The words you are searching are inside this book. To get more targeted content, please make full-text search by clicking here.
Discover the best professional documents and content resources in AnyFlip Document Base.
Search
Published by hmilheiro, 2020-12-14 14:04:14

autosport_2242

autosport_2242

#2242 O SEMANÁRIO DOS CAMPEÕES 43
ANO 43
anos
16/12/2020
Semanal >> autosport.pt

2,50€ (CONT.)

DIRETOR PEDRO CORRÊA MENDES

ARMINDO
ARAÚJO

CAMPEÃO SEXTOTÍTULO
PARA O PILOTO
SEGUNDO AO LADO

DE PORTUGAL DE RALIS DELUÍSRAMALHO
RALI DO ALGARVE
CANCELADO

PÁG. 44 PÁG. 40

BMW
S1000XR

GP ABU DHABI F1 TOYOTA
MAXVERSTAPPEN ESMAGAMERCEDES COROLLASD 1.8 HYBRID



3

I/ I N S TA N TÂ N E O SIGA-NOS EM EDIÇÃO

#2242
16/12/2020

f l> > a u t o s p o r t . p t
facebook.com/autosportpt twitter.com/AutoSportPT

FÓRMULA 1 17 corridas em apenas 23 semanas, mas pode dizer-se que a F1 2020 foi um sucesso. Na ‘bolha’ da F1 realizaram-se cerca José Luís Abreu
de 80.000 testes PCR, houve menos de 100 resultados positivos, ou seja 0,11%. Bem mais baixa que entre os 20 pilotos: 1,5%
DIRETOR-EXECUTIVO
S/ SEMÁFORO EM DIRETO
[email protected]
PARADO A ARRANCAR A FUNDO “Este título não é só meu e
do Luís, é de toda a minha O ano motorizado de 2020
Cancelamento do Rali Apesar do contexto, Ganhar dois equipa, dos meus parceiros está terminado, 2021
Casinos do Algarve o Dakar de 2021 campeonatos em três e sobretudo da The Racing está à porta com o pri-
anos só mostra que foi Factory que fez um trabalho meiro grande evento do
impediu de ser prepara-se para ser pena Armindo Araújo excelente durante todo o ano, o Dakar, e fazendo
perfeita a reação do uma prova com muitas ter estado cinco anos ano”, Armindo Araújo, distribuindo um balanço há duas for-
mas de olhar para a questão: copo
CPR à pandemia novidades fora dos ralis quotas de mérito na equipa e nos meio cheio ou meio vazio. É fácil
parceiros. dizermos o que não foi e poderia
O SEMANÁRIO DOS CAMPEÕES NA ERA DIGITAL ter sido, mas para quem viveu por
“Valores mais altos se dentro muitos eventos, quer seja
levantam e temos todos de Fórmula 1, Ralis ou Velocidade
de fazer um esforço para não tenham a mais pequena dúvida
ultrapassar esta pandemia que tem de ser visto como copo
para voltarmos aos ralis meio cheio. A dificuldade que foi
em 2021”, Ricardo Teodósio, organizar, participar e trabalhar
foi um enorme desafio para todos,
compreendendo que o esforço foi mas há uma coisa que tem de ser
grande em 2020, e há agora que olhar destacada.
para 2021. Não me lembro de ver uma compe-
tição, como sucedeu este ano com
“Estávamos prontos o CPR, em que o consenso fosse tão
para lutar pela vitória no abrangente, em pela primeira vez
Campeonato...”, O Team em muito tempo todos remaram
para o mesmo lado, colocando de
Hyundai Portugal, não pode ir parte interesses próprios, pensan-
à luta, e os adeptos perderam um do muito mais no bem comum. Ora,
possível final épico de temporada. era assim que devia ser sempre e
em todos os quadrantes, pois ao
Siga-nos nas redes sociais e saiba fim ao cabo as diversas ‘bolhas’
tudo sobre o desporto motorizado no competitivas que existem nos des-
computador, tablet ou smartphone via portos motorizados em Portugal,
facebook (facebook.com/autosportpt), devem sempre pensar no ‘produto’
twitter (AutosportPT) ou em como um todo e contribuir sempre
>> autosport.pt para que esse bolo seja cada vez
mais valorizado, e com isso ga-
nham todos. Cada um puxar para
o seu lado quase nunca acaba bem.
Era também importante que a
FPAK olhasse para o que sucedeu
no TT, e fechasse todos os buracos
possíveis e imaginários dos regu-
lamentos das várias competições
– aprendendo com o que sucedeu
- de modo a evitar que possa su-
ceder no futuro o que sucedeu este
ano. Ter sete pilotos a reclamar
para si três títulos distintos não é
normal.

4 F1/
FÓRMULA 1
GP DE ABU DHABI 17 D E 17

VERSTAPPEN
ESMAGA

MERCEDES

Desde o início da Era Turbohíbrida que a Mercedes nunca
tinha sido batida no fastidioso circuito de Yas Marina, mas no
passado domingo Max Verstappen infligiu uma pesada derrota
aos monolugares do construtor alemão, triunfando no Grande

Prémio de Abu Dhabi

Jorge Girão
[email protected]

FOTOS Oficiais

Apista desenhada na ilha de O Grande Prémio de Abu Dhabi deste onde foi suplantado por George Russell, forto estava instalado.
Yas ingressou no calendá- ano não fugiu à regra, tendo os adeptos Valtteri Bottas tinha novamente a res- Para além disso, numa qualificação
rio da categoria máxima voltado a assistir uma prova morna ponsabilidade de carregar as expecta- disputada como a de sábado passado,
em 2009 e, desde então, ao longo de cinquenta e cinco voltas, tivas da Mercedes. os três primeiros ficaram separados
nas primeiras dez edições apesar de uma situação de Safety-Car, Mas o fim- e-semana começava a cor- por 0,086s, o castramento das unidades
da prova, não há memória de na nona volta, quando Sérgio Pérez rer mal aos homens do construtor de de potência Mercedes poderá ter sido
uma corrida que tenha puxado pelas parou em pista com problemas na sua Estugarda logo na sexta-feira, quando suficiente para que, pela primeira vez
emoções dos adeptos, nem mesmo unidade de potência Mercedes. George Russell sofreu um problema este ano, o autor da pole-position não
quando lá se decidiram títulos, como Ainda assim, havia alguma expectativa, no MGU-K da unidade de potência do tivesse um V6 turbohíbrido alemão
foi o caso em 2010 ou 2016. dado que, depois de ter falhado o Grande seu Williams. nas costas, tendo sido Verstappen o
O conjunto de curvas pouco exigentes Prémio de Sakhir, por ter contraído a Sem perceber a questão técnica que le- responsável pela derrota infl gida.
em termos de pilotagem e as longas COVID-19, Lewis Hamilton regressava vou à falha do componente, a Mercedes Valtteri Bottas conseguia manter o seu
escapatórias de asfalto, deixam pouco aos comandos do seu monolugar, mas decidia reduzir o nível de performan- papel frente a um debilitado Hamilton,
espaço para que os pilotos possam desde cedo era evidente que não estava ce de todos os seu V6 turbohíbridos os dois ficaram separados por 0,061s.
fazer a diferença e para que os erros se- na sua melhor forma física, mostran- da grelha de partida para garantir o Por uma vez, Alex Albon conseguia
jam pagos de forma efectiva, nivelando do-se depauperado pela infecção de mínimo de fiabilidade. Segundo os colocar-se em redor da diferença mí-
por baixo as capacidades dos pilotos, que tinha sido alvo. responsáveis da marca alemã, esta nima que a Red Bull preconizava existir
o que produz corridas desprovidas de Após ter falhado o papel de líder em medida custava menos de um décimo regularmente entre si e Verstappen,
grandes momentos de interesse. pista da equipa de Brackley em Sakhir, de segundo por volta, mas o descon- 0,3s, mas o tailandês via-se suplantado

>> autosport.pt

5

por uma volta extraordinária de Lando doze segundos do seu colega de equi- 10 grande capacidade de gestão dos pneu-
Norris, o que o remetia para o quinto pa, que liderava confortavelmente a máticos da Pirelli, correndo o risco de
lugar da grelha de partida, vendo, nova- corrida, com mais de dois segundos de VITÓRIAS PARA VERSTAPPEN, APÓS A CORRIDA ficarem sem borracha na ponta fi al
mente, um carro com menos potencial vantagem para Bottas e mais de seis DE DOMINGO, O QUE DIZ BEM DOS ESFORÇOS da prova, o que poderia implicar uma
à sua frente. para Hamilton. DO HOLANDÊS, APESAR DE NÃO TER TIDO AINDA nova passagem pelas boxes.
Numa corrida em que os pneus teriam No entanto, na oitava volta a prova teria UM CARRO CAPAZ DE LHE PERMITIR LUTAR POR A partir da décima quarta volta, quan-
um papel decisivo no seu desfecho, os um “reset” provocado pelo Safety-Car TÍTULOS. do o Safety-Car regressou às boxes,
três primeiros arrancavam com pneus espoletado pelo abandono de Sérgio Verstappen passou a imprimir um an-
médios, ao passo que Albon teve de Pérez, que voltava a ter problemas na 400 damento que os seus perseguidores
recorrer aos macios para passar à Q3, unidade de potência Mercedes do seu não conseguiam replicar e ao cabo de
o que o deixava em desvantagem es- Racing Point. GRANDES PRÉMIOS DISPUTADOS PELA RENAULT onze voltas, tinha já uma vantagem de
tratégica face aos restantes pilotos das Era ainda cedo para fazer uma paragem ENQUANTO CONSTRUTOR, QUE NO PRÓXIMO ANO quase cinco segundos para Bottas, de
duas grandes. nas boxes programada, mas nenhum CEDE O TESTEMUNHO À ALPINE. mais de sete para Hamilton e mais de
dos pilotos da frente enjeitou a vanta- treze para Albon, que apesar de estar
CORRIDA MORNA gem estratégica de realizar uma troca a realizar a sua melhor prestação da
O arranque foi bastante calmo e os de pneus a baixo custo, tendo todos eles temporada, não tinha como mostrar o
cinco primeiros mantiveram as suas montado borrachas duras para levarem mesmo ritmo do seu colega de equipa.
posições, e só na sexta volta Albon até ao fi al da corrida. Os Mercedes, por seu lado, não tinham
suplantava Norris, estando já a quase Este era um desafio que exigia uma argumentos para o Red Bull RB16 Honda

F1/
FÓRMULA 1

6

GP DE ABU DHABI 17 D E 17

pilotado pelo holandês. 336,6 Se isto será uma previsão daquilo que tação da temporada, mas ainda assim,
Por diversas vezes Bottas e Hamilton poderá acontecer em 2021 só o tempo desde a décima quarta volta, logo após
foram avisados de que necessitavam de KM/H A VELOCIDADE MAIS ELEVADA REGISTADA o dirá. a saída do Safety-Car, e a trigésima
reduzir a distância para o líder, mas to- PELA FIA DURANTE O GRANDE PRÉMIO DE ABU Bottas assegurou sem grande brilho quinta, quando Verstappen passou
dos os seus esforços foram infrutíferos. DHABI, CORTESIA DE DANIEL RICCIARDO, EM o segundo posto, a quase 16 segundos a gerir o andamento, perdeu quinze
Até à trigésima quinta volta, o holandês RENAULT do holandês, ao passo que Hamilton, segundos, 0,7s por volta, o que desta
não dava qualquer possibilidade aos sem a energia física habitual, acabava feita foi suficiente para ter impacto
seus perseguidores e a sua vantagem as cinquenta e cinco voltas da prova a estratégico na corrida dos Mercedes,
para o fin andês subia para 7,9s, ao defender-se de Albon. mas poderá ser curto noutras situações
passo que o inglês estava já a 11,7s. O tailandês assinou a sua melhor pres- caso se mantenha na Red Bull.
Para além de não terem ritmo para
Verstappen, Bottas e Hamilton tinham
ainda de se haver com um desgaste
superior dos pneus relativamente ao
Red Bull e, pela primeira vez este ano,
estavam bloqueados estrategicamente,
uma vez que com a proximidade de
Albon, a sete segundos do inglês e a
onze do fin andês, não tinham como
opção realizar uma paragem nas boxes
extra sem perderem uma posição para
o tailandês.
Sem capacidade para contrariar o as-
cendente de Verstappen, os homens da
Mercedes viram o holandês caminhar
para a sua segunda vitória da tempo-
rada, décima na Fórmula 1, garantindo
o triunfo no derradeiro Grande Prémio
da temporada e numa pista em que os
“Flechas Prateadas” se mostravam
invencíveis desde 2013.
A corrida não será recordada pela sua
emoção, mas fica marcada por ter sido
a primeira vez que os Mercedes foram
derrotados em 2020 sem qualquer fator
estranho, apenas porque o trinómio
Verstappen-Red Bull-Honda era o mais
forte em pista.

M/ MOMENTO F/ FIGURA

QUALIFICAÇÃO - O Red Bull Honda nas mãos MAX VERSTAPPEN - O holandês esteve ir-
de Verstappen era o monolugar mais rápido repreensível em Yas Marina, conquistando
em pista, mas a pole-position que conquistou a pole-position, liderando todas as voltas,
teve o condão de infligir uma derrota inespera- vencendo e só perdeu a volta mais rápida
da à Mercedes, que admitiu não ter imaginado já perto do final, quando Daniel Ricciardo,
perder o melhor lugar da grelha de partida com pneus bastante mais frescos, tentou
em Yas Marina. No domingo, com um bom e conseguiu terminar a sua passagem pela
arranque, Verstappen teve apenas de mostrar Renault de uma forma ainda mais positiva.
que era imbatível em circunstâncias normais, Mais uma vez mostrou que, se a Red Bull
não tendo Bottas e Hamilton argumentos para lhe der um carro competitivo, poderá ser
contrariar o seu ascendente. um candidato ao título já em 2021.



F1/
FÓRMULA 1

8

GP DE ABU DHABI 17 D E 17

DCOOMSONPEcEQTGLLUÍUAOTINRTUSDÃETLNOOOA

O Grande Prémio de Abu Dhabi era o palco da decisão do “título
de construtores do Segundo Pelotão” e esperava-se uma luta
intensa entre Racing Point, McLaren e Renault. Depois da
vitória de Sérgio Pérez em Sakhir esperava-se que a formação
de Silverstone pudesse garantir o título oficioso, mas acabou
por ser a estrutura de Woking a impor-se com autoridade

Com a Ferrari fora da luta pelo Num segundo pelotão que se mostrava tar a pole-position, ao passo que Carlos médios, no caso de Ocon, e duros, no
terceiro lugar no Campeona- muito equilibrado, os McLaren e os Re- Sainz, com uma unidade de potência de Ricciardo, o que numa prova em que
to de Construtores, estas três nault revelavam-se muito competitivos, o mais antiga e menos potente, registava a gestão das borrachas da Pirelli seria
equipas chegavam a Yas Ma- que face à “defesa coxa” da Racing Point o sexto crono. um factor determinante poderia ser de
rina separadas por vinte e dois colocava esta sob pressão nesta na luta A Renault era a desilusão da tarde de sá- grande importância para o desfecho do
pontos e, se a Renault precisava pelo terceiro lugar no Campeonato de bado, não conseguindo colocar nenhum Grande Prémio e para a luta pelo terceiro
de um fim- e-semana perfeito para ficar Construtores. dos seus pilotos na Q3. Esteban Ocon lugar do Campeonato de Construtores.
apenas com a Mercedes e a Red Bull pela Para dificultar ainda mais a vida dos alinhava no décimo posto e Daniel Ric- No arranque, as posições mantiveram-se
frente, os dez pontos de desvantagem homens dos carros cor de rosa, Geor- ciardo no décimo primeiro, beneficiando inalteradas, com Norris no quarto posto
que a McLaren tinha face à Racing Point ge Russell sofria na segunda sessão de da penalização de três lugares na grelha seguido de Albon e Sainz, ao passo que
davam algumas esperanças aos homens treinos-livres um problema na MGU-K de partida de Charles Leclerc – cortesia Stroll seguia em oitavo com Ocon, Pierre
de cor de laranja. da unidade potência Mercedes do seu do incidente na Curva 4 do Grande Pré- Gasly e Ricciardo no seu encalço.
No papel, o entediante traçado que al- Williams semelhante ao vivido por Pérez mio de Sakhir – que tinha registado o Com estas posições, a Racing Point pre-
berga a derradeira prova da temporada na primeira corrida de Sakhir, fazendo nono tempo. cisava urgentemente que Sérgio Pérez se
parecia poder favorecer o “Mercedes Cor soar os alarmes em Brixworth. Com Pérez remetido para décimo nono colocasse em condições de lutar pelas
de Rosa”, uma vez que privilegia as ace- Para o restante fim- e-semana, todos os na grelha de partida – também Kevin posições pontuáveis e o mexicano es-
lerações e a aderência a baixa velocidade, utilizadores de V6 turbohíbridos Merce- Magnussen trocara componentes da sua forçava-se por isso, tendo ganho cinco
mas logo na sexta-feira começavam a des teriam de reduzir o nível de perfor- unidade de potência – Lance Stroll era o lugares, mas após cruzar a linha de meta
surgir os primeiros problemas para os mance para proteger a sua fiabilidade e, único representante da Racing Point na pela oitava vez o vencedor do Grande
homens da formação de Silverstone. se os homens do construtor germânico Q3, mas sem grande brilho, garantia o Prémio de Sakhir abandonava com, mais
Sérgio Pérez, o vencedor da corrida an- garantiam que as perdas eram inferiores oitavo posto da grelha de partida entre uma vez, problemas na MGU-K da sua
terior e o líder em pista da equipa, era a um décimo de segundo por volta, num os dois pilotos da AlphaTauri, mas a meio unidade de potência, terminando assim
obrigado a trocar de unidade de potência, segundo pelotão tão equilibrado, tudo segundo de Norris. a sua relação com a equipa cujas cores
dado a sua estar no limite da quilome- contava e para Pérez, que precisava de Tanto os homens da McLaren como Stroll defendeu ao longo de sete temporadas.
tragem, depois de ter recorrido a um V6 potência máxima para poder recuperar arrancavam para a corrida com borra- A formação de Silverstone ficava apenas
turbohíbrido antigo após a falha massiva desde o fim da grelha de partida esta era chas macias, ao passo que os pilotos da com Stroll, que ultrapassara Kvyat para
do motor Mercedes no Grande Prémio uma medida da qual não necessitava. Renault com escolha livre, escolhiam sétimo, para garantir o terceiro lugar no
do Bahrein. Na qualificação, a McLaren confir ou o
Isso implicava que o mexicano arran- que tinha prometido com Lando Norris
casse do fi al da grelha de partida para a assegurar um bom quarto posto na
uma prova num circuito em que as ultra- grelha de partida, batendo Alex Albon
passagens não são propriamente fáceis. que via o seu colega de equipa conquis-

>> autosport.pt

9

Campeonato de Construtores, o que o o piloto de Woking tivesse feito algo de descendo para décimo na vigésima nona das boxes, para 13 na linha de meta,
obrigava a terminar entre os dois pilotos errado, mantendo a classificação. volta, assistindo ainda à ultrapassagem terminando no sétimo posto final com
da McLaren. Após as trocas de pneus, Ricciardo, que do francês a Vettel duas voltas depois. um ponto extra fruto da volta mais
Mas o abandono de Pérez tinha ainda não parara, liderava o segundo pelotão e Era evidente que o canadiano não estava rápida da corrida.
reflexos directos na corrida, uma vez que continuava com os duros com que tinha em condições de defender o terceiro Sem opositores, Lando Norris e Carlos
para recuperar o “Mercedes Cor de Rosa”, iniciado a corrida, seguido de Norris, Vet- lugar no Campeonato de Construtores Sainz garantiam quinta e sexta po-
Michael Masi era obrigado a enviar para tel, Leclerc, Sainz e Stroll, tendo os dois da Racing Point. sições, uma dobradinha no segundo
a pista o Safety-Car quando estavam pilotos da Ferrari decidido contra uma Na cabeça do segundo pelotão, Ricciardo pelotão, levando a equipa de Woking
decorridas nove voltas, o que provo- passagem pelas boxes, tentando com o mantinha a liderança, mas sem conse- definitivamente até ao terceiro lugar
cou uma romaria às boxes para montar ganho de posição em pista conseguir um guir abrir uma vantagem para os dois no Campeonato de Construtores.
pneus duros por parte da maior parte resultado que a performance do SF1000 McLaren e, quando parasse, perderia Stroll, numa corrida sem grande rasgo,
dos pilotos com o intuito de terminarem não permitia. posições para o duo. No entanto, esta- terminava no décimo posto atrás de
a corrida com eles, ainda que fosse uma Com este cenário, a Racing Point man- ria em condições de sair das boxes em Pierre Gasly e Esteban Ocon, um re-
estratégia a roçar o limite da duração das tinha o terceiro posto, mas Ricciardo e sétimo, beneficiando do tempo perdido sultado insuficiente para os desejos
borrachas da Pirelli, que tinha levado para os dois representantes da “Scuderia” por todos os pilotos que fi eram parte do da Racing Point.
Abu Dahbi as construções mais macias tinham ainda de parar, o que deixava comboio liderado por Vettel. A formação de Silverstone, que teve
da sua gama – C3, C4 e C5. tudo em aberto. Na trigésima nona volta, o australiano consistentemente o terceiro carro
A McLaren chamou Norris e Sainz às Assim que a corrida foi retomada, Sainz passava, fi almente, pelas boxes para mais rápido do plantel, terminava
boxes, o que deixava o espanhol ex- começou a ganhar posições a Leclerc e montar pneus médios, o que deixava no no quarto posto do Campeonato de
posto a Stroll. Porém, o piloto de Madrid a Vettel, mas quando se esperava que ar a ideia de que poderia estar em condi- Construtores à frente da Renault e da
abrandou abaixo dos 80 Km/h na via pudesse ser seguido por Stroll, isto não ções de mover uma caçada aos McLaren Ferrari, vendo-se batida pela McLaren
das boxes – foi registado a 73 Km/h – e se verificou, e o canadiano apenas con- nas derradeiras vinte e seis voltas. que teve como principais trunfos os
isso foi suficiente para que mantivesse seguiu desfeitear o monegasco, ao passo Porém, mesmo com borrachas mais fres- seus pilotos, consistência e a sua ca-
à justa a posição relativa ao canadiano. que o espanhol estava já com o seu colega cas e performantes, o piloto da Renault pacidade de execução, sendo habitual
O procedimento de Sainz viria a ser anali- de equipa no horizonte. não conseguiu ter um real impacto na conseguir concretizar o potencial que
sado pelos comissários desportivos, mas A impotência de Stroll era evidente quan- prova dos pilotos da McLaren, reduzido tinha à sua disposição e, por vezes até,
estes acabaram por não considerar que do se viu obrigado a submeter-se a Gasly, a sua desvantagem de 19,8s, quando saiu suplantá-lo.

F1/FÓRMULA 1

10 GP DE ABU DHABI 17 D E 17 NIKITA MAZEPIN

DA RÚSSIA COM AMOR lemas que tem causado em pista na
Fórmula 2, onde foi duramente castigado,
Nikita Mazepin foi confir ado há trouxe à equipa Haas Fl. Tenho de me pessoas. Prometo que vou aprender e depois com este episódio que devia
duas semanas como piloto da manter a um nível mais elevado como com isto”, escreveu o piloto no Twitter. ter ficado restrito, porque é privado.
Haas para 2021, mas um vídeo piloto de Fórmula 1, e reconheço que Nikita Mazepin começou muito mal Certamente que, quando o publicou no
que publicou nas redes sociais me desiludi a mim próprio, e a muitas como piloto da Haas, não só pelos prob- Instagram, não imaginava as proporções
onde foi visto a tocar no peito de uma que o caso iria tomar.
mulher sentada atrás dele, despoletou A Fórmula 1 e a FIA emitiram um comu-
um onda de críticas na rede, e as coisas nicado colocando-se do lado da Haas,
azedaram ao ponto de terem entrado na reforçando a resposta da equipa relati-
‘dança, a sua nova equipa, a Fórmula 1, vamente ao comportamento de Nikita
e até a FIA. Ainda não chegou à F1 e já o Mazepin no vídeo que surgiu publicado
russo está metido em sérios problemas. nas redes sociais: “Apoiamos fortemente
Pouco depois do caso, a Haas emitiu a equipa Haas F1 na sua resposta às re-
um comunicado criticando fortemente centes ações inadequadas do seu piloto,
o comportamento de Nikita Mazepin, Nikita Mazepin. Os princípios éticos e
não só o conteúdo do vídeo, mas a de- a cultura diversa e inclusiva do nosso
cisão de o partilhar: “A equipa Haas F1 desporto são da maior importância
não tolera o comportamento de Nikita para a FIA e para a Fórmula 1”, lê-se no
Mazepin no vídeo publicado nas suas comunicado.
redes sociais. Além disso, o próprio facto Para as coisas chegarem a este ponto,
do vídeo ter sido publicado é também com a intervenção da FIA e da F1, as
abominável para a Haas F1 Team. O as- coisas não estão muito risonhas para
sunto está a ser tratado internamente e, Nikita Mazepin. De acordo com o chefe
neste momento, não serão feitos mais da equipa americana, Guenther Steiner:
comentários públicos.” “estamos a lidar com a situação in-
O piloto russo não demorou a perce- ternamente. O que aconteceu é um
ber que meteu o pé na poça e veio a assunto muito sério e vamos lidar da
público desculpar-se: “Gostaria de mesma forma.”
pedir desculpa pelas minhas recentes Depois de se ter sabido que o russo não
ações, quer em termos do meu próprio iria testar pela Mercedes em Abu Dhabi,
comportamento, inapropriado, como Toto Wolff revelou que a decisão de no-
pelo facto de ter sido publicado nas mear Nyck De Vries e Stoffel Vandoorne,
redes sociais. Lamento a ofensa que e não Nikita Mazepin é a de “que ambos
justamente causei e o embaraço que os pilotos fi eram um excelente trabalho
na Fórmula E. E também porque não
conseguimos colocar o Stoffel no carro
a semana passada. Assim, fez sentido
recompensar os dois”. Quanto a Nikita
Mazepin, Wolff explicou que nada teve
a ver com as ações de Mazepin.

CEO DA FERRARI,
LOUIS CAMILLERI ANUNCIA SAÍDA

Foi com muita surpresa que se ficou a saber que o surge depois do executivo ter sofrido problemas de
CEO da Ferrari, Louis Camilleri, anunciara a sua saída saúde, o que tornou necessário a sua hospitalização
do construtor italiano de automóveis desportivos devido à Covid-19, nas últimas semanas, revelou
e com efeito imediato. As razões aduzidas são uma fonte da empresa. Camilleri está a recuperar
“pessoais” e esta foi uma decisão que causa em casa, mas segundo se sabe não foi essa a causa
surpresa a todos os níveis. A decisão de Camilleri da sua decisão.
A Ferrari revelou que o seu presidente, John Elkann,
assumiria o papel de CEO durante um período LEWIS HAMILTON REGRESSOU
provisório de transição até que seja encontrado
o sucessor de Camilleri, que também abandona a A decisão só surgiu algumas horas antes do primeiro treino livre de Abu
sua posição no conselho de administração da Philip Dhabi, e aí foi confirmado que Lewis Hamilton testou negativo para a Covid-19
Morris. e por isso marcaria presença no GP de Abu Dhabi de F1. Depois de ter falhado
Recorde-se que Camilleri assumira o papel de o Grande Prémio de Sakhir e passado o período de quarentena e os testes
CEO da Ferrari no verão de 2018, na sequência da negativos, o caminho ficou aberto para o regresso: “Lewis Hamilton testou
morte do antigo CEO da Ferrari, Sergio Marchionne: negativo para a Covid-19 na quarta-feira antes de completar o seu período de
“A Ferrari fez parte da minha vida e servir como auto isolamento no Bahrein. Isto permitiu-lhe viajar para Abu Dhabi na quinta-
seu CEO tem sido um grande privilégio. A minha feira à tarde, e o seu teste deu negativo à chegada. Lewis Hamilton completou
admiração pelos extraordinários homens e desta forma os protocolos exigidos pela FIA para a sua entrada no paddock
mulheres de Maranello e pela paixão e dedicação amanhã, e com isso pode participar no fim-de-semana de corrida”. Com
que eles aplicam a tudo o que fazem, não conhece isso, George Russell tem que esperar por nova oportunidade na Mercedes, o
limites. Estou orgulhoso das numerosas realizações mesmo sucedendo com o piloto de reserva da Williams, Jack Aitken.
da empresa desde 2018 e sei que os melhores anos
da Ferrari ainda estão para vir”, disse Louis Camilleri.

>> autosport.pt 11

A ‘ÚLTIMA DANÇA’ GEORGE RUSSELL
PARAVÁRIOSPILOTOS… “SEREI PILOTO DA
Este GP Abu Dhabi F1 foi uma espécie WILLIAMS EM 2021”
de ‘epílogo’ para vários pilotos, al- Kvyat (tem futuro incerto na AlphaTauri), Eles [Red Bull] tomarão a decisão após o
guns vão mesmo despedir-se da F1, Kevin Magnussen e Romain Grosjean, há fim- e-semana.Esperámostantotempo De forma clara, George Russell acabou com
quase certamente, enquanto outros muito está confir ado que vão sair da que agora mais uma ou duas semanas a especulação à volta do seu futuro a curto
vão trocar de equipa. Foram nada mais Haas, e consequentemente da F1, sendo para conhecer o que vai acontecer, não prazo. Depois da excelente prestação na sua
nada menos que oito os pilotos que vão que, como se sabe, o francês não marcou muda assim tanto. Acredito que na F1 uma estreia pela Mercedes, Russell fez questão de
ter um futuro diferente de 2020. presença nesta corrida, devido a estar corrida não muda a sua vida. O que tenho afirmar que será piloto da Williams na próxima
Três deles, trocam de equipa. Carlos Sainz ainda a recuperar do seu grave acidente mostradonosúltimos10anos,fim- e-se- época: Depois da sua atuação no Bahrein,
(sai da McLaren, vai para a Ferrari), Sebas- no GP do Bahrein. Seja como for, Sergio manaapósfim- e-semana,anoapósano, disse Russell: “Da perspetiva do Toto, espero
tian Vettel (sai da Ferrari vai para a Aston Perez ainda tem esperança de ser con- com altos e baixos, mas chegando sempre ter-lhe dado uma dor de cabeça, não apenas
Martin) e Daniel Ricciardo (sai da Renault tratado pela Red Bull e, se isso suceder, aofi alcomresultadosfortes.Comtantas para 2022, talvez mais cedo”. Contudo, após
vai para a McLaren). Quanto aos que não Alexander Albon sairá da F1. Daniil Kvyat é oportunidades perdidas, e ainda estamos reflexão, o britânico reformulou: “Isso foi
sabem ainda como será 2020, estão Sergio uma incógnita, mas é quase certa a vinda em quarto lugar no campeonato de Pilotos. apenas um comentário no calor do momento”,
Perez, que está de saída da Racing Point de Yuki Tsunoda para a equipa de Faenza, Portanto, foi um ano muito, muito forte, explicou. “Obviamente, as emoções eram
e ainda não se conhece a decisão da Red o que significará a saída da F1 do russo. mas também com muito crédito para a elevadas, mas em última análise, tenho um
Bull (tem futuro incerto). Alexander Albon Quanto a Sérgio Pérez: “Em relação a equipa, porque me deram um carro em contrato e serei um piloto Williams para 2021.
(tem futuro incerto na Red Bull), Daniil qualquer decisão, penso que o que dizem que posso mostrar do que sou capaz, por A gestão da minha carreira é da Mercedes.
publicamente é o que está a acontecer. isso é algo muito especial.” Assinei um acordo com a Mercedes em 2016
e eles gerem a carreira. Eles investiram
TOTO WOLFF “BOTTAS TEM em mim, puseram a
O APOIO INCONDICIONAL DA EQUIPA” sua fé em mim e isso
significa muito. Estou
Depois de George Russell se ter estreado Antes, Toto Wolff tinha dito que Bottas Tudo o que posso dizer é que posso comprometido com a
pela Mercedes no Grande Prémio do por vezes começa a época “como um fazer muito melhor do que tenho feito Mercedes. Estou feliz e
Sakhir, o lugar de Valtteri Bottas tem urso”, mas vai perdendo ‘gás’ ao longo ultimamente, sinto que preciso de confiante com a minha
sido colocado em causa. Apesar da boa de um ano, e que defrontar Lewis fazer melhor”. posição sob a sua
prestação do britânico, o chefe de equipa Hamilton, precisa de ter o ‘balão cheio’ orientação.”
da Mercedes, Toto Wolff, afirmou que a época inteira: “Tudo o que posso dizer Quem o elogiou foi Lewis
Valtteri Bottas continua com o apoio é que desde Imola, tenho tido muito, Hamilton: “Penso que
da equipa: “Valtteri Bottas tem o apoio muito azar. Não me consigo lembrar da George fez um trabalho
incondicional da equipa. Perder o título última vez que estive no pódio. Também espantoso, e acho que
não é fácil de digerir, mas ele é uma sinto que não tenho conseguido ter todos sabem disso. Para
pessoa resistente e resiliente. Ele o meu melhor desempenho, mas é mim, foi definitivamente
continua a querer vencer, agora mais claro que ainda tento extrair tudo o estranho. Nos meus 27
do que nunca. E vencer contra o melhor que posso. Há muitos fatores neste anos de corridas, nunca faltei a uma, portanto,
piloto é algo que traz uma grande desporto. Às vezes é sorte, às vezes é sim, um dia, escreverei um livro sobre isso.
satisfação”. o que se faz no carro e fora do carro. Mas como disse, estou apenas grato por estar
de volta”, disse Hamilton.

CHRISTIAN HORNER
“60% DO RB16
MANTÊM-SE NO
CARRO DE 2021”

Para 2021, como medidas para cortar
custos, existem algumas restrições em
termos de regulamento, como por exemplo
o ‘congelamento’ dos chassis. Apesar disso,
existem sempre algumas partes aerodinâmicas
que as equipas conseguem desenvolver. Para
a Red Bull Racing, 60% do RB16 deve estar
presente no carro de 2021, segundo o chefe
de equipa, Christian Horner – “60% do RB16B
(carro de 2021) deve vir do RB16. Como todos,
temos de manter muitos componentes para o
próximo ano. Temos uma boa base e acho que
já sabemos das partes fracas”. “A Mercedes
vai continuar a ter um pacote muito bom,
mas nós vamos usar todas as informações
e ferramentas disponíveis para fazermos
o melhor trabalho. Em termos de chassis,
suspensão e caixa de velocidades deve ser o
mesmo. Podemos ver que ao longo dos meses
estamos cada vez mais perto dos Mercedes e
isso é algo encorajador”, finalizou Horner

F1/
FÓRMULA 1

12

GP DE ABU DHABI 17 D E 17

AESTREIADEMICK
SCHUMACHER NAF1

Mick Schumacher estreou-se este fim de de um novo chão para o carro de 2021.
semana na Fórmula 1 pela equipa da Haas, No final, Schumacher afirmou à f1.com: “Acho
a mesma pela qual vai correr a tempo que foi uma sessão calma, sem grandes
inteiro em 2021. Depois de ver a sua estreia problemas. Não fiz nenhum pião, o que é
adiada no Grande Prémio do Eifel devido às excelente. É obvio que ainda me estou a
condições climatéricas adversas, o piloto habituar ao carro. É um grande passo dos
alemão, campeão da Fórmula 2 em 2020, foi fórmula 2. Fiz algumas voltas com os C3
18º classificado no TL1 do Grande Prémio do (pneu mais duro) e aí estive a perceber
Abu Dhabi, ficando com um melhor tempo de cada curva e o quanto conseguia puxar pelo
1:41.235s. carro. Depois mudamos para os macios e a
Foram 23 voltas completas no Haas VF-20 diferença é enorme. No final, foi muito fixe”.
de Kevin Magnussen, com stints de pneus Também o chefe de equipa da Haas,
duros e de pneus macios. Por fim, um stint Guenther Steiner, mostrou-se satisfeito
final com o carro em modo de corrida, ou com o seu futuro piloto, afirmando à Sky
seja, com uma carga maior de combustível, Germany: “Foi uma primeira sessão de
fizeram com que o piloto alemão ficasse treinos perfeita. Ele tentou não exagerar e
a mais de três segundos do tempo mais completou o programa que tinha. O feedback
rápido postado por Max Verstappen. do nosso pessoal é bom e dizem-me que ele
Em comparação com Pietro Fittipaldi, já sabe onde perde tempo, o que é excelente.
Schumacher foi cerca de três segundos mais A primeira vez num Fórmula 1 é sempre
rápido, mas a comparação acaba por ser difícil. Há sempre muitos processos a
inútil, pois o brasileiro teve um programa aprender, mas ele fez um excelente trabalho.
diferente no TL1, com o foco a estar no teste Ele estava muito recetivo e bem disposto”.

SEBASTIAN VETTEL “TÍNHAMOS
AAMBIÇÃO DE SER CAMPEÕES E FALHAMOS”

ESTEBAN OCON “NÃO TENHO MEDO De forma honesta e sem subterfúgios, Sebastian mas o nosso objetivo era sermos mais fortes do
DO FERNANDO ALONSO” Vettel considerou a sua passagem pela Ferrari que eles e, nesse aspeto, falhámos. Há razões para
como um fracasso. O alemão queria vencer um isso, tivemos boas corridas, más corridas, por vezes
Esteban Ocon estará com a Renault em 2021 (que se transforma em título pela Scuderia e esteve muito próximo de o estavam perto, por vezes estavam longe. Há muitas
Alpine no próximo ano) e terá como companheiro de equipa o bicampeão conseguir em algumas épocas, mas no final nunca razões para isso, mas no panorama geral… não acho
do mundo de F1, Fernando Alonso. Para o francês, o facto de Alonso ser o conseguiu, o que o levou a fazer esta drástica que seja injusto, é apenas a verdade, e não há nada
seu companheiro de equipa não lhe mete ‘medo’ nenhum. Na antevisão avaliação do seu tempo em Maranello: “Tínhamos de errado dizê-lo em voz alta”.
do GP de Abu Dhabi, Ocon explicou: “Não sei o que aconteceu na McLaren, a ambição e o objetivo de ganhar o campeonato e Vettel também falou do erro em Hockenheim que o
mas eu não sou o Vandoorne. O Fernando é um grande piloto, mas para não o fizemos. Penso que é apenas uma reflexão colocou fora da rota pelo título em 2018: “O erro foi
mim ter companheiros de equipa como ele ou o Ricciardo é bom. Não honesta. Não creio que dizer isto em voz alta mude pequeno, com grande repercussão e uma enorme
tenho medo do Alonso, se o tivesse saía da Fórmula 1. Estamos a dar-nos alguma coisa. Enfrentámos uma equipa muito forte, penalização. Havia definitivamente mais coisas
bem e ele tem participado nas reuniões técnicas. Mas, quando ele entrar a acontecer. Na época 2018 tivemos a morte do
no carro para a primeira corrida eu também estarei pronto”. [presidente da Ferrari] Sr. Sergio Marchionne, a
mudança da liderança do Maurizio [Arrivabene] para
o Mattia [Binotto], por isso talvez a época 2018
tenha sido decisiva para muitas coisas, mas não
sei se realmente se pode resumir só a isso”. “Em
2016 vimos a saída do James [Allison] por causa de
problemas pessoais na altura. Olhando para trás,
havia muitas coisas que deveríamos ter feito e
que poderíamos ter feito melhor. Tudo aconteceu
por uma razão, por isso o principal do meu lado
é ter a certeza de que aprendi com isso. Penso
que cresci a partir disso. No geral, sinto-me muito
mais confortável e num lugar melhor agora do que
há alguns anos, mas certamente na altura nem
sempre foi fácil.”

FIAAUTORIZAALONSO,MASNEGA >> autosport.pt
VETTEL,RICCIARDOESAINZ
13
Sebastian Vettel, Daniel Ricciardo e Carlos na sessão, devido à ‘tal’ alteração, o que Fórmula 1 durante a temporada de 2020”.
Sainz não vão poder testar em Abu Dhabi, levou a Ferrari, McLaren e Racing Point, Seja como for, isto deixa em aberto que HAAS NÃO
no teste que era inicialmente de jovens que vão ter novos pilotos em 2021, (Carlos outras equipas possam aproveitar pilotos DÁ, MAS A
pilotos e que a FIA mudou posteriormente Sainz, Daniel Ricciardo e Sebastian Vettel), experientes de F1 que não correram este MERCEDES SIM
para… pilotos que não correram em 2020. a pedir também exceções, mas a FIA não ano, o que a Red Bull vai aproveitar com
A Renault F1 obteve uma autorização autorizou, devido à ‘cláusula’ de “não Sebastien Buemi, e a Alfa Romeo com O chefe de equipa da Haas, Guenther
especial para poder ter Fernando Alonso terem competido em nenhuma corrida de Robert Kubica. Steiner, diz que a equipa americana
não tem possibilidade de dar um
teste de despedida a Romain
Grosjean devido à falta de carros
antigos, mas espera que a Ferrari
possa fazer alguma coisa: “Temos
carros antigos mas não temos
unidades de potência, por isso não
podemos fazer nada pelo Romain.
Talvez no futuro, mas de momento,
não consigo fazer essa promessa”.
Entretanto, a Mercedes revelou que
irá oferecer a Romain Grosjean um
teste, não havendo mais quem o faça.

STROLL PEDE PARA SER JULGADO
PELA SUA PERFORMANCE

Lance Stroll está habituado às críticas mas pede para ser julgado apenas
pela sua performance e não pelo tamanho da carteira do pai.
Muitos olham para o canadiano apenas como um piloto pagante: “A F1 é
extremamente cara, tem havido muitos pilotos com muito talento que
nunca tiveram apoio financeiro, e infelizmente nunca conseguiram chegar
lá – isso é triste, mas é esse o desporto que temos. Mesmo quando
andava no karting, sofria bullying por causa da minha família ter dinheiro.
Habituei-me a isso desde tenra idade. Sempre pensei para mim mesmo,
vou apenas falar na pista. Quando estamos na grelha, não importa de onde
vem o dinheiro. É tudo sobre pilotar o carro o melhor possível. Adoro ouvir
essas críticas e provar que as pessoas estão erradas”.

A HOMENAGEM
DA MERCEDES

Os carros de Lewis Hamilton e Valtteri Bottas levaram o nome de todos
os colaboradores da equipa Mercedes que contribuíram para o sucesso
deste ano. É uma pequena homenagem mas com grande simbolismo:
”A carroçaria tem todos os nomes das pessoas que contribuíram para
o sucesso deste ano, seja em Kuala Lumpur, Estugarda, Turim, Brackley
ou Brixworth. Tem sido por vezes tremendamente difícil, mas também
foi muito gratificante para todos nós este título”, disse Toto Wolff, que
confirmou que vai continuar na F1 na equipa da Mercedes: “Vou ficar na F1.
Cheguei à conclusão que não há balanço trabalho-vida. Tudo é vida. Adoro
estar na frente desta companhia e adoro partilhar a minha paixão pelos
desportos motorizados com a minha mulher.”

F1/
FÓRMULA 1

14

GP DE ABU DHABI 17 D E 17

KEVIN MAGNUSSEN“EM PAZ”COM
POSSÍVEL ÚLTIMA CORRIDA NA F1

O piloto da Haas, Kevin Magnussen, está em
“paz” com esta ser a última corrida que faz na
Fórmula 1. Para 2021, já se sabe que Magnussen
vai estar a competir no Campeonato Americano
de Resistência (IMSA) pela equipa da Chip
Ganassi Racing. Na antevisão do Grande Prémio
do Abu Dhabi, Magnussen afirmou: “Estou em paz
com isso. Sei que no desporto motorizado nunca
se deve dizer nunca e sabemos que na Fórmula 1
tudo acontece. Mas, estou pronto para que esta
seja a minha última corrida de Fórmula 1.”
“Vou aproveitar para pilotar este carro fantástico
e refletir sobre esta grande oportunidade que
me foi dada. Cresci a sonhar com a Fórmula 1 e
fazer uma carreira aqui. Sinto-me um privilegiado
por o ter feito”, finalizou o dinamarquês, que se
estreou na Fórmula 1 em 2014 pela McLaren.
Para 2021, a Haas já confirmou a dupla de Mick
Schumacher e Nikita Mazepin.

SEBASTIAN VETTEL COLOCA
EM LEILÃO CAPACETE DA “DIVERSIDADE”

Sebastian Vettel colocou a leilão o capacete da do leilão será para caridade, ajudando crianças no
“diversidade”, que utilizou no Grande Prémio da Uganda e no Togo. As instituições para as quais as
Turquia e no Grande Prémio do Bahrein, sendo este pessoas irão contribuir são a CHILDREN A CHANCE e
o único capacete que o alemão utilizou na Ferrari a a DES SOURIRES POUR LE TOGO. O leilão começou a
ser leiloado. O piloto alemão decidiu que o dinheiro 3 de dezembro e acabou a 13.

ROMAIN GROSJEAN,
EM RECUPERAÇÃO, MOSTROU
CAPACETE DESENHADO PELO FILHOS

AHOMENAGEM DE RUSSELLAFRANK, CLAIRE EÀWILLIAMS Romain Grosjean não correu no GP de Abu Dhabi pois ainda está a
recuperar do acidente ocorrido no GP do Bahrein. Para o francês, este
George Russell voltou à Williams e ao FW43 da equipa britânica. Em GP seria o último na F1 e para isso o piloto, juntamente com os filhos
2020, a histórica da Fórmula 1 mudou de mãos e agora pertence ao (Sacha, Simon e Camille), já tinha desenhado um capacete especial. Um
fundo de investimento Doriltan Capital. Mesmo assim, Russell não capacete certamente ainda mais especial dadas as circunstâncias do
esqueceu Frank e Claire Williams, antigos patrões da Williams, e seu acidente e por tudo aquilo que Grosjean passou.
para o Grande Prémio do Abu Dhabi trouxe uma decoração especial Paralelamente, o francês continua a sua recuperação, e pelo menos
no seu capacete. Nele, podem-se ver os carros vencedores de uma das mãos já não precisa de ligaduras de proteção. Duas semanas
campeonato, do FW07B (1980) até ao FW19 (1997). Também inscrito depois do seu horrível acidente, o francês tem vindo a trabalhar no giná-
no capacete estão as 114 vitórias, 128 pole positions, sete campe- sio, tendo já mostrado o progresso de recuperação das queimaduras.
onatos de pilotos e os nove campeonatos de construtores vencidos A sua mão direita está a recuperar bem: “Estou a 50%”, escreveu no
pela histórica equipa britânica. Instagram, legendando duas fotos da sua mão direita. “Estou super feliz
por ter a minha mão direita livre de ligaduras. Muitos cremes durante
todo o dia, mas é bom ver a mão assim. Agora, é esperar que a minha
mão esquerda recupere”, disse.

>> autosport.pt

15

C/ C L A S S I F I C A Ç Õ E S

GP DE ABU DHABI PROVA 17 DE 17 PROVA TEMPO
VOLTAS
YAS MARINA CIRCUIT VOLTA MAIS RÁPIDA
GERAL
5,554 KM 55 305,355 KM SEXTA SÁBADO DOMINGO VEL. MÁXIMA
GERAL
BOX

PERÍMETRO VOLTAS DISTÂNCIA TOTAL 1 MAX VERSTAPPEN RED BULL RB16/HONDA 1:36:28.645 55 1:40.958 2 311.4 KM/H 17 1
1:41.131 3 309.5 KM/H 20 1
2 VALTTERI BOTTAS MERCEDES F1 W11 +15.976S 55 1:41.420 5 310.1 KM/H 19 1
1:41.227 4 330.6 KM/H 7 1
TREINOS LIVRES GRELHA DE PARTIDA 3 LEWIS HAMILTON MERCEDES F1 W11 +18.415S 55 1:41.964 12 321.8 KM/H 15 1
1:41.947 11 322.2 KM/H 14 1
1 MAX VERSTAPPEN 4 ALEXANDER ALBON RED BULL RB16/HONDA +19.987S 55 1:40.926 1 336.6 KM/H 1 1
RED BULL HONDA 1:42.474 15 330.5 KM/H 8 1
1:35.246 Q3 5 LANDO NORRIS MCLAREN MCL35/RENAULT +60.729S 55 1:42.894 18 332.1 KM/H 6 1
1:41.866 9 332.8 KM/H 4 1
1.ª SESSÃO TREINOS LIVRES 6 CARLOS SAINZ MCLAREN MCL35/RENAULT +65.662S 55 1:42.704 17 332.6 KM/H 5 1
1:42.148 14 323.8 KM/H 12 1
PILOTO EQUIPA TEMPO/DIF. 7 DANIEL RICCIARDO RENAULT R.S.20 +73.748S 55 1:41.908 10 323.1 KM/H 13 1
1:41.475 6 328.8 KM/H 10 1
1 MAX VERSTAPPEN RED BULL HONDA 1:37.378 8 PIERRE GASLY ALPHATAURI AT01/HONDA +89.718S 55 1:43.328 20 334.4 KM/H 2 1
1:41.675 7 333.1 KM/H 3 1
2 VALTTERI BOTTAS MERCEDES +0.034S 2 VALTTERI BOTTAS 9 ESTEBAN OCON RENAULT R.S.20 +101.069S 55 1:42.497 16 329.3 KM/H 9 2
MERCEDES 1:41.999 13 311.2 KM/H 18 2
3 ESTEBAN OCON RENAULT +1.137S 1:35.271 10 LANCE STROLL RACING POINT RP20/MERCEDES +102.738S 55 1:41.707 8 320.5 KM/H 16 3
1:43.263 19 324.1 KM/H 11
4 ALEXANDER ALBON RED BULL HONDA +1.169S 11 DANIIL KVYAT ALPHATAURI AT01/HONDA +1 VOLTA 54

5 LEWIS HAMILTON MERCEDES +1.366S 3 LEWIS HAMILTON 12 KIMI RÄIKKÖNEN ALFA ROMEO C39/FERRARI +1 VOLTA 54
MERCEDES
6 LANCE STROLL RACING POINT +1.453S 1:35.332

7 SERGIO PEREZ RACING POINT +1.578S 13 CHARLES LECLERC FERRARI SF1000 +1 VOLTA 54

8 DANIIL KVYAT ALPHATAURI HONDA +1.772S 4 LANDO NORRIS 14 SEBASTIAN VETTEL FERRARI SF1000 +1 VOLTA 54
MCLAREN RENAULT
9 PIERRE GASLY ALPHATAURI HONDA +1.782S 1:35.497 15 GEORGE RUSSELL WILLIAMS FW43/MERCEDES +1 VOLTA 54

10 KIMI RÄIKKÖNEN ALFA ROMEO FERRARI +1.821S 16 ANTONIO GIOVINAZZI ALFA ROMEO C39/FERRARI +1 VOLTA 54

11 CARLOS SAINZ MCLAREN RENAULT +1.952S 5 ALEXANDER ALBON 17 NICHOLAS LATIFI WILLIAMS FW43/MERCEDES +1 VOLTA 54
RED BULL HONDA
12 CHARLES LECLERC FERRARI +1.966S 1:35.571 18 KEVIN MAGNUSSEN HAAS VF-20/FERRARI +1 VOLTA 54

13 LANDO NORRIS MCLAREN RENAULT +1.974S 19 PIETRO FITTIPALDI HAAS VF-20/FERRARI +2 VOLTAS 53

14 SEBASTIAN VETTEL FERRARI +2.292S 6 CARLOS SAINZ
MCLAREN RENAULT
15 ROBERT KUBICA ALFA ROMEO FERRARI +2.527S 1:35.815 NC SERGIO PEREZ RACING POINT RP20/MERCEDES DNF 8

16 GEORGE RUSSELL WILLIAMS MERCEDES +3.068S

17 NICHOLAS LATIFI WILLIAMS MERCEDES +3.685S 7 DANIIL KVYAT
ALPHATAURI HONDA
18 MICK SCHUMACHER HAAS FERRARI +3.857S 1:35.963

19 PIETRO FITTIPALDI HAAS FERRARI +6.691S ÁUSTRIA
ÁUSTRIA
20 DANIEL RICCIARDO RENAULT HUNGRIA
GRÃ-BRETANHA
2.ª SESSÃO TREINOS LIVRES 8 LANCE STROLL GRÃ-BRETANHA
RACING POINT MERCEDES ESPANHA
PILOTO EQUIPA TEMPO/DIF. 1:36.046 BÉLGICA
ITÁLIA
ITÁLIA
RÚSSIA
ALEMANHA
PORTUGAL
ITÁLIA
TURQUIA
BAHREIN
BAHREIN
ABU DHABI
TOTAL

1 VALTTERI BOTTAS MERCEDES 1:36.276 9 PIERRE GASLY
ALPHATAURI HONDA
2 LEWIS HAMILTON MERCEDES +0.203S 1:36.242 PILOTOS 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17

3 MAX VERSTAPPEN RED BULL HONDA +0.770S 1. L. HAMILTON 12 25 26 25 19 25 25 7 26 15 25 26 26 25 25 15 347
223
4 ALEXANDER ALBON RED BULL HONDA +0.987S 10 ESTEBAN OCON 214
RENAULT 125
5 LANDO NORRIS MCLAREN RENAULT +1.162S 1:36.359 2. V. BOTTAS 25 18 15 - 15 16 18 10 18 26 - 18 18 - 4 4 18 119
105
6 ESTEBAN OCON RENAULT +1.229S 11 DANIEL RICCIARDO Q2 3. M. VERSTAPPEN - 15 18 19 25 18 15 - - 18 19 15 - 8 19 - 25 105
RENAULT 98
7 SERGIO PEREZ RACING POINT +1.230S 1:36.406 4. S. PEREZ 8 8 6 - 10 1 1 10 12 12 6 8 18 - 25 - 97
75
8 CHARLES LECLERC FERRARI +1.232S 5. D. RICCIARDO - 4 4 12 - - 13 8 12 10 15 2 15 1 6 10 7 75
62
9 DANIEL RICCIARDO RENAULT +1.232S 6. C. SAINZ 10 3 2 - - 8 - 18 - - 10 8 6 10 10 12 8 33
32
10 LANCE STROLL RACING POINT +1.284S 12 CHARLES LECLERC 7. A. ALBON - 12 10 4 10 4 8 - 15 1 - - - 6 15 8 12 10
FERRARI
11 DANIIL KVYAT ALPHATAURI HONDA +1.320S 1:36.065 8. C. LECLERC 18 - - 15 12 - - - 4 8 6 12 10 12 1 - - 4
4
12 CARLOS SAINZ MCLAREN RENAULT +1.340S 9. L. NORRIS 16 10 - 10 2 1 6 12 8 - - - 4 5 12 1 10 3
2
13 PIERRE GASLY ALPHATAURI HONDA +1.624S 13 SEBASTIAN VETTEL 10. P. GASLY 6 - - 6 - 2 4 25 - 2 8 10 - - 8 - 4 1
FERRARI 0
14 KIMI RÄIKKÖNEN ALFA ROMEO FERRARI +1.792S 1:36.631 11. L. STROLL - 6 12 2 8 12 2 15 - - - - - 2 - 15 1 0
0
15 SEBASTIAN VETTEL FERRARI +1.922S 12. E. OCON 4 - - 8 4 - 10 4 - 6 - 4 - - 2 18 2

16 KEVIN MAGNUSSEN HAAS FERRARI +2.228S 14 ANTONIO GIOVINAZZI 13. S. VETTEL 1 - 8 1 - 6 - - 1 - - 1 - 15 - - -

17 ANTONIO GIOVINAZZI ALFA ROMEO FERRARI +2.288S ALFA ROMEO FERRARI 14. D. KVYAT - 1 - - 1 - - 2 6 4 - - 12 - - 6 -

18 GEORGE RUSSELL WILLIAMS MERCEDES +2.541S 1:38.248 Q1 15. N. HULKENBERG - 6 4

19 PIETRO FITTIPALDI HAAS FERRARI +2.751S 15 KIMI RÄIKKÖNEN

20 NICHOLAS LATIFI WILLIAMS MERCEDES +2.856S ALFA ROMEO FERRARI 16. K. RAIKKONEN - - - - - - - - 2 - - - 2 - - - -

1:37.555 17. A. GIOVINAZZI 2 - - - - - - - - - 1 - 1 - - - -

3.ª SESSÃO TREINOS LIVRES 18. G. RUSSELL - - - - - - - - - - - - - - - 3 -

PILOTO EQUIPA TEMPO/DIF. 16 GEORGE RUSSELL 19. R. GROSJEAN - - - - - - - - - - 2 - - - -
WILLIAMS MERCEDES
1 MAX VERSTAPPEN RED BULL HONDA 1:36.251 1:38.045 20. K. MAGNUSSEN - - 1 - - - - - - - - - - - - - -

2 ALEXANDER ALBON RED BULL HONDA +0.501S 21. N. LATIFI - - - - - - - - - - - - - - - - -

3 DANIEL RICCIARDO RENAULT +0.626S 17 PIETRO FITTIPALDI 22. J. AITKEN -
HAAS FERRARI
4 ESTEBAN OCON RENAULT +0.648S 1:38.173 23. P. FITTIPALDI - -

5 LANDO NORRIS MCLAREN RENAULT +0.743S

6 LEWIS HAMILTON MERCEDES +0.761S 18 NICHOLAS LATIFI
WILLIAMS MERCEDES
7 LANCE STROLL RACING POINT MERCEDES +0.779S 1:38.443

8 CARLOS SAINZ MCLAREN RENAULT +0.817S

9 VALTTERI BOTTAS MERCEDES +0.834S 19 SERGIO PEREZ EQUIPAS 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17
RACING POINT MERCEDES
10 SERGIO PEREZ RACING POINT MERCEDES +0.976S 1. MERCEDES 37 43 41 25 34 41 43 17 44 41 25 44 44 25 29 7 33 573

11 DANIIL KVYAT ALPHATAURI HONDA +1.015S 2. RED BULL HONDA - 27 28 23 35 22 23 - 15 19 19 15 - 14 34 8 37 319
20 KEVIN MAGNUSSEN
12 CHARLES LECLERC FERRARI +1.019S HAAS FERRARI 3. MCLAREN RENAULT 26 13 2 10 2 9 6 30 8 - 10 8 10 15 22 13 18 202
1:37.863
13 PIERRE GASLY ALPHATAURI HONDA +1.120S 4. RACING POINT BWT 8 -1 18 2 14 22 3 16 10 12 16 6 8 20 - 40 1 195

14 SEBASTIAN VETTEL FERRARI +1.477S 5. RENAULT 4 4 4 20 4 - 23 12 12 16 15 6 15 1 8 28 9 181

15 GEORGE RUSSELL WILLIAMS MERCEDES +1.635S 6. FERRARI 19 - 8 16 12 6 - - 5 8 6 13 10 27 1 - - 131

16 ANTONIO GIOVINAZZI ALFA ROMEO FERRARI +1.649S 7. ALPHATAURI HONDA 6 1 - 6 1 2 4 27 6 6 8 10 12 - 8 6 4 107

17 KIMI RÄIKKÖNEN ALFA ROMEO FERRARI +2.018S Leclerc penalizado em três posições na grelha 8. ALFA ROMEO FERRARI 2 - - - - - - - 2 - 1 - 3 - - - - 8
devido a ter causado uma colisão na prova anterior.
18 KEVIN MAGNUSSEN HAAS FERRARI +2.206S 9. HAAS FERRARI - - 1 - - - - - - - 2 - - - - - - 3
Perez e Magnussen tiveram de partir da parte de
19 NICHOLAS LATIFI WILLIAMS MERCEDES +2.514S trás da grelha devido a utilização de elementos
adicionais da unidade de potência.
20 PIETRO FITTIPALDI HAAS FERRARI +2.908S 10. WILLIAMS MERCEDES - - - - - - - - - - - - - - - - - 0

PONTUAÇÃO 1.º 25 PTS 2.º 18 PTS 3.º 15 PTS 4.º 12 PTS 5.º 10 PTS 6.º 8 PTS 7.º 6 PTS 8.º 4 PTS 9.º 2 PTS 10.º 1 PT. VOLTA MAIS RÁPIDA + 1 PT

16 CPR/
CAMPEONATO DE PORTUGAL DE RALIS

CARAMMINDPOAERÃAÚOJO CPR ‘vergou’, não sendo possível reali- Há precisamente um mês, Bruno Maga-
O que mais se temia, acabou mesmo por acontecer. O Rali Casinos zar a prova. É frustrante, ninguém que- lhães, em declarações ao AutoSport re-
do Algarve foi cancelado, e as contas do CPR ficaram como esta- ria terminar assim, mas as coisas são velou que “O Rali da Aboboreira, até duas
vam: Armindo Araújo e Luís Ramalho são os novos Campeões de como são, todos sabiam que isto podia horas antes do começo, esteve para ser
Portugal de Ralis acontecer e desta vez a Lei de Murphy cancelado, era um o campeão, se termi-
aplicou-se mesmo: tudo o que podia nar agora o Campeão é Armindo Araújo.
José Luís Abreu Armindo Araújo e Luís Rama- correr mal, correu mesmo. Corremos o risco de não serem os re-
[email protected] lho alcançaram em 2020 o se- Infelizmente, adeptos, pilotos e equipas sultados a determinar o campeão mas
FOTOS ZOOM/A. Silva; AIFA/J.Cunha gundo título do Campeonato ficam privados do último rali, onde tudo a Covid-19. Para bem da modalidade,
de Portugal de Ralis em três se decidiria. As contas estavam favorá- esperemos que não seja assim, entendo
anos. Em ano de pandemia e veis a Armindo Araújo, mas Bruno Ma- que o campeonato deve ser levado até
depois de muita perseverança galhães tinha lícitas esperanças de virar ao fim e se me perguntassem antes do
de pilotos, equipas e organizadores em o tabuleiro a seu favor. Rali da Aboboreira acharia exatamente
levar o desporto automóvel em frente, Seja como for, Armindo Araújo, Luís Ra- a mesma coisa. Estou aqui é para correr,
apenas na prova que tudo decidiria o malho e a The Racing Factory não têm para fazer ralis”, disse.
culpa nenhuma do sucedido e são com Nessa altura também falámos com Ar-
justiça os novos campeões. mindo Araújo que nos disse: “Fazer em
Tudo ficou decidido no dia antes dos re- 2021 não faz sentido nenhum. Isto foi
conhecimentos do rali. Os sinais que até uma proposta avançada há muitos me-
aqui tinham chegado com o adiamen- ses, ainda durante a primeira vaga, que
to/cancelamento das provas do Cam- foi negada por toda a gente, passar isto
peonato Sul de Ralis já não eram boas para 2021. Todos os projetos foram mon-
notícias, mas havia a esperança que o tados com a premissa de se realizarem
CPR se resolvesse no cronómetro, na em 2020, a federação já deu a garantia
prova fi al, de modo a não ficar qual- que não permitirá passar o campeona-
quer amargo de boca para qualquer das to para 2021.”
partes. Contudo, ao Clube Automóvel do Como se percebe, havia, naturalmen-
Algarve chegou o parecer desfavorável te, opiniões díspares quanto à forma
à realização da prova das autoridades de de abordar o assunto, e já depois deste
saúde e, sem isso, nada havia a fazer. desfecho a Hyundai entende que talvez

>> autosport.pt 17

P/ PA L M A R É S

pudesse ter sido feita mais alguma coi- SEIS PROVAS dizer que sai menorizado. Veja-se o 1956 FERNANDO STOCK
sa (ler mais em separado). WRC, que se concluiu com sete provas. 1957 HORÁCIO MACEDO
A federação, como se sabe agora, de- A única prova que se realizou ‘normal- Um Campeonato do Mundo. Mas fica 1958 JOSÉ LUÍS ABREU VALENTE
cidiu dar por concluído o Campeona- mente’ foi o Rallye Serras de Fafe. Duas um amargo de boca. Se o campeonato 1959 JOSÉ LUÍS ABREU VALENTE
to Portugal de Ralis. Em comunicado semanas depois rebentava a pandemia terminasse mais cedo, haveria sempre 1960 JOSÉ MANUEL PEREIRA
revelou que “Campeonato Portugal de e só no início de julho ficaram reunidas alguém que iria lamentar. 1961 HORÁCIO MACEDO
Ralis concluído. Infelizmente, devido as condições para recomeçar a com- Resta agora olhar para 2021 e garan- 1962 JOSÉ BAPTISTA DOS SANTOS
ao parecer não favorável por parte petição. Pilotos, Equipas, Organizado- tir que as feridas que ficam de 2020 se 1963 HORÁCIO MACEDO
das Autoridades de Saúde, alegan- res e Federação acordaram ainda em saram, de modo a que todos possamos 1964 FERNANDO BASÍLIO DOS SANTOS
do o Estado de Emergência causado março as novas regras Covid, todas as voltar às lutas nos troços, o que ver- 1965 CÉSAR TORRES
pela pandemia do novo Coronavírus, equipas e pilotos colocaram em prá- dadeiramente interessa. 1966 MANUEL GIÃO
o Clube Automóvel do Algarve vê-se tica um campeonato tendo em conta Parabéns a Armindo Araújo, mas tam- 1967 AMÉRICO NUNES
forçado a cancelar a última prova do a pandemia, e isto que sucedeu agora bém a Bruno Magalhães e a todos os 1968 AMÉRICO NUNES
Campeonato de Portugal de Ralis, o com o cancelamento do Rali Casinos outros que valorizaram este CPR com 1969 NÃO HOUVE CAMPEÃO ABSOLUTO
Rallye Casinos do Algarve previsto do Algarve era algo que se sabia poder a sua presença, mesmo com todas as 1973 NÃO HOUVE CAMPEÃO ABSOLUTO
para os dias 17, 18 e 19 de dezembro. acontecer, não só nesta prova, mas em condicionantes vividas. Muita gente 1974 NÃO SE REALIZOU
Esta decisão alheia ao Clube e Fede- todas as que ficaram para trás, e que fe- logrou ver os carros na estrada, ao 1975 MANUEL INÁCIO
ração obriga a que se dê por concluído lizmente se realizaram cinco pós início contrário do que sucedeu em com- 1976 ANTÓNIO DIEGUES
o Campeonato Portugal de Ralis con- da pandemia. Os ralis de Castelo Bran- petições motorizadas de alto nível, 1977 GIOVANI SALVI
tando para as classificações finais, co, Rali Vinho da Madeira, Rali Alto Tâ- não houve notícias dos ralis terem 1978 CARLOS TORRES
e de acordo com o Art. 8 do Regula- mega, Rali Vidreiro Centro de Portugal sido muito abalados pela Covid 19, o 1979 JOSÉ PEDRO BORGES
mento Desportivo do CPR, os cinco e Rali Terras d’ Aboboreira realizaram- que significa que o plano de contin- 1980 SANTINHO MENDES
melhores resultados das seis com- -se sob o estrito plano de contingência gência e toda a estratégia delineada 1981 SANTINHO MENDES
petições escolhidas.” posto em prática pela FPAK e seguido à resultou, permitiu que se fizesse um 1982 JOAQUIM SANTOS
Tendo em conta que os dois candidatos risca por todos os envolvidos nas pro- bom campeonato, como muita luta 1983 JOAQUIM SANTOS
ao título tinham resultados muito se- vas, o que permitiu que se tivesse um nos troços. Realmente fica a pena do 1984 JOAQUIM SANTOS
melhantes para ‘deitar fora’, a classi- campeonato digno, que infelizmen- desfecho ter sido assim, mas quanto a 1985 JOAQUIM MOUTINHO
ficação fi al do campeonato pouco ou te não terminou da melhor maneira, isso não há nada a fazer agora, sendo 1986 JOAQUIM MOUTINHO
nada mudou, pelo que Armindo Araújo com o cancelamento do do Rali Casi- por isso bem mais importante olhar 1987 INVERNO AMARAL
é o novo campeão. nos do Algarve, mas com seis provas em frente, para 2021.. 1988 CARLOS BICA
realizadas, de modo nenhum se pode 1989 CARLOS BICA
1990 CARLOS BICA
1991 CARLOS BICA
1992 JOAQUIM SANTOS
1993 JORGE BICA
1994 FERNANDO PERES
1995 FERNANDO PERES
1996 FERNANDO PERES
1997 ADRUZILO LOPES
1998 ADRUZILO LOPES
1999 PEDRO MATOS CHAVES
2000 PEDRO MATOS CHAVES
2001 ADRUZILO LOPES
2002 MIGUEL CAMPOS
2003 ARMINDO ARAÚJO
2004 ARMINDO ARAÚJO
2005 ARMINDO ARAÚJO
2006 ARMINDO ARAÚJO
2007 BRUNO MAGALHÃES
2008 BRUNO MAGALHÃES
2009 BRUNO MAGALHÃES
2010 BERNARDO SOUSA
2011 RICARDO MOURA
2012 RICARDO MOURA
2013 RICARDO MOURA
2014 PEDRO MEIRELES
2015 JOSÉ PEDRO FONTES
2016 JOSÉ PEDRO FONTES
2017 CARLOS VIEIRA
2018 ARMINDO ARAÚJO
2019 RICARDO TEODÓSIO
2020 ARMINDO ARAÚJO

CPR/
CAMPEONATO PORTUGAL DE RALIS

18

ARMINDO ARAÚJO “ESTE TÍTULO NÃO É SÓ MEU E DO LUÍS,
É DE TODAA MINHA EQUIPA, PARCEIROS E DATHE RACING FACTORY”

Armindo Araújo e Luís Ramalho são os novos Campeões enorme a todos”, concluiu o hexacampeão. disse o Armindo, esta conquista foi fruto do trabalho
da temporada 2020 do Campeonato de Portugal de Ralis. Na terceira temporada a navegar Armindo Araújo, Luís de muitas pessoas e sem elas nada seria possível.
Com o cancelamento do Rali Casinos do Algarve, a dupla do Ramalho também não esconde a satisfação pela Estamos obviamente muito felizes com a conquista do
Skoda Fabia R5 evo da equipa The Racing Factory garante já conquista do seu segundo título absoluto. “Tal como campeonato”, afirmou.
a conquista do título, após as três vitórias alcançadas e dois
segundos lugares, nos cinco melhores resultados entre os seis
ralis disputados.
Depois de em 2018 ter conseguido o quinto título
absoluto, Armindo Araújo termina a temporada de 2020
com a conquista do seu hexacampeonato, destacando-
se, claramente, como o piloto mais vitorioso de sempre da
modalidade.
No ano em que completa 20 anos de carreira, o piloto de Santo
Tirso reconhece que “este título é, sem dúvida, a melhor forma
de comemorar estas duas décadas onde procurei sempre
lutar por conquistas. Foi um ano atípico, mas fomos a equipa
que mais provas venceu, em terra e asfalto, conseguimos o
maior número de pontos e demonstramos que fomos os mais
competitivos.”, começou por dizer Armindo Araújo.
Com um projeto completamente novo, mas com os
mesmos objetivos de sempre, a temporada 2020 foi uma
aposta ganha. “Este título não é só meu e do Luís, é de
toda a minha equipa, dos meus parceiros e sobretudo da
The Racing Factory que fez um trabalho excelente durante
todo o ano. Só o empenho de todos permitiu que os
objetivos fossem atingidos. Parabéns e um agradecimento

THE RACING FACTORY DOIS TÍTULOS IMPORTANTES NA PRIMEIRATEMPORADA

Quando a The Racing Factory se apresentou titulo absoluto do piloto. os dois principais campeonatos absolutos nestes triunfos: “O Skoda Fabia R5 Evo
‘oficialmente’ em fevereiro deste ano, para Para Aloísio Monteiro, CEO da The Racing de Ralis realizados em Portugal, primeiro na provou a sua fiabilidade e a ligação entre The
trás já tinha ficado a certeza que a equipa Factory, este é o concretizar de um objetivo Madeira com a dupla Miguel Nunes-João Paulo Racing Factory e a Skoda Motorsport deu os
estava a construir os alicerces, que começam assumido no início da temporada. “Quando e agora com o Armindo Araújo-Luís Ramalho primeiros frutos. Que venha 2021!”
agora a dar frutos com títulos. Bastaram partimos para este desafio, tínhamos no Campeonato de Portugal de Ralis. Estas Já Justino Reis, que ao longo da temporada no
alguns meses para que a estrutura de S. objetivos bem delineados e muita vontade conquistas são um orgulho para toda a equipa cumprimento das suas funções acompanhou
Paio de Oleiros começasse a vencer provas, que este dia chegasse. Atingimos o objetivo The Racing Factory, mas também aumentam de perto todo o desenrolar dos respectivos
e recentemente chegou o momentos dos depois de uma época atípica, onde foi a nossa responsabilidade para o futuro”, campeonatos mostra-se extremamente
títulos. Miguel Nunes viu confirmado o seu necessário redobrar os esforços, a atenção e explicou Aloísio Monteiro que acrescentou satisfeito. “Na verdade esta não era a forma
título de Campeão da Madeira de Ralis e agora o trabalho para que nada falhasse. Vencemos ainda a importância da Skoda Motorsport que gostaríamos de festejar este título.
foi a vez de Armindo Araújo assegurar o título Os campeonatos devem ser festejados na
de Campeão de Portugal de Ralis de 2020. estrada, juntos dos fãs e dos pilotos. Ainda
Há cerca de ano e meio o Autosport teve assim, e tendo em conta as contingências
oportunidade de conhecer em detalhe, as e o panorama atual, não podemos deixar de
ambições da jovem equipa liderada por ficar extremamente felizes com mais esta
Aloísio Monteiro, e quando fomos conhecer as conquista, que comprova o excelente trabalho
novas instalações da The Racing Factory, em realizado por toda a equipa. Depois de vencer
S. Paio de Oleiros, ficou a certeza que tinha o Campeonato Regional da Madeira com o
nascido mais uma grande equipa portuguesa Miguel Nunes, esta vitória é a cereja no topo
no motorsport, para se juntar à Sports & You do bolo na primeira temporada da nossa
e à ARC Sport, para só falar nos ralis, não equipa”, começou por dizer Justino Reis,
esquecendo do consistente crescimento da antes de agradecer “a todos os pilotos, co-
Racing4You, Domingos Sport, por exemplo. pilotos e membros do staff da The Racing
No ano de estreia com a The Racing Factory Factory que tornaram esta temporada
e aos comandos de um Skoda Fabia R5 Evo, ainda mais valiosa. 2021 está já ao virar
Armindo Araújo e Luís Ramalho são os novos da esquina e a nossa equipa tem muitas
Campeões Nacionais de Ralis 2020, sexto novidades para anunciar.”

>> autosport.pt

19

“A FEDERAÇÃO DEVERIA
TER OUVIDOAS PARTESEEMCONJUNTO
EXPLORAR SOLUÇÕESALTERNATIVAS”
Como se calcula, Bruno Maga-
lhães e o Team Hyundai Portu- boreira até janeiro organizar um úl- ses ninguém queria que o campeona- táculo que o público estava à espera.
gal não ficaram satisfeitos com timo rali ou ter um plano B, quando to fosse estendido para janeiro, mas Eu acho que todos merecíamos isto.
este cancelamento, e enten- todos sabíamos que no Algarve não face às circunstâncias, face aos regi- Se até houve regimes de exceção, por-
dem que se devia ter tentado se estavam a conseguir realizar ralis? mes de exceção, face a tudo o que nós que não agora? Vou dar um exemplo:
fazer mais para que a prova se Parabéns ao Armindo (Araújo) e ao Luís estamos a viver nas nossas vidas, era o campeonato da Madeira a nível de
pudesse realizar mais para a frente. Fa- (Ramalho) que não têm culpa nenhu- muito melhor encontrar uma solução regulamentos não era homologado,
lámos com Bruno Magalhães, que nos ma que o rali tenha sido cancelado, da alternativa, para podermos fazer um porque não teve o número de provas
expressou a sua frustração com o su- mesma maneira que nós não tínhamos rali, exatamente da mesma forma que necessárias. E a federação fez um re-
cedido: “Antes de mais gostaria de co- culpa nenhuma que o rali anterior, na fez por exemplo o WRC, que não deixou gime de exceção e muito bem, para
meçar por dar os parabéns ao Armindo Aboboreira tivesse sido cancelado. E o campeonato acabar assim. O WRC não estragar o campeonato, porque
e ao Luís pelo título. No entanto, acho aí éramos nós os campeões... obvia- fez um rali fraco em Monza, mas fez. os pilotos não têm culpa, para não es-
que todos os intervenientes mereciam mente que seria tremendamente in- Ficámos estupefactos da federação tragar o investimento dos pilotos, pa-
que este campeonato terminasse de justo para eles caso isso acontecesse. anunciar o fim do campeonato sem trocinadores e homologou o campeo-
forma diferente, sendo um rude golpe As marcas e os patrocinadores apos- falar com os pilotos. nato mesmo contra os regulamentos.
para todos. Estivemos unidos, pilotos tam em nós para haver corridas e es- Até podia a solução acabar por ser a Foi uma decisão muito boa a favor dos
organizadores, federação, para levar- petáculo, quando não há é de lamentar. mesma, mas não valia a pena tentar- ralis. E se fez isso com o CRM, porque é
mos este campeonato a bom porto, fi- A FPAK divulgou há uns meses que mos falar e refletir, ver se haviam ideias que agora não se procuraram alterna-
zemos todos um trabalho espetacular os campeonatos podiam ir até 31 de de forma a conseguir acabar um cam- tivas? Eu acho que valia a pena tentar,
durante o ano, os ralis foram-se fazendo janeiro, obviamente que há nove me- peonato na estrada e haver esse espe- tudo era melhor que isto!
mesmo quando outros desportos esta-
vam parados e a verdade é que acabar
assim um campeonato é muito mau,
seja para nós que somos gravemente
prejudicados, para patrocinadores, pú-
blico também, pois toda a gente estava
entusiasmada para um duelo e para a
decisão do título. E nós tínhamos legí-
timas aspirações de pensar que podía-
mos chegar ao Algarve e ganhar o rali,
como fizemos o ano passado, e portan-
to, não podendo, obviamente que isto
é um frustração demasiado grande.
Foram feitos investimentos muito gran-
des por parte dos patrocinadores, e eu
acho que o campeonato não podia aca-
bar de maneira nenhuma desta forma.
Não se compreende que após o diálogo
mantido todo o ano, agora a federação
não falou nem com pilotos, nem com
equipas nem com marcas. indepen-
dentemente da decisão fi al, a federa-
ção deveria ter ouvido todas as partes
e em conjunto explorar soluções alter-
nativas. Não o fez e soubemos da de-
cisão pela internet, não tendo sequer
tempo de falar com os patrocinado-
res que tornam este desporto possível.
Praticamente todos os desportos es-
tão a competir, lá fora há provas em
países com situação pior que a nos-
sa, aqui não se consegue desde Abo-

CPR/
CAMPEONATO PORTUGAL DE RALIS

20

DANIEL NUNES
CAMPEÃO DAS DUAS RODAS MOTRIZES

A exemplo do que sucedeu com o campeona- de confiança e de tarde ganhei a coragem e o ânimo que RESTANTES CAMPEÕES
to absoluto, também Daniel Nunes se sagra faltou, e ganhei o rali no último troço, debaixo de um
campeão, no caso, das duas rodas motrizes. nevoeiro cerrado e de uma chuva torrencial! Para lá de Armindo Araújo e Luís Ramalho (Skoda
O piloto do Peugeot 208 R2 amarelo ia para Acho que foi a chave de ouro para este ano, um passa- Fabia R5 evo), no campeonato absoluto e nos RC2,
o Algarve com 26,61 pontos de avanço para porte incrível para voltar a minha coragem e dedicação há mais campeões. Nos navegadores o título foi
Ricardo Sousa, mas com este cancelamento habitual. Tive este ano de mudar de navegador. O Nuno para Luís Ramalho. Nas marcas a Skoda bateu a
do Rali do Algarve, as contas ficam fechadas. Mota Ribeiro este ano foi outra chave importante, um Hyundai e a Citroën. Nas duas rodas motrizes o tí-
Retirando o pior resultado a cada um nada rapaz calmo é muito dedicado aos ralis. Foi uma grande tulo foi para Daniel Nunes e Nuno Mota Ribeiro
muda, pelo que Daniel Nunes recupera o tí- aposta que fiz na minha carreira. Já vamos com alguns (Peugeot 208 R2). Nos RC2N, Luís Mota/Alex Ra-
tulo das duas rodas motrizes que o ano pas- anos de ralis nacionais e alguns títulos no currículo com mos (Mitsubishi Lancer Evo IX) são os vencedores,
sado foi ganho por Gil Antunes. Segundo título 33 anos de idade e com outra maturidade da vida, e com com o piloto de 60 anos a juntar ao seu palmarés o
das duas rodas motrizes em três anos, que mais consciência do perigo. Acho que está na altura de titulo de vencedor do grupo N na primeira época a
lhe soube muito bem depois de um ano mui- evoluir na carreira, mas no quê ainda não sei! tempo inteiro no CPR, batendo Adruzilo Lopes, Fer-
to difícil pelo meio: “É verdade. Segundo ano A Covid veio estragar tudo, tinha parceiros dispostos a nando Teotónio e José Merceano.
título nas duas rodas motrizes vencedor da apostar, e nesta altura nem corridas querem ouvir falar. É Nos Júniores, já no Rali Terras d´Aboboreira, Ri-
classe RC4 e do Challenge R2 & You. triste, mas é algo que temos de enfrentar neste momen- cardo Sousa e Luís Marques (Peugeot 208 R2) se
Ganhámos tudo que já havia para ganhar com to. Temos algumas ideias e planos na mesa. Vamos sen- tinham sagrado virtualmente campeões Júnior de
o Peugeot 208 R2, tem sido um carro incrív- tar-nos, pensar bem nos objetivos, e quem sabe vem aí Ralis: “O título Junior faz parte dos objetivos que
el, muito fiável e um grande aliado dos bons resultados. Em novidade e tentar títulos noutras categorias”, disse. tínhamos traçado para este ano”, disse na altura.
2018 tivemos um ano difícil, de grande resultados e fomos Nas Equipas, a Sports & You levou a melhor face à
campeões. ARC Sport, The Racing Factory, Racing4You, Domin-
2019 tinha tudo para ser o ano perfeito com cinco vitóri- gos Sport, Inside Motor e Prolama.
as seguidas mas tive o azar de ter o meu acidente de vi- Nos RC3, os campeões foram João Figueiredo/Fábio
ação que hipotecou de todo o ano é os títulos que esta- Ribeiro (Citroën DS3 R3T Max). Nos RC4, o título foi
vam quase garantidos. Hipotecou também a evolução na para Daniel Nunes e Nuno Mota Ribeiro (Peugeot
carreira para um R5 por exemplo, pois já havia parceiros 208 R2). O título nos RC5 foi para Filipe Carvalho e
interessados em apoiar-me. Foi tudo por água a baixo. Maria Carvalho, no Kia Picanto GT.
Em 2020 entrei ainda com grandes mazelas e com o físi-
co a não querer corresponder ao ritmo que vinha das cor-
ridas de 2019. Comecei a ficar um pouco triste e sem es-
perança, e agora posso confessar que no Rali de Fafe, ao
almoço na assistência, estive para desistir com falta de
ânimo e de coragem, estava tudo a correr bem mas éra-
mos terceiros na altura e já tinha dado um toque. Estava
desmoralizado, mas a assistência Inside motor (Joaquim
batalha) e a família conversou comigo, e deu-me um voto

VÍTOR PASCOAL FAZ HISTÓRIA

Vítor Pascoal protagonizou em 2020 um fei- trocinadores, lutando pela vitória em cada
to invulgar no automobilismo nacional, ao prova. Recordo-me, por exemplo, do fim de
juntar os títulos de Campeão de Portugal de semana em que fizemos o Rali Vi-dreiro na
Ralis GT e de Campeão de Portugal de Mon- sexta-feira e no sábado, e depois a Rampa
tanha GT. Piloto do Porsche 991 GT3 Cup Serra da Estrela no domingo, lutando pelos
destaca bons resultados e capacidade de primeiros lugares em duas provas tão difer-
superação numa época difícil a vários níveis: entes. Dedico estes títulos aos nossos pa-
“Terminar um ano tão difícil com dois títu- trocinadores, pela confiança que deposita-
los e diversas vitórias, tanto nos Ralis como ram em nós num ano tão atípico, ao Ricardo
na Montanha, é a melhor recompensa para Faria, que é uma peça fundamental no Baião
todo o nosso esforço”, referiu Vítor Pascoal. Rally Team, a toda a nossa equipa técnica,
“Fizemos, de facto, grandes sacrifícios para e também à memória do Domingos Mota,
estar presentes nestes dois campeonatos e um amigo e companheiro que nunca es-
dignificar sempre a imagem dos nossos pa- quecerei”, afirmou Vítor Pascoal.

QUALACHAQUE PODESERAPRÓXIMA SONDAGEM>> autosport.pt
‘ESTRELA’ DOS RALISEMPORTUGAL? 21
ADUATSOESMPAONRAT

Esta semana quisemos saber ‘Qual acha que pode
ser a próxima ‘estrela’ dos ralis em Portugal?’, Não
deste ou dos próximos anos, em que o plantel se
deve manter mais ou menos o mesmo. O desafio
que quisemos propor foi diferente. Naturalmente, daqui
a alguns anos o plantel do CPR estará renovado, não
nos interessa saber com que rapidez, mas sim quem
os adeptos, presentemente, entendem ter mais pos-
sibilidades de ser a nova ‘estrela’ dos ralis em Portugal.
Da equação quisemos tirar a possibilidade de haver
oportunidades diferentes, uns conseguirem apoios,
outros não. Partimos do princípio que vão ter chances
iguais para evoluir as suas carreiras, e dentro de algum
tempo estão todos a correr de R5 no CPR.
Os adeptos emitiram a sua opinião, e entendem que
Pedro Antunes (35,3%) é o mais destacado. Como se sabe,
ganhou a Peugeot Rally Cup Ibérica e em 2021 vai ter um
R5 para correr. Segue-se Diogo Gago (27,7%) que já corre
de R5 há algum tempo, no Campeonato dos Açores e em
algumas provas do CPR. O terceiro é Pedro Paixão (15,7%),
piloto madeirense que tem vindo a brilhar, mas que não
tem conseguido colocar de pé projetos consistentes.
Seguem-se Pedro Almeida (8,1%), Miguel Correia (7,5%),
Outros (3,4%) e Ricardo Sousa (2,3%). De certeza que se
dentro de algum tempo tivéssemos este lote de pilotos
a correr no CPR, de certeza que teríamos campeonatos
tão animados quanto os atuais.

VOX POP

André Oliveira RESULTADOS
Se eu tivesse dinheiro para investir, investia no Pedro
Paixão. Tem tudo para ser grande piloto, menos o ‘guito’. Pedro Antunes 35,3%

Carlos Gonçalves Diogo Gago 27,7%
Eu apostava no Pedro Antunes. O Pedro Paixão, ok, mas
precisava de ir lá fora. Pedro Paixão 15,7%

Bruno Rodrigues Alves Pedro Almeida 8,1%
Pedro Antunes. Sem qualquer dúvida. Tem tudo e mais
alguma coisa para muito em breve ser Campeão Português Miguel Correia 7,5%
de Ralis. Para já soma ao seu currículo a vitória na Peugeot
Rally Cup Ibérica. Outros 3,4%

Luis Caramelo Ricardo Sousa 2,3%
Se tivesse que investir, diria que o Pedro Antunes é o
valor mais rápido e mais seguro. Sem desprimor para os Mário Lapa este lote de grandes talentos por quem nutro grande
outros está claro. Vi no Algarve o Pedro Paixão e fiquei Sem menosprezo para os restantes, aposto de olhos amizade. Acho que qualquer um de nós merece uma
impressionado e gosto da ascensão do Luís Rego Jr, que fechados em Pedro Antunes e Diogo Gago. Juntos numa oportunidade! Espero sinceramente que um dia
pode também pode evoluir bastante. equipa, seriam então ouro sobre azul! possamos todos competir novamente uns contra
os outros! Da minha parte, se assim se voltar a
Tiago Pinto Luís Canha proporcionar, acreditem que não desperdiçarei nem
Pedro Almeida/Hugo Magalhães. Penso que ainda vamos Penso que todos. No entanto, gostaria de ver, aonde um km. Bons ralis a todos!
ouvir falar muito desta dupla. chegaria o Pedro Paixão...
Célio Costa
Duarte Veríssimo João Eládio Miguel Correia será a resposta mais acertada! Grande piloto
Paixão, se andar na terra como anda no asfalto o meu voto Sou suspeito, e sem menosprezar os outros, mas quem e já está nessa corrida...
irá para ele. conhece e a acompanha o Pedro Paixão, sabe que há ali
mais qualquer coisa. Gonçalo Assunção
Bruno Alves Na minha opinião Diogo Gago. Tanto ele como o Pedro
Diogo Gago mais que merecido. Pedro Paixão Antunes provaram que mesmo fora de portas e em terrenos
Devo desde já agradecer a quem diz o meu nome e desconhecidos se batem com os melhores da Europa, dois
dizer que me sinto lisonjeado por ser equiparado a pilotos muito rápidos e com muito talento.

V/22
VELOCIDADE

OPEN DE PORTUGAL DE VELOCIDADE MICHELIN

ÚLTIMA
SERENATA

À CHUVA

O Open de Velocidade de Portugal by Michelin visitou o Circuito
do Estoril para o derradeiro fim de semana do ano. A chuva

marcou presença e apimentou o capitulo final da competição

Fábio Mendes tiva também no Open de Portugal de COMEÇO AUSPICIOSO os mesmos protagonistas, com Paulo
[email protected] Velocidade, com o piloto do Nissan Pinheiro/Pedro Marreiros (Porsche
FOTOS Nuno Organista e Rui Reis Foto GT-R Nismo GT3 a tentar chegar à vitó- PARA CORREIA 991 GT3 Cup) a 1.909s e Francisco Mora
ria entre os GT e ainda tentar alcançar (Cupra TCR) a +4.393s.
O Open de Velocidade sur- o título da categoria com a dupla Paulo José Correia (Nissan GTR Nismo) do- O piloto do JC Group, apesar do piso
giu no início deste ano com Pinheiro/Pedro Marreiros em boa po- minou as duas qualificações do Open molhado e traiçoeiro, venceu a pri-
um novo vigor. O apoio da sição para a conquista do mesmo. de Velocidade. Na primeira sessão ba- meira corrida do Open de Portugal de
Michelin e o prémio mone- A prova de abertura do Open de teu Paulo Pinheiro e Pedro Marreiros Velocidade by Michelin. Correia recla-
tário, assim como os títu- Velocidade, em Portimão, marcou a (Porsche 991 GT3 Cup) por 2.825, com mou a vitória à geral e na categoria G1,
los nos GT e nos Turismos estreia competitiva de Luís Silva ao vo- Francisco Mora (Cupra TCR) em tercei-
permitiram atrair mais pilotos com lante de um TCR, uma experiência que ro a 2.943s e na segunda, exatamente
grelhas que tiveram números inte- teve sequência no histórico Circuito
ressantes. Para este fim de semana do Estoril, palco da derradeira prova do
tivemos 11 carros em pista divididos campeonato. Foi o regresso à compe-
pelas categorias G1, G2, G3 (GT) e TCR tição para o piloto de Famalicão, que
(Turismos). fez dupla com Manuel Sousa.
Uma das baixas mais notada para este Daniel Teixeira “apresentou-se ao ser-
fim de semana foi Fábio Mota. O pilo- viço” desta feita sem a companhia
to de Vila Nova de Gaia teve de faltar habitual do patrão da equipa e piloto
às últimas provas do ano por ter tes- Joaquim Santos que, por motivos pro-
tado positivo para a Covid-19. Numa fissionais, não pôde estar presente no
época em que já se sagrou campeão Estoril. Por outro lado, a equipa con-
nacional de Montanha, José Correia ia tou com o apoio técnico da Racing4All,
tentar terminar o ano de forma posi- no que à preparação do Cupra TCR diz
respeito, o que constituiu uma novi-
dade para ambas as partes.

>> autosport.pt

23

C/ C L A S S I F I C A Ç Ã O

CORRIDA 1 NISSAN GTR NISMO G1 11 VOLTAS
1 50 J. CORREIA PORSCHE 991 GT3 CUP G2 +28.315
2 45 P. PINHEIRO / P. MARREIROS PORSCHE 991 GT3 CUP G2 +52.452
3 58 J. MONROY PORSCHE 991 GT3 CUP G2 +57.395
4 40 P. MARQUES CUPRA TCR TCR +57.795
5 26 F. MORA
CUPRA TCR TCR 12 VOLTAS
CORRIDA 2 NISSAN GTR NISMO G1 +3.046
1 26 F. MORA PORSCHE 991 GT3 CUP G2 +14.933
2 50 J. CORREIA PORSCHE 991 GT3 CUP G2 +37.607
3 45 P. PINHEIRO / P. MARREIROS PORSCHE 991 GT3 CUP G2 +48.283
4 58 J. MONROY
5 40 P. MARQUES CUPRA TCR TCR 21 VOLTAS
NISSAN GTR NISMO G1 +0.519
CORRIDA 3 PORSCHE 991 GT3 CUP G2 +27.204
1 26 F. MORA PORSCHE 991 GT3 CUP G2 +27.904
2 50 J. CORREIA AUDI A3 TCR TCR +1:35.468
3 58 J. MONROY
4 40 P. MARQUES
5 11 J. SILVA / P. SILVA

com um andamento forte que não foi Francisco Mora (Cupra TCR), o me- FRANCISCO MORA DESTACOU-SE absoluto de GT, contentando-se com a
acompanhado pelo Porsche 911 GT3 lhor dos carros de Turismo. A clas- vitória na categoria G1. Isto, apesar do
Cup 4.0 de Pedro Marreiros (G2), a jogar sificação da prova ficou fechada com A segunda corrida conheceu domínio de abandono dos campeões absolutos de GT
a cartada da cautela pois o título abso- Daniel Teixeira (Cupra TCR), segundo José Correia até que o Nissan GT-R GT3 e da categoria G2, Pedro Marreiros e Paulo
luto de GT estava ao virar da esquina. dos Turismos, Francisco Gonçalves começou a dar dores de cabeça ao piloto Pinheiro do Parkalgar Racing Team. José
O pódio foi completado com o Porsche (Lotus Exige), primeiro na categoria nortenho. Já Francisco Mora fez uma cor- Monroy levou o seu Porsche 911 GT3 Cup
911 GT3 Cup de José Monroy, com Paulo G3, Alvaro Ramos (Mercedes AMG GT rida espetacular ao volante do Cupra TCR da M Driving até ao degrau mais baixo do
Marques a levar o seu Porsche 911 GT3 GT4), Jorge Silva (Audi RS3 LMS TCR) e ganhou, na frente de José Correia e de pódio, sendo seguido de Paulo Marques,
Cup ao quarto lugar final, na frente de e Manuel Sousa (Cupra TCR). Paulo Pinheiro. O piloto do Cupra levou a igualmente ao volante de um Porsche 911
melhor nos Turismos, enquanto que nos GT3 Cup, terminando um fimde semana
GT, o piloto do Nissan levou de vencida a muito regular para o piloto da Mobycar.
luta com Paulo Pinheiro. Na quarta posi- A dupla Jorge Silva e Pedro Silva levou
ção ficou José Monroy, seguido de Paulo o Audi RS3 LMS TCR até ao quinto lugar
Marques e de Pedro Silva (Audi RS3 LMS da geral, ficando na frente do Lotus Exige
TCR), que levou a melhor sobre Daniel de Francisco Gonçalves, do Cupra TCR de
Teixeira na luta pelos Turismos. Luís Silva Daniel Teixeira, do Cupra TCR de Manuel
(Cupra TCR) foi o oitavo classificado na Sousa e Luís Silva e do Mercedes AMG
frente de Fred Blok (Mercedes AMG GT GT GT4 de Álvaro Ramos e Fred Blok.
GT4). A terceira corrida da última jorna- Francisco Mora conseguiu rubricar a vol-
da do Open de Portugal de Velocidade ta mais rápida da corrida.
by Michelin, assistiu a nova vitória de Estão assim entregues os títulos nes-
Francisco Mora (Cupra TCR) à geral, re- ta competição que se espera que possa
clamando, assim, o título de Turismos. O continuar a crescer e a trazer mais carros
segundo lugar de José Correia, uma vez para a pista, revitalizando desse modo a
mais apoquentado com problemas no velocidade nacional que bem precisa de
Nissan GT-R GT3, não foi suficiente para um impulso novo.
o piloto do JCGroup sagrar-se campeão

V/
VELOCIDADE

24

CAMPEONATO PORTUGAL
VELOCIDADE CLÁSSICOS/CLÁSSICOS 1300

GRANDE
ESPETÁCULO
NA ÚLTIMA

DO ANO

O Campeonato de Portugal de Velocidade Clássicos e Clássicos
1300 foi até ao Circuito do Estoril para a última jornada do ano.
As condições difíceis não impediram boas lutas e boas corridas

Fábio Mendes Atrás do Porsche laranja e ultrapassa- C/ C L A S S I F I C A Ç Ã O
[email protected] do o De Tomaso de Pedro Resende, Rui
FOTOS Nuno Organista e Rui Reis Foto Alves (Ford Escort RS 1600) e Joaquim CORRIDA 1 PORSCHE 911 RSR H75 13
Jorge (Ford Escort RS 1600) entrega- 1 3 J. MACEDO SILVA FORD ESCORT RS 1600 H75 +6.387
C om um total de 18 carros ins- ram-se a uma luta muito interessan- 2 20 R. ALVES FORD ESCORT RS 1600 H75 +7.547
critos para as duas últimas te. Rui Alves acabou por se superiori- 3 6 J. JORGE FORD ESCORT RS 1600 GR5 +10.416
corridas do ano, o CPVC foi zar, consolidando a segunda posição 4 33 J. CRUZ DETOMASO PANTERA H75 +10.428
para a pista pela última vez na frente de Joaquim Jorge, fechan- 5 60 P. RESENDE
em 2020. A ANPAC conse- do o pódio. FORD ESCORT RS 1600 H75 14
guiu organizar um campeo- Destaque, ainda, para a excelente re- CORRIDA 2 FORD ESCORT RS 1600 H75 +20.443
nato competitivo e com um calendário cuperação de João Cruz (Ford Escort RS 1 20 R. ALVES FORD ESCORT RS 1600 GR5 +52.340
apelativo, apesar das dificuldades que 1600) que conseguiu nos metros finais 2 6 J. JORGE BMW 323I H81 14 +1:37.022
a Covid-19 colocou aos organizadores desalojar Pedro Resende do quarto 3 33 J. CRUZ FORD ESCORT GR5 + 1 VLT.
das provas de Clássicos e Legends. lugar, ficando o piloto do De Tomaso 4 32 J. CRUZ
João Macedo Silva (Porsche 911 RSR) da Pantera no quinto lugar. 5 77 L. NUNES
categoria H75 foi o mais rápido na qua- Entre os Clássicos 1300, Luís Alegria
lificação, com um registo de 2:02.337s, (Datsun 1200) venceu sem grandes as agruras da competição. rosa vitória.
batendo Joaquim Jorge (Ford Escort RS dificuldades, na frente de Cândido Na frente, Rui Alves foi pressionando Pelo caminho, além do Porsche de
1600), da mesma categoria, por 2.602s. Monteiro (Datsun 1200), rubricando, João Macedo Silva até que o Porsche João Macedo Silva, ficou o De Tomaso
A primeira corrida do Estoril Racing pelo caminho, o oitavo lugar à geral. 911 RSR laranja parou com um elemen- Pantera de Pedro Resende, parado nas
Festival, teve como vencedor João Nas diversas categorias, João Macedo to da transmissão partido, deixando boxes com um problema mecânico
Macedo e Silva ao volante do Porsche Silva (Porsche 911 RSR) venceu os H75 o seu piloto apeado. Com o Escort a logo na primeira volta da corrida. Aliás,
911 RSR. Segundo lugar ficou para Rui e João Cruz (Ford Escort RS 1600) foi o funcionar de forma perfeita, Rui Alves esta derradeira prova dos Clássicos e
Alves fechando o pódio Joaquim Jorge, melhor entre os pilotos do Gr.5. Nos H75 sacudiu a pressão de Joaquim Jorge e Clássicos 1300 foi fértil em paragens
ambos ao volante de Ford Escort RS 1300, vitória para Luís Alegria (Datsun levou o Escort RS 1600 até á bandei- nas boxes.
1600. 1200), enquanto nos H81 saiu vence- ra de xadrez, reclamando uma sabo- Pedro Resende, como referido, foi o
Tivemos surpresa no arranque com dor Jorge Cruz (BMW 323i). Entre os
Pedro Resende a levar o De Tomaso H71, vitória para João Vieira (Porsche
Pantera à liderança da prova. João 914-6 GT).
Macedo Silva recompôs-se e no final
da primeira volta o piloto do Porsche RUI ALVES LEVOU A ÚLTIMA DO ANO
911 RSR recuperou o comando da cor-
rida que manteve até á bandeira de A derradeira corrida dos Clássicos e
xadrez. Clássicos 1300 conheceu forte ani-
mação, com lutas em todo o pelotão e
alguns dos Clássicos a não suportarem

>> autosport.pt

25

primeiro a parar, seguido do Porsche posse do BMW 323i de Jorge Cruz. algumas vezes de posição e por via (Porsche 911). Nos H81, Jorge Cruz le-
911 de Mário Meireles, do Porsche À porta dos cinco primeiros e com a disso perderam o contacto com o BMW vou o BMW 323i à vitória, seguido de
934 Turbo de Pedro Bethencourt e do vitória entre os Clássicos 1300, ficou 2002 Ti de Simplício Pinto e fecharam, Pedro Poças (Porsche 924) e Pedro
Escort RS de António Soares. Também o Luís Alegria, que não teve dificulda- assim, o Top 10. O BMW 2002 Ti de Bethencourt (Porsche 934 RSR). Entre
o Mini de Tiago Fino Vitorino fez uma de em vencer com o seu Datsun 1200. Carlos Fernandes não arrancou para os Clássicos 1300, vitória para Luís
passagem pelas boxes. O seu opositor na categoria, Cândido a prova devido a insolúveis problemas Alegria nos H75 1300 enquanto que
Rui Alves ao volante do Ford Escort RS Monteiro, conheceu algumas dificul- mecânicos. Cândido Monteiro venceu os H71 1300.
1600 carimbou a vitória e terminou a dades e terminou na 14ª posição da Contas feitas às diversas classes, o Gr. No que diz respeito aos campeona-
época em beleza. No segundo lugar fi- geral. 5 foi ganho por João Cruz (Ford Escort tos e aguardando a oficialização da
cou outro Ford Escort RS 1600, desta Destaque, ainda, para a batalha travada RS) seguido de Luís Nunes (Ford Escort FPAK, João Cruz ganhou o título no
feita pilotado por Joaquim Jorge, en- entre João Vieira e Pedro Poças, am- RS), António Soares (Ford Escort RS), Gr.5, Jorge Cruz foi o melhor nos H81,
quanto em terceiro ficou outro Escort bos ao volante de carros da marca de Tiago Fino Vitorino (Austin Mini) e Carlos Barbot venceu os H71 e a Taça
RS, numa versão de Gr.5, pilotado por Estugarda, o primeiro com um 914-6 Jorge Leite (Mazda RX-2). Nos H71, 1600 e Joaquim Jorge leva para casa o
João Cruz. A quarta posição ficou na GT, o segundo com um 924. Trocaram vitória para João Vieira (Porsche 916- título dos H75. Nos 1300, Luís Alegria
6 GT) seguido de Cândido Monteiro foi o campeão.
(Datsun 1200), enquanto que nos H75, Termina assim a época nos clássicos
o primeiro lugar foi para Rui Alves, se- que se espera que em 2021 traga mais
guido de Joaquim Jorge, ambos em Ford concorrentes, em especial na classe
Escort RS, seguidos de Luís Alegria 1300 que atravessa uma fase menos
(Datsun 1200) e de Mário Meireles positiva.

V/
VELOCIDADE

26

ENCERRACPVRL–ALEGMENDS

A ÉPOCA
EM GRANDE

Os Legends encerraram a época 2020 com
chave de ouro. Boas corridas e lutas intensas
em condições nada fáceis foram o prato forte do
fim de semana. Os pilotos deram provas do seu

talento e no final foram entregues os títulos

Fábio Mendes aproveitou para assumir a liderança Nas diversas classes, a Livre foi ganha Figueiredo. O piloto do Volvo 850 T5
[email protected] da prova que perderia pouco depois. por Filipe Matias (Volvo 850 T5) e a Estate aproveitou os problemas do
FOTOS Nuno Organista e Rui Reis Foto “Safety Car” teve de entrar em ação Especial por João Luís (Renault Spider). carro de Miguel Monteiro para repetir
devido aos despistes de Gustavo Moura A L99 teve como vencedor o BMW M3 o terceiro lugar do pódio.
A dupla Manuel Fernandes/ Jr. (Alfa Romeo 165) e de Jorge Marques de António Barros, enquanto que en- Destaque para a excelente recupe-
Hugo Mestre (BMW 320 d) (Toyota Starlet 1.3S) e no recomeço tre os L99 2000 a vitória foi para José ração de Joaquim Soares (BMW M3).
da categoria Livre foram os da prova Manuel Fernandes ficou na Almeida (Honda Integra Type R). Nos Saindo do final da grelha de partida,
mais rápidos na qualificação frente, mas o BMW 320d continuava a L90 2000, primeiro lugar para Hugo recuperou várias posições até ver a
à geral, com um registo de manifestar dificuldades e Filipe Matias Branquinho (Honda Civic EF3) e nos bandeira de xadrez no sétimo lugar. A
2:02.813s, 1.162s na frente de fez um esforço final para subir ao de- L85 1300 sucesso para Paulo Mendes oposição dos Honda de Tiago Ribeiro e
Miguel Monteiro/Filipe Matias (Volvo grau mais alto do pódio, o que conse- (Toyota Starlet 1.3). Finalmente, no Hugo Branquinho não permitiu ao pi-
850 T5) da mesma categoria. Terceiro guiu na derradeira volta. FEUP2, vitória para João Sousa e no loto do BMW M3 ir mais além. O Top 10
lugar para Joaquim Soares (BMW M3), Destaque, ainda, para António Barros FEUP3 ganhou Gustavo Moura. da corrida ficou fechado com Sergio
melhor da L99. (BMW M3) que seguiu durante muito Monteiro (Fiat Tipo 16V), Sérgio Pinto
Filipe Matias conseguiu o triunfo à ge- tempo no terceiro lugar. Porém, sur- VITÓRIA DE MESTRE (Honda Civic) e Jorge Marques (Toyota
ral na primeira corrida do fim de se- preendido pelas condições do piso Starlet 1300).
mana, depois de levar a melhor sobre acabou por errar e perdeu posições NA ÚLTIMA DO ANO O piloto do Toyota Starlet 1.3 esteve
o detentor da pole, Manuel Fernandes. para Nuno Figueiredo (Volvo 850 T5 em excelente plano, liderou os L1300
A muita chuva caiu de forma incle- Estate) e para o exótico Renault Spider Hugo Mestre “vingou” o seu colega e junto com Diogo Barros, em carro
mente ao longo de praticamente toda de João Luís. de equipa e venceu a derradeira cor- idêntico, e Nelson Silva (Peugeot 205
a prova que viu Fernandes dominar Contas feitas, vitória para Filipe Matias rida. Mestre fez um arranque cautelo- Rallye) ofereceram um vislumbre da-
grande parte da corrida mas o BMW (Volvo 850 T5), segundo lugar para so atrás de Miguel Monteiro (Volvo 850 quilo que podem ser as corridas com
320d começou a dar dores de cabeça Manuel Fernandes (BMW 320d) fe- T5), mas no final da primeira volta já estes modelos de baixa cilindrada.
ao piloto de Vila Real e Filipe Matias chando o pódio Nuno Figueiredo com tinha assumido o comando da prova, Igualmente espetacular foi a corrida
o Volvo 850 T5 Estate. que manteve até à bandeira de xadrez. da categoria FEUP2. Os Fiat Punto 85
O segundo lugar na corrida foi para o ofereceram um espetáculo à parte,
Renault Spyder de João Luís. O piloto particularmente João Sousa e Rui Silva.
aproveitou as dificuldades do Volvo Contas feitas às diversas categorias,
de Miguel Monteiro para reclamar um Hugo Mestre (BMW 320d), ganhou
saboroso pódio, na frente de Nuno na Livre e João Luís (Renault Spyder)
na Especial. Nos L99 ganhou Nuno
C/ C L A S S I F I C A Ç Ã O Figueiredo (Volvo 850 T5 Estate) e nos
L99-2000 a vitória ficou nas mãos de
CORRIDA 1 Tiago Ribeiro (Honda Integra Type R).
Hugo Branquinho (Honda Civic) venceu
1 32 M. MONTEIRO / F. MATIAS VOLVO 850 T5 LIVRE 11 os L90-2000, Jorge Marques (Toyota
Starlet 1.3) ganhou no L85-1300, en-
2 51 M. FERNANDES / H. MESTRE BMW 320 D LIVRE +0.550 quanto que João Sousa (Fiat Punto) e
Gustavo Moura Jr. (Alfa Romeo 156)
3 6 N. FIGUEIREDO VOLVO 850 T5 ESTATE L99 +14.784 conquistaram a vitória, respetiva-
mente, no FEUP2 e FEUP3.
CORRIDA 2

1 51 M. FERNANDES / H. MESTRE BMW 320 D LIVRE 13

2 17 J. LUIS RENAULT SPYDER ESPECIAL +17.595

3 6 N. FIGUEIREDO VOLVO 850 T5 ESTATE L99 +24.602

>> autosport.pt

27

ANPACLANÇAAVISOEVAIFAZERALTERAÇÕES
AANPAC lançou um comunicado onde mostra a
preocupação pela classe 1300 do Campeonato a identificar problemas graves nos Clássicos 1300. sentar algumas alterações no regulamento despor-
de Portugal de Velocidade Clássicos. A drás- Naturalmente que a ANPAC quer desenhar soluções tivo para 2021, nomeadamente, com o alargamento
tica diminuição do número de inscritos nos e desbravar caminhos com os seus associados an- da Classe Especial dos Legends a carros usados em
1300 não é do agrado dos responsáveis pelos cam- tes de lavrar qualquer regulamentação desportiva troféus realizados em Portugal posteriores a 1999,
peonatos de Clássicos e Legends que pretende fazer diferente da existente, mas não pode aceitar lis- carros esses que não são muito bem vistos no atual
mudanças para alterar o panorama atual. No comu- tas de inscritos para provas dos Clássicos 1300 com enquadramento do Open de Portugal de Velocidade.”
nicado lançado pode ler-se o seguinte: “A ANPAC foi apenas dois participantes. A preocupação com os É salutar esta vontade da ANPAC tentar mudar um
assistindo à erosão dos Clássicos 1300 que acabou Clássicos 1300 é premente, mas a ANPAC também panorama e não ficar parada a ver se a situação me-
por afunilar as possibilidades de competição até à quer revitalizar as classes de cilindradas mais bai- lhora só por si. Os Clássicos têm sido um dos pilares
inevitável junção dos 1300 com os mais poderosos xas dos Legends, Legends 1300 e FEUP. da velocidade nacional e os 1300, que tão boas cor-
Clássicos. A ANPAC debruçou-se sobre o estado Para lá de querer lançar a discussão sobre a forma de ridas deram, estão numa fase muito negativa que se
das diversas categorias que supervisiona e voltou revitalizar as grelhas de partida dos Clássicos 1300 e alastra às classes de menor cilindrada dos Legends
dos Legends 1300 e FEUP, a ANPAC pretende apre- e que tem de ser alterada.

TCR IBÉRICO corrida matinal, foi declarado primeiro classificado C/ C L A S S I F I C A Ç Ã O
da mesma, enquanto os três pilotos do pódio, Leonov
TÍTULO (1º), Azcona (2º) e Callejas (3º), caíram, respetivamente, TCR IBÉRICO (FINAL) CLASSE DSG (FINAL):
ATRIBUÍDO para 3º, 4º e 5º. A decisão dos comissários desportivos, 1º, GONZALO DE ANDRÉS, 90 PONTOS; 1º, NICOLA BALDAN, 50 PONTOS;
castigando quem ultrapassou por mais de uma vez os 2º, EVGENIY LEONOV, 76; 2º, RODRIGO ALMEIDA, 36.
As contas do TCR Ibérico foram feitas em Jerez, a limites da pista, veio alterar por completo o panorama, 3º, GASTAÑAGA MARTINEZ, 42;
última ronda da competição. Gonzalo De Andrés a nível de pontos, da disputa pelo título. 4º, MIKE HALDER, 37;
(SMC Junior Motorsport/Peugeot 308 TCR) Sabendo que tinha aumentado para 24 pontos a sua 5º, SAMI TAUFIK, 33.
como Evgeniy Leonov (Volcano Motorsport/ vantagem face a Leonov, De Andrés encarou a se-
CUPRA TCR) eram os candidatos ao título, mas o pri- gundo e última corrida com tranquilidade, pois bas- Motorsport/VW Golf GTI DSG TCR) sagrou-se cam-
meiro destaque foi para o Sr. WTCR, Milkel Azcona tava-lhe chegar ao fi al para fazer a festa. Azcona e peão , ao levar de vencida o seu jovem colega de equi-
(Volcano Motorsport/CUPRA TCR) que conquistou a Leonov dominaram, mas de pouco adiantou ao piloto pa Rodrigo Almeida, que tripulou um carro idêntico.
pole para primeira corrida do fim e semana. russo ter cortado a linha de meta em primeiro, pois o
De Andrés e Leonov foram batidos pelo jovem Isidro título foi entregue a De Andrés.
Callejas (Chefo Sport/Peugeot 308 TCR), que aos 16 Na classe DSG, o italiano Nicola Baldan (Elite
anos faz a sua estreia no TCR com um 308 recém ad-
quirido à Peugeot Sport. Entre os carros da classe DSG
e no duelo entre os pilotos da Elite Motorsport, o ita-
liano Nicola Baldan superiorizou-se ao jovem Rodrigo
Almeida por menos de três segundos.
Evgeniy Leonov venceu a primeira corrida e De Andrés
não foi além de quarto, atrás de Azcona em segundo e
Callejas em terceiro. Na prática, o líder De Andrés viu
Leonov anular a quase totalidade da desvantagem
(14 pontos) com que chegara a Jerez. Mas o golpe de
teatro deu-se após o fi al da corrida. Os resultados da
primeira foram alterados por completo, na sequên-
cia de penalizações aplicadas pelos comissários des-
portivos. Desse modo, De Andrés, que fora quarto na

V/
VELOCIDADE

28

TÍTULOSSUPER7BYTOYO ENTREGUES

A última jornada de uma dos
Super 7 by Toyo manteve os
ingredientes habituais. Boas

grelhas, lutas intensas e
vitórias por margens mínimas.

Pedro Salvador foi um dos
nomes em destaque, tal como

Bernardo Bello e Frederico
Brion Sanches

C/ C L A S S I F I C A Ç Ã O

420R
1º PEDRO SALVADOR - 340 PTS
2º JOSÉ CARLOS PIRES - 327 PTS
3º J. J. MAGALHÃES - 235 PTS

S1600 PRO
1º BERNARDO BELLO - 375 PTS
2º PEDRO LACERDA - 287 PTS
3º ANTÓNIO NUNES ALMEIDA - 233 PTS

Fábio Mendes ao último metro do fim-de-semana. na segunda corrida de sábado, perdendo S1600 BUSINESS
[email protected] No regresso ao Super Seven by Toyo Tires, aquele que seria o seu primeiro triunfo de 1º FREDERICO BRION SANCHES - 363 PTS
FOTOS Rui Reis e Nuno Organista Ricardo Rajani e Rui Silva mataram sauda- 2020 mesmo ao cair do pano.
des e deixaram boas indicações, e o mes- Ou a força mental de José Carlos Pires, que 2º JOÃO REBELO MARTINS - 313 PTS
Composta por 20 carros e mais igua- mo sucedeu com António Nunes Almeida respondeu aos dois triunfos consecutivos
lada do que nunca, a categoria 420R na S1600 Pro. de Pedro Salvador nas corridas 1 e 2 que 3º BRUNO MARTINS - 310 PTS
voltou a contar com uma série de Após seis brilhantes corridas, há natu- tiveram lugar no sábado com uma garra
protagonistas: os dez primeiros vol- ralmente que destacar a revalidação dos inacreditável, vencendo ao “photo-finish Rebelo Martins e Bruno Martins) ao lon-
taram a estar muito próximos entre si e títulos conquistados na época transata aterceiracontendadofim- e-semanapor go deste Estoril Racing Festival, Frederico
com isso a prometerem grandes bata- por Pedro Salvador (vencedor à geral de meros 35 milésimos de segundo! Do mes- Brion Sanches é um justo vencedor da
lhas ao volante, com as pole-positions quatro das seis provas do fim de sema- mo modo, a resposta de Pedro Salvador categoria Business. Já Bernardo Bello deu
para as corridas do fi -de-semana a na) e Bernardo Bello na categoria 420R e na 2ª corrida de Domingo (a 5ª do progra- mais uma prova cabal de que se encon-
serem repartidas por Pedro Salvador, J.J. S1600 Pro, respetivamente, bem como a ma desportivo), num movimento tirado tra preparado para outros voos, pela ve-
Magalhães, Gonçalo Lobo do Vale e José consagração de Frederico Brion Sanches a papel químico (saída forte na zona da locidade e garra demonstradas em pista.
Carlos Pires. na classe S1600 Business. Parabólica) que lhe permitiu superar o seu Na mais potente das classes do Super
Na categoria S1600 Pro, Bernardo Bello Mas também enaltecer a enorme com- grande rival desta temporada por apenas Seven by Toyo Tires, assistimos à emoção
voltou a deixar em evidência a sua petitividade que marcou esta passagem 44 milésimos. Tudo num confronto em que de sempre e à presença sistemática de 10
enorme rapidez à chuva, enquanto pelo Estoril Racing Festival: das três po- os seis primeiros terminaram separados potenciais candidatos ao pódio, além dos
João Rebelo Martins e Frederico Brion le-positions de Gonçalo Lobo do Vale na por irrisórios 1,5 segundos! nomes já referidos: Diogo Tavares, Diogo
Sanches confirmaram que a luta pela categoria 420R ao brilhante desempenho Apesar de beneficiar do azar que se abateu Costa, J. J. Magalhães, Sérgio Saraiva e
categoria S1600 Business iria durar até que o piloto da BCM Sports evidenciou sobre os seus principais opositores (João David Saraiva — um quinteto que não
raras vezes colocou o atual campeão e
vice-campeão da classe em apuros ao
longo desta temporada.

C/ >> autosport.pt

29

CLASSIFICAÇÃO

PRO
1º RAFAEL LOBATO - 165 PTS
2º ALEX AREIA - 120 PTS
3º MANUEL GIÃO - 105 PTS

CLUB
1º PEDRO ALVES - 225 PTS
2º GONÇALO INÁCIO - 124 PTS
3º TIAGO MADEIRA/MIGUEL MARTINS- 121 PTS

JÚNIOR
1º JOSÉ MARIA BASTOS - 198 PTS
2º JOÃO AGUIAR-BRANCO - 172 PTS
3º LUÍS MARIA LISBOA - 170 PTS

E TUDO RAFAELKIAGTCUP te campeão da categoria Júnior (Areia),
LOBATOLEVOU bem como os restantes adversários, no
fi al de cada corrida.
Rafael Lobato foi o grande destaque do fim de semana do Kia GT Cup. O piloto Contas feitas, o balanço desta 10ª edição
de Vila Real venceu todas as seis corridas, num feito espantoso do jovem piloto do Estoril Racing Festival não podia ser
mais positivo: 6 pole-positions, 6 triun-
Fábio Mendes das três corridas de sábado. Já na categoria Júnior, assistiu-se a um fos e três voltas mais rápidas para Rafael
[email protected] Apesar do domínio de Lobato, destaque volte-face graças aos três triunfos de Lobato e o título na sua categoria. No seu
FOTOS Rui Reis e Nuno Organista para o bom andamento de Alex Areia na José Maria Bastos — um resultado que o encalce, Alex Areia — 2º classificado em
categoria Pro, que acumulou dois segun- colocava como campeão virtual da sua todas as corridas de domingo, com Gião
Lobato começou da melhor forma o dos e um terceiro lugares. Manuel Gião classe, apesar de partir da 4ª posição a suplantar Francisco Carvalho nas res-
fim de semana sendo o mais rápido também foi ao pódio por duas vezes e da categoria à entrada para esta prova. tantes subidas ao pódio.
nas duas qualificações da Kia GT Francisco Carvalho por uma. Na categoria Club, Pedro Alves des-
Cup, batendo em ambas Alexandre Na categoria Club, Pedro Alves voltou OS MESMOS pediu-se de 2020 com mais um triun-
Areia, na primeira por 0.778s, na segun- a assumir papel de destaque, com três fo para a conta pessoal, novamente à
da por 0.803. Pedro Alves (Club), Pedro triunfos indiscutíveis., que permitiram, PROTAGONISTAS NO DOMINGO frente de Francisco Coutinho. Ambos
Pinto e José Maria Bastos, foram os mais desde logo, a revalidação do título obti- Apesar da vantagem pontual obtida foram acompanhados no pódio por Tiago
rápidos na sua classe. do na temporada transata. com o triunfo nas 3 primeiras corridas Madeira, que assim garantiu o 3º lugar
Houve animação e suspense até ao fim Francisco Coutinho de volta ao Kia do fim- e-semana, Rafael Lobato sa- da categoria Club. O vice-campeão foi
entre todas as categorias em disputa. Picanto GT após um ano de ausência, bia que não podia desarmar perante, Gonçalo Inácio, ausente da última pro-
Mas sempre com um denominador co- conseguiu três subidas ao 2º lugar na Alex Areia, Manuel Gião e Francisco va da temporada.
mum no momento de receber a ban- categoria Club. A fechar o pódio, a 3ª po- Carvalho. O primeiro já havia roçado o Depois de ter garantido o título na cate-
deirada de xadrez: os nomes de Rafael sição foi repartida entre Pompeu Simões, triunfo no sábado e voltou a fazê-lo no goria Júnior com três triunfos no sába-
Lobato (Pro), Pedro Alves (Club) e José Miguel Martins e Tiago Madeira, sempre domingo. Mas o piloto do carro #4 aca- do, restava a José Maria Bastos o objeti-
Maria Bastos (Júnior) — vencedores com a ameaça de Paulo Gonçalves Duarte. baria sempre por encontrar uma forma vo de sair do Estoril com um pleno em
de manter atrás de si o até aqui vigen- triunfos. Embora se tenha queixado de
uma alteração no set-up do seu carro,
o piloto de Cascais conseguiu cumprir
na íntegra os seus intentos, apesar da
pressão sufocante de Luís Maria Lisboa e
João Aguiar-Branco, e dos jovens Pedro
Pinto e Manuel Alves, novamente mui-
to rápidos.
O segundo lugar sorriu a João Aguiar-
Branco que fechou o ano com uma su-
bida ao 2º lugar do pódio — resultado que
lhe permitiu, assim, festejar também o
vice-campeonato.
Já na Picanto Cup, a competição que
decorreu nas corridas 5 e 6, Francisco
Coutinho venceu a primeira contenda,
na dianteira de Luís Maria Lisboa e José
Bastos, que superou na última volta
David Matos Chaves. Mas o triunfo do
piloto da BCM Sports (Bastos) na 6ª e
derradeira corrida do fim- e-semana,
em conjunto com os pontos da pole-
-position e volta mais rápida, permitiu
ao novo campeão da categoria Júnior
do Kia Picanto GT somar a ambiciona-
da ‘dobradinha’, juntando ao palmarés
esta taça particular.

V/
VELOCIDADE

30

HISTORIC ENDURANCE
/CARRERA LOS 80’S

ACABAREM JEREZ DE LA FRONTERA
O ANO EM
GRANDE

A caravana do Historic Endurance e da Carrera Los 80’s
viajou para Jerez de La Frontera, onde correu junta devido à
fase de exceção que se vive, juntando mais de 30 equipas e
50 pilotos. A corrida foi interessante e teve várias posições

a ser decididas apenas na última volta

José Luís Abreu Ochagavias/Fuster. José Carvalhosa vi- GT4SOUTHEUROPEANSERIES
[email protected] nha mais atrás, também em Porsche 911 COMVITORIASREPARTIDAS
FOTOS Oficiais 2.5 ST e consolidava o terceiro lugar da H71.
Rafael e Eduardo Sanchez Alcalá vinham O arranque da segunda temporada
Como sempre, é um regalo para a em perseguição e mantinham o segundo das GT4 South European Series deu-
vista ver as corridas do Historic lugar da H76. se este fim-de-semana em Jerez de La
Endurance. E quando a este se Nafasefi aldacorridaedepoisdaúltima Frontera, com três corridas bastante
junta a Carrera Los 80’s, ainda paragem obrigatória nas boxes, Piero Dal disputadas e com a companhia do
melhor. Maso volta a recuperar a liderança da pro- Campeonato de Turismos Andaluz.
Na partida, o destaque foi para o va para não mais voltar a largar e cortar a Duas corridas Sprint e uma de
Ricardo Pereira/José Basso (Ford Escort), meta em primeiro, vencendo também a endurance completaram o programa.
sempre seguido de perto por Piero Dal categoria H76. José Carvalhosa, de Porsche Na primeira, o triunfo foi para o
Maso (Porsche 911 2.8 Carrera RSR) e Luís 911 2.5 ST, que liderava até ao momento a Mercedes AMG da Bullitt, com Ian
Pedro Liberal que, ao lutar entre si, iam categoria H71, não resistiu aos ataques que Loggie, campeão de British GT3,
perdendo tempo para o líder. No entan- a tripla espanhola Gutierrez/Ochagavias/ a vencer facilmente. Na Corrida 2,
to, como ia com pneus Toyo em vez dos Fuster em modelo idêntico, vinha a fazer e Romain Monti venceu com o Mercedes
obrigatórios Avon/Dunlop, foi obrigado na última volta perdeu a liderança da ca- AMG da Bullitt Racing, que partiu na frente e nunca deu hipóteses aos adversários.
a parar mais tempo na troca de pilotos. tegoria H71, ficando com o segundo lugar. Na Corrida 3, a maior, os dois Mercedes AMG da Bullitt Racing foram para a frente, com
Assim e após a troca, o novo líder pas- A família Garcia, também de Porsche 911 Romain Monti a liderar. Contudo, após as idas às boxes, o carro de Stephen Pattrick passou
sou a ser Piero Dal Maso, seguido de José 2.5 ST, foram os terceiros da H71 num dos a liderar, já que Loggie perdeu tempo nas boxes. Contudo, a vantagem de Pattrick não durou
Carvalhosa e da dupla Pai e Filho Idelfonso seus melhores resultados de sempre. Na muito, já que Ian Loggie conseguiu chegar à sua traseira e passar para a liderança. Um
e Alfonso Garcia. Rafael e Sanchez Alcalá, H76, o vencedor da corrida foi secundado erro do #33 da Bullitt Racing, permitiu a Jemma Moore/Aubrey Hall subir à segunda posição
outros pilotos andaluzes a correr em casa, por Luis Pedro Liberal/Francisco Freitas e o pódio ficou completo com o segundo Mercedes AMG da Bullitt, que passou o Porsche
seguiam de Porsche 911 2.7 RS a defender que fez uma prova de traz para a frente e Cayman 981 numa chegada em foto-finish a favor do piloto do Mercedes.
o segundo lugar da categoria H76 com a por Rafael e Eduardo Sanchez-Alcalá, de
tripla Gutierrez/Ochagavias/Fuster a Porsche 911 2.7 RS. Nuno Nunes, que vinha
cair uns lugares nesta fase inicial, a serem logo a seguir no seu Porsche 911 SWB, foi
os terceiros da H71. Logo atrás, o Shelby o vencedor da Gentleman Drivers Spirit,
GT350 dos suíços Ralf e Max Huber, lí- deixando o francês Vincent Tourneur,
deres da H65. também de Porsche 911 SWB em segun-
Após a segunda paragem, os espanhóis do desta categoria e o Datsun de Tomás
Alfonso e Idelfonso Garcia assaltam a li- Pinto Abreu a fechar o Podium.
derança da corrida com o seu Porsche 911 Os suíços Ralf e Max Huber levaram, des-
2.5 ST e mais atrás, o anterior líder, Piero ta vez, o seu Ford Shelby GT350 até fi al
Dal Maso, de Porsche 911 2.8 RSR entra em e venceram a categoria H65, enquanto
luta direta com outro modelo idêntico, mas Paulo Duarte levou o seu VW Golf GTi a
um 2.5 ST, que disputa a categoria H71 e é vencer o Grupo 2, com Manuel Ferrão, em
pilotado pela tripla espanhola Gutierrez/ Ford Escort RS 1800, a ser o segundo..

>> autosport.pt

31

GROUP 1 FESTADE CAMPEÕES

Triunfo para o Ford Escort RS
2000 de Liberal/Freitas, com
Paulo Vieira (Ford Escort RS
2000) na segunda posição e
a dupla José Basso/Ricardo
Pereira a fechar o pódio.
Ricardo Pereira/José Basso
sagraram-se vencedores da
categoria H81-2000 sendo a
H81- 1600 conquistada por
Manuel Cabral Menezes. José
e António Fresco (Ford Capri
3000), vencem a categoria
H81-MAX.
No arranque, a dupla do Ford Escort RS 2000 José Basso/Ricardo Pereira impôs um ritmo
elevado. Luís Pedro Liberal/Francisco Freitas em carro idêntico perseguiam-nos, com Paulo
Vieira à espreita entre os homens da H81-2000. Atrás vinham os irmãos António e José
Fresco, na frente da H81-Max. De VW Golf GTi, pai e filho Manuel e Pedro Menezes andavam
bem mas desistiram cedo. A luta dos Datsun 1200 prometia animação, mas Pedro Reis/Paulo
Costa foram mais lestos no início da prova e abriram um fosso para os Datsun de Guillermo
Velasco/Francisco Freitas e Tomás Pinto Abreu.
Após a primeira paragem nas boxes, José Basso/Ricardo Pereira lideravam mas Paulo Vieira
subiu a segundo por troca com Liberal/Freitas. Os irmãos Frescos mantinham a liderança da
H81-Max e Pedro Reis e Paulo Costa era líderes da Production Cup.
É na segunda ida obrigatória às boxes que o Ford Escort RS 2000 de Luis Liberal/Francisco
Freitas assalta a liderança da prova, com a dupla Basso/Pereira, em carro idêntico em
segundo, agora a debater-se com o VW Golf GTi de Paulo Duarte (Group 2 da Carrera Los 80’s).
Paulo Vieira cai para o terceiro lugar e a luta da H81-2000 está ao rubro.
Liberal/Freitas (Ford Escort RS 2000) confirmam a vitória, deixando Paulo Vieira em segundo
e a dupla José Basso/Ricardo Pereira logo a seguir. Os irmãos Fresco (Ford Capri MKIII V6)
triunfam na H81-Max e Tomás Pinto Abreu termina em primeiro na Production Cup, com o duo
Pedro Reis/Paulo Costa a terminar no segundo lugar e Guillermo Velasco/Francisco Freitas no
terceiro.
Com estes resultados Ricardo Pereira/José Basso sagraram-se em 2020, vencedores da
categoria H81-2000, com Ricardo Pereira a recuperar o ceptro após o ter perdido no ano
passado, acompanhando este ano o ‘Rookie’ José Basso que fez uma grande primeira
temporada. Já a H81-1600 foi conquistada por Manuel Cabral Menezes, que põe assim fim a
um ciclo de vitórias de Rafael Cerveira Pinto. Já José e António Fresco, com o seu Ford Capri
3000, são os vencedores em 2020 da categoria H81-MAX.

TROFÉU MINI
CORRIDAANIMADAATÉÀBANDEIRADADEXADREZ

O Troféu Mini encerrou este fim-de-semana Quem aproveitou da melhor forma foi o piloto Depois da última paragem obrigatória forma, o segundo lugar do Troféu. Francisco
a temporada. as equipas dos Minis tinham brasileiro João Fedorowicz, que depois de ver nas boxes, os irmãos Dias mantiveram a Borreguero/Cláudio Mota terminaram a prova
muito a decidir. Matematicamente ainda a dupla Borreguero/Mota liderar aproveitou liderança até ao final, vencendo com mérito em segundo lugar que roubaram a Ruben
existiam 6 candidatos ao titulo, com os 3 ele também para se colocar na dianteira. mais uma prova e conquistando, desta Veludo/Rui Costa a apenas três voltas do
primeiros separados por 3 pontos quando fim, o que não invalidou que Ruben Veludo
existiam 40 para discutir. vencesse a categoria Mighty e ficasse em
Com a rápida dupla Setas/Pinto a saírem terceiro do Troféu. A cortar a meta em quarto
do final da grelha, a partida não podia ser lugar, Jorge Setas/André Pinto fizeram pontos
mais interessante no sentido de ver com suficientes para que Setas se sagrasse
que rapidez conseguiriam os dois pilotos vencedor do Troféu Mini de 2020! Um titulo
recuperar posições. Só que lá na frente, suado onde a regularidade e consistência
João Fedorowicz, a dupla Borreguero/ foram chaves.
Mota e José e Nuno Dias iam perdendo Já Miguel Sardo/Paulo Frazão terminaram
tempos e divertindo-se com ultrapassagens na quinta posição, com Vasco Nina logo
constantes. O Pole Position só aguentou atrás após dois drive through por não
a primeira volta, com José e Nuno Dias a comprimento do handicap. Mariana Pinto
passarem para a frente e Fedorowicz a ser o Abreu foi sétima classificada na prova e
3º líder em 2 voltas. João Fedorowicz, mesmo não terminando,
Durante a primeira paragem de boxes, todo conseguiu classificar-se em oitavo,
o esforço da dupla Setas/Pinto foi por água amealhando pontos importantes para ficar
abaixo, com uma paragem mais demorada. em quinto lugar do Troféu.

E/ ENTREVISTA MIGUEL CRISTÓVÃO
ENTREVISTA
ESTES LMP3 TÊM
32
“ PERFORMANCES
DOS F1 DOSANOS80

Miguel Cristóvão foi este
ano campeão da Ultimate

Cup Series, uma competição
de endurance francesa onde
são utilizados carros LMP3 e
CN. Depois duma temporada

nos GT4, a transição não
foi fácil, mas o trabalho deu

frutos, isto numa carreira
que começou no karting e já

leva mais de 30 anos

José Luís Abreu
[email protected]
FOTOS Oficiais

Miguel Cristóvão, sagraste-te
Campeão das Ultimate Cup
Series, explica o que é esta
competição...
As Ultimate Cup Series são
uma competição sul europeia em que a
maioria das corridas são disputadas em
França com carros LMP3 e CN. As provas
têm a duração de quatro horas, podendo
cada carro ter dois ou três pilotos. No meu
caso, fi emos uma tripla dado que desta
forma permite um budget mais baixo.
Muitas das equipas competem também
nas European Le Mans Series e na Le
Mans Cup.
Que balanço fazes da época?
Ganhámos duas corridas e conquistámos
outros tantos segundo lugares, sagrámo-
nos Campeões. O salto que dei dos GT4
para estes carros foi enorme, portanto,
só posso considerar um balanço muito
positivo.
Como é guiar um LMP3?
São carros com muita aerodinâmica e que
tem de ser guiados com muita precisão,
com travagens muito tardias e velocidades
em curva alucinantes. Tem performances
dos F1 dos anos 80. Exigem também muita
preparação física, para se poder fazer
turnos de perto de duas horas seguidas
com um ritmo vencedor. Para dar uma
ideia, podemos comparar estes carros

>> autosport.pt

33

a caças a jato, ao passo que os Turismos pelos troféus em que corri no passado. mento físico. Depois voltei na Fórmula isso não sou um curioso no assunto. Ouço
seriam caças a hélice. Ganhaste a Vodafone Cup by SEAT em Ford e vi que ainda era competitivo. Fiz alguns pilotos de ralis dizerem que correr
Foste campeão em 2019 nas GT4 South 2004... então duas épocas de protótipos CN com em pista é monótono, mas quando se guia
European Series, depois de tantos anos Sim, era um troféu onde chegaram a correr algumas vitórias e com carros que tinham no limite a 100% um bom carro como se
explica lá o que é este ‘bichinho’ das cor- 6 campeões de Fórmula Ford e pilotos com uma relação preço/prazer imbatível. pode fazer em pista, nunca é monótono.
ridas que move tanta gente? carreira internacional. Foi também um Estiveste em várias fases da velocidade Chegaste a experimentar um KIA Ceed
Este prazer é algo que quase não se en- bom ano porque ganhei o troféu Toyota em Portugal, ao contrário dos ralis, porque GT, mas não continuaste, já não te sedu-
contra em mais nenhum desporto. Ser e PRM. achas que a velocidade em Portugal tem zem os troféus?
um corpo só com máquinas ultrarradicais, Depois evoluíste para os GT em Espanha, sido sempre poucos altos e muitos baixos? Os troféus seduzem-me por gostar de
criadas para fazerem forças G e destas onde estiveste alguns anos, como foi? Na minha opinião, penso que falta alguma guiar carros iguais onde a diferença está
fazerem sorrisos e controlar tudo isso No ano seguinte ganhei o campeonato visão na parte de promoção das corri- no piloto, mas quando estás habituado a
numa espécie de montanha russa com GTB de Espanha num Porsche 911 GT3 das na velocidade, quanto à capacidade correr em carros ultrarradicais, que dão
mais um grupo de guerreiros a quere- Cup. Corri depois num Marcos e num de atrair mais público, pilotos e marcas. grande prazer por terem sido criados de
rem todos o mesmo, é algo de único. Se Ferrari 430 GT3, obtendo várias vitórias. Temos dois dos melhores circuitos do raiz para isso, fica difícil guiar carros mais
juntas todo esse esforço com a equipa e Momentos bons em carros que davam mundo Portimão e Vila Real. Acho que parecidos com os de estrada. Fiz um teste
transformas em algo vencedor, sentes grande prazer de condução. guiar GT4, GT3, CN/LMP3 dá tanto ou com o KIA Ceed em Braga, graças a um
algo muito especial. Tudo isso junto dá Depois paraste e regressas aos protótipos mais gozo do que guiar carros de ralis. Com convite do meu amigo Tiago R. Magalhães,
muito prazer. em Portugal com um Norma... várias vantagens, perde-se menos tempo mas ficámos por aí.
Se bem me lembro começaste no Troféu Sim, devido à grande crise fi anceira de pessoal, é mais seguro e com orçamentos Queres correr até quando?
Clio Renault Gest Galp em 2000. Tens 2009 parei. Voltei mais tarde para correr no menores. Também considero que se al- Vou correr até sentir que consigo evo-
saudades daquelas lutas roda a roda? Nacional de Superbikes onde fui campeão guém pretender ter carreira profiss onal luir, superar os meus limites mentais, ter
Eram bons tempos, não eram? regional sul e até consegui liderar provas nos automóveis tem mais hipóteses na prazer a guiar verdadeiros carros criados
Eram bons tempos, mas eles ainda con- à geral. Foi uma grande experiência, mas velocidade. Corri em ralis onde fui duas para corridas e com isso continuar a ver
tinuam a acontecer. Fiz muitos troféus também com algumas quedas e sofri- vezes vice-campeão de produção e por o resultado vitorioso desse esforço.
na minha vida pois corro há mais de
30 anos, tendo começado no Karting.
Sempre adorei as lutas limpas em pista,
mas nunca apreciei lutas sujas e isso,
infelizmente, acontece quando os tro-
féus têm carros muito baratos, onde há
demasiados toques. Em competições
com carros com mais aerodinâmica e
dispendiosos os pilotos pensam duas
vezes antes de darem um toque, o que
torna o resultado mais justo. Por outras
palavras não troco este tipo de corridas

E/
ENTREVISTA

34

FN2, MOISCKPSCAHUSMSACOHESR
DE MICHAEL

Mick Schumacher tornou-se campeão de F2 na última prova do não atrair atenções desnecessárias e uma nova competição, mas em 2020 Mick
ano do campeonato que abre as portas da Fórmula 1. Um título para conquistar o seu espaço por mérito Schumacher voltou a brilhar e conquistou
com um simbolismo tremendo para o jovem alemão e para a F1 próprio. De 2010 a 2014, nos karts, foi co- o título de F2 e tem lugar assegurado na
lecionando sucessos, apesar de ter ape- Haas em 2021.
Fábio Mendes no piloto mais bem sucedido de sempre. nas festejado um título em 2010. Mas as Foi um fim de semana emocionante
[email protected] No ano em que os seus recordes caíram presenças assíduas no pódio levaram-no aquele que garantiu o título e no fi
FOTOS Oficiais pela mão de Lewis Hamilton, o seu fil o até a Fórmula 4 onde foi vice campeão no da última corrida, víamos um Mick
Mick mostra que pode colocar novamente campeonato alemão e italiano (2016). Em Schumacher incrédulo: “Como é que
Schumacher é um nome reve- o nome da família no topo, com o jovem 2017 foi terceiro classificado na MRF Chal- soa este título? Soa bem. Ainda não
renciado na F1. As conquistas a conquistar o seu segundo título e a ter lenge Formula 2000 e em 2018, depois de acredito. Vai levar algum tempo, mas
de Michael (e até do seu irmão garantida a presença na F1 em 2021. um começo titubeante, foi campeão na F3 é defin tivamente uma boa sensação.”
Ralf)fi eramdafamíliaumadas Desengane-se quem pensar que a sua europeia levando a melhor sobre o piloto Apesar de ter sido apenas 18º na última
referências do desporto. Michael caminhada foi facilitada por ser fil o do da academia Red Bull, Dan Ticktum, num prova do ano, o seu adversário pelo título,
bateu todos os recordes, levou Barão Vermelho. Nos primeiros tempos título suado, mas merecido. Seguiu-se Callum Ilott, não conseguiu suplantar o
a Ferrari ao topo do mundo e tornou-se de Karting usou o nome da sua mãe para o primeiro ano na F2, uma época mais jovem alemão: “Digamos que foi uma cor-
discreta em que o jovem se ambientou a rida muito emocionante. Estou um pouco

>> autosport.pt

35

desapontado, acho que é mais ou menos o título: “A pressão existia porque eu tinha é muito importante num campeonato. estes ensinamentos para a F1.”
que sinto neste momento. Estou um pou- expectativas em relação a mim próprio. Como os tempos foram difíceis, conse- Mick Schumacher já escolheu o seu nú-
co desiludido com o meu desempenho. No Eu próprio queria alcançar algo. Queria guimos manter-nos unidos e motivar-nos mero para a próxima temporada. O alemão
entanto, já fi emos o suficiente durante provar a mim mesmo que estou aqui por uns aos outros para continuar a melhorar, explicou o simbolismo do 47 que usará na
todo o ano para termos a margem para uma razão. Obviamente, o início da época para continuar a trabalhar, a esforçar-nos sua estreia no topo do automobilismo. A
fazer uma má corrida, como aconteceu. não correu como tínhamos planeado. para tentar chegar ao topo e foi isso que escolha deve-se a uma combinação, o 4
Hoje foi tudo menos fácil. Estava muito Não conseguimos estar ao melhor nível fi emos.” e o 7, dois números que estão associados
vento, com muita areia em pista. Estamos e isso aconteceu principalmente do meu O duelo com Ilott manteve-se até ao fim ao sucesso do jovem Mick e… do seu pai,
obviamente no deserto, por isso, com o lado. Penso que a equipa foi ótima durante um fator extra de pressão numa corrida Michael, sete vezes campeão do mundo.
vento, as condições de pista mudaram todo o ano. Mas depois, passo a passo, os que começou mal: “Obviamente, o meu “Quatro e sete são dois dos números que
desde ontem. Defin tivamente, não foi pódios começaram a surgir, e essas duas objetivo era ganhar a última corrida. gosto. Obviamente quatro pela minha
fácil. O que importa é que estamos aqui vitórias também. Penso que a relação Penso que teríamos tido o ritmo. Infe- vitória no campeonato de F3 e o sete
agora com o título.” que tive com a equipa fez a diferença. lizmente, bloqueei as rodas na Curva 4, porque é um número muito importante
A sua ida para a F1 já começou a ser fala- Conheço a equipa de F2 há dois anos e sobrestimei a aderência e cometi esse para mim também. Como os dois já esta-
da desde o início da época, mas isso não toda a equipa Prema há cinco. Isso cria erro. Depois disso, tentei ficar à frente vam escolhidos, acho que 47 foi a melhor
trouxe pressão extra para conquistar o um vínculo forte. Cria confiança e isso do Callum, tentei atrasa-los o mais que escolha. Outro facto, a soma de todas as
podia deixando todos atrás de mim. Mas datas de aniversário da nossa família é
depois disso continuei a bloquear as igual a 47. Acho que apenas sublinhou
rodas e no fi al a decisão mais segura que deveria escolher esse número.”
foi entrar nas boxes e mudar de pneus.” Schumacherconfir ouqueo‘sete’éuma
A corrida menos conseguida do jovem referência ao número de títulos mundiais
Mick aconteceu apenas um dia depois da que o seu pai conquistou durante sua
prova que ele considerou ser o ponto mais carreira na F1.
alto do ano, depois de uma qualificação em “Definitivamente ‘sete’ é em parte por
que foi apenas 18º: “Penso que tínhamos causa disso”, disse Schumacher, “mas
tudo a perder, sabíamos que o Callum também é um número que gosto e
era rápido e sabíamos que ele ia atacar. acho que também gostamos do sete
Para ser honesto, eu não esperava acabar na nossa família”.
tão bem. Acabámos por ser sétimos na Nove anos depois da última corrida de
bandeirada de xadrez e sextos no resul- Michael, a F1 voltará a ver o nome Schu-
tadofi al,comavoltamaisrápida.Nunca macher na grelha de partida. É uma pena
pensei que conseguíssemos chegar tão que o pai não possa ver de perto o sucesso
longe. Penso que, como equipa, trabalhá- do fil o, conquistado com todo o mérito.
mos realmente unidos. Tudo aconteceu de Mick tem pela frente a árdua tarefa de ter
forma fluída e soube muito bem.” sucesso num dos mais exigentes despor-
Schumacher não desvalorizou a im- tos do mundo, ao que acresce a pressão
portância deste título nesta fase da sua da expetativa que o seu nome traz. Mas
carreira em que agora será piloto de F1: Mick já provou que sabe enfrentar a ad-
“Penso que foi muito importante esta versidade, como mostrou na F3 e na F2.
conquista. Levar um título de campeão Parece ter as ferramentas certas para ter
no currículoparaaF1ésemprebom.Ga- sucesso e tal não significa igualar o pai.
nhei estes campeonatos contra grandes Mick sabe que deve percorrer o seu ca-
adversários, como o Dan Ticktum na F3, minho e que o legado do seu pai é algo que
e agora este ano com Callum Ilott, que o deve orgulhar, mas não mais que isso.
conheço muito bem. Tem sido um grande O caminho é longo, mas não é descabido
desafio e quanto melhor for a competição pensar que veremos outro Schumacher
mais evoluímos como piloto. Levarei todos a lutar por títulos no futuro.

TT/36
DAKAR

“ RICARDO PORÉMEODAKAR2021

RESPONSABILIDADE AUMENTA

José Luís Abreu regressará, em 2021, à Arabia Saudita tivos bem definidos. “Voltar ao Dakar mesmo com duas participações neste
[email protected] para participar no Dakar. é sempre uma boa notícia. Montar um evento, continuo a ser um dos pilotos
FOTOS Oficiais O piloto de Leiria, que na edição deste projeto desta natureza durante a pan- com menos quilómetros acumulados
ano foi colega de equipa de Nani Roma demia que vivemos é naturalmente nas areias do Dakar e por isso terei de
D epois de em 2019 ter participado da Borgward Rally Team, assume na muito desafiante e, também por isso, me manter calmo e concentrado para
no Rally Dakar, ainda disputado próxima edição do Dakar o papel prin- estou muito contente por voltar a con- atingir os objetivos, entre os quais ter-
na América do Sul, aos coman- cipal nesta estrutura, numa prova que tar com o apoio e suporte da Wevers minar a prova.”
dos de um Can-Am e de já este contará com 12 etapas, disputadas en- Sport e da Borgward Rally Team nes- Depois de em 2020 ter partilhado a
ano ter feito a sua estreia na catego- tre os dias 3 e 15 de janeiro. ta aventura. Este ano assumo o papel aventura com o seu irmão Manuel
ria Auto na mais dura prova de Todo- Para Ricardo Porém esta será uma ex- de piloto principal na equipa e a res- Porém, o piloto de 30 anos volta a con-
Terreno do Mundo, aos comandos do periência totalmente diferente das an- ponsabilidade aumenta, mas também tar com Jorge Monteiro na bacquet
Borgward BX7 DKR, Ricardo Porém teriores e assume que parte com obje- as hipóteses de surpreender. Sei que, do lado direito, navegador com quem
partilhou a sua estreia no Dakar em
“LEVAR EM 2021 A TECNOLOGIA DO FUTURO AO DAKAR É UM GRANDE ORGULHO” 2019. “O Manuel, por motivos profis-
sionais, não pode acompanhar-me
Quando se fala cada vez mais da real possibilidade nesta aventura e, por isso, a escolha
de existirem, já em 2024, pilotos a participar no Rally óbvia recaiu sobre o Jorge Monteiro,
Dakar com viaturas a Hidrogénio, Ricardo Porém leva um excelente navegador, muito ex-
no seu Borgward BX7 DKR as cores de uma empresa periente, que já conheço há bastante
portuguesa que potencia o desenvolvimento desta tempo e com quem já participei no meu
tecnologia do futuro, e isso deixa o piloto muito primeiro Dakar. Estou certo que serão
orgulhoso. “Poder levar em 2021 a tecnologia dias competitivos muito divertidos e
do futuro ao Dakar é um grande orgulho, mas que o Jorge me irá ajudar a atingir os
também uma grande responsabilidade. Em Portugal meus objetivos”, garantiu.
existem empresas que estão na linha da frente no A 43.a edição da prova arranca a 3 de
desenvolvimento de produtos inovadores e contar janeiro, em Jeddah, terminando na
com o apoio da PRF – Gas Solutions em mais uma mesma cidade, a 15 de janeiro, depois
participação no Dakar é muito importante. Espero de 11 etapas e um prólogo, com este a
conseguir dar o retorno e visibilidade à tecnologia determinar a ordem de partida para
que a PRF – Gas Solutions está a promover, que a primeira tirada. O dia de descanso
permita, no futuro, quem sabe, participar no Dakar será passado em Ha’il, a 9 de janeiro.
ao volante de uma viatura movida a Hidrogénio.” O Dakar 2021 terá uma etapa mara-
tona e ainda duas etapas disputadas
em loop.

>> autosport.pt

37

MATTIAS EKSTROM ROSBERG XTREME RACING
VAI ESTREAR-SE NO DAKAR CONFIRMA MOLLYTAYLOR NA EXTREME E

O Campeão do Mundo de Rallycross, A australiana Molly Taylor junta-se à Rosberg Xtreme Racing para a primeira temporada
e dupla campeão do DTM, Mattias da Extreme E, que terá SUV elétricos a competir em ambientes remotos em todo o
Ekstrom, vai estrear-se no Dakar mundo. Molly Taylor é Campeã Australiana de Ralis, e a única vencedora feminina da
aos comandos de um SSV da equipa série até à data, com triunfos em ralis nacionais, regionais e internacionais. Em 2013,
X-Raid. Depois de ter terminado o Taylor tornou-se a Piloto Internacional de Ralis Feminino Número 1 no Ranking Mundial
WorldRX 2020 em segundo lugar no de Ralis. No ano seguinte, Molly Taylor foi a primeira mulher no WRC Júnior a terminar
campeonato, vai agora aventurar-se numa posição de pódio, no Rali da Finlândia. Desde então, Taylor foi Campeã do
no TT, primeiro no Dakar, depois no Campeonato Australiano de Ralis, em 2016, terminando nos três primeiros lugares da
Extreme E, com a equipa ABT CUPRA. competição quatro anos, em cinco, entre 2015 e 2019.
Pela primeira vez na sua história,
a X-Raid vai ter um projeto fora da CARLOS SAINZ E LAIA SANZ
categoria T1 (carros). Em cooperação com a Yamaha, vai assistir um veículo baseado no JUNTOS NO EXTREME E
Yamaha YXZ1000R SxS que está a ser preparado para enfrentar o Dakar. O objetivo da equipa
“X-raid Yamaha Racing Rally Supported Team” é oferecer aos interessados veículos baseados No Extreme E, duplas com Senhoras
no YXZ1000R preparados para correr. O sueco Mattias Ekström faz a sua estreia em Dakar ao e Senhores dividem a pilotagem e
lado do compatriota Emil Bergkvist. Carlos Sainz e Laia Sanz vão correr
juntos na primeira temporada da
GRANDE NOVIDADE Extreme E. A equipa chama-se QEV
DA X-RAID PARA O DAKAR: UM SSV Technologies, e aos 57 anos, Carlos
Sainz tem mais um desafio pela
Pela primeira vez na sua história, frente: “A competição é inovadora não
a X-Raid vai ter um projeto fora da só pelos carros, mas também pelo
categoria T1 (carros) no Dakar. Num formato e, para um veterano como eu,
parceria com a Yamaha, vai assistir um é das poucas coisas que ainda não
veículo baseado no Yamaha YXZ1000R experimentei. Não queria deixar de fazer parte”, disse ‘El Matador’. Laia Sanz tem feito
SxS que está a ser preparado para carreira nas duas rodas, foi 13 vezes campeã mundial feminina de trial, duas de enduro
enfrentar o Dakar. O objetivo da equipa e agora disputa ralis TT: “Sempre tive interesse em competir nos carros e não poderia
“X-raid Yamaha Racing Rally Supported ter um parceiro melhor. Tenho certeza de que aprenderei muito com o Carlos (Sainz), é
Team” é oferecer aos interessados um orgulho poder competir a seu lado.
veículos baseados no YXZ1000R
preparados para correr. Para Sven AUDI APOSTA NO DAKAR
Quandt: “Este projeto é um passo importante para a X-Raid, pois estamos a desenvolver,
pela primeira vez na história da empresa, um veículo fora da categoria Auto (T1). Agora é o Já a aposta no Dakar, a começar
momento certo para estar ativo neste mercado, juntamente com a Yamaha. Acreditamos que
esta classe irá desempenhar um papel fundamental nas corridas internacionais no futuro. em 2022, aparece com alguma
Estamos também encantados por ter o Mattias (Ekstrom) e a Camelia Liparoti envolvidos
neste projeto. Ambos dão-nos a oportunidade de ganhar muita experiência”. surpresa e será a estreia da marca

SÉBASTIEN LOEB no mais duro rali do mundo. O Dakar
E CRISTINA GUTIÉRREZ NO EXTREME E
vira-se também para as energias
Sébastien Loeb e Cristina Gutiérrez
são as mais recentes ‘aquisições’ alternativas e a Audi vê aqui uma
da Extreme E. Vão correr pela
equipa de Lewis Hamilton a X44, na plataforma interessante para testar
primeira temporada da competição,
agendada para 2021. Sébastien novas soluções. O protótipo a ser Depois da Porsche e da Volkswagen,
Loeb dispensa apresentações, é usado deverá contar com motor a Audi será a última marca do grupo
um dos maiores pilotos de ralis de elétrico, cuja energia será fornecida
todos os tempos e uma lenda do a rumar ao Dakar
mundo do automobilismo, com um
recorde de nove Campeonatos do por um motor de combustão
Mundo de Ralis e 79 vitórias. A seu lado, para dividir a pilotagem, estará a espanhola
Cristina Gutiérrez, um talento emergente que fez história no Dakar de 2017 ao tornar-se TFSI de alta eficiência. Audi é o primeiro fabricante de automóveis a comprometer-
a primeira piloto espanhola a terminar a corrida na categoria automóvel, terminando em
5º entre as estreantes. se a desenvolver um conceito alternativo viável para o Rally Dakar. Em 2012, a Audi
Para Loeb: “Juntar-me à equipa X44 é para mim uma oportunidade de continuar a fazer
o que amo, as corridas, e estou ansioso por competir num veículo elétrico. Já tive conquistou a primeira vitória de um carro de corrida híbrido nas 24 Horas de Le Mans.
a oportunidade de conduzir o carro recentemente, e é incrível”, disse o francês. Já
Cristina Gutiérrez, acrescentou: “Estou entusiasmada, não só teremos a oportunidade A Audi continua fez uma mudança radical no seu programa de motorsport, mas aposta
de aumentar a consciência global da crise climática, como também poderei trabalhar
com dois heróis meus, o Sébastien e o Lewis. Sou uma grande fã de Fórmula 1 e há anos em dois conceitos interessantes e que deverão agradar aos fãs.
que o vejo correr, por isso ser convidada a juntar-me à sua equipa é um sonho tornado
realidade. Quanto ao carro, guiei-o pela primeira vez recentemente e foi uma experiência
tão boa que mal posso esperar para ver o que pode fazer em corrida”.

N/38
NOTÍCIAS

AUDI COMSVEN T al como foi anunciado re- na Audi. “O desenvolvimento do
QUANDT NO DAKAR centemente, a Audi vai par- protótipo Dakar, com o seu con-
ticipar no Dakar em 2022 ceito inovador de transmissão,
A X-Raid vai continuar com a Mini, mas a mais recente e, para obviar o caminho, está a ser levado a cabo inter-
Q Motorsport, empresa fundada por Sven Quandt e pelos estabeleceu uma parceira com namente. Estamos a disputar a
um dos mais antigos e experien- corrida juntamente com um par-
seus dois filhos, Thomas e Tobias Quandt, vai gerir o tes líderes de equipas no Dakar, ceiro experiente, pois a equipa Q
projeto da Audi no Dakar Sven Quandt. Liderou a Mitsubishi
José Luís Abreu Motors entre 2002 e 2004, cons-
[email protected] truindo depois as fundações da
FOTO Oficial equipa X-Raid, que se tornou
numa das equipas mais vitorio-
LEIA E ACOMPANHE TODAS sas da história da competição,
AS NOTÍCIAS EM AUTOSPORT.PT com cinco triunfos. Ao juntar-se à
Q Motorsport, a Audi está na práti-
ca a ‘beber’ da X-Raid: “estamos a
manter a nossa filosofia que tem
dado provas na Audi ao longo de
muitos anos”, começou por di-
zer Julius Seebach, Director Geral
da Audi Sport GmbH e respon-
sável pelo desporto automóvel

TCR MAZDA E TOYOTA
DE OLHO NA COMPETIÇÃO

FÓRMULA E McLAREN O responsável máximo do TCR, recentemente que começou a
INTERESSA-SE PELA COMPETIÇÃO Marcello Lotti, confirmou que a trabalhar na construção de um modelo
Mazda e a Toyota estão de olho TCR para a época de 2021. Entretanto,
A McLaren poderá entrar na Fórmula E a algo preocupantes, embora considere que vale no TCR, competição que continua a Mazda USA cancelou o seu programa
médio prazo. Zak Brown mostrou intresse pela a pena correr o risco. “Não havia quaisquer suscitar interesse e, segundo Mazda3 TCR devido à pandemia.
competição 100% elétrica. A McLaren estava lugares disponíveis, pelo que se criou uma Lotti, a Mazda e a Toyota estão “Em 2021 novos modelos de TCR
impedida de participar no campeonato por oportunidade, o que é positivo”, disse Brown. em contacto com a WSC para uma estarão disponíveis para as equipas
ser fornecedora exclusiva de baterias, mas “Sempre que as equipas ou fabricantes deixam possível participação. de clientes em todo o mundo”,
com o fim do contrato em 2022, a equipa de um campeonato, é preciso perguntar porquê. “Estamos em contacto com Mazda disse Lotti. “O Fiat Tipo fez a sua
Woking fica assim livre para poder tentar a Eu não sei [a resposta]. Obviamente, a Audi e Toyota e em breve teremos primeira aparição no evento TCR
sua sorte na competição. Descrevendo a série anunciou que estão a avançar com o carro em informações sobre os seus planos”, Europe em Monza e está agora
como “muito interessante”, Brown afirmou: LMDh, o que é ótimo. Estando eles na mesma disse Lotti. “Após seis anos de pronto para completar o processo
“Fomos impedidos de competir na Fórmula E família que a Porsche, e estando a Porsche lá competição TCR em todo o mundo, o de homologação. O Hyundai
porque éramos o fornecedor de baterias, pelo [Fórmula E], talvez a estratégia seja a Porsche interesse constante das novas marcas Elantra N concluiu a sua fase de
que dentro desse concurso da FIA não nos foi fazer isso e a Audi estar noutro lugar.” é testemunho do grande sucesso desenvolvimento técnico e será
permitido competir como uma equipa. Com “O limite orçamental na Fórmula E começou alcançado pela categoria”. submetido a homologação no início
o carro da nova geração a chegar em 2023 por ser muito barato mas disparou. Agora A Toyota Argentina confirmou do novo ano.”
já não sermos o fornecedor. É uma série que parece que vão colocar um limite antes que
achamos muito interessante.” cresça ainda mais. Com 10 equipas, continua a
Brown, no entanto, admitiu que os anúncios de ser uma grelha muito forte, por isso vejo mais
que a BMW e a Audi vão sair da Fórmula E são como uma oportunidade do que um risco.”

>> autosport.pt

39

WRC, HYUNDAI
EM 2021 DANI
SORDO E CRAIG
BREEN, MAS SEM
SÉBASTIEN LOEB…

Motorsport contribui com uma disse Sven Quandt. “O mundo está A Hyundai Motorsport confirmou que vai ter é como uma família para mim, e isso nunca
enorme quantidade de experiên- a mudar e o Dakar também tem de quatro pilotos diferentes no Mundial de Ralis foi mais claro do que durante 2020. Tivemos
cia específica do todo o terreno. provar que pode ser sustentável e 2021: Ott Tänak, Thierry Neuville, Dani Sordo um ano desafiante, mas apoiámos-nos
Com a Q Motorsport, queremos continuar a apontar o caminho a e Craig Breen. A novidade é a ausência de mutuamente através de tudo isto. Tenho a
abrir novos caminhos no desporto seguir. É exatamente isto que a Q Sébastien Loeb, que o ano passado correu nos sorte de ter feito parte desta equipa desde
motorizado de TT, independente- Motorsport quer demonstrar em ralis de Monte Carlo e Turquia, onde terminou o início e continuamos a crescer todos os
mente e paralelamente à X-raid”, conjunto com a Audi”, concluiu. no pódio. anos. Assegurar a minha segunda vitória na
Dani Sordo alarga a sua colaboração com WRC com a equipa da Sardenha – repetindo
a equipa para uma oitava temporada, o que conseguimos em 2019 – foi um grande
tendo desempenhado este ano um papel exemplo de como podemos continuar a
fundamental no título com a sua segunda ser bem sucedidos juntos. Anseio por mais
vitória sucessiva no Rali da Sardenha, e grandes resultados em 2021”, disse Dani
vai alternando com Craig Breen. O Irlandês Sordo.
disputou a Suécia e foi segundo na Estónia. Já Craig Breen: “Ter a oportunidade de
Para o responsável máximo da equipa, Andrea competir no Mundial de Ralis com a Hyundai
Adamo: “Após um campeonato interrompido Motorsport foi um sonho tornado realidade
em 2020 devido à pandemia, a coerência para mim. Embora me tenha juntado à equipa
será fundamental, uma vez que pretendemos em ralis ocasionais desde 2018, este ano
continuar ter êxitos. Vamos ter o Dani e o Craig fomos realmente capazes de demonstrar
a partilhar um terceiro Hyundai i20 Coupe WRC o nosso potencial, com o segundo lugar na
em 2021, ao lado dos nossos pilotos Thierry Estónia. Isto dá-nos algo excitante a partir do
e Ott, anteriormente anunciados. Todos os qual podemos construir. A equipa depositou a
quatro pilotos mostraram a sua velocidade sua confiança em mim e no Paul para alcançar
e empenho este ano, com vitórias e pódios mais destes resultados em 2021. Vamos
fundamentais para a nossa luta pelo título.” dar tudo o que temos, a começar pelo Rally
“Já disse antes que a Hyundai Motorsport Suécia.”

JUAN PABLO MONTOYAREGRESSAÀS INDY500

Juan Pablo Montoya vai voltar às Indy 500 500 em 2017, venceu pela primeira vez como
no próximo ano, com a equipa da Arrow rookie em 2000, e novamente 15 anos mais
McLaren SP. O duplo vencedor da mítica tarde. Dois triunfos em cinco participações
corrida competiu pela última vez nas Indy na prova é uma percentagem notável, que
em 2021 se prepara para aumentar, agora
W SERIES CALENDÁRIO DEFINIDO que regressa à equipa com que correu na
Fórmula 1 em 2005 e 2006: “Estou muito
entusiasmado por me juntar à Arrow
McLaren SP para as Indy 500. Tenho uma
grande história com a McLaren desde o
meu tempo na F1 e estou desde já ansioso
por regressar a Indianapolis no próximo
ano”, disse o colombiano que será colega de
equipa de Pato O’Ward e Felix Rosenqvist.

O calendário da W Series, que em 2021 C/ C A L E N D Á R I O MORREU RAFFAELE PINTO
será prova de apoio da Fórmula E, já tem 2021
calendário definido. Serão oito provas para Morreu na passada semana Raffaele Pinto,
a competição que recebe apenas pilotos 26 DE JUNHO...............................LE CASTELLET, FRANÇA vencedor do Rally de Portugal de 1974, tinha
do sexo feminino, numa tentativa de 3 DE JULHO......................................SPIELBERG, ÁUSTRIA 75 anos. ‘Lelle’ Pinto não era dos nomes mais
abrir portas a novos talentos e aumentar 17 DE JULHO.....................SILVERSTONE, REINO UNIDO bem sucedidos na história do Mundial de Ralis.
a diversidade do desporto motorizado. 31 DE JULHO..................................BUDAPESTE, HUNGRIA É, contudo, um dos pilotos mais conhecidos
Depois de um ano de paragem devido à 28 DE AGOSTO.........SPA-FRANCORCHAMPS, BÉLGICA em Portugal – quanto mais não seja porque
Covid 19, a competição regressa e, como 4 DE SETEMBRO.............ZANDVOORT, PAÍSES BAIXOS foi no nosso Rali de Portugal que conquistou
planeado para 2020, irá ter duas provas 23 DE OUTUBRO............................................. AUSTIN, EUA aquela que ficaria como a sua única vitória
fora do continente europeu. Um calendário 30 DE OUTUBRO............CIDADE DO MÉXICO, MÉXICO no campeonato. Esse triunfo aconteceu em
interessante que permitirá às participantes 1974, quando ‘Lelle’ Pinto fazia parte dos três
enfrentar realidades distintas, sempre com mosqueteiros da equipa oficial da Fiat.
os responsáveis da F1 por perto.

>>motosport.com.pt

BMW

» S1000XR

A DESPORTIVA MAIS TURÍSTICA DA MARCA ALEMÃ

A nova BMW S1000XR é uma trail desportiva da marca
alemã, que juntamente com a sua irmã mais nova,
a bicilindrica F900XR partilha o conceito numa utilização
puramente estradista. Para uma utilização mais abrangente
com a componente todo o terreno, existe a gama GS que
é também proposta pela marca

Hélder Monteiro portiva com os piscas a funcionarem
[email protected] também como luz de presença e stop!
A iluminação noturna proporcionada por
Este novo modelo vem substituir estes novos faróis é de excelente quali-
o inicial lançado em 2015, tendo dade não necessitando na nossa opinião
como objetivo desenhar uma de qualquer upgrade tão usual noutros
moto mais leve, mais ágil e mais modelos.
fácil de conduzir. O motor prove- Estreia também o novo painel TFT de
niente da desportiva S1000 RR, seis polegadas e meia, que com o BMW
mas adaptado ao conceito touring, atinge Motorrad Connectivity liga a moto ao tele-
na XR os 165 CV às 11000 rpm com um movel e ao capacete através de Bluetooth,
binário máximo de 114 Nm, que chega às permitindo usufruir das nossas músicas
9250 rpm… uma brutalidade, que juntando preferidas para além de toda a informação
aos 205 quilos a seco - cerca de 10 quilos do já conhecido GPS navigator 6 disponível
mais leve que a sua antecessora - fazem como opcional…encontramos também
deste conjunto um cocktail explosivo para um muito útil compartimento para cartões
desfrutar por condutores experientes. de portagem e um espaço de arruma-
Todo este binário nesta faixa de rotação é ção, com quase dois litros de capacidade,
possivel devido ao trabalho desenvolvido debaixo do banco do passageiro. Como
nas árvores de cames e nos coletores desportiva que é a BMW preparou uma
específicos para a XR… série de peças em carbono da linha M, que
ainda dão mais carácter a este modelo,
DESIGN E EQUIPAMENTO que podem ser adicionadas como extras.

Nas novas linhas deste modelo, com O NOSSO TESTE
a frente bem agressiva a acolher os
novos faróis de LED com luzes adap- Num soalheiro domingo fomos testar a
tativas, encontramos também o vidro nova BMW S1000XR, por estradas com
defletor, perfeitamente regulável em poucomovimentodevidoaoconfi amen-
andamento apenas com o acionamen- to provocado pelo covid19 e que estavam
to de uma alavanca. A traseira é em perfeitas para avaliarmos este novo mo-
tudo idêntica à sua irmã superdes- delo. Com as suspensões ESA semi-ativas

41

GOSTÁMOS

MOTOR POTENTE E UTILIZÁVEL
POSIÇÃO DE CONDUÇÃO
ECRÃN TFT 6,5 POLEGADAS
CAPACIDADE DESPORTIVA
TRAVAGEM
SUSPENSÃO ESA SEMI ACTIVA

GOSTÁMOS MENOS

DESENHO DO ASSENTO PARA CONDUÇÃO DESPORTIVA
INDICADOR DE INCLINAÇÃO (DISPENSÁVEL)
SUSPENSÃO ALGO BRANDA NO LIMITE

42

>>motosport.com.pt

CONCORRÊNCIA DUCATI MULTISTRADA 1260S a ajustarem automaticamente o peso carga com as malas exclusivas da BMW e
do condutor e do eventual passageiro, que ‘vestem’ como uma luva neste modelo.
KTM 1290 SUPER DUKE GT 158 CV assim como as condições do piso, esco- Nelas podemos levar tudo o que é neces-
lhemos o modo de condução ROAD para sário para uma viagem mais prolongada.
175 CV POTÊNCIA um tranquilo passeio pela zona a norte de A vantagem do equipamento original
Lisboa. A proteção aerodinâmica foi bem BMW é que todas as fechaduras usam a
POTÊNCIA 209 KG estudada sem nunca se notar grande im- mesma chave.
pacto do vento. É agora mais fácil de levar No guiador encontramos os coman-
209 KG PESO e sem as vibrações que se verificavam no dos comuns às restantes linhas da
modelo anterior que são praticamente BMW com a muito útil “roldana” para
PESO 21 295€ inexistentes. Esta é agora uma moto com chegar a todos os menus do novo ecrã
um potencial para turismo maior que o TFT. Existe como opcional o botão SOS
20 978€ PREÇO BASE modelo anterior…o escalonamento da para situações de emergência, que re-
caixa de velocidades é apropriado para comendamos. A ECALL, “Chamada de
PREÇO BASE uma utilização relaxada e ao mesmo tem- Emergência Inteligente” desenvolvida
po divertida, onde podemos rodar em 6ª pela BMW Motorrad, contacta um cen-
sempre com bastante motor disponível, tro de atendimento da BMW em caso de
ou brincarmos com um troca constante emergência. O sistema está instalado de
de velocidades usando o quickshift que forma fixa no guiador e aciona os serviços
tão bem funciona neste modelo. de emergência no mais curto espaço de
Numa viagem a solo ou com passageiro tempo. Através da utilização do sistema
aproveitamos tudo o que a moto oferece, ECALL, é possível garantir que os serviços
não só nos assentos e proteção aerodi- de emergência chegam ao local necessá-
nâmica como também na capacidade de rio de forma rápida.
O banco do condutor é uma perfeita ba-
KAWASAKI VERSYS 1000SE quet… não é apenas sentar, ficamos efe-
tivamente encaixados nas suas formas,
120 CV fazendo com que as acelerações alucinan-
tes deste motor sejam absorvidas duma
POTÊNCIA forma mais segura….Não tendo o conforto
das suas primas GS, e sendo até um pouco
235 KG duro, não condiciona umas etapas mais
longas. Os consumos mantém-se nos
PESO cerca de 6,5 litros aos 100, permitindo
uma autonomia muito razoável, supe-
19 895€ rior a 300km com o seu depósito de 20
litros. Uma nova ponteira bastante mais
PREÇO BASE pequena e integrada nas linhas da moto
cumpre já os critérios EURO5 com emis-
sões menores de CO2.
A BMW como marca premium tem
especial atenção ao detalhe que está
bem presente também aqui na XR…um
exemplo é a forma como acionamos o
descanso lateral, com uma posição bem
estudada entre a peseira e o pedal das

43

mudanças, nem precisamos olhar para potência, capacidade de travagem e uma foi bem conseguido nesse aspeto. FT/ F I C H A T É C N I C A
o descer. Da mesma forma o descanso manobrabilidade muito ao jeito da sua irmã As pinças de travão da Brembo propor-
central é bastante fácil de utilizar com a menos carenada S1000R… esta condução cionam uma travagem forte e progres- 999 CC
altura certa para colocar a moto direita. em cima de um guiador em detrimento dos siva que fica registado no painel quando
Simplesmente perfeito! avanços da sua congénere de pista a RR, utilizamos o modo Sport. No painel fica CILINDRADA
faz maravilhas na estrada proporcionando também o registo da atuação do controle
CONDUÇÃO (OU PILOTAGEM?) uma toada rápida… sempre perto dos limi- de tração e um indicador dos graus de 165 CV
Esta moto insere-se no segmento das tes de velocidade e com uma segurança inclinação que na nossa opinião é per-
touring desportivas, mas até que ponto fantástica… temos máquina para desfrutar feitamente desnecessário numa moto POTÊNCIA
não é touring e ao mesmo tempo despor- estradas com curvas. que não tem aspiração a ser utilizada em
tiva? Se na componente turistica ficámos A utilização da configuração de suspensão competição. Os consumos, esses sobem 20 L
plenamente convencidos…fomos testar a em Dynamic faz toda a diferença e é muito naturalmente com uma toada mais des-
componente desportiva… recomendada numa utilização desportiva portiva levando a que a autonomia baixe DEPÓSITO
Mudamos o modo de condução para o sentindo-se ainda assim algo mole numa consideravelmente e obrigando a mais
Dynamic PRO em que podemos ajustar vá- condução mais empenhada faltando tal- paragens para abastecer. 226 KG
rios parâmetros de motor, desde a resposta vez uns pneus mais desportivos. Apenas No entanto, o prazer que retiramos desta
em baixa até à atuação do travão motor… o um senão… o desenho do assento quando moto rapidamente faz esquecer a gaso- PESO
lado desportivo é forte neste modelo… todo nos queremos aproximar de uma condu- lina consumida e o objetivo passa por
o ADN da S1000RR está lá, temperamento, ção em pista torna-se difícil sair dele… não encontrar estradas reviradas onde se 17 995€
possa extrair o sumo que este conjunto
proporciona. Equesumosaidestemotor! PREÇO BASE

CONCLUSÃO MOTOR QUATRO CILINDROS EM LINHA, REFRIGERAÇÃO
LÍQUIDA/ÓLEO, 4 VÁLVULAS POR CILINDRO DIÂMETRO X CURSO
Os ingleses usam um termo para motos 80 MM X 49,7 MM CILINDRADA 999 CC POTÊNCIA MÁXIMA
deste género…hooligan bike! Não pode- 165 CV (121KW) ÀS 11.000 RPM BINÁRIO MÁXIMO 114 NM ÀS
ríamos estar mais de acordo… a XR faz 9250 RPM RELAÇÃO DE COMPRESSÃO 12,5 :1 ALIMENTAÇÃO
lembrar a novela do escocês Robert Louis INJEÇÃO ELETRÓNICA CONSUMO POR CADA 100 KM DE ACORDO
Stevenson… esta moto tem mesmo um COM O WMTC 6.2 L/100KM EMISSÕES DE CO2 144 G/KM
Dr Jekyll e um Mr Hyde escondidos no EMBRAIAGEM MULTIDISCO EM BANHO DE ÓLEO (FUNÇÃO
seu ADN. Como utilizadores de motos DESLIZANTE) COM AUTO REFORÇO CAIXA 6 VELOCIDADES
como este nível de performance teremos TRANSMISSÃO SECUNDÁRIA CORRENTE QUADRO DUPLA
sempre de saber dosear com qual dos TRAVE EM ALUMÍNIO, COM MOTOR AUTOPORTANTE SUSPENSÃO
dois personagens queremos partilhar a DIANTEIRA FORQUILHA TELESCÓPICA INVERTIDA 45 MM,
estrada…qualquerumdelesestarásempre AJUSTE ELETRÓNICO DA COMPRESSÃO E EXPANSÃO (DYNAMIC
disponível, basta mudarmos o modo de ESA) SUSPENSÃO TRASEIRA DYNAMIC ESA, PRÉ-CARGA
condução. E usufruir ao máximo desta DO AMORTECEDOR COM AJUSTE ELETRÓNICO, AFINAÇÃO
maravilha tecnológica. ELETRÓNICA DA EXPANSÃO E COMPRESSÃO DISTÂNCIA ENTRE
EIXOS 1522 MM AVANÇOS 116 MM ÂNGULO DA COLUNA
DE DIREÇÃO 65,1° PNEU DIANTEIRO 120/70 ZR 17 PNEU
TRASEIRO 190/55 ZR 17 TRAVÃO DIANTEIRO DOIS DISCOS
FLUTUANTES, DIÂMETRO DE 320 MM, PINÇAS FIXAS DE QUATRO
ÊMBOLOS TRAVÃO TRASEIRO DISCO SIMPLES, DIÂMETRO
DE 265 MM, PINÇA FLUTUANTE DE DOIS ÊMBOLOS ALTURA DO
ASSENTO 840 MM (790 MM) CAPACIDADE DO DEPÓSITO 20 L
COMPRIMENTO x ALT. x LARGURA 2333 x 1411 MM x 850 MM
PESO A SECO 205 KG PESO COM LÍQUIDOS 226 KG CORES
VERMELHO RACING OU CINZENTO “ICE” PREÇO 17 995€

44 AUTO++mais

TOYOTA João Isaac nas zonas onde as mãos raramente vão
[email protected] é que encontramos outros mais rijos.
» COROLLA SD 1.8 HYBRID A sensação global é de durabilidade
OToyota Corolla está disponível e robustez, sendo que a nível de aca-
O COROLLA NUNCA DESILUDE. NEM O POUCO VISTO SEDAN em três formatos de carroça- bamento apenas o compartimento do
ria distintos e este sedan é, apoio de braço merecia um pouco mais
Doze gerações depois e com cerca de 45 milhões de sem dúvida, o menos visto. de atenção. O painel de instrumentos é
unidades vendidas em todo o mundo, o nome Corolla É também o mais elegante, parcialmente digital, predominando os
nada tem a provar ao mercado, ainda que deste se tenha argumento que nem o hat- tons azuis, em linha com a eficiência do
ausentado enquanto se fez representar no segmento pelo chback nem a mais familiar Touring propulsor híbrido. No entanto, selecio-
Auris. Mas perante uma concorrência cada vez mais forte Sports conseguem igualar. E para além nando-se o modo Sport, o velocímetro
e eletrificada, o Corolla deve manter-se atento. Pusemo-lo à do mais clássico formato de três vo- muda para vermelho. Gostámos da
prova na versão topo de gama da elegante carroçaria sedan lumes, destaca-se igualmente deles posição de condução e também do
pela secção dianteira, com para-cho- conforto do banco traseiro, onde até
LEIA MAIS ENSAIOS E ACOMPANHE ques, grelha e iluminação de desenho o lugar central é bastante utilizável. A
TODAS AS NOVIDADES EM AUTOSPORT.PT específico. Tratando-se da versão de mala oferece 471 litros de capacidade,
topo Luxury, como o que ensaiámos, não sendo assim o volume um proble-
o Corolla passa a contar com jantes de ma. Já o acesso é mais complicado,
18 polegadas. como é costume em carroçarias de
três volumes. O Corolla Sedan está
LUXURY COM HABITÁCULO disponível em três níveis de equipa-
RECHEADO mento, Comfort, Exclusive e Luxury,
Quer o tablier quer as portas usam este último aquele associado ao “13-
materiais agradáveis ao toque. Apenas ZV-95” que conduzimos. Assim, a este
topo de gama não lhe faltam elementos

>> autosport.pt/automais

45

FT/ F I C H A T É C N I C A

1.8 / 122 CV

GASOLINA + ELÉTRICO

11 S

0-100 KM/H

5,0 L / 5,1 L (AUTOSPORT)

100 KM

113

G/KM- CO2

28 990€

PREÇO VERSÃO ENSAIADA

QUALIDADE GERAL VS. PREÇO; CONSUME
BAIXO; EQUIPAMENTO E GARANTIA

ACESSO LIMITADO À BAGAGEIRA

MOTOR 4 CILINDROS EM LINHA, INJEÇÃO
INDIRETA, GASOLINA + MOTOR ELÉTRICO
CILINDRADA (CM3): 1798 POTÊNCIA (CV/
RPM): 122/N.D. BINÁRIO (NM/RPM): N.D./N.D.
TRANSMISSÃO AUTOMÁTICA DO TIPO CVT
DIREÇÃO PINHÃO E CREMALHEIRA ASSISTIDA
ELETRICAMENTE SUSPENSÃO INDEPENDENTE,
TIPO MCPHERSON/INDEPENDENTE, TRIÂNGULOS
DUPLOS TRAVAGEM (FR/TR): DISCOS VENTILADOS/
DISCOS PESO 1500 KG MALA 471 LITROS
DEPÓSITO 43 LITROS VEL. MÁX. 180 KM/H

como o volante e os bancos em pele ensaio com média de 5,1 l/100 km. As do mais recente dois litros híbrido de verdade que isso é um comportamento
aquecidos, à frente e atrás, o carre- performances não são, num veículo 184 cavalos, mas também não precisa pontual, numa ou noutra situação, como
gador sem fios para smartphones, o full hybrid como este, a prioridade. do pulmão adicional. uma ultrapassagem. Em 90% do tempo
alerta de ângulo morto e os sensores Mas também não podemos dizer que de condução, nem se dá por isso.
de estacionamento. Transitam dos ní- estas o limitem no seu desempenho. COMPORTAMENTO
veis abaixo outros como a iluminação Longe disso, na verdade, pois com GARANTIA É ARGUMENTO
LED, os vidros escurecidos, a câmara uma velocidade máxima de 180 km/h MUITO SAUDÁVEL
traseira e os sensores de chuva. e uma aceleração de 0 a 100 km/h em Gostos não se discutem, e as neces-
11 segundos, o Corolla Sedan Hybrid Já falámos da boa posição de condução sidades de cada um, também não.
MÉDIA DE 5L/100 KM É FÁCIL com motor 1.8 e 122 cavalos possui um bem como das capacidades do propulsor Naturalmente que o formato mais clás-
desempenho mais do que ajustado às híbrido. Falemos por isso do compor- sico deste três volumes não pode agradar
Mantendo o Corolla no modo de con- necessidades diárias do comum con- tamento, avaliação em que o Corolla se a todos. E é também indiscutível que
dução mais eficiente, bem como uti- dutor. É verdade que o Sedan é o único destaca pelo chassis muito equilibra- quer o Corolla de 5 portas, quer a sta-
lizando-o quase exclusivamente em Corolla da gama que não pode dispor do, fruto da nova plataforma com sus- tion Touring Sports, são propostas mais
ambiente citadino, é bastante fácil pensão independente às quatro rodas. versáteis, especialmente a última. Mas é
registar médias de consumo idênticas Dinamicamente, o Corolla é uma proposta realmente uma pena que o mais elegante
à do nosso teste em que o computador muito competente e é também capaz dos Corolla seja apenas responsável por
de bordo mostrou 4,4 l/100 km. Na ver- de manter o conforto de rolamento em cerca de 9% das vendas acumuladas do
dade, acreditamos que com o devido bom plano, mesmo quando equipado com modelo em 2020. Um formato cada vez
empenho, tomando atenção ao fluxo pneus de baixo perfil e jantes grandes menos visto, mas que na família Corolla
de energia, maximizando a eficiência como a unidade em ensaio. Relativamente partilha com os demais a eficiência do
do sistema híbrido, é até possível con- à já muito debatida questão do funciona- motor, uma lista de equipamento ape-
seguir médias mais baixas. Retirando mento da transmissão do tipo CVT, pode lativa – mesmo na versão de acesso, a
o Corolla da cidade, e conduzindo ao até ser verdade que durante as acelera- qualidade de construção e uma cada vez
ritmo normal de tráfego, também com ções mais fortes, o facto de o motor se mais valorizada garantia, neste caso de
autoestrada pelo meio, fechámos o manter fi o nos médios-altos regimes é 7 anos, 10 no caso da bateria híbrida.
um pouco desagradável. Mas é igualmente

AUTO+ mais

RENAULT das duas fi as de trás. Tratando-se da versão topo de
gama, pouco equipamento falta ao Espace, destacan-
» ESPACE INITIALE PARIS BLUE DCI 200 EDC do-se elementos como os bancos dianteiros ventilados
e com funções de massagem e aquecimento. O sistema
PARA SETE, À GRANDE E À FRANCESA de som da Bose e o carregador sem fios são de série,
assim como a excelente iluminação LED adaptativa. O
A atual geração do Renault Espace está no mercado desde 2015 e tenta painel de instrumentos é totalmente digital – de 10,3”
prolongar o sucesso das gerações anteriores, com vendas acumuladas de mais - e ao centro está o display tátil do moderno sistema
de 1,3 milhões de unidades desde 1984. Com uma concorrência indiscutível do de infotainment complementado por um muito útil
segmento dos grandes SUV, será que o Espace tem ainda espaço no mercado? comando rotativo na consola.

João Isaac pior, e contrariando um pouco a ideia transmitida pelo MOTOR FORTE E EM CIDADE NOTA-SE
[email protected] título, o espaço na terceira fi a é apenas adequado e in- Debaixo do capot está agora o motor 2.0 dCi de 200
dicado para crianças, mesmo quando ajustada a posição cv e 400 Nm. A caixa EDC de 6 velocidades explora
Moderno, chique e impactante. O Espace dos bancos da fi a do meio. Já os restantes passageiros, bem o pulmão do motor, mais do que suficiente para
não passa despercebido por onde quer esses sim, não terão quaisquer razões de queixa no que os mais de 1750 kg do Espace. Os 100 km/h chegam
que se mostre, menos ainda nesta ver- diz respeito a espaço livre, contando todos com exce- em pouco mais de 9 segundos depois do arranque
são Initiale Paris, complementada pelas lentes bancos, principalmente na frente, onde podem e a velocidade máxima é de 215 km/h. A partir dos
enormes e opcionais jantes de 20”. Na desfrutar de autênticas poltronas. Devido à muita quan- médios regimes, como habitual nos motores Diesel,
última atualização, foram retocados alguns tidade de área vidrada, o conforto a bordo sai também o seu ruído começa a ser um pouco desagradável.
detalhes exteriores como a grelha e a iluminação, mas a beneficiado pela muita luz natural. A acessibilidade é A caixa EDC também não gosta de ser apressada,
originalidade do seu design misto, de um monovolume também muito boa graças às grandes portas traseiras e preferindo uma abordagem mais tranquila da parte
de altura superior ao solo, mantém-se intacto. a qualidade dos materiais é muito elevada, bem como a do condutor, em linha com o espírito estradista do
sensação de robustez geral. Destaque, também, para o maior dos Renault. O consumo é o ponto mais fraco
LUXO E CONFORTO rebatimento elétrico, a partir da bagageira, dos bancos de todo o conjunto mecânico. Em estrada aberta, o
Bom por fora, melhor por dentro. Mas começando pelo palco de eleição do Espace, os consumos são bem
mais simpáticos do que os 8/8,5 l/100 km que o
computador de bordo mostrou no fi al do nosso
circuito misto de ensaio.

AO VOLANTE, SURPREENDENTE
Uma posição de condução elevada, complementada

>> autosport.pt/automais

47

por uma excelente visibilidade dianteira, inclusi- NÃO FOSSE O CONSUMO… FT/ F I C H A T É C N I C A
vamente na zona do pilar A, fazem da condução
do Espace uma experiência muito fácil e serena. Para oferecer todo este espaço, equipamento e, 2.0 / 200 CV
Através do comando Multisense é possível alterar o consequentemente, um conforto referencial, o
modo de condução e, caso queiramos, transformar Espace é um automóvel inegavelmente grande GASÓLEO
por completo a experiência graças, principalmente, e pesado, características que se fazem sentir no
ao amortecimento variável, bem como ao sistema consumo de combustível, algo elevado quando 9,1 S
de quatro rodas direcionais 4 Control. Desta forma, não o tiramos da cidade. No entanto, esse volume
o familiar confortável e com excelente manobrabi- e peso, surpreendentemente, não se fazem sentir 0-100 KM/H
lidade em cidade, reconfigura-se para um veículo ao volante, uma experiência que é, sempre, fácil e
ágil em curva, muito estável e com movimentos de relaxante, mas que, ao toque de um botão, surpreen- 6,7 L / 8.3 L (AUTOSPORT)
carroçaria mais controlados. de por uma agilidade e dinâmica característica de
modelos Renault mais pequenos. 100 KM

175

G/KM- CO2

71 524€

PREÇO BASE

IMAGEM / CONFORTO / EQUIPAMENTO

CONSUMO SUPERIOR AO ESPERADO /
PREÇO DA UNIDADE ENSAIADA

MOTOR 4 CILINDROS EM LINHA, INJEÇÃO
COMMON-RAIL, TURBO, GASÓLEO
CILINDRADA (CM3) 1997 POTÊNCIA
(CV/RPM) 200/3500 BINÁRIO (NM/
RPM) 400/1750 TRANSMISSÃO DUPLA
EMBRAIAGEM DE 6 VEL. DIREÇÃO PINHÃO E
CREMALHEIRA ASSISTIDA ELETRICAMENTE
SUSPENSÃO INDEPENDENTE, TIPO
MCPHERSON/BARRA DE TORÇÃO
TRAVAGEM (FR/TR) DISCOS VENTILADOS/
DISCOS PESO 1770 KG MALA 247/614 LITROS
DEPÓSITO 62 LITROS VEL. MÁX. 215 KM/H

E/ Dando cumprimento ao estabelecido no n° mais importantes provas de desporto au- leitores uma informação atual, rigorosa abordagem e de análise dos factos noti-
1 do artigo 17° da Lei 2/99, de 13 de Janeiro, tomóvel disputadas em território nacional e de qualidade, opinando sobre tudo o ciosos, com total abertura à interativi-
ESTATUTO Lei da Imprensa, publica-se o Estatuto e no estrangeiro, relata acontecimentos que se passa na área do automóvel e dos dade com a sua comunidade de leitores.
EDITORIAL Editorial da publicação periódica AutoSport: ligados à competição automóvel, bem como automobilistas, numa perspetiva plural, 4. O AutoSport pratica um jornalismo pau-
1. O AutoSport é um semanário dedicado temas que versam o automóvel como bem recusando o sensacionalismo e respeitan- tado pela isenção, sem comprometimentos
ao automóvel e aos automobilistas, nas de consumo, tanto na área industrial como do a esfera da privacidade dos cidadãos. ou enfeudamentos, tendo apenas como
suas mais distintas vertentes: desporto e comercial. 3. O AutoSport pauta as suas opções edito- pressuposto editorial facultar a melhor
competição, comércio, indústria, segurança 2. O AutoSport está comprometido com riais por critérios de atualidade, interesse informação e a melhor formação aos seus
e problemática rodoviária. O AutoSport o exercício de um jornalismo formativo e informativo e qualidade, procurando apre- leitores, seguindo sempre as mais elemen-
edita, semanalmente, conteúdos sobre as informativo e procura oferecer aos seus sentar aos seus leitores a mais completa tares normas deontológicas.

PROPRIEDADE FOLLOW MEDIA COMUNICAÇÃO UNIPESSOAL, LDA. – NIPC 510430880, RUA DOS PINHEIROS 47, CASA 4, BICESSE, 2645-535 ALCABIDECHE DETENTORES DE CAPITAL PEDRO CORRÊA MENDES
GERÊNCIA PEDRO CORRÊA MENDES [email protected] DIRETOR PEDRO CORRÊA MENDES [email protected] DIRETOR-EXECUTIVO JOSÉ LUÍS ABREU [email protected]
COLABORADORES DAVID PACHECO, FÁBIO MENDES, JOÃO F. FARIA, JORGE GIRÃO, JORGE REIS, JOSÉ MANUEL COSTA, MARTIN HOLMES, NUNO BRANCO FOTOGRAFIA AIFA/JORGE CUNHA, ANDRÉ LAVADINHO, ZOOM MOTORSPORT/ANTÓNIO SILVA
DESIGNER GRÁFICA ANA SILVA [email protected] IMPRESSÃO SOGAPAL, S. A., SOC. GRÁFICA DA PAIÃ, S.A. - ESTRADA DE SÃO MARCOS, 27, SÃO MARCOS - 2735-521 AGUALVA- CACÉM DISTRIBUIÇÃO VASP – DISTRIBUIDORA DE PUBLICAÇÕES, S. A.,
TIRAGEM 15 000 EXEMPLARES REGISTO NA ERC 105448 DEPÓSITO LEGAL Nº 68970/73 – COPYRIGHT© TODOS OS DIREITOS RESERVADOS DE ACORDO COM A LEGISLAÇÃO EM VIGOR. EMVIRTUDE DO DISPOSTO NO ARTIGO 68 Nº2, I) E J), ARTIGO
75º Nº2, M) DO CÓDIGO DO DIRETOR DE AUTOR E DOS DIREITOS CONEXOS ARTIGOS 10º E 10º BIS DA CONV. DE BERNA, SÃO EXPRESSAMENTE PROIBIDAS A REPRODUÇÃO, A DISTRIBUIÇÃO, A COMUNICAÇÃO PÚBLICA OU A COLOCAÇÃO À DISPOSIÇÃO, DA
TOTALIDADE OU PARTE DOS CONTÉUDOS DESTA PUBLICAÇÃO, COM FINS COMERCIAIS DIRETOS OU INDIRETOS, EM QUALQUER SUPORTE E POR QUAISQUER MEIOS TÉCNICOS, SEM A AUTORIZAÇÃO DA FOLLOWMEDIA COMUNICAÇÃO, UNIPESSOAL LDA. A
FOLLOWMEDIA NÃO É RESPONSÁVEL PELO CONTÉUDO DOS ANÚNCIOS. EDIÇÃO ESCRITA AO ABRIGO DO NOVO ACORDO ORTOGRÁFICO. CONTACTO [email protected]

Os últimos
15 anos

passaram
E aagcaonrhrearr.

Há anos que a Galp e Armindo Araújo constroem uma
parceria vitoriosa. Em 2020, a Galp vai continuar a contar

com o talento do pentacampeão nacional e o piloto
a usufruir da qualidade dos lubrificantes Galp Fórmula

e da tecnologia dos combustíveis Evologic.
Afinal, para ser o piloto português de ralis mais
conceituado de todos os tempos, Armindo Araújo tem
de garantir a melhor performance e proteção do motor
do seu carro. É por isso que recomenda os produtos Galp.

Armindo Araújo
Pentacampeão Nacional de Ralis
Bicampeão Mundial de Ralis – PWRC


Click to View FlipBook Version
Previous Book
BUKU PROGRAM MAJLIS PERSARAAN 2020
Next Book
കവിഭാഷ മാസിക ലക്കം പത്ത് ഡിസംബര്‍ 2020