The words you are searching are inside this book. To get more targeted content, please make full-text search by clicking here.

Revista Mercados & Estratégias, Edição 24, Abril de 2017

Discover the best professional documents and content resources in AnyFlip Document Base.
Search
Published by Revista Mercados & Estratégias, 2017-03-31 13:28:56

Revista Mercados & Estratégias - Edição 24 - Abril de 2017

Revista Mercados & Estratégias, Edição 24, Abril de 2017

Expansão de
negócios do
Brasil para

Portugal

Entrevistamos Tom Ricetti,
CEO da Pão To Go, rede
brasileira de padarias

drive-thru atualmente em

expansão para Portugal

Portuguesa Mota-Engil
construirá porto e linha de

ferro em Moçambique

Consórcio luso-chinês ganhou
concurso para obra que criará novo
corredor para o carvão de Moatize

A situação atual da
econnomia da

Guiné Equatorial

Apresentamos 13 gráficos e
mapas que resumem o

cenário econômico atual


SUMÁRIO Mercados & Estratégias

Entrevista

Página 5
Tom Ricetti,
CEO da PãoToGo.

País

Página 13
A evolução recente dos indicadores econômicos, sociais,
políticos e empresariais na Guiné Equatorial.

Notícias

Página 23
Investimentos, anúncios, acordos e estímulos aos
negócios na CPLP.

Estatísticas

Página 27
Exportações, Importações, Investimentos, Taxas de
Juros, Inflação e Câmbio na CPLP.

Links Úteis

Página 36

3


Crises e Negócios

EDITORIAL Transforme limões em limonada. Ficha Técnica
Esse e muitos outros discursos são
frequentemente utilizados em Revista
momentos de dificuldades. No entanto, Mercados & Estratégias
apesar de serem muito criativos, esses
dizeres comumente geram apenas Editor-Chefe
alguns sorrisos, mas raramente levam a Pedro Nogueira
ações mais concretas para aproveitar as pnogueira@mercadoseestrategias.com
oportunidades em época de crise.
Redação
Com o objetivo de ajudar nessa redacao@mercadoseestrategias.com
inspiração, cito aqui um grande
exemplo de caso de sucesso Patrocínio e Publicidade
empresarial a partir de recessões patrocinio@mercadoseestrategias.com
econômicas. Em 1837, a economia dos
Estados Unidos enfrentava uma grave Colaboraram neste número
crise, com altos índices inflacionários e Diego Pudo, Gabrieli Gaio,
frequentes falências empresariais.
Diante da dificuldade de acesso da José Villa Cardoso, Tom Ricetti.
população a produtos básicos, um
fabricante de velas juntou seus Imagens
negócios a um produtor de sabão e Arquivo M&E,
passaram para vender esses bens de Divulgação Pão To Go,
porta em porta. A empresa que criaram Guinea Equatorial Press.
então se chama Procter & Gamble e
hoje é uma das maiores do mundo.

Como algumas das maiores As opiniões expressas nos artigos
economias de Língua Portuguesa publicados são da responsabilidade dos
passam hoje por crises, é essencial que seus autores e não necessariamente da
os empreendedores da CPLP procurem Revista Mercados & Estratégias ou de
novas oportunidades criadas por esses sua equipe. A aceitação de publicidade
cenários ao invés de desistir dos seus pela Revista Mercados & Estratégias não
negócios. Esperamos que esta e as implica qualquer compromisso por parte
demais edições da Mercados &
Estratégias ajudem nessa busca. desta com os produtos e/ou serviços
visados. A Revista Mercados &
Pedro Nogueira, Editor-Chefe.
Estratégias não se responsabiliza por
decisões baseadas nas informações
contidas na revista. Toda transcrição ou
reprodução da revista, parcial ou total, é
autorizada, desde que citada a fonte.


ENTREVISTA Mercados & Estratégias

Tom Ricetti,

CEO da Pão To Go

Padarias drive-thru. Essa inovadora ideia levou à criação da Pão
To Go, a primeira rede do Brasil de restaurantes que vendem de forma
rápida e prática produtos que 90% dos brasileiros consomem todos os
dias. Fundada em 2013 no interior do estado de São Paulo, a Pão To
Go já conta atualmente com mais de 20 franquias ao redor do Brasil,
sucesso que atraiu o interesse de diversos investidores com propostas
de expansão para outros países. Em junho de 2016, apenas três anos
depois de sua fundação, a empresa anunciou a abertura da sua
primeira franquia fora do Brasil, que será localizada em Portugal. A
rede planeja um investimento de peso no país europeu, onde planeja
contar com 90 pontos de venda em cinco anos.

Diante desse cenário, a Mercados & Estratégias conversou com o
fundador e CEO da Pão To Go, Tom Ricetti, para saber mais sobre as
estratégias, os motivos, os desafios e os aprendizados do empresário

durante a expansão de seu negócio para o mercado português. Le5ia

mais nas páginas seguintes.


Mercados & Estratégias colo meu filho, que na época tinha dois
anos. O supermercado estava lotado,
Como surgiu a inovadora tive que entrar em filas para tudo e
ainda lidar com meu filho pedindo pra
ideia da Pão To Go? comprar de tudo. Em resumo: demorei
uma hora e quinze minutos para
A ideia da Pão To Go surgiu no final de comprar 7 pãezinhos. Foi aí que me
2012, mais precisamente no dia 23 de perguntei por que não existia um drive-
dezembro de 2012. Eu estava com meu thru com produtos do dia-a-dia. E
filho e meu cachorro na casa da minha surgiu a Pão To Go!
mãe em São Carlos, cidade no interior
do estado de São Paulo, quando minha Quais motivos levaram a empresa
esposa me ligou pedindo para levar pão
quando eu voltasse pra casa. Como era a decidir que estava no momento
final de tarde da antevéspera de Natal,
as padarias da cidade estavam lotadas e, certo para se internacionalizar?
portanto, não achei lugar para deixar
meu carro próximo a nenhuma delas. Na realidade, a Pão To Go teve, desde o
Precisava estacionar perto porque estava começo, muita procura de interessados
chovendo e o Risotto (meu cachorro) ia pelo negócio. Principalmente pelo fato
ficar no carro. Depois de muita procura, de ser uma franquia inovadora que, de
achei uma vaga na frente de um uma maneira muito mais cômoda e
Supermercado Extra. Lá fui levando no

6

A Pão To Go vende produtos que 90% dos brasileiros consomem todos os dias. Foto: Divulgação Pão To Go.


Mercados & Estratégias

Fundada em 2013, a Pão To Go já conta atualmente com mais de 20 franquias. Foto: Divulgação Pão To Go.

rápida do que a tradicional, vende A franquia é uma das mais
produtos que 90% dos brasileiros
consomem todos os dias. Esses populares estratégias para as
interessados incluíam não apenas
brasileiros, mas estrangeiros também. empresas expandirem para outros
Além desse contexto, a economia no
Brasil ficou um pouco complicada nos países. Na sua opinião, qual a
últimos anos e, portanto, decidimos
partir para outros mercados, começando principal vantagem dessa opção?
por Portugal e Estados Unidos. O
principal motivo para a expansão Acredito que a principal vantagem do
internacional nesse momento, no franquiamento é a possibilidade do
entanto, foi o fato de conseguirmos rápido crescimento. Essa estratégia
encontrar um ótimo parceiro em pode mais rapidamente tornar a marca
Portugal para comandar a operação: conhecida e gerar ganhos na escala nas
nosso Master Franqueado, Roberto compras.
Tambone.
Por quais razões escolheram

expandir para Portugal?

Além da facilidade de comunicação por
causa do mesmo idioma, já
trabalhávamos com fornecedores

7


Mercados & Estratégias espaços, porém queríamos começar em
Portugal com o modelo drive-thru.
provenientes de Portugal. Outro aspecto
que faz esse mercado muito atrativo é o Qual a estratégia da Pão To Go
costume do consumo de pães.
para encontrar os parceiros e
Por outro lado, quais os maiores
fornecedores certos em Portugal?
obstáculos já enfrentaram na
Contamos com uma consultoria que dá
expansão para esse país? todo o apoio para nossa operação em
Portugal. Eles já possuem conhecimento
O maior desafio é conseguir pontos para na área e estão dando todo o suporte
o nosso modelo drive-thru, para o qual necessário para encontrarmos os
precisamos de um terreno com um parceiros e fornecedores certos. Já há
pouco mais de espaço. Atualmente, uma boa quantidade de interessados
trabalhamos no Brasil com quatro com os quais estamos conversando.
modelos de operação, que são o drive-
thru, o express (cafeteria de rua), o Quais as principais diferenças
quiosque (normalmente instalado sem
aeroportos, rodoviárias e shoppings) e entre as franquias da Pão To Go no
as padarias de conveniência (instaladas
em postos de gasolina). Para os outros Brasil e em Portugal?
modelos é bem mais fácil conseguir bons

8


Mercados & Estratégias

Somente em Portugal, a Pão To Go planeja contar com 90 pontos de venda em cinco anos. Foto: Divulgação Pão To Go.

A principal diferença é a gama de de venda nesse país em um período de
produtos comercializados nos dois cinco anos.
países. Por outro lado, contamos com
alguns produtos que são Já foram anunciadas negociações
“brasileiríssimos” e apostamos que
serão sucesso em Portugal, como o Pão para abrir franquias da Pão To Go
Delícia, que é um segredo do Nordeste
do Brasil e, como o nome indica, é uma em Angola e Macau. Qual a
delícia! Também estamos fazendo o
caminho inverso ao trazer produtos de situação atual dessas possíveis
Portugal para o mercado brasileiro,
como o pastel de nata e o pastel de expansões?
bacalhau.
As negociações para esses países ainda
Quais são os planos da Pão To Go não evoluíram. Buscamos os parceiros
certos e continuamos a procurar.
para o seu futuro em Portugal? Mesmo assim, acreditamos muito nos
dois mercados.
Nós sempre temos planos grandiosos.
Esperamos crescer a passos largos no A Pão To Go estuda expandir para
mercado de Portugal e, assim sendo,
contamos alcançar a marca de 90 pontos outros mercados da CPLP?

Sempre olhamos com carinho para
lugares que falam a nossa língua.
Podemos conversar melhor a qualquer
momento.

9


MercadosC&oEmstoraitnégtiearsnacionalizar sua empresa

O que fazer e não fazer para vender, exportar e ter negócios
com outros mercados, em particular na CPLP

Na internacionalização, muitas empresas criar as melhores condições para tal.
apostam na estratégia do “toca e foge”. Embarcar em um processo de
Estabelecem um primeiro contato (através de internacionalização é um passo determinante
uma feira ou evento particular), apostam em na história de uma empresa. Envolve um
apenas meia dúzia de contatos, mas fazem- conjunto infindável de ferramentas, métodos
no à distância e desaparecem para nunca e técnicas e inúmeras variáveis a considerar.
mais serem vistas. A entrada num novo
mercado baseia-se na confiança. “Toca e É um outro patamar, com novas regras,
foge” é tudo menos confiança. exigências e características. Significa
enfrentar novos desafios, dar resposta a
Estabelecer uma imagem positiva no novas exigências. Implica uma estrutura
mercado é essencial. Criar relacionamentos sólida, um posicionamento bem definido,
próximos, demonstrar empenho, gerar uma estratégia coesa, uma imagem excelente,
segurança e confiança. Depois de iniciada a e isso só para começar.
relação é preciso fazê-la funcionar. Manter
uma comunicação continuada, sistemática, Tem os seus desafios, mas vale muito
apostar numa intervenção sólida e integrada. a pena. É um processo de grande
dimensão que deve ser encarado como
Quem possui hipótese de ganhar tal. Não deve ser deixado em mãos
muito mais também deve apostar em alheias.
criar as melhores condições para tal.
Embarcar num processo de internacionalização

é um passo determinante na história de uma
empresa. Envolve um conjunto infindável de
ferramentas, métodos e técnicas e inúmeras
variáveis a tomar em consideração.

10


MERCADO EXTERNMOe:rcados & Estratégias
10 CHAVES PARA O SUCESSO

A ADSO desenvolveu um guia para ajudar as empresas no processo de conquista de
mercados externos. Esse guia também é uma excelente ferramenta para as empresas a
fazerem melhores negócios no âmbito da CPLP. As 10 chaves são:

Planejamento Planejamento
P1lanejar bem o primeiro passo. E o
Planejar bem o primeiro passo. E o segundo. E o terceiro...
segundo. E o terceiro...

Estratégi2a Estratégia
Eficácia, eficiência, efetividade
Eficácia, eficiência, efetividade

Inovação Inovação
C3riar o seu próprio espaço no Mercado
Criar o seu próprio espaço no Mercado
Adaptação cultural
EAmdRaopmtaaç, ãseojacuroltmuarn4aol
Em Roma, seja romano

Everjean Evolução Evolução
M5 ais oportunidades, mais capacidades
Mais oportunidades, mais capacidades
Foco no cliente
Foco no clien6te
Dar-se a conhecer para ser reconhecido Dar-se a conhecer para ser reconhecido

Ação Ação
N7 ão deixar escapar nenhuma oportunidade
Não deixar escapar nenhuma oportunidade
Novas tecnologias
Novas tecnologia8s
Novas tecnologias, novas possibilidades Novas tecnologias, novas possibilidades

Comunicação Comunicação
E9 quipado para vencer
Equipado para vencer

Todo bPoamrcpeilroitaosp/reRciesdaededuemcocnoptailto1ot0os Parcerias / Rede de contatos

Todo bom piloto precisa de um copiloto

Pode consultar o guia no site da ADSO, em http://adso.pt.

Precisa de ajuda para saber como conquistar mais mercado?
Fale comigo.

JOSÉ VILLA CARDOSO 11

Comunicação Imagem e Internacionalização
http://adso.pt | jose@adso.pt


Mercados & Estratégias
12


PAÍS Mercados & Estratégias

Guiné Equatorial

O cenário econômico atual

Petróleo: produto responsável por quase todas as
exportações da Guiné Equatorial. Como consequência
dessa dependência, o PIB desse país é fortemente afetado
em períodos de queda dos preços do “ouro negro”. Não
por acaso, a economia equatoguineense sofreu retrações
tanto durante a crise econômica internacional de
2008/2009 quanto no contexto atual.

Com o objetivo de compreender melhor a situação pela
qual passa a economia da Guiné Equatorial,
apresentamos a seguir 13 gráficos e mapas que
demonstram a evolução recente dos principais
indicadores econômicos, sociais, políticos e empresariais
do país.

13


Mercados & Estratégias O Produto Interno Bruto (PIB) da
Guiné Equatorial enfrenta um período
50 Crescimento do PIB Real (%) de queda. Como visto no gráfico ao lado,
esse indicador viveu um crescimento
40 acelerado até 2008, mas nos dois anos
30 seguintes foi fortemente afetado pela
20 crise econômica internacional de então.
10 Em 2011 e 2012, a economia nacional
conseguiu recuperar a tendência de
0 subida, mas voltou a um período de
-0,77 queda desde 2013. Segundo estimativas
do Fundo Monetário Internacional
-10 (FMI), o PIB da Guiné Equatorial
-20 encolheu 0,77% em 2016 e deverá
registrar uma queda de 2,97% em 2017.
Fonte: FMI Essa instabilidade é em grande parte
2004 gerada pela grande dependência da
2005 economia do país no Petróleo,
2006 commodity que enfrentou uma série de
2007 quedas de preço nos últimos anos.
2008
2009
2010
2011
2012
2013
2014
2015
2016
2017

7 Consumo (US$ bilhões) Um dos principais fatores no cálculo
do PIB, o consumo também vive um
6 5,26 período de queda. Como representado
5 ao lado, os gastos públicos cresceram
4 durante os dez anos entre 2004 e 2013,
3 2,51 mas passaram a cair desde então, tendo
2 diminuindo 9% em 2014 e 19% em 2015,
1 ano mais recente disponível. O consumo
0 das famílias, por sua vez, cresceu de U$$
1,15 bilhão em 2005 para US$ 2,61
bilhões em 2014, mas caiu 13% em 2015.

Governo Fonte: Banco Mundial
Famílias

14


Mercados & Estratégias

Um dos indicadores que mais 9,00 Desemprego (%) 7,90
influenciam o consumo, o desemprego 8,00
manteve considerável estabilidade na 7,00 Fonte: Banco Mundial
última década, mas subiu em 2014. 6,00
Como é possível observar no gráfico ao 5,00
lado, o percentual de habitantes em 4,00
idade ativa sem emprego declarado 3,00
manteve-se entre 6,8% e 7% entre 2004 2,00
e 2013. Por outro lado, esse indicador 1,00
subiu para 7,9% em 2014, último ano de 0,00
crescimento do consumo das famílias,
como visto no gráfico anterior.

TEXTO. Inflação Anual (%)

7
6
5
4
3 2,89
2
1
0

Fonte: FMI
2004
2005
2006
2007
2008
2009
2010
2011
2012
2013
2014
2015
2016
2017

15

O petróleo bruto representou 68% das exportações da Guiné Equatorial em 2015.


Mercados & Estratégias

Inflação Anual (%)

7

6 Assim como ocorreu com o índice de
desemprego, a inflação na Guiné

5 Equatorial manteve considerável

estabilidade nos últimos anos. Como
4 observado à esquerda, a subida anual de
3 2,89 preços variou apenas entre 2,80% e

5,74% entre 2004 e 2014. De acordo
2 com as estimativas do FMI, a inflação

1 anual vivida no país foi de 2,89% em
2016 e deverá registrar 2,83% em 2017,

0 mantendo-se, assim, bem controlada.
2004
2005
2006
2007
2008
2009
2010
2011
2012
2013
2014
2015
2016
2017

Fonte: FMI

3,50 Taxa de Juros (%)
3,00 Por ser signatário do Banco dos
2,50 2,45 Estados da África Central (BEAC), o

governo da Guiné Equatorial não possui
2,00 autonomia para definir sozinho um dos
1,50 instrumentos mais comuns de controle

da inflação: a taxa de juros. Como
1,00 observado ao lado, o BEAC fixou esse
0,50 indicador em 2,45% desde agosto de

2015, quando houve uma pequena
0,00 descida.

Fonte: Banco dos Estados da África Central

16
jul/15
set/15
nov/15
jan/16
mar/16
mai/16
jul/16
set/16
nov/16
jan/17
mar/17


Mercados & Estratégias

TEXTO. 630 Câmbio (XAF/1USD)

620
610
600
590
580
570
560
550
540

jul/15
set/15
nov/15
jan/16
mar/16
mai/16
jul/16
set/16
nov/16
jan/17
mar/17
Fonte: Banco dos Estados da
África Central

Ilha de Annobón, um dos principais destinos turísticos da Guiné Equatorial. Foto: Guinea Equatorial Press.

Como referido acima, a Guiné Câmbio (XAF/1USD)
Equatorial é membro do Banco dos
Estados da África Central (BEAC) e, 630
como consequência, a moeda oficial 620 613,35
utilizada no país é o Franco da África 610
Central (XAF). Com o objetivo de 600
garantir a estabilidade e previsibilidade 590
cambial de seus membros, o BEAC 580
estabeleceu uma taxa de câmbio de fixa 570
em relação ao Euro. Desse modo, a taxa 560
cambial do Franco da África Central 550
seguiu o mesmo caminho que o Euro e 540
viveu uma considerável instabilidade
frente ao Dólar nos últimos meses, como Fonte: Banco dos Estados da África Central
visto ao lado. jul/15
set/15
nov/15
jan/16
mar/16
mai/16
jul/16
set/16
nov/16
jan/17
mar/17

17


Mercados & Estratégias

16 IDE Atraído 13,74 No sentido contrário do PIB, a
14 (US$ bilhões, estoque) entrada de Investimento Direto Externo
(IDE) na Guiné Equatorial vive uma fase
12 de acelerado crescimento. Como é
possível observar no gráfico ao lado, esse
10 fluxo de capitais aumentou de US$ 3,35
bilhões em 2004 para US$ 13,74 bilhões
8 em 2014, registrando uma subida total
de 310% durante esse período. Desde
6 2004, a atratividade de IDE só caiu em
2008, diante de um contexto de crise
4 econômica internacional.

2

0

Fonte: UNCTAD

18 Exportações (US$ bilhões) As exportações totais da Guiné
Equatorial são o indicador que vive hoje
16 a pior queda. Como visto ao lado, as
14 vendas ao exterior tiveram uma grande
12 descida após a crise econômica
10 internacional de 2008, voltaram a subir
8 6,88 pelos três anos seguintes, mas caíram
6 novamente em todos os anos desde
4 2013. Em 2015, as exportações
2 totalizaram US$ 6,88 bilhões, valor 56%
0 menor que o registrado em 2012.
Segundo estimativas do FMI, esse
Fonte: International Trade Centre indicador caiu 4,7% em 2016 e deverá
diminuir 6,8% em 2017, mantendo uma
18 queda acentuada. Essas constantes
descidas foram puxadas por grandes
descidas do preço do petróleo e são,
provavelmente, o maior motivo da
retração do PIB nacional.


Mercados & Estratégias

TEXTO 6 Importações (US$ bilhões)

5
4
3
2 1,67
1
0

Fonte: International Trade Centre

A Agricultura é um dos setores que o Governo pretende estimular para reduzir a dependência no petróleo.

Apesar das quedas nas exportações, as 6 Importações (US$ bilhões)
importações da Guiné Equatorial
também sofreram uma grande descida 5
nos últimos anos, permitindo que o país 4
mantenha uma balança comercial de 3
superávit. Como representado no gráfico 2 1,67
ao lado, as compras de produtos 1
estrangeiros caíram em cinco dos 0
últimos seis anos, chegando a US$ 1,67
bilhão em 2015. De acordo com Fonte: International Trade Centre
estimativas do FMI, ainda, as
importações caíram 15% em 2016 e
deverão descer 5% em 2017. Os produtos
que mais caíram nas importações
durante os últimos anos foram as
máquinas, os equipamentos, o aço e os
veículos.

19


Mercados & Estratégias

Destinos das Exportações (2015)

GunnMap

Fonte: International Trade Centre.

Produtos Exportados Na análise dos destinos e produtos das
(2015) exportações da Guiné Equatorial, é
possível notar uma considerável
3% 3% concentração. Como o mapa acima
4% demonstra, os dois principais destinos
são a China e a Coreia do Sul, que
Petróleo bruto somaram quase um terço das vendas ao
exterior em 2015. Por outro lado, 25
22% Gás de Petróleo países de variadas localizações
Álcool geográficas foram, sozinhos, destinos de
mais de US$ 30 milhões em produtos da
68% Madeira Guiné Equatorial nesse mesmo ano.
Outros
Quanto aos produtos mais exportados,
Fonte: International Trade Centre o gráfico ao lado demonstra uma forte
concentração em apenas um produto: o
20 petróleo. Essa commodity foi
responsável por 90% das vendas ao
exterior em 2015 – quando somadas as
vendas do óleo bruto e do gás liquefeito.


Mercados & Estratégias

Origens das Importações (2015)

GunnMap

Fonte: International Trade Centre.

Quanto às importações da Guiné Produtos Importados
Equatorial, é possível observar uma (2015)
concentração mais baixa do que aquela
vista nas exportações. Como visto no 14%
mapa acima, os países que mais Embarcações
exportaram para esse mercado africano
em 2015 foram a Holanda (18% do Máquinas
total), a Espanha (17%) e a China (16%). 47% 14% Aço/Ferro

Dividindo as importações totais pelas Equipamentos
categorias de produtos, nota-se no
gráfico à esquerda uma grande 9% Bebidas
variedade. As embarcações, 9% Outros
principalmente as utilizadas para a 7%
exploração petrolífera, e as máquinas
foram os produtos mais comprado do Fonte: International Trade Centre 21
exterior em 2015, tendo cada uma
representado 14% do total. A seguir,
destacaram-se o aço e o ferro (9%), os
equipamentos (9%) e as bebidas (7%).


Mercados & Estratégias

Financiamento
de Projetos

22


Mercados & Estratégias

Portuguesa Mota-Engil será corresponsável pela
construção de linha de ferro em Moçambique

NOTÍCIAS A portuguesa Mota-Engil vai concurso a brasileira Andrade
Gutierrez, duas construtoras da
construir uma linha de ferro com China, uma da Turquia a uma da
Coreia do Sul. A vitória da Mota-
extensão de 500 quilômetros e um Engil já havia sido anunciada à
Rádio Moçambique em 13 de
porto de águas profundas na março pelo presidente do
Corredor de Desenvolvimento da
região central de Moçambique em Zambézia, Abdul Carimo, mas
poucos detalhes foram revelados.
parceria com a chinesa CCEC. A
O projeto em questão tem como
informação foi divulgada para o objetivo criar um novo corredor
de escoamento do carvão extraído
jornal português Expresso pelo em Moatize, uma das maiores
reservas mundiais dessa rocha.
presidente executivo da Segundo Fonseca, o carvão
escoado será principalmente
concessionária dessa operação, destinado a siderurgias e centrais
térmicas na China, na Índia, no
Thai Moçambique Logística Japão e na Tailândia. A linha de
ferro também trabalhará no
(TML), José Pires da Fonseca. transporte de passageiros entre

O consórcio luso-chinês foi o Quelimane, capital da Zambé2z3ia, e

vencedor do concurso para a a província do Tete.

construção de um porto para

navios de até 80 mil toneladas em

Macuse, cidade na província da

Zambézia, e de uma linha de ferro

que ligará esse porto às minas de

carvão de Moatize. O contrato, no

valor de 2,3 bilhões de dólares,

prevê que as obras deverão ter

uma duração de 36 meses.

Também haviam participado no


Mercados & Estratégias

Governo de Angola pretende cooperar com a
Universidade de Aveiro para promover a Pesca

O Ministério das Pescas de Angola está Dentro desses esforços do Governo
estudando a possibilidade de firmar uma angolano, ainda de acordo com a ministra,
parceria com a Universidade de Aveiro, em poderá ser assinada uma cooperação com a
Portugal, de forma a promover o melhor instituição portuguesa que incluirá
aproveitamento de recursos marinhos, projetos de investigação conjunta.
principalmente no âmbito do setor da
Pesca. A informação foi anunciada em 27 O pró-reitor da Universidade de Aveiro
de março pela ministra angolana das Osvaldo Pacheco afirmou que essa
Pescas, Victória de Barros Neto, durante instituição está disponível para uma
um seminário sobre a economia do mar parceria estratégica com o objetivo de dar
ocorrido na capital do país, Luanda. formação a quadros do Ministério das
Pescas angolano e prestar apoio científico,
Segundo a ministra, o Governo de conforme referido pela Agência Lusa.
Angola pretende criar condições para uma
melhor coordenação de todas as atividades Angola possui uma linha costeira de
relacionadas ao mar de forma a garantir a aproximadamente 1650 quilômetros e uma
sua exploração sustentável. Neto ressaltou, Zona Econômica Exclusiva de 330 mil
ainda, que esse plano inclui esforços para quilômetros quadrados. Por outro lado, a
uma maior conscientização e inclusão de exploração de recursos do mar representa
empresas privadas que operam em áreas apenas cerca de 3% do PIB do país,
relacionadas, como a Pesca, a exploração percentual que o Governo angolano
energética e o Turismo. pretende aumentar para promover a
diversificação econômica nacional.

24


Mercados & Estratégias

Governo de Moçambique suspende
temporariamente importação de carne brasileira

O Governo de Moçambique anunciou a Alimentar, assim como por técnicos da
suspensão temporária da importação e Autoridade Tributária de Moçambique.
comercialização de carnes de origem
brasileira. A informação foi divulgada em A diretora nacional afirmou, ainda, que
30 de março pela diretora nacional a medida tem como objetivo evitar danos à
moçambicana do Comércio Interno, saúde dos consumidores de Moçambique.
Zulmira Macamo, durante conferência de Não foram anunciados, no entanto, prazos
imprensa na capital do país, Maputo, para a duração da medida.
conforme referido pela agência Luso.
Em 17 de março, a Polícia Federal do
Segundo Macamo, o Governo Brasil deflagrou uma operação de combate
moçambicano criou uma equipe técnica à venda ilegal de carnes no país. A
para a avaliação da carne brasileira operação revelou um suposto sistema de
importada por Moçambique. Essa ação irregularidades cometidas por 21 empresas
terá como objetivo averiguar se os brasileiras de forma a adulterar carnes
produtos em questão fazem parte de lotes vendidas para consumidores nacionais ou
supostamente adulterados, conforme estrangeiros. Em resposta a essa situação,
deflagrado pela operação "Carne Fraca", da diversos países impuseram restrições
Polícia Federal brasileira. A equipe técnica temporárias à importação de carne
é formada por representantes dos brasileira. Em 2016, Moçambique
ministérios da Indústria e Comércio, da importou US$ 338 mil em carne suína e
Saúde e da Agricultura e Segurança
US$ 2,8 milhões em carne de frang2o5do

Brasil.


MerBcaAdIoIsa&prEosvtraataédgeiassão Angola terá associação de
do Timor-Leste
consultores empresariais
O Conselho de Governadores do Banco
Asiático de Investimento em Infraestruturas A Confederação Empresarial de Angola
(BAII) anunciou a aprovação da (CEA) criará uma associação nacional de
candidatura do Timor-Leste para se tornar consultores empresariais com o objetivo de
membro dessa instituição. A informação foi melhorar a atuação dos empreendedores
divulgada em um comunicado publicado em angolanos. A informação foi anunciada em
28 de março pelo Governo timorense. 29 de março pelo presidente da
confederação, Francisco Viana, em reunião
Com um capital total de US$ 100 bilhões, com empresários locais da província do
o BAII consiste em uma instituição Huambo, conforme referido pela Agência
financeira internacional que tem como Angola Press.
principal objetivo estimular a construção de
infraestruturas na região da Ásia e do Segundo Viana, a futura associação
Pacífico. O banco conta agora com 70 permitirá que os empreendedores
países-membros aprovados, que também angolanos tenham maior capacidade de
incluem Brasil e Portugal. gestão de seus negócios, de forma a evitar
falências prematuras. O gestor acrescentou
O Governo timorense havia anunciado que é essencial que os empresários
sua candidatura ao BAII em setembro de atualizem seus conhecimentos
2016, quando o Ministério das Finanças do constantemente, principalmente para
país foi autorizado a dar início ao processo. acompanhar a evolução das novas
Quatro meses depois, o Conselho de tecnologias em todos os ramos e, assim,
Ministros timorense debateu e aprovou os fazer face à competitividade dos negócios.
termos e condições da adesão.
Criada em janeiro de 2017, a CEA surgiu
Após a aprovação, o Timor-Leste passou com o objetivo de fortalecer o diálogo entre
à categoria de membro potencial do BAII. O o Governo angolano e as associações
país irá juntar-se oficialmente à instituição empresarias e cooperativas das 18
assim que os procedimentos internos províncias do país.
necessários forem concluídos e a primeira
prestação de capital seja depositada no Viana assegurou que a associação de
consultores será criada em pouco tempo,
ban2c6o. mas não anunciou prazos específicos.


Mercados & Estratégias

Investimento Estrangeiro Taxa de câmbio
(US$ bilhões, fluxo) (AOA/1USD)

ESTATÍSTICAS 2015 8,68 Abr./2017 166,4

2014 1,92 Mar./2017 166,4

-7,12 2013 Fev./2017 166,4

-10 -5 0 5 10 0 100 200

Fonte: UNCTAD. Fonte: Banco Central do Brasil.

Importações Exportações
(USD bilhões) (USD bilhões)

2015 16,22 2015 34,12

2014 28,29 2014 65,74

2013 24,17 2013 73,14

0 10 20 30 0 20 40 60 80

Fonte: Internacional Trade Centre. Fonte: International Trade Centre.

Inflação (%) Taxa de juros (%)

Fev./2017 39,45 Abr./2017 16

Jan./2017 40,39 Mar./2017 16

Dez./2016 41,95 Fev./2017 16

38 39 40 41 42 43 0 10 20

Fonte: Banco Nacional de Angola. Fonte: Banco Nacional de Angola.

27


Mercados & Estratégias

Investimento Estrangeiro Taxa de câmbio
(US$ bilhões, estoque) (BRL/1USD)

Fev./2017 5,31 Abr./2017 3,17

Jan./2017 11,53 Mar./2017 3,1

Dez./2016 15,41 Fev./2017 3,13

- 10 20 3,05 3,10 3,15 3,20

Fonte: Banco Central do Brasil. Fonte: Banco Central do Brasil.

Importações Exportações
(USD bilhões, mensal) (USD bilhões, mensal)

Fev./2017 10,91 Fev./2017 15,47

Jan./2017 12,19 Jan./2017 14,91

Dez./2016 11,53 Dez./2016 15,94
10 14
11 12 13 15 16 17

Fonte: MDIC. Fonte: MDIC.

Inflação (%) Taxa de juros (%)

Fev./2017 4,76 Abr./2017 12,25
Jan./2017 5,35
Mar./2017 12,25

Dez./2016 6,29 Fev./2017 13
0
5 10 11,5 12,0 12,5 13,0 13,5

Fonte: IBGE. Fonte: Banco Central do Brasil.

28


Mercados & Estratégias

Investimento Estrangeiro Taxa de câmbio
(USD bilhões, estoque) (CVE/1USD)

2015 1,49 Abr./2017 103,94

2014 1,55 Mar./2017 105,01

2013 1,64 1,70 Fev./2017 103,07 106
1,40
1,50 1,60 102 103 104 105

Fonte: UNCTAD. Fonte: Banco Central do Brasil.

2015 Importações 2015 Exportações
(USD milhões) (USD milhões)

558,65 72,31

2014 768,74 2014 80,54

2013 726,37 2013 69,23

0 500 1 000 60 65 70 75 80 85

Fonte: International Trade Centre. Fonte: International Trade Centre.

Inflação (%) Taxa de juros (%)

Jan./2017 -1,30 Abr./2017 7,50

Dez./2016 -1,40 Mar./2017 7,50

Nov./2016 -1,30 Fev./2017 7,50

-1,45 -1,40 -1,35 -1,30 -1,25 05 10

Fonte: INE Cabo Verde. Fonte: Banco de Cabo Verde.

29


Mercados & Estratégias

Investimento Estrangeiro Taxa de câmbio
(US$ milhões, estoque) (XOF/1USD)

2015 133,96 Abr./2017 610,31

2014 129,31 Mar./2017 619,59

2013 116,89 Fev./2017 613,04
100
110 120 130 140 605 610 615 620 625

Fonte: UNCTAD. Fonte: BCEAO.

2015 Importações 2015 Exportações
(USD milhões) (USD milhões)

198,38 240,94

2014 412,61 2014 265,14

2013 323,08 2013 297,22

0 200 400 600 0 100 200 300 400

Fonte: International Trade Centre. Fonte: International Trade Centre.

Inflação (%) Taxa de juros (%)

Fev./2017 2,15 Abr./2017 4,50
Jan./2017 1,25 Mar./2017 4,50

Dez./2016 1,70 Fev./2017 4,50
0,0
1,0 2,0 3,0 0 2 4 6

Fonte: BCEAO. Fonte: BCEAO.

30


Mercados & Estratégias

Investimento Estrangeiro Taxa de câmbio
(USD bilhões, estoque) (XAF/1USD)

2015 13,74 Abr./2017 613,35

2014 13,42 Mar./2017 619,89

2013 13,10 Fev./2017 613,09
12,5
13,0 13,5 14,0 605 610 615 620 625

Fonte: UNCTAD. Fonte: BEAC.

2015 Importações 2015 Exportações
(USD bilhões) (USD bilhões)

1,52 6,41

2014 2,63 2014 13,14

2013 3,11 2013 14,53

0123 4 0 5 10 15 20

Fonte: International Trade Centre. Fonte: International Trade Centre.

Inflação (%) Taxa de juros (%)

2015 3,90 Abr./2017 2,45
2014
2013 3,60 Mar./2017 2,45

0 3,20 Fev./2017 2,45

2 4 6 0,0 1,0 2,0 3,0

Fonte: BEAC. Fonte: BEAC.

31


Mercados & Estratégias

Investimento Estrangeiro Taxa de câmbio
(US$ bilhões, estoque) (MZN/1USD)

2015 28,77 Abr./2017 67,95

2014 25,06 Mar./2017 70,03

2013 19,97 Fev./2017 70,57

0 10 20 30 40 66,0 67,0 68,0 69,0 70,0 71,0

Fonte: International Trade Centre. Fonte: Banco de Moçambique.

2015 Importações 2015 Exportações
(USD bilhões) (USD bilhões)

7,91 3,19

2014 8,74 2014 4,73

2013 10,1 2013 4,02

0 5 10 15 024 6

Fonte: International Trade Centre. Fonte: International Trade Centre.

Inflação (%) Taxa de juros (%)

Fev./2017 20,88 Abr./ 23,25
2017
Jan./2017 20,56 23,25
Mar./
Dez./2016 23,67 2017 23,25
10 20
18 20 22 24 Fev./ 30
2017 Fonte: Banco de Moçambique.
Fonte: INE - Moçambique.
0

32


Mercados & Estratégias

Investimento Estrangeiro Taxa de câmbio
(€ bilhões) (EUR/1USD)

Jan./2017 0,88 Abr./2017 0,93

Dez./2016 0,80 Mar./2017 0,95

Nov./2016 0,28 Fev./2017 0,93

0,0 0,5 1,0 0,92 0,93 0,94 0,95 0,96

Fonte: Banco de Portugal. Fonte: Banco Central do Brasil.

Importações (€ bilhões) Exportações (€ bilhões)

Jan./2017 5,34 Jan./2017 4,4

Dez./2016 5,45 Dez./2016 4,07

Nov./2016 5,47 Nov./2016 4,68

5,25 5,30 5,35 5,40 5,45 5,50 3,5 4,0 4,5 5,0

Fonte: INE - Portugal. Fonte: INE - Portugal.

Inflação (%) Taxa de juros (%)

Fev./2017 1,60 Abr./2017 0
Jan./2017 1,30 Mar./2017 0

Dez./2016 0,90 Fev./2017 0

0,0 0,5 1,0 1,5 2,0 0,00 0,20 0,40 0,60 0,80 1,00

Fonte: Banco Central Europeu. Fonte: Banco Central Europeu.

33


Mercados & Estratégias

Investimento Estrangeiro Taxa de câmbio
(US$ milhões, estoque) (STD milhares/1USD)

2015 375,88 Abr./2017 22,99

2014 347,42 Mar./2017 23,87
2013
320,32 Fev./2017 22,88
250 300 350
400 22,0 22,5 23,0 23,5 24,0
2015 Fonte: UNCTAD.
Fonte: Banco Central do Brasil.
Importações
(USD milhões) 2015 Exportações
(USD milhões)
91,32
11,65

2014 169,71 2014 10,49

2013 152,09 2013 6,93

0 50 100 150 200 0 5 10 15

Fonte: International Trade Centre. Fonte: International Trade Centre.

Inflação (%) Taxa de juros (%)

Fev./2017 4,90 Abr./2017 10,00
Jan./2017 4,70 Mar./2017 10,00

Dez./2016 5,10 Fev./2017 10,00

4,4 4,6 4,8 5,0 5,2 0 5 10 15

Fonte: Banco Central de São Tomé e Príncipe. Fonte: Banco Central de São Tomé e Príncipe.

34


Mercados & Estratégias

Investimento Estrangeiro Taxa de câmbio
(US$ milhões, estoque) (USD/1EUR)

2015 332,23 Abr./2017 1,07

2014 316,47 Mar./2017 1,06

2013 283,82 Fev./2017 1,08

240 260 280 300 320 340 1,05 1,06 1,07 1,08 1,09

Fonte: UNCTAD. Fonte: Banco Central do Brasil.

Importações Exportações
(USD milhões) (USD milhões)

Fev./2017 41,88 Fev./2017 1,25

Jan./2017 56,08 Jan./2017 2,27

Dez./2016 11,11 Dez./2016 1,70

0 20 40 60 012 3

Fonte: Direcção Nacional de Estatística. Fonte: Direcção Nacional de Estatística.

Inflação (%)

Fev./2017 0,20

Jan./2017 -0,30

Dez./2016 0,00

-0,4 -0,2 0,0 0,2 0,4

Fonte: Direcção Nacional de Estatística.

35


LINKS ÚTEISMercados & Estratégias

Associações

Associação dos Empreendedores de Angola
Câmara de Comércio Angola Brasil

Câmara de Comércio e Indústria Portugal - Angola

Instituições Públicas

Agência Nacional para o Investimento Privado (ANIP)
Banco de Desenvolvimento de Angola
Banco Nacional de Angola
Guiché Único da Empresa
Instituto Nacional de Estatística
Ministério das Finanças
Portal do Cidadão
Portal do Governo

Fontes de Informação

Angola Global
Angola Outlook
Agência Angola Press
Jornal de Angola
AngoNotícias

36


Mercados & Estratégias

Associações

Associação Comercial Empresarial do Brasil
Câmara de Comércio Angola Brasil

Câmara de Comércio, Indústria e Agropecuária Brasil-Moçambique
Federação das Câmaras Portuguesas de Comércio no Brasil

Instituições Públicas

Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (APEX-Brasil)
Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa)

Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES)
Banco Central do Brasil

Instituto Brasileiro de Estatística e Geografia (IBGE)
Instituto Brasileiro de Turismo (Embratur)

Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC)
Portal do Governo
Receita Federal

Fontes de Informação

BrasilGlobalNet
Fundação Centro de Estudos do Comércio Exterior

Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada
Sistema de Análise das Informações de Comércio Exterior

37


Mercados & Estratégias

Associações

Câmara de Comércio, Indústria e Turismo Portugal Cabo Verde

Instituições Públicas

Alfândegas de Cabo Verde
Cabo Verde Investments
Inspecção Geral das Actividades Económicas
Ministério do Turismo, Investimentos e Desenvolvimento Empresarial
Página Oficial do Governo

Fontes de Informação

Instituto Nacional de Estatística

Instituições Públicas

Assembleia Nacional Popular
Fundação Guineense para o Desenvolvimento Empresarial Industrial

Portal do Governo
Portos da Guiné-Bissau
Presidência da República

Fontes de Informação

Bissau Digital
Instituto Nacional de Estatística

38


Mercados & Estratégias

Instituições Públicas

Banco Nacional da Guiné Equatorial
Ministério de Assuntos Exteriores e Cooperação
Ministério do Planejamento, Desenvolvimento Econômico e Investimento Público

Página Oficial do Governo

Fontes de Informação

Banco dos Estados da África Central (BEAC)

Associações 39

Associação de Comércio e Indústria
Câmara de Comércio, Indústria e Agropecuária Brasil-Moçambique

Câmara de Comércio Moçambique Portugal

Instituições Públicas

Alfândegas de Moçambique
Autoridade Tributária
Banco de Moçambique

Centro de Promoção de Investimentos (CPI)
Gabinete das Zonas Económicas de Desenvolvimento Acelerado

Instituto para a Promoção de Exportações
Portal do Governo

Fontes de Informação

Instituto Nacional de Estatística


Mercados & Estratégias

Associações

Associação Empresarial de Portugal
Associação Industrial Portuguesa

Câmara de Comércio e Indústria Luso-Brasileira
Câmara de Comércio e Indústria Portugal-Angola

Câmara de Comércio Portugal-Moçambique
Câmara de Comércio, Indústria e Turismo Portugal-Cabo Verde

Confederação Empresarial de Portugal

Instituições Públicas

Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal
Autoridade da Concorrência
Balcão do Empreendedor
Banco de Portugal

Instituto de Apoio às Pequenas e Médias Empresas e ao Investimento
Instituto Português de Apoio ao Desenvolvimento
Portal do Governo
Turismo de Portugal

Fontes de Informação

Instituto Nacional de Estatística
Jornal de Negócios
Jornal Oje

40


Mercados & Estratégias

Associações

Associação Santomente Promotora de Investimento e Desenvolvimento

Instituições Públicas

Assembleia Nacional
Autoridade das Zonas Francas

Direção Geral de Turismo
Empresa Nacional de Administração dos Portos

Portal do Governo

Fontes de Informação

Banco Central de São Tomé e Príncipe
Instituto Nacional de Estatística

Instituições Públicas

Ministério das Finanças
Portal do Governo

Fontes de Informação

Banco Central
Direcção-Nacional de Estatística

Jornal da República
Portal de Resultados do Governo

41


Everjean Mercados & Estratégias
42


Click to View FlipBook Version
Previous Book
Hickory Tavern Menu - Shelter Cove PP
Next Book
LITMAG FINAL FINAL BOOK