ganhou Rui Garcia (BMW M3),
N um fim de semana anor- preservar um bom terceiro lugar final. situação tirada a papel químico da enquanto que nos L90-1300 e L90-
malmente quente em Contas feitas, Paulo Sousa (BMW M3 primeira corrida. Desta forma, Paulo 2000, foram Nelson Silva (Peugeot
Braga, a caravana dos E30) venceu a corrida e a catego- Sousa venceu a segunda corrida do 205 Rallye) e Hugo Branquinho (Honda
Legends rumou à cidade ria Livre, enquanto António Barros fim de semana dos Legends, na frente Integra Type R), respetivamente, a
dos Arcebispos para o se- (BMW M3) ganhou entre os L99. Nos de Manuel Fernandes/Hugo Mestre vencer. Finalmente, o BMW 635 CSI
gundo evento do ano nos L99-2000, o melhor foi Tiago Ribeiro (BMW 320 d). Miguel Monteiro (Volvo de Pedro Oliveira ganhou nos L85,
Legends e para provar que já chega (Honda Integra Type R), nos L90 ga- 850 T5) fechou o pódio, seguido de enquanto nos Feup 2 e 3, primeiro lu-
de ‘confinamentos’, 28 pilotos res- nhou Rui Garcia (BMW M3), enquanto Tiago Ribeiro (Honda Integra Type R). gar, respetivamente, para João Sousa
ponderam à chamada. Como se pode que nos L90-1300 e L90-2000 foram No que toca às categorias, Hugo (Fiat Punto) e Gustavo Moura Jr. (Alfa
calcular, animação foi ‘coisa’ que não Nélson Silva (Peugeot 205 Rallye) Mestre (BMW 320d) venceu a cor- Romeo 156).
faltou ao longo dos dois dias, e tam- e Hugo Branquinho (Honda Integra
bém nas duas corridas de 17 voltas ao Type R), respetivamente, a vencer.
traçado de 3,021 km da pista do aeró- Finalmente, o BMW 635 CSI de Pedro
dromo da Palmeira em Braga. Oliveira ganhou nos L85 e rubricou
Na primeira corrida, foi com algu- a volta mais rápida da corrida com
ma surpresa que Paulo Sousa (BMW 1m23,997s, enquanto nos FEUP 2 e
M3 E30) bateu tudo e todos, espe- 3, primeiro lugar, respetivamente,
cialmente Manuel Fernandes (BMW para Rui Silva (Fiat Punto) e Gustavo
320d), depois deste ter rubricado a Moura Jr. (Alfa Romeo 156).
pole position para esta primeira cor- O espetáculo e a emoção não faltaram
rida, graças a uma volta canhão já no à chamada para a segunda corrida a
final da sessão cronometrada. contar para os Legends. Os protago-
A pressão de Paulo Sousa acabou nistas foram os mesmos: Paulo Sousa
por levar o BMW 320d de Manuel e o seu BMW M3 e o BMW 320d, des-
Fernandes a ‘esforçar-se’ para lá da ta feita pilotado por Hugo Mestre. O
medida certa e um sobreaquecimento
no motor levou o piloto de Vila Real

>> autosport.pt

31

C/ C L A S S I F I C A Ç Ã O

CORRIDA 1 BMW E30 LIVRE 17 VOLTAS
1 PAULO SOUSA BMW 320 D LIVRE +8.984
2 MANUEL FERNANDES/HUGO MESTRE VOLVO 850 T5 LIVRE +35.275
3 MIGUEL MONTEIRO/FILIPE MATIAS BMW M3 L99 +44.617
4 ANTONIO BARROS BMW M3 L99 +48.229
5 JOAQUIM SOARES HONDA INTEGRA TYPE R L99-2000 +49.538
6 TIAGO RIBEIRO BMW 635 CSI L85 +1:11.975
7 PEDRO OLIVEIRA HONDA CIVIC LIVRE +1:12.208
8 SÉRGIO PINTO VOLVO 850 T5 ESTATE L99 +1:22.858
9 NUNO FIGUEIREDO PEUGEOT 306 GTI ESPECIAL +1:29.231
10 NUNO BARROSO

CORRIDA 2 BMW E30 LIVRE 17 VOLTAS
1 PAULO SOUSA BMW 320 D LIVRE
2 MANUEL FERNANDES/HUGO MESTRE VOLVO 850 T5 LIVRE
3 MIGUEL MONTEIRO/FILIPE MATIAS HONDA INTEGRA TYPE R L99-2000
4 TIAGO RIBEIRO BMW M3 L99
5 ANTÓNIO BARROS HONDA CIVIC LIVRE
6 SÉRGIO PINTO BMW 635 CSI L85
7 PEDRO OLIVEIRA BMW M3 L99
8 JOAQUIM SOARES CITROEN SAXO CUP L99-2000
9 ARTUR MONTEIRO HONDA CIVIC EF3 L90-2000
10 HUGO BRANQUINHO

V/
VELOCIDADE

32

ANPAC RACING WEEKEND/KIA GT CUP

LOBATO
VEZESDOIS

Rafael Lobato (Pro), Pedro Alves (Club) e João
Aguiar-Branco (Júnior) venceram por duas vezes
nas respetivas categorias. Depois dos problemas de
Portimão, o KIA Ceed GT esteve desta feita à altura

Se já era importante a presença dos pequenos largando a liderança, festejando assim uma saborosa
KIA Picanto na velocidade nacional, é ainda dobradinha. José Carlos Pires foi 2º e Manuel Gião 3º, à
mais interessante o novo KIA Ceed GT que frente de Francisco Carvalho, Alex Areia e Luís Lisboa. Na
permitiu elevar bem o nível da competição. A categoria Júnior, João Aguiar-Branco obteve dois sabo-
jornada bracarense teve momentos bastante rosos triunfos, o último deles, à geral, na frente de Pedro
interessantes e, na estreia dos Ceed GT, Rafael Alves, aproveitando o mau arranque deste. Segundo entre
Lobato triunfou nas duas corridas, batendo os consagra- os juniores, José Bastos saiu satisfeito com a pontuação
dos Francisco Carvalho e Manuel Gião, e também José obtida, enquanto Luís Maria Lisboa envolveu-se em lu-
Carlos Pires. Pedro Alves e João Aguiar Branco dividiram tas muito interessantes para chegar ao derradeiro lugar
os triunfos nos Picanto. do pódio. Entre os Club, o triunfo voltou a sorrir a Pedro
Numa pista onde não é nada fácil ultrapassar, a quali- Alves, que ainda teve de se desenvencilhar de alguns
ficação e o arranque são importantes e nesse contex- concorrentes da Júnior após uma má partida. Concluída
to Rafael Lobato esteve bem, já que na primeira corrida esta passagem por Braga, a Kia GT Cup regressa de 20 a
saltou imediatamente para o 2º posto, atrás de Francisco 22 de outubro, no Circuito do Estoril.
Carvalho, antes da travagem para a curva 1. Em sentido
contrário esteve José Carlos Pires, que caiu de 2º para 4º, C/ C L A S S I F I C A Ç Ã O
atrás de Manuel Gião. As posições não mudaram até aos
minutos finais, quando Rafael Lobato atacou Francisco CORRIDA 1 CEED GT CUP 13 VOLTAS
Carvalho, aproveitando um erro deste para o passar e 1 RAFAEL LOBATO CEED GT CUP +2.765
dessa forma celebrar o seu 1º triunfo no Kia Ceed GT Cup. 2 FRA. CARVALHO CEED GT CUP +3.134
Manuel Gião foi terceiro na frente de José Carlos Pires. 3 MANUEL GIÃO PICANTO GT CUP
Nos Picanto, João Aguiar-Branco deixou-se ultrapassar 7 PEDRO ALVES PICANTO GT CUP +1:14.709
pelo experiente Pedro Alves no arranque, e depois disso 8 JOÃO BRANCO PICANTO GT CUP +1:16.580
limitou-se a controlar a distância que o separava para 9 JOSÉ BASTOS +1:17.105
o seu maior opositor da sua categoria, José Bastos, que CEED GT CUP
segurou o 2º lugar entre os juniores à frente de Orlando CORRIDA 2 CEED GT CUP 13 VOLTAS
Batina. Lá na frente, Pedro Alves teve uma corrida soli- 1 RAFAEL LOBATO CEED GT CUP +2.483
tária na categoria Club. 2 JOSÉ PIRES PICANTO GT CUP +2.899
Na corrida 2, a partir da pole, José Carlos Pires segurou 3 MANUEL GIÃO PICANTO GT CUP
atrás de si os rapidíssimos Manuel Gião e Rafael Lobato. 7 JOÃO BRANCO PICANTO GT CUP +1:09.281
O vencedor da primeira corrida esteve imparável, e pas- 8 PEDRO ALVES +1:17.073
sou ambos, a seis minutos do fim da prova, nunca mais 9 JOSÉ BASTOS +1:19.659

>> autosport.pt

33

GROUP 1 PORTUGAL

BOAS CORRIDAS

André Castro Pinheiro venceu a primeira corrida do
Group 1 Portugal, no seu Jaguar XJS, enquanto Ricardo
Pereira levou o seu Ford Escort RS 2000 à vitória na
segunda contenda
Com o melhor crono na qualificação 1, o Ford Escort
RS 2000 de Paulo Vieira saiu na frente do pelotão
durante a partida lançada e manteve a liderança face
ao potente Jaguar. Tudo parecia correr de feição ao
piloto do Escort, mas um problema de transmissão
logo na segunda volta fez com que desistisse e
deixasse o elegante Jaguar de André Castro Pinheiro
na frente da corrida. José Basso desistiu e o Ford
Capri MKIII V6 de António Fresco ficou no segundo
lugar. Logo atrás vinha Nuno Breda, em BMW 1600 Ti,
que liderava os H71-1600, com João Matos, da H81-
1600 em VW Golf GTi colado, até desistir.
Na frente, André Castro Pinheiro (Jaguar XJS V12) foi
o vencedor e também o 1º da H81-Max, seguido pelo
Ford Carpi MKIII V6 de António Fresco (2º H81-Max),
com Nuno Breda, em BMW 1600 Ti no terceiro lugar (1º
H71-1600). João M. Ribeiro foi o quarto (2º H71-1600)
e em quinto terminou Rui Carvalho (1º H81-2000). No
sexto lugar, José Carvalhosa foi o terceiro da H81-
Max e em sétimo, Abel Marques, em Autobianchi
A112 Abarth, venceu a categoria 1052. Na Production
Cup, Pedro Reis esteve imparável e foi o vencedor
destacado.
Na Corrida 2, Ricardo Pereira (Ford Escort RS 2000)
saiu da pole e tomou de imediato a dianteira com
Paulo Vieira (Ford Escort RS 2000 ) a lutar pela
segunda posição com André Castro Pinheiro (Jaguar
XJS).
Ricardo Pereira levou o Ford Escort RS 2000 ao triunfo
e venceu a H81-2000. Paulo Vieira foi segundo, em
Ford Escort idêntico (2º H81-2000), o terceiro lugar foi
para Rui Carvalho, em Porsche 924. Terceiro a cortar
a meta, André Castro Pinheiro levou o gigante Jaguar
XJS ao primeiro lugar da H81-Max, ficando Piero Dal
Maso, o quinto, com o segundo posto desta categoria.
Nuno Breda foi quarto e venceu a categoria H71-
1600. Sérgio Monteiro levou o pequeno Autobianchi
A112 Abarth a vencer a categoria 1052. O vencedor
da segunda corrida da Production Cup foi Francisco
Freitas.

TROFÉU MINI

João Fedorowicz na categoria Vintage, sagrou-se oitava volta. Sempre na traseira um do outro, o piloto
vencedor na primeira corrida, enquanto na segunda de Braga voltou a passar para a frente duas voltas
levaram a melhor José Dias na Mighty e André Pinto depois e conseguiu aguentar a vantagem. A bandeira
na Vintage. Na Corrida 1, André Pimenta e Nuno Dias de xadrez chegou duas voltas depois com os dois Minis
protagonizaram uma das mais intensas lutas em pista a terminarem com apenas 4 décimos a separá-los.
nesta primeira corrida, na luta pelo primeiro lugar. Na Corrida 2, José Dias impôs um forte andamento, e
André Pimenta, com a Pole Position, saiu na frente, cedo abriu um fosso de 4 segundos para o segundo,
mas Nuno Dias passou-o na segunda volta, com o ex- André Pimenta, que se defendeu sempre os ataques de
piloto dos Caterham a devolver a ultrapassagem na André Pinto, que terminou em terceiro.

V/34
VELOCIDADE

GT OPEN RED BULL RING

PORTUGUESESMAISLÍDERES

Henrique Chaves e Miguel Ramos saíram do Red Bull Ring mais primeiros no campeonato.
Um triunfo, um quarto lugar e um ‘handicap’ mais favorável para Monza mantêm a dupla em
perfeita sintonia com o principal objetivo: serem Campeões do International GT Open...

F oi muito positivo o fim da se- C/ C L A S S I F I C A Ç Õ E S corrida, tendo o Safety Car ‘roubado’ a
mana da dupla da Teo Martin vantagem de 15s construída por Rueda.
Motorsport, Henrique Chaves CORRIDA 1 Independentemente do resultado no
e Miguel Ramos. Um triunfo na papel, Ramos e Chaves vão sempre
primeira contenda, fruto da 1 TEO MARTÍN MOTORSPORT MIGUEL RAMOS/HENRIQUE CHAVES MCLAREN 720 S GT3 1H10M somar os pontos pela vitória, uma vez
desclassificação de um adver- +14.911 que o KTM surgiu como carro convidado
-sário e um quarto lugar ‘provocado’ 2 TEO MARTÍN MOTORSPORT MARCELO HAHN/FRAN RUEDA MCLAREN 720 S GT3 +11.938 do G3 e não pontua.
para terem um melhor handicap em Na corrida 2, dia perfeito e segunda
Monza. Tudo isto resultou numa van- 3 RAM RACING SAM DE HAAN/CALLUM MACLEOD MERCEDES AMG GT3 vitória do ano para Yoluç-Eastwood
tagem no comando do campeonato de (TF Sport Aston). Charlie Eastwood e
pilotos superior à que tinham quando CORRIDA 2 Salih Yoluç impuseram-se na Corrida
chegaram à Áustria. 2, batendo Louis Prette/Vincent Abril
Foi uma corrida 1 cheia de surpresas: 1 TF SPORT SALIH YOLUC/CHARLIE EASTWOOD ASTON MARTIN VANTAGE GT3 1:00:08.266 (Ferrari AF Corse APM Monaco) que
na sua pista ‘caseira’, o estreante KTM +0.698 ‘roubaram’ o segundo lugar na última
X-BOW GTX Concept cortou a meta 2 AF CORSE/APM MONACO LOUIS PRETTE/VINCENT ABRIL FERRARI 488 GT3 +1.946 volta a Patric Krupinski-Christian Klien
como vencedor, com Stefan Rosina e +2.319 (JP Motorsport Mercedes). Miguel Ra-
Patric Niederhauser ao volante do carro 3 JP MOTORSPORT PATRYK KRUPINSKI/CHRISTIAN KLIEN MERCEDES AMG GT3 mos/Henrique Chaves foram quartos
desenvolvido pela Reiter Engineering, e mantêm a liderança na classificação,
mas nas verificações técnicas após 4 TEO MARTÍN MOTORSPORT MIGUEL RAMOS/HENRIQUE CHAVES MCLAREN 720 S GT3 sete pontos à frente de Prette-Abril e
a corrida, o carro foi desclassificado oito de Yoluc-Eastwood.
devido à não conformidade do tama- nho dos discos de travão. Enquanto se declarados vencedores da corrida. Fran
esperava pelo resultado do recurso, a Rueda e Marcelo Hahn foram segun-
Teo Martín Motorsport assinou um 1-2, dos, no outro McLaren 720S, depois
com Miguel Ramos/Henrique Chaves de terem liderado a primeira parte da

>> autosport.pt

35

MIGUELRAMOS
IGUALARECORDE
Os portugueses saíram felizes
do Red Bull Ring. Miguel Ramos 2º lugar da grelha, passou o seu adver-
igualou o recorde de Andrea sário, mas teve de devolver a posição ao
Montermini no International Aston Martin de Eastwood porque o CCD
GT Open com 20 Vitórias, tendo assim o entendeu. Só à quarta volta Cha-
ves conseguiu finalmente consolidar o 1º

Ramos alcançado também os lugar e, com um stint ao ataque, chegou

70 Pódios no GT Open, um marco impor- aomomentodetrocadepilotoscomcerca

tante na carreira do piloto. Para a dupla de 7 segundos de vantagem. No Pit-Stop,

lusa, o fim de semana ficou marcado por Ramos, com os 25 seg. de handicap caía

uma vitória na primeira corrida e um 4º para o 3º lugar, mas com um excelente

lugar na segunda, fruto da estratégia stint foi recuperando tempo ao 2º que

definida pela equipa, de forma a prepa- era ocupado pelo Mercedes de Patryk

rar as próximas corridas e ‘descarregar’ Krupinski. A cinco voltas do fim, Ramos

handicap acumulado. encostou-se à traseira do Mercedes e

Na 1ª corrida, Ramos arrancou bem, ga- quando tudo apontava para o ataque ao

nhandodoislugares,passandoimediata- 2º lugar, eis que um acidente na luta pela

mente a pressionar o sexto classificado, Pro-AM mais atrás, levou à entrada do

passou-o, mas a sua recuperação seria Safety Car.

suspensapelaintervençãodoSafety-Car, Antes da entrada do Safety Car, a equipa

o que levou a que entregasse o McLaren indicou a Ramos para ceder o 3º lugar que

720S GT3 da Teo Martín Motorsport a ocupava para o Ferrari de Louis Prette,

Henrique Chaves no sexto lugar. O jovem terminando assim a corrida em 4º de

deTorresVedrasandoubem,eaonzemi- forma a descarregar handicap para a

nutos da bandeira de xadrez ascendeu a próxima corrida. “foi preferível cair para

segundo,continuandoasuarecuperação. o 4º, senão iríamos para Monza com 30s

HenriqueChavescruzariaalinhademeta de handicap.”

a três segundos do primeiro classificado, Em termos de campeonato, a visita à

depois de ter estado a mais de dez, mas Áustria foi compensadora. “Foi um ex-

como já se percebeu venceram a corrida celente fim de semana pois estivemos

devidoàdesclassificaçãodosvencedores sempre na luta pela vitória em ambas

na pista: “É um resultado extraordinário, as corridas e aumentámos a diferença

dado que, depois da qualificação, não na liderança pois passamos de 2 para 7

esperava melhor que quarto. O carro que pontos de avanço em relação aos nossos

ficou em primeiro não conta para o cam- perseguidores”, disse Miguel Ramos. Já

peonato,dadoquenãoéumGT3,portanto para Henrique Chaves: “Começámos o

somámos os pontos da vitória. Tivemos fim-de-semana com alguns problemas

um pouco de sorte com o Safety-Car, elétricos, mas a equipa respondeu muito

mas também já tivemos algum azar em bem e deu-nos um McLaren 720S GT3

situações semelhantes, portanto aca- muito competitivo, que nos permitiu ser

ba por ser um reequilíbrio. O Miguel fez muito rápidos, como demonstra eu ter

um turno muito bom e a equipa realizou assinadoavoltamaisrápidaemambasas

um ‘pit-stop’ muito rápido e tudo isso corridas. O Miguel esteve também muito

foi determinante para o resultado final, forte ao longo de todo o evento e tudo

juntamente com o meu ‘stint’. Alargámos junto permitiu-nos sair daqui com uma

a nossa vantagem no campeonato e esse vantagem maior no campeonato. Agora

era o nosso objetivo”, afirmou Chaves. é continuar a trabalhar e continuarmos

Na segunda corrida, Chaves arrancou do esta senda em Monza.”

N/36
NOTÍCIAS
D epois de tudo ter corrido os gostos. Este cancelamento/
BAJA TT DO às mil maravilhas com o adiamento é um problema grande
PINHAL ADIADA Rali de Castelo Branco, a não só para a Escuderia Castelo
Escuderia Castelo Branco Branco, mas também para a sua
A Escuderia Castelo Branco viu-se na contingência de ter que já não teve tanta sorte com a Baja congénere alentejana, e logica-
adiar a Baja TT do Pinhal para a semana seguinte, devido ao TT do Pinhal, pois viu-se na con-
prolongamento da situação de alerta. tingência de ter que adiar a prova
Se os SSV, Motos e Quads se devem realizar, já com a prova por uma semana, isto depois de
inicialmente ter sido decidido, e
dos autos há muitas indefinições, embora a ECB garanta a sua comunicado, o seu cancelamen-
realização to. O problema é que a Baja TT
Capital dos Vinhos de Portugal
José Luís Abreu está prevista realizar-se de 25
[email protected] a 27 de setembro e duas provas
do CPTT em semanas seguidas
FOTOS Oficiais não é algo que seja consensual
na caravana dos autos. Nos SSV,
LEIA E ACOMPANHE TODAS Motos e Quads, as perdas devem
AS NOTÍCIAS EM AUTOSPORT.PT ser mínimas, quer seja na prova
da ECB como na da Sociedade
Artistica Reguenguense, mas este
é um tema “em avaliação”, já que
há para já posições para todos

DTM/NURBURGRING
SÓ ‘DEU’ AUDI

Nico Müller e Robin Frijns dividiram as liderança sem problemas face ao segundo C/ C L A S S I F I C A Ç Ã O
vitórias no Nurburgring, num fim de classificado, René Rast. Robin Frijns
semana em que não se viu um único BMW partiu do terceiro lugar e foi segundo no para Müller, que tinha ganho a corrida de CORRIDA 1 AUDI 31 VOLTAS
no top 5 das duas corridas. final, Mike Rockenfeller, que começou sábado. Müller saiu bem do primeiro lugar e 1 NICO MÜLLER AUDI +0.138
Na primeira corrida, Nico Müller esteve a corrida no quinto lugar, tentou a sua conseguiu manter Frijns e Rast à distância. 2 ROBIN FRIJNS AUDI +0.245
imparável, liderando o do início ao fim. sorte com uma paragem nas antecipada A maré mudou quando Müller completou a 3 RENÉ RAST AUDI +0.442
Foi a sétima vitória no DTM para o líder nas boxes. Chegou a ser segundo, mas sua paragem obrigatória na 11ª volta. Robin 4 MIKE R. AUDI +0.505
do campeonato. Depois de ter tido de acabou por ter cada vez mais falta de Frijns fez o mesmo apenas uma volta mais 5 LOÏC DUVAL
se contentar com dois terceiros lugares aderência nos pneus, e terminou apenas tarde, enquanto Müller teve de lutar com 31 VOLTAS
no DTM, há uma semana em Assen. em quarto. um problema técnico no seu Audi RS 5 DTM. CORRIDA 2 AUDI +4.281
O suíço do Audi RS 5 DTM dominou a Na segunda corrida, novo triunfo para Primeiro teve de deixar passar Frijns e depois 1 ROBIN FRIJNS AUDI +10.258
primeira corrida no Nürburgring. Com uma Robin Frijns, que encurtou a diferença no três outros colegas de marca com o líder do 2 RENÉ RAST AUDI +12.573
vantagem de mais de 15 segundos, Müller campeonato face a Nico Müller. Sheldon campeonato a terminar no quinto lugar. 3 MIKE R. AUDI +13.096
triunfou na frente do seu perseguidor, van der Linde, vencedor de Assen foi o 4 LOÏC DUVAL AUDI
René Rast. Na corrida de sábado, Müller melhor piloto BMW, em sexto. O DTM é 5 NICO MÜLLER
conseguiu o ‘hat trick’ do desporto sempre bom para surpresas: O piloto da
motorizado: pole position, vitória e volta Audi, Robin Frijns, celebrou a segunda
mais rápida na corrida. Não podia ser vitória do DTM na segunda corrida de
melhor. Para o bicampeão DTM, foi o 35º Nürburgring, enquanto o atual campeão,
lugar no pódio da sua carreira. A largada René Rast, foi segundo à frente de Mike
teve lugar sem quaisquer alterações no Rockenfeller. Na corrida, no início tudo
topo, Müller saiu bem e defendeu a sua parecia apontar para mais um triunfo

37

RUI MADEIRA DE REGRESSO
À COMPETIÇÃO

mente para pilotos e equipas que gamento da situação de Alerta, Depois de ver o ambicioso calendário Rali de Vouzela terá honras de
gastaram dinheiro na deslocação face aos riscos de incêndio, até internacional que tinha preparado abertura das “hostilidades” por
para a Sertã e Vila Velha de Ródão e ao dia 13 de Setembro, se dirige para 2020 ficar fora de hipótese, parte da dupla. A prova organizada
tiveram que voltar a casa de mãos à comunicação Social e expres- devido ao surto pandémico, Rui pelo GAS e que vai para a estrada nos
a abanar. samente refere a proibição “… de Madeira vai finalmente “a jogo”, dias 26 e 27 de setembro será em
O Ministro da Administração prova de automobilismo na re- no ano em que comemora 30 anos asfalto e, em jeito de antecipação,
Interna, Eduardo Cabrita, fez algo gião de Castelo Branco, e que foi de carreira. Serão quatro os ralis Rui Madeira garante: “Estaremos
inédito. Foi a primeira vez na his- já transmitido aos organizado- que contarão com a presença do lá para não só andar rápido, mas
tória do automobilismo português res, …”, o que não corresponde à consagrado piloto arquiteto e todos para dar espetáculo e assim
que um Ministro ‘proíbiu’ uma pro- verdade. Acatámos tal proibição em território nacional. São três honrar os pergaminhos dos nossos
va em direto na TV, em conferência neste contexto informal por não décadas de carreira para o arquiteto patrocinadores e da nossa carreira.
de imprensa, dizendo que não se querer por em causa as várias de Almada que, depois de uma longa Estamos muito contentes por
iria realizar o evento, mas dizendo entidades envolvidas e aguar- espera, vê chegar a hora de ouvir finalmente poder competir e Vouzela
também que os organizadores já dámos que a mesma nos fosse rugir o motor do Mitsubishi Lancer tem tudo para nos agradar, pois,
tinham sido informados, o que es- notificada. Lamentavelmente, até saído também então das oficinas da pelo que sabemos, tem excelentes
tes desmentiram em comunicado: ao momento, mais de 24 horas Ralliart e com que Rui Madeira e Nuno especiais e é um rali que, ano após
“Após vários meses de trabalho (...) depois, não chegou à “Escuderia Rodrigues da Silva vão novamente ano, tem vindo a ganhar prestígio”.
tudo estava pronto. Perante a si- Castelo Branco” qualquer comu- competir, comemorando os 30 anos Seguir-se-ão os ralis Spirit, Luso
tuação de Alerta, face aos riscos de nicação ou notificação sobre a de carreira do piloto que 1995 deu a e Camélias, num calendário que
incêndio, não obtivemos qualquer proibição da prova”. Resumindo, Portugal o título da Taça FIA de Grupo “dentro dos condicionalismos, se
objeção por parte de nenhuma das foi má a forma como o Ministro N, dando então a Portugal o primeiro revela bem aliciante para nós e para
Câmaras Municipais envolvidas procedeu, informando através da grande triunfo no Mundial de Ralis. quem nos apoia”.
na realização da prova (...) Face a TV, sem antes dar conhecimento De fora ficam as provas inicialmente Frustrados os planos iniciais para
todas estas situações, e porque a quem de direito, mas a verdade previstas, com a exceção do Spirit, o ano corrente, Rui Madeira não
estavam reunidas as condições e é que durante o fim de semana pois, como lamenta Rui Madeira, esconde que “gostaria de fazer
com a anuência de todas as enti- houve um grande incêndio em foram “todas anuladas devido ao transitar para 2021 o ambicioso
dades e autoridades competentes Proença a Nova. COVID-19, gorando assim os nossos projeto que tínhamos garantido
envolvidas, iniciámos a competi- Agora, a Escuderia Castelo Branco planos internacionais. É uma situação para este ano. Vamos falar com
ção, com a entrega de materiais e vai avançar para a realização da totalmente compreensível, devido os nossos patrocinadores e logo
documentos aos participante, após Baja TT do Pinhal nos dias 19 e 20 a este momento grave e único que veremos se receberemos luz verde
o que fomos surpreendidos com de setembro. A solução encon- atravessamos e devemos é realçar para concretizar as presenças
uma reportagem televisiva, na trada foi aceite pela FMP e FPAK, a coragem dos organizadores, em ralis internacionais de grande
qual, o Ministro da Administração mas o AutoSport sabe que do lado principalmente os nacionais, que prestígio, dentro dos que se inserem
Interna, na sequência do prolon- dos autos há dúvidas por parte estão a conseguir montar provas no espírito Legends”, não rejeitando
de muita gente: há de momento e, pelo que vem sucedendo, com a hipótese de alinhar “no Rali Fafe
várias questões em aberto e na todas as garantias de segurança e Montelongo, se este conseguir
verdade ter duas provas de TT com sucesso competitivo. Estão de entrar, no próximo ano, para o
separadas por uma semana será parabéns.” Europeu de Históricos. Gostaríamos
algo inédito. A Baja TT do Pinhal E será em terras beirãs que a dupla muito de lá ir competir com o Lancer,
vai, assim, ter lugar, com o mesmo “mundialista” voltará a estar no medindo, uma vez mais, forças com
formato competitivo que tinha habitáculo do seu Lancer. O Constálica os melhores da Europa.”
sido apresentado.

>>motosport.com.pt

MOTOGP
SAN MARINO

ODIADE
MORBIDELLI

Paulo Araújo 39
[email protected]
Num ano que, perante a continuada ausência de Marc FOTOS Oficiais
Márquez, se está a provar cheio de revelações, Morbidelli, da
Yamaha Petronas, foi mais um vencedor surpresa, liderando SanMarinomaisumavezprovou
ser uma pista Yamaha, com os
do início ao fim para vencer sobre Bagnaia e Mir treinos dominados alternada-
mente por Viñales, Quartararo
e Rossi, que estava em gran-
de forma, com o resultado em
que, pela primeira vez de há longa data,
4 Yamaha preencheram as primeiras 4
posições na grelha. Na corrida, perante
os 10.000 espectadores admitidos que
preenchiam esparsamente as bancadas
do circuito em Misano, Morbidelli usou
toda a sua aprendizagem para dominar a
corrida de fio a pavio, seguido por Rossi e
Miller na fase inicial. Um segundo grupo
era liderado por Viñales que nunca con-
cretizou a sua ameaça sobre Quartararo,
Rins, Mir, Bagnaia, Dovi e Zarco. À sétima
volta, Quartararo cai, perdendo logo aí a
liderança do Mundial para Dovizioso, e
Rins, na Suzuki, ultrapassa Viñales para
quarto. Morbidelli vai abrindo um intervalo
de0,4ssobreRossimaséBagnaiaquevem
de trás para passar Mir para sexto. Rins
e Bagnaia, ambos com slicks traseiros
macios, pressionam Rossi pelo lugar do
pódio, todos a três décimas de Mir, e Miller
mais atrás. Bagnaia vem passar Rossi para
segundo a 7 voltas do final quando Franco
Morbidelli lidera com uma vantagem de
quase 3 segundos e a grande luta é pelo
segundo entre Bagnaia, Rossi e Rins.
A três voltas do final a luta é toda en-
tre Bagnaia, Rossi, Rins e Mir enquanto
Bagnaia parece estar com problemas com
o seu pneu traseiro macio.. Na última volta,
com Morbidelli a ver a bandeira para a sua
primeira vitória em MotoGP, Rossi ainda
defende o terceiro mas Mir vem de trás
para se meter por dentro face ao veterano
da Yamaha para o excluir do pódio.
MiraindasecolocaaoladodeBagnaiamas
ficaem3ºatrásdoItalianoregressadodele-
são...ÉaprimeiraveznoMundialqueháum
quarto estreante nas vitórias numa época,
depois de Quartararo, Binder e Oliveira!
“Ainda não processei isto tudo, mas defi-
nitivamente é uma boa sensação, estou a
gozar este momento...” disse um incrédulo
Morbidelli depois do triunfo.

C/ C L A S S I F I C A Ç Ã O

MOTOGP F. MORBIDELLI 42:02.272
1 21 F. BAGNAIA +2,217
2 63 J. MIR +2,290
3 36 V. ROSSI +2,643
4 46 A. RINS +4,044
5 42
76 PTS
CAMPEONATO 70 PTS
1 ANDREA DOVIZIOSO 64 PTS
2 FABIO QUARTARARO 60 PTS
3 JACK MILLER 58 PTS
4 JOAN MIR 48 PTS
5 MAVERICK VIÑALES
10 MIGUEL OLIVEIRA

40

>>motosport.com.pt

MIGUEL OLIVEIRA

O RESULTADO
POSSÍVEL,
QUASE NO
TOP 10

M iguelOliveiraelevou-nos queda de Quartararo, ganhando um Entretanto Binder carregava de trás durante as três voltas seguintes, antes
de tal modo as expecta- lugar, foi ultrapassado por Binder e e passou Espargaró e Oliveira, que de ser passado por Pol à entrada da
tivas com a sua vitória acabou por ficar na mesma posição. assim se encontra de novo em 12º, penúltima volta para acabarem 11º. Os
há duas semana, que Logo a seguir, porém, o piloto português mas recuperou quando Zarco baixou 5 pontos assim ganhos elevam o seu
tudo o resto agora vai da Tech3 ultrapassaria o seu colega da de rendimento e ultrapassou de novo total para 48, mas ao mesmo tempo,
saber a pouco. fábrica e passou a rodar em 13º durante Binder. Assim, na vigésima terceira desce para a 10ª posição no campeo-
Decerto, nos treinos em Misano es- as cinco voltas seguintes colado a Pol volta esteve na sua mais alta posi- nato, comentando a seguir: “Foi uma
teve muito discreto, com as KTM em Espargaró, até que à 19ª volta viu opor- ção na corrida, colado a Nakagami corrida complicada, tivemos várias
geral em dificuldades numa pista que tunidade de o passar e estava em 11º. na Honda da LCR e dentro do top 10 dificuldades no início para recuperar
favorece muito mais a velocidade em algumas posições, pois tínhamos al-
curva das Yamaha... Depois de falhar a guns adversários com uma escolha
qualificação automática com algumas de pneus diferentes da nossa. Isso
voltas por bandeiras amarelas cance- dificultou a vida porque eles eram
ladas, Oliveira teve uma boa prestação muito rápidos no início, mas depois
passando à Q2 com Espargaró, só para começaram a atrasar-me um bocadi-
qualificar apenas 12º. nho no grupo onde eu estava. Porém, o
Ciente de ter o trabalho dificultado ao meu ritmo foi bastante bom durante a
arrancar da quarta fila da grelha para corrida toda, mas já estava muito longe
a corrida de 27 voltas, Miguel Oliveira de poder chegar ao meu objetivo de
achou-se em 15º à primeira volta e fez estar entre os cinco primeiros. Temos
uma corrida inteligente, recuperando agora uma oportunidade de testar
como pode entre um bando de pilotos algumas soluções num teste aqui em
mais rápidos no início devido a uma Misano para poder melhorar, sobretu-
escolha de pneus diferente. do a nossa qualificação. A posição de
Primeiro, teve que seguir Petrucci arranque é super-importante neste
durante sete voltas e ainda por cima, circuito e é isso que estamos focados
quando à oitava volta iria beneficiar da em melhorar para o próximo fim de
semana!”

41

MOTO2 SAN MARINO

LUCA MARINI DISTANCIA-SE

C/ C L A S S I F I C A Ç Ã O

MOTO2 L. MARINI 40:41.774
1 10 M. BEZZECCHI +0,799
2 72 E. BASTIANINI +0,897
3 33 X. VIERGE +2,177
4 97 A. FERNANDEZ +8,307
5 37
112 PTS
CAMPEONATO 95 PTS
1 L. MARINI – KALEX SKY VR46 85 PTS
2 E. BASTIANINI – KALEX ITALTRANS 79 PTS
3 M. BEZZECCHI – KALEX VR46 68 PTS
4 J. MARTIN - KTM RED BULL AJO
5 T. NAGASHIMA – KTM RED BULL AJO

Aproveitando a ausência de Martin, que testou grelha. Ironia do destino, Gardner não viria a participar sobre Bezzecchi, depois vinham Vierge, Schrotter,
positivo ao Covid, Marini venceu após liderar toda a depois de se lesionar no Warm Up e assim o palco Fernandez, Luthi DiGia e Nagashima.
corrida. Sam Lowes fez todos os treinos livres sabendo estava montado para o domínio das VR46. Sem esperar Pouco depois, a 7 voltas do final, Marini teve um
que, independentemente do resultado, teria que por mais convites, Marini teve um arranque prodigioso neutro falso e Bezzecchi liderou por instantes, com
arrancar do Pit Lane por uma penalidade imposta da da linha para liderar Bezzecchi e Bastianini, com Marcel Schrotter a cair da corrida na mesma volta.
última corrida. Mesmo assim o inglês da Marc VDS Schtotter e Vierge perto e Lowes a arrancar do pit lane Porém, Marini estava determinado e o meio-irmão de
foi dos mais rápidos nos treinos e fez a Pole, só para e a recuperar da parte de trás para chegar a 20º. Rossi regressaria à liderança para vencer e reforçar a
ser substituído pelo segundo, Gardner, na frente da A meio da corrida Marini liderava por nove décimas liderança no Campeonato.

MOTO3 SAN MARINO

MCPHEEVENCEERELANÇAOCAMPEONATO

John McPhee encetou a recuperação do fim de semana na afastaria logo alguns dos candidatos à vitória. Um longo comboio à frente com os primeiros 16 pilotos viu
Honda da Petronas para vencer um Grande Prémio de onde O argentino Rodrigo instalou-se no comando mas em breve McPhee liderar sobre Rodrigo e Arenas, mas a vantagem
saiu de 17º na grelha. Se os treinos fossem determinantes, Suzuki alternava a liderança, formando um grupinho de foi para McPhee quando Arenas caiu a duas voltas do fim,
Raul Fernández seria o vencedor natural do Grande Prémio quatro onde estavam também Binder e Arbolino, enquanto quase levando Oncu com ele.
de San Marino, depois de dominar boa parte dos treinos, McPhee chegava a nono e Arenas a oitavo. Apesar de um ataque tardio de Ogura, McPhee liderava
mas no final também Ai Ogura e Rodrigo se destacaram na Binder liderou a dez voltas do final, mas caiu de seguida de novo, para vencer sobre Ogura e Suzuki, com Alcoba e
qualificação, só para ver Fernandes liderar o Warm Up de para deixar Masia no comando e Suzuki de novo segundo... Rodrigo a uma pequena distância...
domingo de manhã com a volta mais rápida do fim-de- Atrás, McPhee chegava a quinto e Arenas a sexto, mas a “Cheguei a 11º ou 12º e pensei pra mim, não vou ficar por
semana. No entanto, na corrida seria Ogura a arrancar à seis voltas do final Rodrigo liderava de novo. McPhee e aqui, vou carregar e vamos ver o que dá”, diria depois
frente da primeira fila, seguido por Migno e Rodrigo, quando Arenas estavam em terceiro e quarto atrás de Masia e McPhee acerca da vitória que o coloca de novo na corrida
uma queda logo a seguir de Vietti, Fernández e Garcia Suzuki quinto, à frente de Ogura e Arbolino. pelo título a 14 pontos do líder Arenas.

C/ C L A S S I F I C A Ç Ã O

MOTO3 39.48.95210
1 J. MCPHEE +0,037
2 A. OGURA +0,232
3 T. SUZUKI +0,393
4 J. ALCOBA +0,490
5 G. RODRIGO
106 PTS
CAMPEONATO 101 PTS
1 A. ARENAS 92 PTS
2 A. OGURA 75 PTS
3 J. MCPHEE 70 PTS
4 T. SUZUKI
5 T. ARBOLINO

>>motosport.com.pt

YAMAHA

» MT07

A ESTRELA DO SEGMENTO

A Yamaha chama à sua MT07 uma Hyper Naked, salientando
as características desportivas do motor bicilíndrico paralelo
de 689cc e 75 cavalos, mas o que ela é, isso sim, é uma
excelente moto para utilização mista, acessível, versátil e ágil

Paulo Araújo a responder muito a partir de baixos
[email protected] regimes e aparentemente dotado de
uma suavidade infindável. Graças a esta
Asorigens do modelo recuam unidade de 8 válvulas, a Yamaha MT 07
a 2014, tendo passado a ter está tão à vontade no trânsito citadino
travagem ABS como equi- como em curtos percursos de Auto-
pamento de origem em 2018, estrada ou a atravessar estradas regio-
e agora recebido uma atua- nais dando luta a alguma desportiva. O
lização estética para 2020. motor é mesmo a estrela deste conjunto,
uma unidade espantosamente flexível
O MOTOR e agradável com uma boa sensação de
O motor de 689cc da Yamaha MT07 resposta no punho, reação imediata a
debita 75 cavalos produzidos às 9.000 qualquer solicitação do acelerador e
RPM e é um bicilíndrico paralelo CP2, uma suavidade que nega a sua con-
que emprega a tecnologia de desfa- figuração de bicilíndrico paralelo. Só
samento da cambota a 270 graus a se permitirmos o motor baixar muito
que a Yamaha chama “Crossplane”. de regime é que vamos experimentar
Esta tecnologia, proveniente da R1 de aquele bater típico deste tipo de mo-
Superbike, desfasa a ordem de disparo tores, de resto, acima das 3.500 até ao
dos cilindros a 270 graus, em vez dos 180 redline de 9.000 e um bocadinho para
graus convencionais, está na origem da lá, o motor fornece sempre potência,
sensação de suavidade e excelentes subindo alegremente de regime com
caraterísticas de tração do motor, que suavidade e acelerações adequadas,
parece quase um V2, sempre pronto se não propriamente espantosas, até
bem para lá do que seria confortável,
ou legal, levar uma naked.

A CICLÍSTICA

Quando dizemos que o motor é a estrela
do conjunto, até porque, como de rigor
nas Yamaha, é servido por uma caixa

43

44

>>motosport.com.pt

suave, de seleção positiva e bem esca- tendência a repetir muito qualquer so-
lonada ao longo das suas 6 relações, não lavanco nas nossas estradas, e embora
se entenda por isso que falta alguma maravilhosamente complementada por
coisa ao chassis da Yamaha MT07. um excelente amortecedor traseiro,
Pelo contrário, também aqui a moto está montado diretamente nos cárteres, que
imensamente à vontade em manobras ajuda à simplicidade do modelo, isso
lentas ou em curvas profundas a maior pode tornar condução espirituosa um
velocidade, e revelou muita linearida- bocadinho desagradável. Do lado da
de quer na inserção em curva quer na travagem também não há nada dizer,
manutenção da trajetória escolhida. o excelente disco traseiro de 245 mm
Só que, lá está, com um preço base dá imensa sensação e é ótimo em ci-
de €6.995 não se pode pedir tudo e dade, e os dois potentes discos pétala
o calcanhar de Aquiles desta MT07 é de 282 mm à frente também cumprem
um garfo dianteiro sem ajuste e um perfeitamente a sua função, sem que
bocadinho duro demais. A unidade tem a mordida por vezes seja tão imediata

CONCORRÊNCIA DUCATI MONSTER 797 - 797 CC KAWASAKI Z650 - 649 CC SUZUKI GSX750A - 749 CC

BENELLI 752S - 754 CC 68 CV 68 CV 99 CV

75 CV POTÊNCIA POTÊNCIA POTÊNCIA

POTÊNCIA 197 KG 197 KG 211 KG

226 KG PESO PESO PESO

PESO 7 390€ 7 390€ 9 399€

7 480€ PREÇO BASE PREÇO BASE PREÇO BASE

PREÇO BASE

45

como outros modelos que poderíamos várias. Com a Yamaha a reclamar cerca um bocadinho mais, porque parece que FT/ F I C H A T É C N I C A
mencionar. de 4,3 l de consumo aos 100 para este a cada passeio está a acusar a neces-
A MT07 insere-se na série a que a modelo, confessamos que esperávamos sidade de ser reabastecido de novo. 689 CC
Yamaha vem chamando “The Dark Side um bocadinho mais de economia, pois As versões de cor disponíveis deste
of Japan”, um piscar de olhos às suas ir- na verdade com condução espirituosa modelo são três, com a unidade ensaia- CILINDRADA
mãs maiores MT10 e MT09, verdadeiras, o modelo fica-se por volta dos 5,5 l, que da o chamado Ice Fluo, um cinza mate
streetfighters. mesmo assim, em vista das prestações, onde ressaltam pormenores como as 74,8 CV
A condução desportiva resultante, não é assustador. linhas no depósito e jantes a laranja
que é uma vocação escondida desta A MT07 tem um bom banco, relativa- fluo, o Icon Blue, um azul profundo que POTÊNCIA
moto, é ajudada pelos excelente pneus mente confortável para o condutor, é muito típico Yamaha e lindíssimo na
Bridgestone, em 120/70/17 dianteiro e mas nem tanto para o pendura, até nossa opinião, e um negro HiTek Black 14 L
180/55/17 traseiro, que muito contri- porque a pequena plataforma que lhe para quem gosta de apostar numa coisa
buem para a maneabilidade e compor- é destinada é um bocadinho afastada mais discreta. DEPÓSITO
tamento linear nas curvas, sem serem para trás e cria um intervalo entre
alheios ao ocasional escorregão sobre ambos. O seu peso de 182 quilos, tudo A CONCORRÊNCIA 182 KG
linhas brancas, mas nunca nos fazendo inclusivo, acaba por se revelar muito
perder a confiança no conjunto. ligeiro em condução, mas talvez gos- Quanto à concorrência, existe a PESO
tássemos que o depósito de 14 l levasse Kawasaki Z650, que custa 7.390 Euros
ERGONOMIA embora com 68 cv às 8.000 rpm ofereça 6 995€
menos 7 cavalos que a MT07, a Benelli
Em termos de ergonomia, a moto tam- 752S, com os mesmos 75 cavalos mas PREÇO BASE
bém é uma boa combinação de acessi- mais peso, 226 Kg e um preço ligeira-
bilidade e conforto, vamos sentados algo mente mais elevado de 7.480€, e a Ducati MOTOR BICILÍNDRICO, REFRIG. LÍQUIDA, 4 TEMPOS,
direitos no banco de 805 mm de altura, Monster 797, que oferece exatamente DOHC 8 VÁLVULAS POTÊNCIA 74,8 CV ÀS 9.000 RPM
com os pés colocados corretamente, a mesma potência de 75 cv para 175 BINÁRIO MÁXIMO 68 NM/6.500RPM DIÂMETRO
nem muito à frente nem muito para trás, Kg, mas por um preço também mais X CURSO 80 X 68,6 MM IGNIÇÃO /ALIMENTAÇÃO
e graças ao guiador quase plano, com elevado de 9.345 Euros...finalmente, a TCI/ INJEÇÃO ELETRÓNICA EMISSÕES CO2 100 G/
um bocadinho de inclinação podemos Suzuki GSX750A, que com motor tetra KM DE CO2 CILINDRADA 689 CC EMBRAIAGEM
facilmente chegar à frente e tirar o corpo cilíndrico tem muito mais potência, 99 MULTIDISCO EM BANHO DE ÓLEO CICLÍSTICA
do vento, visto a proteção aerodinâmica cavalos, mas também custa 9,399 Euros DIAMANTE EM AÇO TUBULAR DIMENSÕES 2.085 X
ser praticamente inexistente. Isto em e pesa 211 Kg. 745 X 1090 MM SUSPENSÃO FRENTE FORQUILHA
velocidades acima dos 140 Km/h, até lá Decerto, as qualidades que salientámos TELESCÓPICA, CURSO 110 MM SUSPENSÃO
a inclinação normal do tronco dada pelo de agilidade, flexibilidade, boa resposta TRASEIRA MONOAMORTECEDOR EM BRAÇO
guiador algo direito e bastante curto é motor e ainda por cima uma excelente OSCILANTE, CURSO 75 MM ANGULO DIREÇÃO/ TRAIL
perfeitamente adequada. A informa- relação preço-desempenho colocam 24.50 GRAUS /90 MM PNEU FRENTE 120/70 R17 PNEU
ção no pequeno mostrador LED inclui a MT07 como a estrela do segmento, TRÁS 180/55 R17 TUBELESS TRAVÃO DIANTEIRO
trips, mudança selecionada, nível de uma moto ágil, versátil, agradável de DISCOS 282 MM C ABS TRAVÃO TRASEIRO DISCO
combustível, horas, e luzes avisadoras conduzir e confortável. 245 MM C ABS ALTURA DO ASSENTO 805 MM
DISTÂNCIA ENTRE EIXOS 1400 MM DISTÂNCIA
LIVRE AO SOLO 140 MM TRANSMISSÃO FINAL
CORRENTE PESO, ORDEM DE MARCHA 182 KG
DEPÓSITO DE COMBUSTÍVEL 14 LITROS

AUTO+ mais

OPEL os segmentos, o que deveria possibilitar essa lotação
esgotada com maior facilidade. Esse não é o caso do
» CORSA 1.2 130 GS LINE novo 208 e, como seria de esperar, deste Corsa, pois
os passageiros de trás viajam bem juntos e acedem
ESTE NÃO É O MAIS ECONÓMICO, MAS É O MAIS DIVERTIDO! ao interior através de portas muito pequenas que não
facilitam o acesso. Cumpre, mas à justa. Mais à frente,
Este é o primeiro Opel Corsa da sua história de 38 anos a ser desenvolvido condutor e passageiro viajam melhor, neste exemplar
no seio de um outro grande grupo automóvel, a PSA sentados em bancos desportivos, com bastante apoio
para as curvas de que este Corsa tanto gosta. A posição
João Isaac portas. Ainda assim, é facilmente identificável como um de condução agradará certamente aos mais entusiastas,
[email protected] automóvel da marca do relâmpago, com um equilíbrio permitindo colocar o banco bem para baixo e o volante
muito interessante de linhas, apelativas e modernas, perto do peito para uma maior ligação à experiência de
Este Corsa tem assim genes franceses, pois par- mas suaves, sem vincos e detalhes exagerados. Quando condução. Por oposição ao 208, o painel de instrumentos
tilha plataforma, motores e outros componentes colocado lado a lado com o seu meio-irmão francês, são do Corsa mantém os mostradores analógicos, solução
com, por exemplo, o novo 208 da Peugeot. Será bem notórias as diferenças. O 208 é um daqueles carros apontada aos clientes mais conservadores, assim como
que o Corsa perdeu a sua personalidade alemã? O de que se gosta mesmo ou não se liga nenhuma. O Corsa o muito fácil de utilizar ar condicionado manual, com
que mudou? Mantém ainda a imagem de utilitário é um produto do qual é bem mais fácil de se gostar. comandos rotativos e botões físicos. Obrigado, Opel.
confortável e robusto ou é agora também mais
dinâmico? Foi exatamente isso que nos propusemos a POR DENTRO, BEM MELHOR PARA OS DA FRENTE PEQUENO EM TAMANHO,
descobrir a bordo da versão mais potente e desportiva Um dos principais atributos de um bom utilitário é con-
da gama, o GS Line com motor a gasolina de 130 cavalos. seguir oferecer, numa carroçaria compacta, um habi- GRANDE NO DESEMPENHO
Comparativamente à geração anterior, o Corsa está muito táculo em que seja possível, ainda que pontualmente,
diferente, com um design bem mais atual e desportivo, transportar quatro ou até mesmo cinco passageiros. Este motor a gasolina, 1.2 Turbo, três cilindros, com 130
embora esteja agora apenas disponível numa carro- E nos últimos anos, a tendência de crescimentos dos cavalos não será a motorização com maior expressão
çaria mais prática e, até certo ponto, familiar com cinco “nossos” automóveis” tem sido transversal a todos nas vendas do Corsa. Não é a mais poupada, pois a gama
inclui também os eficientes propulsores Diesel bem
como uma versão totalmente elétrica, mas é a mais
potente na oferta a combustão e por isso aquela que
melhor permite explorar as boas capacidades dinâmicas
que este mais recente Corsa tem para oferecer. Enérgico
desde baixos regimes, graças a um binário de 230 Nm
logo às 1750 rpm e sempre com potência disponível
debaixo do pé direito, todo o pulmão deste pequeno
motor é muito bem explorado pela caixa EAT8. É certo

>> autosport.pt/automais

47

que o convite a puxar pelos 130 cavalos e pela agilidade GS Line pode muito bem ser a opção perfeita. A FT/ F I C H A T É C N I C A
do chassis do Corsa é constante. Mas também é verdade combinação de um chassis de afinação dinâmica
que resistimos durante muitos quilómetros à tentação e com a leveza do conjunto e a performance dos 130 1.2 / 130 CV
foi difícil levar a média a descer dos 7 lt/100 km. O modo cavalos resultam num Corsa muito apelativo para
Eco dá uma ajuda a poupar algumas décimas, mas em quem um utilitário é o carro perfeito para a semana GASOLINA
circuito combinado e com uma condução normal e de trabalho e as curvas são o palco de eleição para
despreocupada, são expetáveis médias dentro dessa algum divertimento no fim de semana. O Corsa não 8.7 S
gama de valores, entre os 6,5 e os 8 litros. perdeu identidade. Está diferente, isso sim. Está
agora muito mais dinâmico, mantendo intactos os 0-100 KM/H
CURVAS É COM ELE argumentos de peso que sempre fizeram do nome
Para quem um verdadeiro desportivo compacto de Corsa uma referência num dos segmentos mais 6,0 L / 7.1 L (AUTOSPORT)
segmento B é algo demasiado radical, este Corsa relevantes do mercado.
100 KM

136

G/KM- CO2

23 010€

PREÇO BASE

COMPORTAMENTO;
PERFORMANCE; EQUIPAMENTO

CONSUMO; HABITABILIDADE TRASEIRA

MOTOR 3 CILINDROS EM LINHA,
INJEÇÃO DIRETA, TURBO, GASOLINA
CILINDRADA (CM3): 1199 POTÊNCIA (CV/
RPM): 130/5500 BINÁRIO (NM/RPM):
230/1750 TRANSMISSÃO AUTOMÁTICA
DE 8 VELOCIDADES DIREÇÃO PINHÃO E
CREMALHEIRA ASSISTIDA ELETRICAMENTE
SUSPENSÃO INDEPENDENTE TIPO
MCPHERSON/BARRA DE TORÇÃO TRAVAGEM
(FR/TR): DISCOS VENTILADOS/DISCOS PESO
1019 KG MALA 309 LITROS DEPÓSITO 44
LITROS VEL. MÁX. 208 KM/H

E/ Dando cumprimento ao estabelecido no n° mais importantes provas de desporto au- leitores uma informação atual, rigorosa abordagem e de análise dos factos noti-
1 do artigo 17° da Lei 2/99, de 13 de Janeiro, tomóvel disputadas em território nacional e de qualidade, opinando sobre tudo o ciosos, com total abertura à interativi-
ESTATUTO Lei da Imprensa, publica-se o Estatuto e no estrangeiro, relata acontecimentos que se passa na área do automóvel e dos dade com a sua comunidade de leitores.
EDITORIAL Editorial da publicação periódica AutoSport: ligados à competição automóvel, bem como automobilistas, numa perspetiva plural, 4. O AutoSport pratica um jornalismo pau-
1. O AutoSport é um semanário dedicado temas que versam o automóvel como bem recusando o sensacionalismo e respeitan- tado pela isenção, sem comprometimentos
ao automóvel e aos automobilistas, nas de consumo, tanto na área industrial como do a esfera da privacidade dos cidadãos. ou enfeudamentos, tendo apenas como
suas mais distintas vertentes: desporto e comercial. 3. O AutoSport pauta as suas opções edito- pressuposto editorial facultar a melhor
competição, comércio, indústria, segurança 2. O AutoSport está comprometido com riais por critérios de atualidade, interesse informação e a melhor formação aos seus
e problemática rodoviária. O AutoSport o exercício de um jornalismo formativo e informativo e qualidade, procurando apre- leitores, seguindo sempre as mais elemen-
edita, semanalmente, conteúdos sobre as informativo e procura oferecer aos seus sentar aos seus leitores a mais completa tares normas deontológicas.

PROPRIEDADE FOLLOW MEDIA COMUNICAÇÃO UNIPESSOAL, LDA. – NIPC 510430880, RUA DOS PINHEIROS 47, CASA 4, BICESSE, 2645-535 ALCABIDECHE DETENTORES DE CAPITAL PEDRO CORRÊA MENDES
GERÊNCIA PEDRO CORRÊA MENDES [email protected] DIRETOR PEDRO CORRÊA MENDES [email protected] DIRETOR-EXECUTIVO JOSÉ LUÍS ABREU [email protected]
COLABORADORES DAVID PACHECO, FÁBIO MENDES, JOÃO F. FARIA, JORGE GIRÃO, JORGE REIS, JOSÉ MANUEL COSTA, MARTIN HOLMES, NUNO BRANCO FOTOGRAFIA AIFA/JORGE CUNHA, ANDRÉ LAVADINHO, ZOOM MOTORSPORT/ANTÓNIO SILVA
DESIGNER GRÁFICA ANA SILVA [email protected], HERBERTO SANTOS IMPRESSÃO SOGAPAL, S. A., SOC. GRÁFICA DA PAIÃ, S.A. - ESTRADA DE SÃO MARCOS, 27, SÃO MARCOS - 2735-521 AGUALVA- CACÉM DISTRIBUIÇÃO VASP – DISTRIBUIDORA DE
PUBLICAÇÕES, S. A., TIRAGEM 15 000 EXEMPLARES REGISTO NA ERC 105448 DEPÓSITO LEGAL Nº 68970/73 – COPYRIGHT© TODOS OS DIREITOS RESERVADOS DE ACORDO COM A LEGISLAÇÃO EM VIGOR. EMVIRTUDE DO DISPOSTO NO ARTIGO 68
Nº2, I) E J), ARTIGO 75º Nº2, M) DO CÓDIGO DO DIRETOR DE AUTOR E DOS DIREITOS CONEXOS ARTIGOS 10º E 10º BIS DA CONV. DE BERNA, SÃO EXPRESSAMENTE PROIBIDAS A REPRODUÇÃO, A DISTRIBUIÇÃO, A COMUNICAÇÃO PÚBLICA OU A COLOCAÇÃO
À DISPOSIÇÃO, DA TOTALIDADE OU PARTE DOS CONTÉUDOS DESTA PUBLICAÇÃO, COM FINS COMERCIAIS DIRETOS OU INDIRETOS, EM QUALQUER SUPORTE E POR QUAISQUER MEIOS TÉCNICOS, SEM A AUTORIZAÇÃO DA FOLLOWMEDIA COMUNICAÇÃO,
UNIPESSOAL LDA. A FOLLOWMEDIA NÃO É RESPONSÁVEL PELO CONTÉUDO DOS ANÚNCIOS. EDIÇÃO ESCRITA AO ABRIGO DO NOVO ACORDO ORTOGRÁFICO. CONTACTO [email protected]


Click to View FlipBook Version
Previous Book
14 Patricia Drive
Next Book
Гарри Цыганов. Перлы.