The words you are searching are inside this book. To get more targeted content, please make full-text search by clicking here.

Roteiro de Reflexão nº 458 maio de 2020

Discover the best professional documents and content resources in AnyFlip Document Base.
Search
Published by MOBON, 2020-04-27 13:05:36

Roteiro Maio 2020 - A Igreja nas casas

Roteiro de Reflexão nº 458 maio de 2020

Keywords: Roteiro de Reflexão,Grupo de Reflexão,Círculos Bíblicos,Diocese de Caratinga,Mobon,Movimento Boa Nova

Nº 458 – Maio de 2020 –Documentos da CNBB 109

ORAÇÃO INICIAL PARA TODOS OS DIAS

Animador ânimo para ouvir e anunciar o A-
(a): Em nome mor do Ressuscitado!
do Pai, e do Fi-
lho e do Espíri- L: Formando discípulos e discípulas
to Santo. Vinde, de Jesus!
Espírito Santo!
T: Queremos viver intensamente
Todas(os): os apelos do Evangelho, / aprender
Enchei os cora- a viver o amor, a partilha e a igual-
ções de vossos fiéis! / E acendei neles o fo- dade!
go do vosso amor! / Enviai o vossos Espí-
rito e tudo será criado! / E renovareis a fa- L1: Em Comunidades Eclesiais Mis-
ce da terra! Oremos. Ó Deus, que instruís sionárias!
os corações de vossos fiéis com a Luz do
Espírito Santo, / fazei que saibamos apre- T: Dá-nos o coração de discí-
ciar retamente todas as coisas, segundo o pulos de Jesus / e a coragem missio-
mesmo Espírito, / e gozemos sempre de nária de deixar o comodismo, / pa-
sua consolação. Por Cristo Senhor Nosso. ra uma Igreja em saída.
Amém!
L2: À luz da evangélica opção prefe-
A: Cheios do Espírito Santo, vamos re- rencial pelos pobres!
zar e refletir com as palavras do Objetivo
das Diretrizes da Ação Evangelizadora no T: Ajuda-nos a olhar os pobres, /
Brasil – 2019 a 2023: como preferidos de Jesus / e prota-
gonistas da sua libertação!
Leitor(a) 1: Evangelizar, no Brasil
cada vez mais urbano! L: Cuidando da Casa Comum, teste-
munhando o Reino de Deus rumo à Pleni-
T: Dá-nos, Senhor, coragem, tude.
para agir na vida cotidiana / e reco-
nhecer em todas e todos as diver- T: Senhor, que possamos desen-
sas faces de Jesus! volver a ética do cuidado com o mei-
o ambiente e sua Criação, / constru-
L2: Pelo anúncio da Palavra de Deus! indo relações fraternas e solidárias
aqui e agora. // Que Maria Santíssi-
T: O Reino de Deus já está no ma, Mãe de Jesus, / nos ensine a
meio de nós. / Dá-nos, Senhor, fé e seguir os passos de seu divino Filho.

Cantando: Oh! vem conosco, vem
caminhar, / Santa Maria, vem! (Bis)

BÊNÇÃO FINAL PARA TODOS OS DIAS

Todas(os): A bênção do Deus Pai, mãe cuida da gente, / estejam sobre
Abá; / a bênção do Deus Filho, Je- todos nós!
sus, nascido da Virgem Maria; / a
bênção do Espírito Santo de Amor, Em nome do Pai, do Filho e do Es-
que cuida de nós com carinho, qual pírito Santo. Amém! Axé! Aleluia!

APRESENTAÇÃO

Sem pilares, a casa cai! Nosso Roteiro DGAE vêm nos apontar os pilares de sus-
de Reflexão deste mês vem continuar al- tentação dos discípulos e missionários de
gumas reflexões das Diretrizes Gerais da Jesus.
Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil –
2019-2023 – (DGAE), em seu capítulo III. Pelo pilar da Palavra, o seguidor de
Jesus faz seu discernimento: é Deus que
As DGAE 2019-2023 estão estrutu- toma a iniciativa e cabe ao discípulo aco-
radas a partir da imagem da Comunidade lher, responder e dar sua resposta. É pre-
Cristã como “casa”, “construção de Deus” ciso olhar a Palavra sob três dimensões:
(1Cor 3, 9). No centro, como eixo, está a Pessoal, Social e Ecológica.
Comunidade Eclesial Missionária, susten-
tada por “quatro pilares”. Dessa forma, as Pelo Pilar do Pão, a comunhão de to-
dos com o Corpo e Sangue de Cristo, cele-
02
Roteiro 458

brada na Eucaristia, o seguidor se abre pa- Comunidade Cristã Missionária pode de
ra a partilha do cotidiano, na vida da Co- fato acontecer, nos lares e grupos de Famí-
munidade. lias, que se tornam núcleos comunitários,
onde a Igreja se reúne para meditar a Pala-
Pelo Pilar da Caridade, o serviço à vi- vra, rezar e partilhar o pão e a vida.
da plena, o discípulo olha o mundo com o
olhar de Deus. Percebe e acolhe o grito que Neste mês de Pentecostes, que o Sopro
emerge das várias faces da pobreza e da Divino de Deus possa reacender nossas
agonia da criação (LS, 53). brasas, para a missão de evangelizar.

Pelo Pilar da Ação Missionária, a I- Que Maria, primeira missionária do
greja em saída torna-se estado permanen- Reino, nos acompanhe! Coragem e firme-
te de missão! za! (Js 6,1-9). Boas reflexões!

A Espiritualidade Cristã é esse jeito de Equipe de Guaxupé
ser Igreja, fundamentada nesses pilares. A

Pilar da Palavra: Iniciação da Vida Cristã e
Animação Bíblica da Vida e da Pastoral

1ª REUNIÃO Semana de 27/04 a 03/05/2020

1. Iniciando nosso encontro Ler na Bíblia: João 10, 1-10.

Chave de leitura:

a) Na prática, que sentido tem pas-
sar ou não passar pela porta do curral
das ovelhas?

b) Como podemos distinguir a voz
do verdadeiro pastor da voz dos es-
tranhos?

a) Acolhimento do Animador e cântico; c) Somos verdadeiras ovelhas de
b) Oração inicial (Página 2); c) Partilhar so- Jesus? Por quê?
bre as tarefas marcadas no último encontro.

2. Preparando para ouvir a 4. Refletindo um pouco mais

Palavra de Deus L2: Jesus se apresenta como a por-
ta que protege as ovelhas dos ladrões
Leitor(a) 1: No Evangelho que va- e, ao mesmo tempo, lhes dá liberdade
mos ouvir, Jesus se apresenta como a (deixa entrar e sair) e alimentação
porta que protege as ovelhas dos la- (passando por essa porta, todas en-
drões e, ao mesmo tempo, que lhes dá contram pastagem). Jesus vem, não
liberdade e alimentação. Há quem se para tirar proveito ou vantagem, mas
apresente como pastor, mas vem só para que todos tenham vida e vida com
para sacrificar as ovelhas, roubar, des- fartura. Para isso ele se sacrifica total-
truir. Ele vem para que todas tenham mente. Exatamente o oposto daqueles
vida plena. que sacrificam os outros para o seu
proveito. Para esses, as ovelhas são a-
Cantando: Eis-me aqui, Senhor! Eis- penas número e, quanto mais nume-
me aqui, Senhor! / Pra fazer tua vontade, rosas, melhor. O pastor conhece pelo
pra viver no teu amor! / Pra fazer tua von- nome as que são suas e elas sabem re-
tade, pra viver no teu amor, eis-me aqui, conhecer a sua voz. Quem pensa que o
Senhor! // 1. O Senhor é o pastor que me povo é bobo está muito enganado.
conduz, / por caminhos nunca vistos, me Mais depressa do que se pensa, ele dei-
enviou! / Sou chamado a ser fermento, sal e xará de seguir “os que só vêm para rou-
luz! / E por isso respondi: "Aqui estou!" / 2. bar, sacrificar, destruir”.
Ele pôs em minha boca uma canção, / me
ungiu como profeta e trovador / da história Cantando: Há um barco esquecido
e da vida do meu povo! E por isso respondi: na praia! / Já não leva ninguém a pescar! /
"Aqui estou!” É o barco de André e de Pedro, / Que parti-
ram pra não mais voltar! / Quantas vezes
3. Deus nos fala
03
Canto de aclamação

Maio / 2020

partiram seguros / Enfrentando os perigos que se dirige a cada um pessoalmente,
do mar: / Era chuva, era noite, era escuro, / é também uma Palavra que constrói a
Mas os dois precisavam pescar! Comunidade, que constrói a Igreja.

5. Comentário do tema da reunião Cantando: Põe a semente na terra, /
L3: As pequenas Comunidades são não será em vão! / Não te preocupe a
colheita, / plantas para o irmão! 1. Todo
ambientes propícios para a acolhida tijolo é um anseio de edificar / e toda obra é
dos que buscam a Deus. A partir do en- uma forma de a gente se dar. / 2. Todo
contro com a Palavra e da experiência poema é um anseio de se expressar / e todo
de vida fraterna na Comunidade, as canto é uma forma de a gente se dar!
pessoas são introduzidas no processo
de Iniciação à vida cristã. A Comuni- FATO DA VIDA: Vamos pensar em coi-
dade Eclesial é chamada a ser inicia- sas que acontecem no nosso dia a dia: Co-
dora por excelência, pois seu estilo de nhecem casos de gente que usa a religião
vida deve testemunhar, de forma elo- como meio de vida e até mesmo para se en-
quente, o amor de Deus pelas pessoas, riquecer? Não só Igrejas Pentecostais dos
indo sempre ao seu encontro. Por isso, nossos irmãos separados, mas também
“é preciso ter sempre presente que to- entre nós, o aproveitamento de devoções
da iniciação cristã é caminho de con- populares, ou a invenção de novas devo-
versão, que há de ser realizada com a ções, que só dão lucro?
ajuda de Deus e em constante referi-
mento à Comunidade Eclesial”. Para a 6. Puxando conversa
formação de discípulos missionários, a) O que mais chamou sua atenção,
a Iniciação à Vida Cristã deve ser “as-
sumida com decisão, coragem e criati- no encontro de hoje? b) O que desco-
vidade. Ela renova a vida comunitária brimos na leitura desse texto, que é
e desperta seu caráter missionário. Is- importante para o nosso Grupo, para a
so requer novas atitudes evangeliza- nossa Comunidade, para a nossa Igre-
doras e pastorais”. ja hoje?

Cantando: Põe a semente na terra, / 7. Pergunta para o Plenário
não será em vão! / Não te preocupe a colhei- Qual o papel do Grupo de Reflexão,
ta, / plantas para o irmão!
na caminhada da Comunidade?
L4: “Para formar discípulos mis-
sionários, é urgente aproximar mais as 8. Rezar a Palavra de Deus
pessoas e as Comunidades da leitura na vida
orante da Palavra de Deus na Escritu- a) Para que nossas Comunidades se
ra. Não basta ler ou estudar a Sagrada
Escritura, pois “a inteligência das Es- fortaleçam no caminho do verdadeiro
crituras exige, ainda mais do que es- ardor missionário de discípulos de
tudo, a intimidade com o Cristo e a o- Jesus, rezemos.
ração” (VD, n. 86). Leitura orante da
Bíblia é sempre meditar e rezar em ci- T: Senhor, ouvi-nos!
ma da Palavra lida, pedindo a Deus a b) Para que nossos grupos se forta-
graça de praticar tudo aquilo que Ele leçam na sua caminhada, a fim de for-
está nos falando. Igualmente, é indis- mar Comunidades de Comunidade,
pensável uma leitura também comu- rezemos.
nitária, que “evite o risco de uma abor- c) Por todos os participantes de nos-
dagem individualista, tendo presente sa Comunidade, para que sigamos fir-
que a Palavra de Deus nos é dada pre- mes em sacrificar-nos pelos outros, no
cisamente para criar comunhão, para caminho do Crucificado, rezemos.
nos unir na Verdade, no nosso cami- Preces espontâneas, Pai Nosso,
nho para Deus. Sendo uma Palavra Ave Maria.

04 9. Compromissos da semana
a) Ajudar a abrir os olhos dos com-

panheiros, para que eles não se dei-

Roteiro 458

xem ser explorados por motivos reli- 10. Encerramento
giosos; Avisos, Cântico, Bênção final (Pá-

b) Ler em casa o Evangelho do pró- gina 2). Despedida.
ximo Domingo: João 14, 1-12.

Pilar do Pão: Liturgia e Espiritualidade

2ª REUNIÃO Semana de 04 a 10/05/2020

1. Iniciando nosso encontro b) O que é que Felipe não entende, e
que hoje também é nossa dúvida? (vs 5
e vs 8)

c) Quais os rostos de Deus, que se
apresentam nos dias de hoje? (vs 7)

a) Preparação do ambiente, vela acesa, 4. Refletindo um pouco mais
Bíblia, pão; b) Oração inicial (Página 2); c)
Partilhar sobre as tarefas marcadas no L2: João nos mostra que Deus não
último encontro. está longe de nós, como alguém dis-
tante e desconhecido. Jesus está total-
2. Preparando para ouvir a mente identificado com o Pai. Os
Palavra de Deus sinais e as obras que Jesus faz são as
Leitor(a) 1: Jesus está para deixar obras do Pai. A comunhão entre o Pai
e o Filho é plena: “Eu e o Pai somos
a convivência física com os discípulos. Um”. Jesus é Deus Conosco! Ele é a
As dúvidas de Tomé e Felipe são as dú- Palavra de Deus encarnada. Esse jeito
vidas da comunidade e são as nossas de Deus vir até nós, se fazendo um de
dúvidas hoje. Essas dúvidas traziam nós, assumindo a nossa carne fraca, se
perturbações. Trazem também para dando a nós como comida para forta-
nós, hoje. Que perturbações são essas? lecer nossos passos e como Palavra pa-
Vamos, com muita atenção, ouvir o E- ra iluminar a Caminhada, tudo isso
vangelho, e buscar entender o que Je- num mistério na pessoa de Jesus, deve
sus diz para Tomé e Felipe e o que está ser a resposta aos nossos anseios.
dizendo para nós.
Cantando: Vejam! Fiz de novo a leitura
Cantando: Vejam: Eu andei pelas vi- das raízes da vida, que meu Pai vê melhor! /
las, / Apontei as saídas como o Pai me pe- Luzes acendi com brandura, para a ovelha
diu. / Portas, Eu cheguei para abri-las, / Eu perdida, não medi meu suor. // Por onde
curei as feridas, como nunca se viu. // Por formos...
onde formos também nós que brilhe a tua
luz! / Fala, Senhor, na nossa voz, em nossa 5. Comentário do tema da reunião
vida! / Nosso Caminho então conduz, que-
remos ser assim! / Que o pão da vida nos re- L3: As diretrizes Gerais da Ação E-
vigore em nosso “sim!” vangelizadora da Igreja no Brasil para
2019-2023 vêm nos lembrar como era
3. Deus nos fala nas primeiras comunidades da Igreja,
Ler na Bíblia: João 14, 1-12 nas casas, onde seus membros eram
Chave de Leitura instruídos a assimilar a comunhão do
a) É tão comum escutarmos: “Eu só Corpo e do Sangue celebrada na Euca-
ristia, com o compromisso da partilha
acredito em Deus”! “Ele pode tudo!” do cotidiano. Relendo o que está em
Eu só acredito em Jesus!” Eu só acre- Atos dos Apóstolos 2, 42, que nos diz
dito no Espírito Santo!” É possível se- que eram perseverantes nos ensina-
pará-los? (Ver versículo 7). Vamos mentos dos Apóstolos, na fração do
partilhar um pouco sobre isto. pão, nas orações e na comunhão fra-
terna, as Diretrizes nos mostram que
Maio / 2020
05

pela oração se descobre a dignidade de sunto de hoje? b) A partir das reflexões
filhos, toma consciência de ser colabo- do encontro e do fato da vida hoje a-
radores de Deus e de ser impelidos a ir presentados, o que nos chama mais a
ao encontro dos irmãos, com obras de atenção?
misericórdia.
7. Pergunta para o Plenário
Cantando: Vejam: procurei bem aque- Como podemos tornar nossa Co-
les que ninguém procurava e falei de meu
Pai. / Pobres, a esperança que é deles eu não munidade um verdadeiro espaço da li-
quis ver escrava de um poder que retrai // turgia e espiritualidade?
Por onde formos...
8. Rezando a Palavra de Deus
FATO DA VIDA – Toninha é conhecida na vida
na Comunidade como uma senhora pres- a) Contemplar o Cristo sofredor na
tativa, muito católica. Não perde uma mis-
sa aos domingos. Sua diocese estava vi- pessoa dos pobres significa compro-
vendo o projeto das Santas Missões Popu- meter-se com todos os que sofrem.
lares. Certo final de semana, o padre se au- Rezemos:
sentou para participar de um retiro e es-
calou ministros para fazer celebrações da T: Senhor, que o Pão Eucarís-
Palavra naquele final de semana. Ela, co- tico, que comungamos, nos leve
mo de costume, chegou uma meia hora ao compromisso da promoção
antes da missa, para rezar o seu terço e ob- da vida plena!
servar a movimentação antes da missa.
Percebeu que naquele domingo tinha algo b) Sem a caridade, a oração não po-
diferente. Procurou o sacristão para se in- de ser considerada cristã. Rezemos:
teirar dos fatos. E ficou sabendo que não ia
ter missa e sim a Celebração da Palavra. c) A Igreja anuncia o Evangelho da
Mais que depressa pensou: vou à capela de paz, que é Jesus Cristo em pessoa. Sem
Santos Reis, é perto e não vou ficar sem a justiça não há paz. Clamemos por jus-
minha Missa. Chegando lá, foi informada tiça diante do abandono e da explora-
que a Missa tinha sido cancelada, por con- ção. Rezemos:
ta do “tal” retiro. Toninha se apressou e
imaginou: Ah! Lá no convento dos Freis (Preces espontâneas, Pai Nosso,
não fica sem missa. Vou lá! Mas quando Ave Maria).
chegou, a celebração da Palavra já estava
quase terminando. Então foi falar com Cé- 9. Compromissos da
lia, da pastoral da acolhida, e ficou saben- semana
do que naquele domingo todos os padres a) Ler e meditar o canto do encon-
tinham ido para o Retiro. Inconformada,
voltou para casa chateada, porque ficou tro de hoje: Vejam... Dar sua respos-
sem sua Missa de domingo. A postura de ta conclusiva.
Toninha reflete a de tantos cristãos, que
levam a sério o preceito, mas não a fé. b) Ler em casa o Evangelho do
próximo Domingo: João 14, 15-21.
6. Puxando conversa
a) De que mais você gostou no as- 10. Encerramento
Avisos, Cântico, Bênção final (Pá-

gina 2). Despedida.

Pilar da Caridade: Serviço à Vida Plena

3ª REUNIÃO Semana de 11 a 17/05/2020

1. Iniciando nosso mação; c) Oração inicial (Pá-
encontro gina 2); d) Partilhar as tarefas
marcadas no encontro passa-
a) Preparar o ambiente com do, lembrar dos últimos acon-
colcha de retalhos, flores, vela e tecimentos, fazer recordação
a Bíblia; b) Começar acolhendo da vida.
a todos/as, com alegria e ani-
Roteiro 458
06

2. Preparando para ouvir a perseguição do Império Romano e do
Palavra Templo. Mas, em meio às adversida-
Leitor(a) 1: O evangelho que ire- des, souberam descobrir a presença do
Crucificado Ressuscitado, entre eles. É
mos partilhar faz parte do “testamen- o Espírito de Jesus que os animava e os
to” e da herança de Jesus aos seus dis- fortalecia no testemunho da Boa Notí-
cípulos e discípulas. O clima é de des- cia do Reino, no amor serviçal, na luta
pedida. Jesus encoraja seu grupo de pela Justiça. É o Espírito de Jesus que
seguidores e seguidoras a permane- garante a firmeza, a audácia, a coerên-
cer firme, a resistir, alentando uma Es- cia que assume o risco na defesa e op-
perança que é própria dos que estão a ção pelos pobres, pelos últimos, pelos
caminho. Para tanto, Jesus promete o marginalizados. É o Espírito de Jesus
Espírito, o Defensor, força feminina, que sustenta o grito profético, que de-
vento que sopra, põe em movimento e nuncia as desigualdades, a explora-
anima. ção, a liquidação dos direitos e da dig-
nidade das pessoas, as forças de morte
Cantando: Quando o Espírito de Deus e a ganância de ter.
soprou, / o mundo inteiro se iluminou, / A
Esperança na terra brotou / E o povo novo Cantando: Quando o dia da paz renas-
deu-se as mãos e caminhou: // Lutar e crer, cer, / Quando o Sol da esperança brilhar, /
vencer a dor; louvar ao Criador, / Justiça e Eu vou cantar! / Quando o povo nas ruas
Paz hão de reinar e viva o Amor! sorrir / E a roseira de novo florir, / Eu vou
cantar.
3. Deus nos fala
Ler na Bíblia: João 14, 15-21. 5. Comentário do tema da reunião
Chave de leitura. Conversar (é im- L3: Na fé cristã, a espiritualidade

portante que todos/as participem): está centrada na capacidade de amar a
a) Os discípulos e as discípulas de Deus e ao próximo. Rezar e servir, a-
mar e contemplar são realidades in-
Jesus deverão naturalmente cumprir dispensáveis para o discípulo de Jesus
os seus mandamentos (v. 15). Que Cristo. A Igreja, em sua liturgia, diri-
mandamentos são estes? (Informa- gindo-se ao Pai, recorda que Jesus
ção: Em nossas bíblias, Espírito apa- sempre se mostrou cheio de miseri-
rece com os termos Paráclito, Advoga- córdia pelos pequenos e pobres, pelos
do, Defensor. Melhor seria se fosse doentes e pecadores, colocando-se ao
traduzido por Animador.) lado dos perseguidos e marginaliza-
dos. As questões sociais, a defesa da vi-
b) Este 'outro Animador' é muito da e os desafios ecológicos da atual
diferente de Jesus, ou, na prática, é o cultura urbana globalizada têm que
mesmo Jesus que vem a nós? (v. 18) ser enfrentados pelas nossas Comuni-
Informação: No Evangelho de João, dades e também pelas Igrejas particu-
mundo é o mundo da opressão, das lares. É o pilar da Caridade, que ajuda
estruturas injustas que esmagam e su- a sustentar a Comunidade.
gam a vida dos pobres, das mulheres,
dos excluídos; é o mundo da idolatria, Cantando: Quando as cercas caírem
do dinheiro, da acumulação, do poder. no chão, / Quando as mesas se encherem de
pão, / Eu vou cantar! / Quando os muros
c) Que Jesus é esse que o mundo que cercam os jardins, / destruídos, então
não vê, só os discípulos veem? (v. 19) os jasmins / vão perfumar.

d) Podemos seguir Jesus impune- L4: A justiça é fidelidade à vontade
mente? Quais as consequências de de Deus e se concretiza especialmente
sermos seus discípulos e discípulas? no compromisso com os excluídos e
(v. 21) demais marginalizados, que vivem nas
periferias. O Papa Francisco insiste
4. Refletindo um pouco mais
L2: As Comunidades que nos de- 07

ram este Evangelho passavam por mo-
mentos muito difíceis, de conflito, de

Maio / 2020

em dizer que deseja uma Igreja pobre e 6. Puxando conversa
para os pobres. Contemplar o Cristo O que nos chamou mais a atenção
sofredor na pessoa dos pobres signifi-
ca comprometer-se com todos os que no texto bíblico e nos comentários?
sofrem, buscando compreender as
causas de seus flagelos, especialmente 7. Pergunta para o Plenário
as que os jogam na exclusão. Como a nossa Comunidade está

Cantando: Vejam: Semeei consciência sendo sustentada pelo pilar da Cari-
nos caminhos do povo, pois o Pai quer assim dade?
/ Tramas, enfrentei prepotência dos que 8. Rezando a Palavra de Deus
temem o novo, qual perigo sem fim. // Por
onde formos... na Vida
a) Senhor, enviai o vosso Espírito
L5: FATO DA VIDA – Para ser fer- Santo, como nosso Advogado, para
mento na massa e sal na mesa do povo, Pa- que ele continue sempre vivo e pre-
dre José Luiz Gonzaga do Prado fez uma sente na Comunidade cristã, rezemos.
solidária opção pelos últimos, pelos des- T: Enviai-nos, Senhor, o vosso
considerados, encarnando a Boa nova de Espírito Santo!
Libertação, na vida dos desesperançados, b) Senhor, ensinai-nos a aceitar o
dos despossuídos. Provou com sua pró- vosso mandamento de amar e servir
pria vida que Evangelho é fogo que arde e todos os que precisam de nós, reze-
queima nossa tranquilidade omissa e mos.
cúmplice, que sacode nossas consciências c) Senhor, que o Espírito Santo leve
anestesiadas e que não podemos ser cris- a nossa Comunidade a firmar-se cada
tãos e suportar as injustiças de boca ca- dia mais, no pilar da Caridade, sendo
lada. Em Nova Resende (MG), organizou mais unidos entre nós, rezemos.
uma rede de comunidades donas de si, (Preces espontâneas, Pai Nosso,
autônomas. Por sua culpa, o povo apren-
deu a caminhar com suas próprias pernas, Ave Maria).
ocupando a política e arregaçando as 9. Compromissos da semana
mangas para defender seus direitos nos
sindicatos; que se articularam em torno da a) Ajudar a resolver algum conflito
economia solidária e popular; que cuida- ou desacordo na sua Comunidade;
ram de acreditar uns nos outros e na força
da união. b) Ler em casa o Evangelho do pró-
ximo Domingo: Mateus 28, 16-20.
Cantando: Vai ser tão bonito se ouvir a
canção / Cantada de novo! / No olhar da 10. Encerramento
gente, a certeza de irmãos! / Reinado do po- Avisos, Cântico, Bênção final (Pá-
vo! (2x)
gina 2). Despedida.

4ª REUNIÃO Pilar da Ação Missionária: Estado Permanente
de Missão!

Semana de 18 a 24/05/2020

1. Iniciando nosso encontro Envia teu Espírito, Senhor, / e renova a face
da terra! (6x); c) Oração inicial (Página 2);
d) Lembrar a tarefa da última reunião; e
alguma coisa boa que aconteceu durante a
semana e dizerem juntos: “O Senhor fez em
mim maravilhas!”

a) Colocar a Bíblia em local de destaque, 2. Preparando para ouvir
vela acesa; b) Cântico ao Espírito Santo: a Palavra
Leitor(a) 1: Os Santos Padres afir-
08
maram que a Palavra de Deus é ilumi-
nadora. Esta afirmação nos leva a crer

Roteiro 458

que nela existe uma luz. A Palavra tem mem pode fazer sem querer, mas crer,
o caráter de iluminação. De fato, na Bí- apenas querendo!
blia, a primeira palavra que Deus pro-
nunciou é: “Faça-se a luz. E a luz foi Cantando: Vai, vai, missionário do Se-
feita” (Gn 1, 3). Pela força da Palavra nhor! / Vai trabalhar, na messe com ardor!
pronunciada por Deus, fez-se a luz. A / Cristo também chegou para anunciar! /
criação se iluminou. Daí nasce a tarefa Não tenhas medo de evangelizar!
e missão para todo ser humano: Dei-
xar as trevas e procurar a luz! Eis a 5. Comentário do tema da reunião
missão dos discípulos de Cristo: A- L3: Pelo Batismo, nós assumimos
nunciar a luz que afugenta as trevas.
uma missão: colaborar na construção
Cantando: Sim, eu quero / Que a luz de do Reino de Deus. O Reino pertence a
Deus, que um dia em mim brilhou, / Jamais Deus, é Ele quem o constrói. Mas Ele
se esconda e não se apague em mim o seu pede e aguarda a colaboração huma-
fulgor! / Sim, eu quero / Que o meu amor a- na. Nossa missão é anunciar a Palavra
jude o meu irmão / A caminhar, guiado por e testemunhá-la. O discípulo espalha a
tua mão, / Em tua lei, em tua luz, Senhor! Palavra, sustentado pelo Espírito San-
to. Entender o momento atual, como
3. Deus nos fala hora oportuna para testemunhar.
Ler na Bíblia: Mateus 28, 16-20.
Chave de Leitura (Partilha): Cantando: Senhor, Tu me olhaste nos
a) Por que os onze discípulos foram olhos, / a sorrir, pronunciaste meu nome! /
Lá na praia, eu larguei o meu barco! / Junto
para a Galileia? a Ti, buscarei outro mar!
b) Qual foi a missão que Jesus con-
L4: A missão é intrínseca à fé cris-
fiou a eles? tã, pois, conhecer Jesus é o melhor
c) Qual a missão que Jesus confia a presente que ocorreu em nossa vida.
Se alguma coisa nos deve preocupar é
nós, hoje? que haja tantos irmãos nossos que vi-
vem sem a força, a luz e a consolação
4. Refletindo um pouco mais da amizade com Jesus Cristo, sem
L2: O Evangelho que ouvimos nos uma Comunidade de fé que os acolha.
O kerigma, ou seja, o anúncio de Jesus
fala que os onze discípulos foram para Cristo, não pode ser dado como pres-
a Galileia, e lá Jesus Ressuscitado se suposto, nem mesmo entre os mem-
encontrou com eles. Tendo nascido bros da própria Comunidade.
em Belém, Jesus mudou-se para Na-
zaré, na Galileia, onde foi criado. Era Cantando: Põe a semente na terra, não
na Galileia que morava a população será em vão! / Não te preocupe a colheita:
mais pobre e sofrida. E é no meio desse plantas para o irmão! (2x).
povo sofrido, que ele cresce e se pre-
para para a missão. É lá que seu pai a- L5: A Comunidade expressa sua
dotivo, São José, trabalhou como car- missionariedade, também quando as-
pinteiro, para manter a sua família. Ao sume os compromissos que colabo-
verem Jesus ressuscitado, os discípu- ram para garantir a dignidade do ser
los se ajoelham. Mas o Evangelho nos humano, tais como gestos de acolhida,
lembra que alguns duvidaram. A dúvi- ajuda na pobreza e na doença, amparo
da atrapalha a fé. A dúvida é inimiga na tribulação, consolação no luto, de-
da fé. Pela dúvida, a fé se enfraquece. fesa dos direitos e sêde de justiça. A
Com Deus, nós cremos para compre- Comunidade é ainda missionária,
ender; e não, compreendemos para quando se insere também nas redes
crer. Crer vem primeiro. Tomé queria sociais e no mundo dos jovens (Doc.
provas para crer. Jesus chamou a a- 109, nº 116-118).
tenção dele, dizendo: “Não sejas incré-
dulo, mas fiel! (Jo 20, 27). Santo Agos- Fato da vida: Pedro e Ana Beatriz
tinho afirma que outras coisas o ho- eram casados e tinham dois filhos. Mora-
vam perto da capela de São Sebastião.
Maio / 2020 Eram um casal unido, trabalhavam e ti-

09

nham amor aos filhos. Diziam-se católi- 7. Pergunta para o Plenário
cos, mas, mesmo próximos da igreja, não Nossa Comunidade é evangeliza-
frequentavam a Igreja. Quando havia al-
guma missão na comunidade e eram con- dora? Por quê?
vidados, sempre diziam: qualquer dia eu
vou; tenho outros compromissos, etc. Da- 8. Rezando a Palavra de Deus na
do momento, o filho mais velho começou a vida
dar certo trabalho. Passou a ser desobe-
diente. Parecia influenciado por compa- a) Senhor, fazei com que a vossa
nhias não tão boas. Mediante este fato, o Palavra encontre acolhida em nossos
casal quis conversar com o Sr. Antônio, corações! Nós vos pedimos, Senhor!
coordenador da Comunidade. Ele os ouviu
atentamente. Permaneceu calado, em ati- Todos: Que o vosso Santo Espírito
tude de escuta. No final, disse: “De nada a- nos faça missionários e missionárias
dianta vocês buscarem educar seus filhos, do Reino!
se nesta educação não se dá também a pre-
sença de Deus! Esta resposta foi forte! E, Outras Preces espontâneas... Pai
na perplexidade, perguntaram: E onde en- Nosso, Ave Maria.
contraremos Deus? Sr. Antônio respon-
deu: Procurem-no na Comunidade e tudo 9. Compromissos da semana
mais será iluminado. Atualmente, Pedro e a) Ler o texto bíblico do próximo
Ana Beatriz são da Pastoral dos Noivos e
ajudam muito os futuros casais. Toda sua Plenário: João 20, 19-23;
Família é unida, na Igreja, e são muito b) Incentivar as pessoas sobre a im-
felizes!
portância de se participar da Comu-
6. Puxando conversa nidade. Sempre que possível, partici-
Cristo enviou seus discípulos a pre- par das Celebrações Eucarísticas.

gar a Boa Nova do Reino. Nós, que so- c) Cada uma e cada um de nós aco-
mos discípulos de Jesus, como esta- lher o envio missionário de Jesus, indo
mos sendo missionários do Reino? às pessoas afastadas e convidando-as
para participarem de nossa Comu-
nidade.

10 . Encerramento
Avisos, Cântico, Bênção final (Pá-

gina 2). Despedida.

A CASA DA COMUNIDADE

Plenário:

1. Iniciando nosso Plenário presença de todos os Grupos, vamos
celebrar os ensinamentos adquiridos
a) Acolhida, ao longo deste mês. No texto bíblico de
com o abraço da hoje, os Apóstolos estão reunidos em
paz; b) Invoca- casa, quando Jesus entra e deseja a paz
ção do Espírito para todos os presentes, trazendo con-
Santo e Oração forto e coragem para aqueles que se
Inicial (Página encontravam desanimados da cami-
2); c) Lembrar o nhada. Vamos aprender que Jesus
gesto concreto nunca nos abandona e continua nos
deste mês e veri- animando para enfrentarmos os obs-
ficar como foi táculos do nosso dia a dia.
realizado pela
Comunidade. Cantando: A Vossa Palavra, Senhor, /
é sinal de interesse por nós! (Bis)
2. Escuta da Palavra de Deus
Leitor(a) 1: Hoje, em nossa Gran- Lendo na Bíblia: João 20, 19-23.
Chave de leitura:
de Celebração da Comunidade, com a
Roteiro 458
10

a) Onde os apóstolos estavam reu- tas de cada reunião. Após os grupos a-
nidos? Por que estavam com as portas presentarem o que foi refletido naque-
fechadas? le mês, o Animador do Plenário faz um
apanhado geral, ajudando os partici-
b) Por que Jesus fala duas vezes a pantes a aprofundarem o tema refleti-
frase “A paz esteja com vocês”? do.

c) Estar em paz é superar as bar- 5. Conclusão Concreta
reiras que nos impedem de ser ir- Logo depois, o Coordenador, de a-
mão(ã). Então, qual é a missão da nos-
sa Comunidade? cordo com a Comunidade, apresenta o
gesto concreto, para a Comunidade
3. Preces Comunitárias realizar, durante o próximo mês.
Espontâneas
Após uns momentos de silêncio 6. Encerramento
a) Avisos; b) Canto; c) Bênção final
meditativo, os participantes fazem
algumas preces espontâneas, pedin- (página 02); d) Sugere-se que a Comu-
do a Deus sua bênção para que a nos- nidade, tendo cada um trazido alguma
sa Comunidade realize tudo o que Ele coisa de comer e beber, faça um gesto
quer de cada um e cada uma de nós. de partilha fraterna, no final do Ple-
nário; e) Despedida.
4. Momento de Partilha
dos Grupos
Apresentar o Resumo das pergun-

LEITURAS BÍBLICAS PARA O MÊS DE MAIO DE 2020

INTENÇÕES DO SANTO PADRE, O PAPA FRANCISCO. Pela Evan-
gelização: - Pelos diáconos. Rezemos para que os diáconos, fiéis ao serviço da Pa-
lavra e dos pobres, sejam um sinal vivificante para toda a Igreja.

1. São José Operário: Gn 1, 26 – 2, 3 ou Cl 3, 14-15.17.23-24; Mt 13, 54-58. – 2.
Santo Atanásio: At 9, 31-42; Jo 6, 60-69. – 3. 4º DOMINGO DA PÁSCOA: At 2,
14a.36-41; 1Pd 2, 20b-25; Jo 10, 1-10 (Bom Pastor). – 4. At 11, 1-18; Jo 10, 11-18. – 5.
At 11, 19-26; Jo 10, 22-30. – 6. At 12, 24 – 13, 5a; Jo 12, 44-50. – 7. At 13, 13-25; Jo
13, 16-20. – 8. At 13, 26-33; Jo 14, 1-6. - 9. At 13, 44-52; Jo 14, 7-14. – 10. 5º
DOMINGO DA PÁSCOA: At 6, 1-7; 1Pd 2, 4-9; Jo 14, 1-12 (Caminho para o Pai). –
11. At 14, 5-18; Jo 14, 21-26. – 12. At 14, 19-28; Jo 14, 27-31a. – 13. Nossa Senhora de
Fátima: Is 61, 9-11; Lc 11, 27-28. – 14. São Matias, Apóstolo: At 1, 15-17.20-26; Jo 15,
9-17. – 15. At 15, 22-31; Jo 15, 12-17. – 16. At 16, 1-10; Jo 15, 18-21. – 17. 6º
DOMINGO DA PÁSCOA: At 8, 5-8.14-17; 1Pd 3, 15-18; Jo 14, 15-21 (O Espírito da
verdade). Ou leituras do 7º Domingo: At 1, 12-14; 1Pd 4, 13-16; Jo 17, 1-11a.
(Glorificação de Jesus). - 18. At 16, 11-15; Jo 15, 26 – 16, 4a. – 19. At 16, 22-34; Jo
16, 5-11. – 20. At 17, 15.22 – 18, 1; Jo 16, 12-15. – 21. At 18, 1-8; Jo 16, 16-20. – 22.
Santa Rita de Cássia: At 18, 9-18; Jo 16, 20-23a. – 23. At 18, 23-28; Jo 16, 23b-28. –
24. ASCENSÃO DO SENHOR: At 1, 1-11; Ef 1, 17-23; Mt 28, 16-20. – 25. At 19, 1-8;
Jo 16, 29-33. – 26. São Filipe Néri: At 20, 17-27; Jo 17, 1-11a. – 27. At 20, 28-38; Jo
17, 11b-19. – 28. At 22, 30; 23, 6-11; Jo 17, 20-26. – 29. At 25, 13b-21; Jo 21, 15-19. –
30. At 28, 16-20.30-31; Jo 21, 20-25. – 31. SOLENIDADE DE PENTECOSTES: At
2, 1-11; 1Cor 12, 3b-7.12-13; Jo 20, 19-23.

Maio / 2020 11

NOVENA DO ESPÍRITO SANTO

(MANUAL DA PARÓQUIA)

I - Orações Iniciais

CÂNTICO AO ESPÍRITO SANTO SEQUÊNCIA DO ESPÍRITO
D: Irmãos e irmãs, dizem os Atos dos SANTO

Apóstolos que, após a Ascensão do

Senhor Jesus, a Virgem Maria, os Após- (Pode ser rezada ou cantada)

tolos e outros discípulos ficaram em o-

ração, no Cenáculo, aguardando o Espí- 1. Espírito de Deus, / Enviai dos céus

rito Santo prometido pelo Senhor. Va- / Um raio de luz!
mos hoje rezar unidos, pedindo também 2. Vinde, Pai dos pobres, / Dai aos co-
ao Pai e ao Filho enviar-nos o seu Espí-
rito de Luz e de Amor. rações / Vossos sete dons.
3. Consolo que acalma, / Hóspede da
D: Em nome do Pai, e do Filho, e do
Espírito Santo. alma, / Doce alívio, vinde!
4. No labor descanso, / Na aflição re-
T: Amém!
D: Vinde, Espírito Santo, manso, / No calor aragem.
T: Enchei os corações dos vossos fiéis 5. Enchei, luz bendita, / Chama que
/ e acendei neles o fogo do vosso amor. /
Enviai o vosso Espírito e tudo será cria- crepita, / O íntimo de nós.
do / e renovareis a face da terra. 6. Sem a luz que acode, / Nada o ho-
D: Oremos.
T: Ó Deus, que instruístes os cora- mem pode, / Nenhum bem há nele.
ções dos vossos fiéis / com a luz do Espí- 7. Ao sujo lavai, / Ao seco regai, / Cu-
rito Santo, / fazei que apreciemos reta-
mente todas as coisas, / segundo o mes- rai o doente.
mo Espírito, / e gozemos sempre de sua 8. Dobrai o que é duro, / Guiai no es-
consolação. / Por Cristo, Senhor Nosso.
/Amém. curo, / O frio aquecei.
9. Dai à vossa Igreja / Que espera e

deseja / Vossos sete dons.
10. Dai em prêmio ao forte / Uma

santa morte, / Alegria eterna. Amém.

II - Reflexões para cada dia

1º dia: O AMOR perando suas tendências egoístas e tor-
nando-se verdadeiramente humano.
D: Em Gálatas 5, 22-23, nós encon- Ouçamos a Palavra de Deus.
tramos nove frutos do Espírito: amor, a-
legria, paz, paciência, afabilidade, bon- L2: Ler a Bíblia: 1 Coríntios 13, 1-
dade, fidelidade, mansidão e autodomí- 13.
nio. Cada dia da novena, iremos refletir
sobre um deles. Comecemos pelo amor. T: "O amor é paciente, é bondo-
so, / não tem inveja, não é orgu-
L1: O amor é o principal fruto do lhoso, / não busca seus próprios
Espírito Santo. É o afeto que une os interesses, / não se irrita, não
homens entre si e a Deus. Somente no guarda rancor."
Espírito é que o amor vai crescendo, su-
L3: Deus não nos invade. Ele respei-

12 Roteiro 458

ta a nossa liberdade. Só abrindo-se livre- paz a todos com os quais convivemos.
mente ao amor, é que a Comunidade ob- Oração pedindo os Sete Dons (pági-
terá os frutos para a plena vivência cris-
tã. na 15) e Conclusão (página 16).

Oração pedindo os Sete Dons (pági- 4° dia: A PACIÊNCIA
na 15) e Conclusão (página 16).
L1: Muitos se impacientam e se de-
2º dia: A ALEGRIA sesperam, quando as coisas não saem
como eles desejavam. Quando reconhe-
L1: A alegria é a saúde do espírito. A cemos nossa condição humana e nos a-
verdadeira alegria ultrapassa a situação brimos ao Espírito, pelo fruto da paciên-
dos instantes da vida. Pode ser encon- cia, superamos as adversidades. Tam-
trada até em pessoas que sofrem, doen- bém devemos tolerar as diferenças entre
tes nos leitos, desempregados, famintos as pessoas. O preconceito consiste numa
e mendigos na rua. A maturidade huma- forma de intolerância diante do diferen-
na e o espírito cristão se revelam quando te, exclui e trata com impaciência todos
a pessoa mantém a alegria no meio do os que sejam diferentes de si. O Espírito
sofrimento. Ouçamos a Palavra de Deus. nos incita a respeitar as diferenças
físicas e culturais.
L2: Ler na Bíblia: João 16, 12-15.
20-22. L2: A Palavra de Deus: Mateus 10,
7-10.16-20.
T: "O vosso coração se alegra-
rá, / e ninguém poderá tirar a vos- T: "Não sereis vós que falareis,
sa alegria". / mas o Espírito do vosso Pai
falará em vós!"
L3: A palavra alegria é muito ligada
ao lazer. Porém, a alegria como fruto do L3: A paciência nos leva a respeitar a
Espírito é muito mais abrangente. É marcha do tempo. Mas não podemos
uma atitude interior que vem de um co- nos conformar com o sofrimento. Deus
ração feliz. E Jesus garantiu que nos da- quer seus filhos com saúde e alegria, e
ria o Espírito da verdade e da alegria, não doentes e sofrendo. A distinção que
mesmo no meio de adversidades e obs- deve acompanhar a paciência é: mudar
táculos. Uma Comunidade cristã festiva o que pode ser mudado e aceitar o que
e acolhedora acolhe muita gente. Che- não pode ser mudado. Somente a inti-
gou a hora de colocarmos mais alegria midade com o Espírito Santo poderá nos
na vida cristã. dar esse discernimento.

Oração pedindo os Sete Dons (pági- Oração pedindo os Sete Dons (pági-
na 15) e Conclusão (página 16). na 15) e Conclusão (página 16).

3° dia: A PAZ 5° dia: A AFABILIDADE

L1: Quando pensamos em paz, en- L1: Afabilidade significa cortesia,
contramos suas raízes na justiça. Só gentileza, amabilidade, bom tratamen-
poderá haver paz, numa sociedade onde to. É um sinal de fraternidade. Sempre é
todos têm seus direitos reconhecidos e tempo para uma palavra de amizade,
estão integralmente realizados como se- para um sorriso de afeto, dirigido mes-
res humanos. A paz começa no coração, mo àqueles que parecem endurecidos. A
mas não se reduz a palavras. Ela exige gentileza depende do hábito. Além da
abertura, acolhida e reconhecimento do disciplina e da boa vontade, devemos re-
quanto o outro ser humano é sagrado. zar constantemente ao Espírito Santo,
pedindo esse fruto em nós.
L2: Ler na Bíblia: Mateus 5, 2-12.
T: "Bem-aventurados os que L2: A Palavra de Deus: Mateus 5,
promovem a paz, porque serão 43-48.
chamados filhos de Deus".
L3: O Espírito está intercedendo por T: "Sede, portanto, perfeitos,
nós, "com gemidos inefáveis", nessa ta- como o vosso Pai celeste é perfei-
refa de pacificação do mundo. Primeiro, to".
em nós mesmos e, depois, estendendo a
L3: Jesus relê os mandamentos à luz
Maio / 2020 da gratuidade e da misericórdia. Amar

13

os inimigos e orar por eles representa característica da pessoa que é guiada pe-
esta novidade por excelência. O ser hu- lo Espírito de Deus e produz os frutos
mano é filho de Deus, que faz "nascer o bons que Deus dela espera.
sol tanto sobre maus como sobre bons".
Pode-se ser gentil no trânsito, com os L2: Palavra de Deus: Mateus 25,
pedestres, em casa, no trabalho, em to- 14-23.
dos os lugares. A solidariedade começa
com esses pequenos gestos. O cultivo da T: "Quem é fiel nas pequenas
afabilidade depende de uma força coisas será fiel também nas gran-
interior, que somente o Espírito Santo des" (Lc 16, 10).
pode conceder.
L3: Ser fiel a Jesus é estar fazendo
Oração pedindo os Sete Dons (pági- produzir os talentos, os dons do Espírito
na 15) e Conclusão (página 16). Santo que recebemos. É o Espírito Santo
que nos dá a força de manter nossa fé,
6° dia: A BONDADE nossa fidelidade, nas situações favorá-
veis e desfavoráveis. A fidelidade é com-
L1: A bondade é uma virtude interior promisso pessoal e íntimo. Não é só para
que inunda todas as ações. A mais per- os outros verem. Sejamos fiéis a Jesus,
feita ilustração bíblica para a bondade é em todas as circunstâncias.
a parábola contada por Jesus, acerca de
um homem caído à beira da estrada. Por Oração pedindo os Sete Dons (pági-
ele passou uma pessoa boa. Sua bon- na 15) e Conclusão (página 16).
dade libertou-lhe do medo das conse-
quências e dos custos do seu gesto. Sua 8° dia: A MANSIDÃO
bondade livrou-lhe do sentimento de
impotência diante de um quadro tão L1: A mansidão é a disposição de
grave. Sua bondade falou mais alto que conter-se, em consequência de sermos
seus afazeres e seus compromissos. imagem e semelhança de Deus. Mansi-
dão implica força. Não tem nada a ver
L2: Palavra de Deus: Lucas 10, 30- com fraqueza ou covardia. Para alguém
37. ser manso tem que ser forte, mas usar de
ternura. Portanto, somente uma firme
T: Nossa tarefa, como seres ha- disposição interior pode produzir em
bitados pelo Espírito Santo, é en- nós este fruto do Espírito Santo. A man-
cher a terra de bondade. sidão é uma virtude difícil de ser vivida,
mas que nos traz saúde e alegria.
L3: Se não o fizermos, o mundo não
terá como ver a bondade de Deus. A bon- L2: Palavra de Deus: Mateus 21, 1-
dade e a misericórdia andam de mãos 7.12-17.
dadas. Elas nos movem a identificar o
nosso próximo. "E quem é o meu pró- T: "Bem-aventurados os man-
ximo?" É justamente aquele que surge sos, porque possuirão a terra" (Mt
diante de mim e precisa de minha bon- 5, 5).
dade. O Espírito de Deus é fonte de toda
bondade. Que, em nossos esforços diá- L3: Jesus tinha mansidão no seu co-
rios, alcancemos o fruto da bondade, ração. Mas seu espírito de paz não era
que reflete a própria misericórdia divi- espírito de conformismo com a injusti-
na. ça. Ele entrou em Jerusalém, montado
num jumentinho. Mostrou seu jeito
Oração pedindo os Sete Dons (pági- manso de ser. Os saduceus exploravam
na 15) e Conclusão (página 16). o comércio do templo. Os pobres eram
desprezados. Jesus era de paz e queria a
7° dia: A FIDELIDADE paz. Por isso, Ele se revoltou contra
aquela situação de violência. Existe um
L1: A fidelidade é a qualidade que equilíbrio entre mansidão e profetismo.
torna a pessoa confiável, uma pessoa fiel
em todas as áreas de sua vida, como o Oração pedindo os Sete Dons (pági-
servo fiel de que Jesus fala. Ser fiel à fa- na 15) e Conclusão (página 16).
mília, a Deus, ao trabalho, à Igreja, à vo-
cação que Deus nos tem dado. Ser fiel é 9° dia: O AUTODOMÍNIO

14 L1: O autodomínio ou domínio de si
mesmo é fruto do Espírito Santo em nós.

Roteiro 458

Autodomínio é também a temperança, a ra anunciar a Boa Nova aos po-
pureza ou castidade. É não revidar a bres; enviou-me para proclamar
ofensa. Baseia-se no autocontrole e na a libertação aos presos e, aos ce-
moderação daqueles que vivem segundo gos, a recuperação da vista; para
a fé em Cristo. É consequência da vida libertar os oprimidos; e para pro-
no Espírito. Estamos nos aproximando clamar um ano de graça do Se-
da festa de Pentecostes. A vivência de nhor" (Lc 4, 18-19).
Pentecostes deve nos converter em no-
vas criaturas. Muitas vezes aconteceu L3: O Espírito Santo nos faça discí-
esta experiência do Espírito na cami- pulos missionários de Jesus! Assim co-
nhada da Igreja. Ele desce sobre nós. Ca- mo o Espírito impulsionou os Apóstolos
da pessoa é uma presença viva do Espí- à missão, que nós também saiamos de
rito entre nós. nosso comodismo e espalhemos a boa
notícia de Jesus, por toda a terra. E tes-
L2: Palavra de Deus: Atos dos A- temunhemos, com gestos e ações, a fé
póstolos 2, 1-13. que professamos no Senhor Jesus.
Amém.
T: "O Espírito do Senhor está (Oração pedindo os Sete Dons, abaixo)
sobre mim, porque me ungiu, pa-

III - Oração pedindo os Sete Dons

Cantando: Envia teu Espírito, sas a sábios e entendidos, e as revelaste
Senhor, / E renova a face da terra! aos pequeninos (Mt 11, 25).
(Bis)
Cantando: Envia teu Espírito,
D: Peçamos ao Pai o DOM DA Senhor, / E renova a face da terra!
SABEDORlA.
D: Peçamos ao Pai o DOM DO CON-
Cantando: "Senhor, vem dar- SELHO.
nos Sabedoria, / Que faz ter tudo
como Deus quis". Cantando: "Dá-nos, Senhor, o
teu Conselho, / Que nos faz sábios
D: Ó Deus Pai, mandai sobre nós o para guiar".
vosso Espírito Santo, com o Dom da Sa-
bedoria para que possamos penetrar um D: Ó Deus Pai, mandai sobre nós o
pouco nos segredos da vossa vida divina vosso Espírito Santo, com o Dom do
e do vosso infinito Amor. E assim, ter- Conselho, para que, nas horas difíceis e
mos gosto por tudo o que é vosso, sabo- nas encruzilhadas da vida, a gente es-
reando o prazer de vos amar e ser por colha com acerto o melhor caminho pa-
vós amado. Que todos nós possamos di- ra fazermos a vossa vontade. Ponde em
zer e sentir com São Paulo: "Bendito seja nossa boca as palavras certas, nas horas
Deus, Pai de Nosso Senhor Jesus Cris- de aflição nossa ou dos irmãos, realizan-
to!" (Ef 1, 3). do assim a promessa de Jesus, quando
disse: "Naquele momento vos será indi-
Cantando: Envia teu Espírito, cado o que deveis falar" (Mt 10, 19).
Senhor, /E renova a face da terra!
Cantando: Envia teu Espírito,
D: Peçamos ao Pai o DOM DO EN- Senhor, / E renova a face da terra!
TENDIMENTO.
D: Peçamos ao Pai o DOM DA FOR-
Cantando: "Dá-nos, Senhor, o TALEZA.
Entendimento, / Que tudo ajuda a
compreender. Cantando: "Senhor, vem dar-
nos a Fortaleza, / A santa força do
D: O Deus Pai, mandai sobre nós o coração".
vosso Espírito Santo, com o Dom do En-
tendimento, para que a gente entenda D: Ó Deus Pai, mandai sobre nós o
melhor todas as verdades da nossa santa vosso Espírito Santo, com o Dom da
religião. E assim, sejamos do número Fortaleza, para que, com essa força di-
daqueles pequeninos, de quem Jesus vina, a gente possa vencer todos os so-
disse: "Graças te dou Pai, Senhor do céu frimentos, doenças, perseguições e difi-
e da terra, porque escondeste estas coi- culdades da vida, e fugir de todos os pe-
rigos. Dai-nos, Senhor, a graça de tam-
Maio / 2020
15

bém nós, no meio das lutas, podermos D: Ó Deus Pai, mandai sobre nós o
dizer com segurança, com muita paz, e vosso Espírito Santo, com o Dom da Pie-
até com alegria, a palavra de vosso A- dade, para que tenhamos por vós aquele
póstolo Paulo: "Tudo posso naquele que amor de filhos, e tratemos com muito ca-
me conforta" (Fl4, 13). rinho e devoção tudo o que se relaciona
convosco. Que a nossa oração seja um
Cantando: Envia teu Espírito, encontro amoroso convosco, ó Pai, co-
Senhor, / E renova a face da terra! mo nos disse o vosso Apóstolo Paulo:
"Recebestes o Espírito de filhos adoti-
D: Peçamos ao Pai o DOM DA CIÊN- vos, pelo qual clamamos: Abbá, Pai!"
CIA. (Rm 8, 15).

Cantando: "Senhor, vem dar- Cantando: Envia teu Espírito,
nos divina Ciência! / Que como o Senhor, / E renova a face da terra!
Eterno faz ver sem véus".
D: Peçamos ao Pai o DOM DO
D: Ó Deus Pai, mandai sobre nós o TEMOR DE DEUS.
vosso Espírito Santo, com o Dom da Ci-
ência, para que a gente sempre dê o seu Cantando: "Dá-nos, enfim, Te-
devido valor às coisas criadas, desco- mor sublime / De não amá-lo co-
brindo em todas elas os sinais do vosso mo convém".
amor. Como Jesus nos mandou contem-
plar os lírios do campo, olhar os passari- D: Ó Deus Pai, mandai sobre nós o
nhos, e observar os sinais do tempo, as- vosso Espírito Santo, com o Dom do Te-
sim, Senhor, com o vosso Espírito San- mor de Deus, para que tenhamos horror
to, vamos descobrir, tanto nas coisas co- do pecado e de tudo o que pode nos
mo nas pessoas, a vossa mão de Pai que afastar de vós, pois vós sois o único bem
nos ama. verdadeiro. Lembrados de que "O temor
de Deus é o início do seu amor" (Eclo 25,
Cantando: Envia teu Espírito, 16), nós vos pedimos este dom do vosso
Senhor, / E renova a face da terra! Espírito, para nunca vos causar nenhum
desgosto, ó Pai querido. Amém.
D: Peçamos ao Pai o DOM DA PIE-
DADE. Cantando: Envia teu Espírito,
Senhor, / E renova a face da terra!
Cantando: "Dá-nos, Senhor, fi-
lial Piedade, / A doce forma de a-
mar, enfim".

IV - Conclusão

D: Cheios dos Dons divinos, vamos nosso Modelo de vida cristã, cheia do
dirigir-nos ao Pai, sabendo com toda Espírito de Jesus Cristo!
certeza que o Espírito Santo está inter-
cedendo por nós, "com gemidos inefá- T: Ave Maria...
veis" (Rm 8, 26). D: Desça sobre nós a bênção de Deus
Todo-Poderoso, Pai, Filho e Espírito
T: Pai nosso... Santo.
D: Saudemos enfim aquela que é a T: Amém.
Esposa do Espírito Santo, nossa Mãe, CANTO FINAL.

63 Revista “Diretrizes” (com seu suplemento “Roteiro”): R$90,00.
16 “Roteiro”: R$32,00 (para assinar só o Roteiro, o mínimo é de

20 assinaturas para o mesmo endereço).

De 20 a 49 (cada).......................................................................................R$ 32,00
De 50 a 99 (cada).......................................................................................R$ 30,00
De 100 a 299 (cada)...................................................................................R$ 28,00
De 300 a 499 (cada)...................................................................................R$ 25,00
De 500 a 999 (cada)...................................................................................R$22,00
De 1.000 a 4.999 (cada).............................................................................R$20,00


Click to View FlipBook Version
Previous Book
My Ramadan Busy Book
Next Book
BPS 2020