The words you are searching are inside this book. To get more targeted content, please make full-text search by clicking here.
Discover the best professional documents and content resources in AnyFlip Document Base.
Search
Published by quarteira.vilamoura.aeqv, 2018-12-18 11:11:44

boletim aeqv dez2018

boletim aeqv dez2018

Boletim do Empresário

Volume 1, Edição X Dezembro 2018

Mensagem de Natal 2018

O Natal é tradicionalmente um tempo associadas e também da comunidade,

de família, de calor humano e de confor- tentando assim contribuir para melhorar

to. a realidade dos colaboradores das nossas

Neste Natal de 2018, enquanto mem- empresas, das instituições que envolvem

bros da Direção das Associação dos Em- a nossa comunidade, a nossa Freguesia e

presários de Quarteira e Vilamoura, cabe o nosso Concelho. Esperamos com este

-nos obviamente fazer votos de que esta compromisso colaborar para uma socie-

época seja vivida com união, tranquilida- dade mais equilibrada, mais justa e mais

de, harmonia e paz! Que seja a renova- produtiva.

ção de um ano em que este estado per- Gratos por toda a confiança e colabora-

dure. ção aplicadas ao trabalho deste ano, faze-

Aproveitamos assim para fortalecer este mos votos de um 2019 repleto de opor-

espírito de ajuda, amizade e solidarieda- tunidades, desafios, investimentos pesso-

de que caracteriza a quadra natalícia, pa- ais e profissionais.

Mensagem de Natal ra com todos os associados, parceiros A Direção da Associação dos
p.1 institucionais e colaboradores da AEQV. Empresários de Quarteira e Vilamoura

Protocolo AEQV– Colocamo-nos ao serviço das empresas
Águas do Algarve S.A.
p.2

Livro de Reclamações
Eletrónico p.5

Página 2 Boletim do Empresário

casa) que o desperdício é maior. Neste sentido, iniciou conversa-

Face à realidade apresentada, 2016 ções com o Município de Loulé,
no foi ao ano de viragem no combate com trabalho já feito neste âmbito,
Intervir ao desperdício alimentar, com a com a campanha Desperdício
criação da Comissão Nacional, que Zero, com as expectativas de
Desperdício veio marcar como objetivos a defi- aproximar as empresas do setor
nição de medidas nacionais que alimentar ao projeto, potenciando
Alimentar: Um visem combater este problema, a canalização de perdas e exceden-
realização de um diagnóstico sobre te alimentar para doação a entida-
Compromisso o desperdício alimentar, bem co- des do setor social. Por outro la-
mo, sistematização das metodolo- do, é nossa expetativa, no que res-
gias existentes e as iniciativas de- peita à restauração e hotelaria,
de TODOS! senvolvidas, quer a nível nacional, contribuir para a capacitação de

quer a nível internacional, sobre profissionais deste setor para a
esta temática. Compete ainda à valorização de produtos alimenta-

CNCDA identificar as boas práti- res, através da difusão de boas
cas existentes a nível nacional e práticas dos seus pares.
Em atividade desde 2016, a Comis- internacional no âmbito do comba- O Seu Papel nesta intervenção
são Nacional de Combate ao Des- te ao desperdício alimentar; pro- será a chave do Sucesso! Conta-
perdício Alimentar surge por Des- mover o envolvimento de entida- mos com o Esforço de todos na
pacho do Conselho de Ministros, des da sociedade civil com iniciati- luta contra o Desperdício.
(14202-B/2016, https://dre.pt/web/ vas desenvolvidas neste âmbito;
guest/pesquisa/-/ promover a criação e o desenvol- Para mais informações: http://
search/105263193/details/normal? vimento de uma plataforma eletró-
p_p_auth=3YZnb7nS) na sequên- nica que assegure a gestão interati- www.dontwaste.eu/?lang=pt-pt;
cia de um movimento à escala va dos bens alimentares com risco http://www.cm-loule.pt/pt/
mundial sustentado com base em de desperdício; propor medidas de
alguns dados absolutamente cho- redução do desperdício alimentar noticias/14517/movimento-zero-
cantes. que integrem objetivos de seguran-
Mais de Um Terço dos alimentos ça alimentar, educação escolar, desperdicio-recupera-cerca-de-400
produzidos a nível Mundial perde- -refeicoes-no-festival-med-
se ou é desperdiçado entre o saúde pública, combate à pobreza
local de produção e o consumo e de boas práticas na produção, na 2018.aspx
humano. Na União Europeia, cerca indústria agroalimentar, na distri-
de 100 milhões de toneladas de buição e no consumo.
alimentos são desperdiçados todos Assumindo-se como parte inte-
os anos, com significativas conse- grante a responsabilidade da socie-
quências a nível económico, social dade civil, dos empresários, seus
e ambiental. Atenta a considerável trabalhadores e respetivas famílias,
dimensão desta realidade, o com- a AEQV pretende juntar-se a este
bate ao desperdício alimentar movimento, intervindo no comba-
constitui um dos mais prementes te ao desperdício alimentar.

desafios da sociedade atual, ao qual

urge dar resposta. Atualmente, em
Portugal, por ano, estima-se que o

desperdício alimentar represente
17% de produção alimentar, num

valor aproximado a 1 milhão de
TONELDAS! Nos vários interveni-

entes de toda a cadeia alimentar,
são nas etapas de produção e ar-

mazenamento, bem como no con-
sumo das famílias (dentro e fora de

Volume 1, Edição X Página 3

Protocolo de Cooperação AEQV | Águas do Algarve

A Associação dos Empresários de Quarteira e Vila- traduzindo a confiança nas estruturas de abasteci-

moura e a Águas do Algarve SA, assinaram a 23 de mento do município e a excelência da água. Contan-

novembro um Protocolo de Cooperação, com vista do com o apoio da autarquia, a AEQV pretende

a aproveitar as potencialidades de ambas as institui- alargar o escopo do projecto às escolas e institui-

ções e a desenvolver uma colaboração institucional ções de solidariedade social, no sentido de sensibili-

que explore e promova sinergias entre as duas enti- zar a comunidade local para a valorização da água

dades, contribuindo para a partilha de conhecimen- potável, nomeadamente pelo reduzido valor e fácil

to e desenvolvimento do concelho de Loulé. acesso, além da temática da redução do uso dos

Em particular, este protocolo tem como objectivo plásticos, condição privilegiada para a manutenção

promover o consumo de água da rede pública, da qualidade de vida na região.

nº 6. Esta empresa integra os

corpos socias da Associação de

A Qtur Alojamentos, sita na rua Egas Moniz Edif. ESmãopresários de Quarteira e
Brás R/c dto 8125-211 Quarteira, é gerida por JVoisléamoura, desempenhando o
João Guerreiro e Vânia Guerreiro. Esta empresa, cosnesu- representante a função de
tituída em 2005 conta com 6 colaboradores queViscee Presidente da Assembleia
Geral, da Associação.
dedicam à atividade imobiliária.

Inicialmente, aquando a sua constituição, começou a
sua atividade comercial com a compra e venda de imó-

Estacionamento Gratuito em Vilamouraveis, tendo alterado mais tarde o seu pacto social, em

2012, para gestão, administração e arrendamento de
imóveis, alojamento local e exploração de estabeleci-

mAsesoAnotceopissaadtrdaatecidriroaednsAetaaEmu1QreaVdçneãdtooeDseedebemzeeobmVuidtibualasrbm.orooeduearta2é0sa1eo2r,áféignoraalstóducaiitooPáesnctorae,
as 15h de sábado e até ao final de domingo, de for-
ma a garantir maior acessibilidade ao centro de
Vilamoura. Esta alteração, alcançada pela colabora-
ção da Inframoura e da Câmara Municipal de Loulé,
vem responder à solicitação dos empresários de

Vilamoura em matéria de estacionamento.

Página 4

Página 4

ARTIGO DE OPINIÃO
COACHING EMPRESARIAL

Qual a utilidade do Co- em conjunto estudar esses ingredien- empresas, tornando o trabalho mais
tes para dar continuidade aos objecti- produtivo! Primeiro sente-se a quali-
aching Empresarial? dade do trabalho e de seguida a rendi-
vos estabelecidos. bilidade da empresa. Os processos
Hoje em dia fala-se muito sobre Co- Chegar mais LONGE e de uma forma vão ganhando consistência e a máqui-
aching! A origem do termo vem do PLANEADA é possível apenas com na fica mais oleada, gerando-se maior
desporto, onde ter um Coach significa produtividade e maior liberdade para
ter um Treinador que puxa pelos seus alguma organização e vontade!
atletas ou Equipa e que os leva a supe- Nos Programas de Coaching que esta- o empresário.
rarem altos níveis de performance ou beleço com os meus clientes inicia- O equilíbrio pessoal e o equilíbrio
mos sempre com um Diagnóstico
desempenho! Empresarial, para avaliarmos os desafi-
No Coaching Empresarial não difere os dos Empresários e as metas que empresarial ficam alinhados.
muito o Plano de trabalho de uma Mas como é obvio o trabalho vai ser
forma genérica! Os atletas são substi- pretendem alcançar na Empresa. realizado pelo empresário e a sua
tuídos pelos empresários e o trabalho Depois de estudarmos qual o Progra- equipa e orientado pelo Coach! Estan-
com os mesmos e a suas Equipas tam- ma que melhor se adapta às suas ne- do o Coach sempre atento à correc-
bém requere treino, alinhamento e cessidades, inicia-se o processo de ção da rota necessária e que ganhem
prática no uso de determinadas ferra- Coaching com uma Reunião de Ali- o foco preciso. Este é um TRABA-
mentas. Mas estas são vocacionadas nhamento, onde se alinham objectivos
para o aumento da rendibilidade dos do Empresário com a Empresa e a LHO de EQUIPA!
Equipa e onde se liga esse trabalho ao Nestes 8 anos como Coach Empresa-
Negócios. Programa de Coaching escolhido. rial, já vi Empresas ultrapassarem ní-
Existem necessidades constantes por veis de produção que não acreditavam
preencher da parte do Empresário, Depois deste passo dado, vem a cons- ser capazes de alcançar! Com alguma
quer ao nível do Planeamento Estraté- trução do 1º Plano a 90 Dias, orienta- organização, método e motivação,
gico, Produtividade das Equipas, de- do igualmente para desenvolver-se todos os Empresários podem atingir
senvolvimento da área Comercial, acções concretas na obtenção dos
estratégias de Marketing ou Comuni- resultados desejados. Este é um Plano as suas METAS!
cação, enfim, da sistematização do Trimestral, mas orientado no decurso E o nosso Algarve pode CHE-
dos objectivos anuais que a Empresa GAR + LONGE, produzindo + e
Negócio! tem delineado.
É aí que entra o Coach Empresarial Esta é uma forma de Coaching Indivi- MELHOR!
como uma peça que vai articular e dual para o Empresário! Podendo Qualquer pergunta, estarei disponível
interligar todos estes departamentos existir o complemento do Coaching
da empresa e alinhar os objectivos do de Grupo com uma Academia de Ne- para responder, através do email:
Empresário e da Equipa com uma vi- Convido-os a visitarem a minha página
onde podem obter mais informações:
são mais estruturada. gócios, onde é dada formação no âm- https://
Actualmente ter um Coach Empresa- bito dos Negócios. Pode também www.actioncoachportugal.pt/helder
rial não é um luxo, é um suporte efec- acontecer a necessidade de construir
tivo para satisfazer determinadas ne- uma Academia Interna, onde a equipa -goncalves
cessidades emergentes na empresa! É recebe coaching e formação específi- Continuação de uma EXCELENTE
alguém de fora que está ao lado do
empresário e disposto a ouvi-lo, a ca. semana com EXCELENTES Negócios!
orientá-lo incondicionalmente, procu- Todos os Programas de Coaching são Votos de 1 MAGNÍFICO 2019!
rando reeducá-lo com o fim de atingir desenvolvidos segundo as necessida-
os seus objectivos, facilitando todo o des reais e adaptados aos objectivos e
metas pretendidos. Cada Empresa e
processo. Empresários são únicos, mas o Co-
Muitas vezes o Empresário sente-se aching é transversal como ferramenta
perdido e desmotivado! Já sentiu isso
algumas vezes no decurso da sua acti- de trabalho.
O tempo de duração de cada Progra-
vidade?
É natural, que por vezes todos nós ma é igualmente adaptado, mas haven- Helder Gonçalves
necessitemos de uma “injecção” extra do sempre um mínimo considerado Business & Executive Coach da Action-
com os ingredientes certos para recu- eficaz. A cada conjunto de metas al-
perar energias e encontrar soluções cançadas podem estabelecer-se outro COACH
práticas para os nossos desafios diá-
rios! No Coaching Empresarial, essas conjunto para alcançar.
injecções são semanais e procuramos Posso referir que ao fim de 4 meses já
existem mudanças significativas nas

Página 5

Página 4

- EM DESTAQUE PARA O EMPRESÁRIO –
Livro de Reclamações Electrónico

ASSOCIAÇÃO DE
EMPREÁRIOS DE

QUARTEIRA E
VILAMOURA

R. D. João V - CC Miravila - Desde 1 de Julho de 2017 que passou a existir o Em caso de dúvida, ou alguma dificuldade
loja 4 formato eletrónico do Livro de Reclamações vigen-
te em Portugal. Passou a ser possível os consu- devem contactar a linha de atendimento do
8125-207 Quarteira midores e utentes poderem reclamar LRE n.º 217 810 875
sobre mais setores no formato eletró- O Fornecedor de bens/prestador de servi-
Tel/Fax: 289 312 698 ços deve proceder ao registo na plataforma,
Correio electrónico: nico do Livro de Reclamações.
[email protected]

.com

Os agentes económicos fiscalizados pela para tal deverá Selecionar a “Entidade Re-
ASAE terão entre 1 de Julho de 2018 e 1 de guladora/Fiscalizadora” e o setor de ativida-
Julho de 2019, um período de adesão ao de através da escolha do respetivo (s) CAE
Livro de Reclamações Eletrónico, para que (s). E preencher os campos obrigatórios
estes consigam adaptar-se de forma eficaz e com os respetivos dados; Aceder ao portal
segura. através do endereço , carregar em
O Livro de Reclamações Eletrónico está “registar”; Aceder novamente à plataforma
acessível em https:// através do endereço , inserindo o e-
mail de login e a password rececionados no e
www.livroreclamacoes.pt/inicio
Os operadores económicos no âmbito -mail indicado aquando o registo.
das atividades de hotelaria, O agente económico de bens/prestador de
das agências de viagens e turismo e da serviços é obrigado a possuir o formato
grande distribuição já se encontram inse- eletrónico do livro de reclamações, deven-
ridos na Plataforma do Livro de Reclama- do divulgá-lo no respetivo sítio na Internet,
em local visível e de forma destacada. Deve
ções Eletrónico. responder ao consumidor no prazo de 15

dias úteis.

Estamos no Facebook: Aeqv
Associação Empresários

Cartoon de Luís Afonso


Click to View FlipBook Version
Previous Book
January 18
Next Book
JORNAL COMUNICAR